1. O PASTOR E AS OVELHAS
  1. Ama o pastor as ovelhas,

Com um amor paternal,

Ama o pastor seu rebanho,

Com um amor sem igual;

Ama o pastor inda outras,

Que desgarradas estão,

E comovido as procura,

Por onde quer qu’elas vão.

PELOS DESERTOS ERRANTES,

VÊEM-SE A SOFRER PENAS MIL,

ELE AO ACHÁ-LAS, NOS OMBROS

LEVA-AS DITOSO, AO REDIL.

  1. Ama o pastor seus cordeiros,

Com inefável amor,

Aos que, às vezes, perdidos,

Gemendo se ouvem de dor.

Vede o pastor comovido

Pelas colimas vagar,

E os cordeiros nos ombros,

Vede-O, levando ao lugar.

  1. Ama as noventa e nove,

Que no redil abrigou;

Ama a que, desgarrada,

No campo se desviou

“Ó minha ovelha perdida!”

Clama o dolente pastor;

Quem irá em Tua ajuda,

Para salvá-la, Senhor?

  1. São delicados teus pastos,

Mui quietas tuas águas são;

Eis-nos aqui. ó bom Mestre,

Dá-nos veraz direção,

Faz- nos obreiros zelosos,

Enche-nos de santo amor,

Pelas ovelhas perdidas

Do Teu redil, bom Senhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *