1. HO ABRAÃO E SEU SACRIFÍCIO

  1. De baixo dumas mui formosas tamareiras,

Estando já Berseba na escuridão,

As aves escutando, entre as roseiras,

Se vê andar o patriarca Abraão.

Seu coração perante Deus está aflito,

Pois quer que O sirvamos sem murmuração,

E por amor pergunta ao Senhor bendito:

“O meu amado filho queres Tu, então?”

  1. A voz de Jeová potente é ouvida:

“O teu Isaque oferece para Mim,

Embora fiques com tu alma dolorida,

Pois te abençoo se fizeres tu assim”.

De abatido Abraão se torna forte

E canta hinos, pois com fé medita já:

“Deus pode o meu filho libertar da morte!”

E não temendo, segue para Moriá.

  1. Ao pé do monte do supremo sacrifício,

Profunda dúvida entrou em Abraão:

“Irei perder da minha vida o benefício?”

E triste começou subir com lentidão,

Pois ia dar, do coração a esperança

– No seu outono, sacrifício duma flor

Assim levou o seu cordeiro à matança,

Em obediência ao mandato do Senhor.

  1. Isaque com a lenha presto vai na frente,

Oh! Quando é formoso para Abraão!

Mas eis que volta p’ra seu pai suavemente

E lhe dirige esta interrogação:

“O fogo e a lenha estou vendo que trouxemos,

Mas o cordeiro d’holocausto onde está?”

E a resposta de Abraão na Bíblia temos:

“Meu filho, Deus p’ra Si, cordeiro proverá”.

  1. Chegando Abraão aonde Deus mandara,

Fez um altar e nele a lenha arrumou:

E a seu filho, que já dantes amarrara,

Tomando nos seus braços sobre o altar deito,

Mas quando Abraão foi para imolá-lo,

O Anjo do Senhor bradou-lhe desde os Céus:

“A tua mão ó não estendas p’ra matá-lo;

Porquanto eu agora sei que temes Deus”.

  1. Erguendo Abraão seus olhos de repente,

Vê um cordeiro, que no mato preso está,

E o tomando, oferece-o alegremente:

Assim “No Monte do Senhor se proverá”.

A voz do Anjo é ouvida novamente;

“Diz o Senhor: Porque fizeste esta a não

Deveras Eu abençoarei a tua semente,

E nela, as nações benditas se farão”.

  1. O nosso Isaque oferecemos com firmeza,

No Moriá onde finda o ideal,

Pois foi ali que alcançaram fortaleza,

Os vencedores, sob canto angelical;

Ali o nosso Deus jurou fidelidade

Também os santos se encheram de valor,

E só teremos a perfeita santidade

Depois que formos para o Monte do Senhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *