LEITURA DIÁRIA

SEG. Jr 26.3: Arrependimento é uma boa ideia

TER. Mt 3.1,2: João Batista pregou o arrependimento

QUA. Mc 1.15: Jesus pregou o arrependimento

QUI. Lc 532: A Missão de Jesus

SEX. At 2.38; 26.20: Pedro e Paulo pregaram o arrependimento

SÁB. Ap 2.21: Tempo para se arrepender

REFLEXÃO

 “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, em todo lugar, que se arrependam” (At 17.30).

OBJETIVOS

Ensinar o real significado do arrependimento.

Analisar a importância do arrependimento no contexto da salvação.

Estimular a necessidade de arrependimento individual.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:

1 João 1.1-9

SINTETIZANDO

Arrependimento é a única possibilidade que temos de salvação. Não outro caminho, visto que todos pecaram (Rm 3.23).

Arrependimento é, portanto, sinônimo de vida. O arrependimento genuíno é, sempre, motivado por uma forte convicção do pecado, que traz tristeza, e cria uma real transformação de mentalidade e de conduta, bem como o desejo de reparação do dano. O arrependimento, que deve ser profundo e constante, faz-nos livres da culpa e dá-nos liberdade para voar alto com Deus.

INTRODUÇÃO

A Bíblia diz que cada um deve se esforçar “para viver uma vida completamente dedicada ao Senhor [santidade], pois sem isso ninguém o verá” (Hb 12.14 – NTLH). O arrependimento genuíno (não o remorso), portanto, traz a ação da fidelidade e da justiça de Deus, o qual concederá o perdão pelos pecados cometidos, para nos purificar da maldade de nossas ações, de maneira tal que, dai por diante, possamos ser aceitos por Deus (1 Jo 1.9). Não é o ativismo religioso que nos dá vida, mas o arrependimento!




 

A AULA VAI COMEÇAR!

Professor, introduza a aula perguntando aos alunos se eles conhecem a expressão “se arrependimento matasse…’’. De fato, arrependimento não mata, ao contrario, o arrependimento salva! Comente com eles o versículo-chave da lição, no qual a ordem de Deus é que todos se arrependam de seus pecados. Distribua lápis e uma folha de papel Aq.. Peça que anotem alguns pecados dos quais ainda não se arrependeram (ex.. mentira, não honrar pais, murmuração, maus pensamentos). Garanta que apenas eles e Deus saberão o que está escrito ali, portanto, podem confessar e se arrepender de tudo que quiserem. É importante que você, professor, também participe da atividade, afinal, na vida de todo cristão o arrependimento deve ser constante e profundo Incentive-os a “abrir o coração” na presença de Deus e faça com eles uma oração de arrependimento. Após, dê-lhes borrachas para que apaguem o que escreveram. Diga-lhes que é isso que Jesus faz com nossos pecados quando nos arrependemos.

  1. ARREPENDIMENTO

Arrependimento é uma reação psicológica de desagrado, de desaprovação, em relação a condutas, sentimentos e pensamentos realizados pela própria pessoa, no passado. Para fins deste estudo, entretanto, interessa-nos, sobretudo, o conceito teológico de arrependimento, que pode ser qualificado como uma manifestação da graça de Deus. É uma ação do Espírito Canto (Jo 16.8: Hb 6.4-6) na mente da pessoa decaída, para que o homem não morra em seus pecados. É portanto, Deus abrindo o caminho para a vicia e para a comunhão com Ele. O pastor Claudionor assim o definiu: “Compunção, contrição. Tristeza causada pela violação das leis divinas, pelas quais indivíduo é constrangido a voltar-se a Deus para implorar-lhe o imerecido favor.

1.1. História Bíblica

A Bíblia, do início ao fim, diz que, para sermos perdoados, precisamos nos arrepender. O arrependimento foi a causa de Nínive não ser destruída (Jn 3.5-10), do juízo de Deus sobre Acabe ter adiado (1 Rs 21.29), do rei Manasses ter sido restaurado (2 Cr 33.11-13), do filho “pródigo” ter sido recebido pelo Pai de braços abertos (Lc 15.18-20), de Zaqueu ter sido salvo (Lc 19.8-10), dentre outros exemplos. Em certa ocasião. Jesus disse a pessoas que se julgavam autossuficientes: “Não, vos digo: antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis” (Lc 13.5).

  1. SIGNIFICADO DE ARREPENDIMENTO

A história do filho “pródigo”, contada por Jesus em Lucas 15.11-32, demonstra quais os passos de um verdadeiro arrependimento.

2.1. Reconhecer a ofensa a Deus

Em Lucas 15.18, o filho mais moço ensaiou o que ia dizer ao seu genitor: “Pai, pequei contra Deus e contra o senhor”. Ele reconhecia que seu erro magoou a Deus e a seu pai. Nessa ordem. “Se confessarmos os nossos pecados…” (1 Jo 1.9). Essa convicção profunda do pecado é o primeiro passo.

2.2. Tristeza pelo pecado

O pecado trouxe tristeza ao filho pródigo. Quando ele estava no meio dos porcos, sentiu o peso do seu pecado (v. 17): “caindo em si. pensou…” Ele estava triste com o que cometera, lembrando-se da fartura que havia na casa paterna. Isso era uma ação do Espírito Santo. De um jeito, ou de outro, o pecado sempre produzirá tristeza… Ou em nós, ou no Espírito Santo, o qual tem ciúmes de nós quando pecamos (Tg 4.5). Essa maravilhosa tristeza, em nós, vem de Deus, e é um dos pilares do arrependimento (2 Co 7.10), como aconteceu com Pedro (Lc 22.61,62). A tristeza do mundo, porém, causada pelo remorso, leva à morte, como aconteceu com Judas Iscariotes (Mt 27.5).

2.3. Mudança de mentalidade

Uma das palavras para arrependimento é metanoia, do grego, que significa “mudança de mente”. Do amor pelo pecado ao ódio por ele. Isso é uma total alteração do jeito de pensar, adotando o padrão estabelecido na Bíblia. Isso aconteceu em Lucas 15.21, quando o filho caçula disse:”… Não sou digno de ser chamado teu filho”. Aquele moço, outrora arrogante e egoísta, desaparecera. Agora, ele não se via mais com direito algum. Tornou-se uma pessoa humilde e obediente. Certamente seu estado anterior lhe causava muita vergonha.

2.4. Disposição para mudar de conduta e reparar o dano

Chorar resolve? Neste caso, não. O arrependimento acontece quando a pessoa muda, não quando chora, como aconteceu tristemente com Esaú (Hb 12.17). O filho pródigo resolveu mudar de conduta e reparar o dano, tão logo se arrependeu. Ele queria agora ser apenas um trabalhador (Lc 15.19). Talvez para reparar o estrago que deixou nas finanças paternas, ao conseguir o adiantamento da herança. Esse desejo mudança e de reparação do dano também aconteceram com Zaqueu, após sua conversão (Lc 19,8). Por isso Jesus disse: “Hoje a salvação entrou nesta casa” (Lc 19.9 – NTLH).

  1. POR QUE NOS ARREPENDER?

Se há algo que pode destruir o homem, isso é o pecado. Observemos o I meado de Jonas, que trouxe um grande prejuízo às pessoas que navegavam com ele, as quais quase morreram. Ou o caso de Herodes, que foi comido por vermes, por causa de sua arrogância (At 12.21-23), ou o episódio de Ananias e Safira, fulminados pelo Senhor por causa de uma mentira (At 5.1-10). O arrependimento, por outro lado, restaura o equilíbrio. O arrependimento de Jonas, por exemplo, trouxe as coisas à normalidade. O plano do Senhor foi cumprido em Nínive. Infelizmente, Herodes, Ananias e Safira não tiveram tempo de se arrepender.

3.1. A urgência

O rei Davi teria evitado muitos transtornos se, após o adultério com Bate-Seba, (2 Sm 11.4), ou tivesse se arrependido logo. O fato é que, após adulterar, ele ainda tentou enganar o marido traído e, por fim, matou-o (2 Sm 11.6,14-17).

Como diz a Bíblia: “um abismo chama outro abismo” (SI 42.7). Quanta dor Davi suportou, em seu reino e família, porque demorou a se arrepender. Além do mais, você não sabe quando será sua última chance de se arrepender.

SUBSÍDIO

(…) Se minhas filhas violam um de meus critérios, ou desobedecem a uma de minhas regras, não as rejeito. Não as chuto para fora de casa, nem lhes digo para mudarem de sobrenome. Contudo, espero que sejam honestas e apresentem desculpas. E até que elas façam, a ternura de nosso relacionamento sofrerá. A natureza do relacionamento não mudará, mas a intimidade sim.

O mesmo acontece em nosso caminhar com Deus. Confissões não criam um relacionamento com Deus; simplesmente o nutrem. Se você é um crente, admissão de pecados não lhe altera a posição diante de Deus; intensifica, porém, a sua paz com Ele. Quando confessa, você concorda; deixa de argumentar com Deus, e concorda com Ele sobre os seus pecados. Pecados inconfessos levam a um estado de discordância. Você pode ser filho de Deus, mas não quer conversar com Ele. Deus ainda o ama, porém até você admitir o que tem feito, haverá tensão na casa.

Mas assim como o pecado inconfesso obstrui a alegria, o pecado confessado a libera. Ao admitirmos o pecado, somos como o aluno de pé, diante da professora, com um papel confuso. “Pintei muito fora do contorno, Posso começar de novo num papel limpo?” ‘Claro, responde a professora. Feliz, o aluno ganha uma segunda chance (…). Então, corremos de volta à nossa carteira, e começamos de novo (LUCADO. Max. A Grande Casa de Deus. Rio de Janeiro: CPAD. 2012, p.112).

CARO PROFESSOR

entramos na reta final do trimestre. Ensaie com seus alunos a apresentação que passaremos a detalhar a partir desta lição e nesta seção. Combine com seu superintendente para fazer a apresentação à toda igreja no fechamento trimestral. Os personagens são: o Juiz de Direito (Deus Pai – Ec 12.14), 0 Promotor de Justiça (a Justiça de Deus – Gn 2.17; Ez 18.20), os Advogados de defesa [Dr. Boas Ações, Dr. Boas Intenções (Ef 2.19; Is 64.6) e Dr. Jesus (1Jo 21)] e os réus [Rm 3.23 (no mínimo cinco alunos)], além do Meirinho (representando um anjo, que é o narrador)… (Continua na próxima lição).




 

PARA CONCLUIR

Apenas através do genuíno arrependimento recebemos a salvação. Lembre-se: somente “aquele que perseverar até ao fim será salvo” (Mt 24.13). Portanto, continue firme caminhando com Deus, em constante santificação, até o dia de entrar no céu.

HORA DA REVISÃO

  1. Qual reação psicológica de desagrado, que leva o indivíduo a voltar-se a Deus, para implorar-lhe o perdão.

Arrependimento.

  1. Quem foi o rei que não teve tempo de se arrepender porque foi comido de bicho?

Herodes.

  1. Quem foi o rei que demorou a se arrepender e sua família e reino sofreram muito?

Davi.

  1. O que significa a palavrametanoia?

“Mudança de mente”.

  1. Segundo a lição, qual atitude possui um poder destruidor?

O pecado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *