4º Trimestre de 2009

 

Data: 20 de dezembro de 2009

TEXTO ÁUREO

“Eis que o filho que te nascer será homem de repouso; porque repouso lhe hei de dar de todos os seus inimigos em redor; portanto, Salomão será o seu nome, e paz e descanso darei a Israel nos seus dias” (1 Cr 22.9).

VERDADE PRÁTICA

Formar sucessores é, sem dúvida, uma das maiores virtudes dos grandes líderes.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – 1 Cr 22.9

O sucessor escolhido pelo Senhor

Terça – 1 Rs 1.5,9,10

Planos enganosos para tomar o reino

Quarta – 1 Rs 2.1-4

Conselhos ao sucessor

Quinta – 1 Rs 3.12

Um sucessor sábio

Sexta – 1 Rs 1.52,53

Lidando com a oposição

Sábado – 1 Rs 10.23

A prosperidade do reino

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

1 Crônicas 28.4-8

4 – E o SENHOR, Deus de Israel, escolheu-me de toda a casa de meu pai, para que eternamente fosse rei sobre Israel; porque a Judá escolheu por príncipe, e a casa de meu pai, na casa de Judá; e entre os filhos de meu pai se agradou de mim para me fazer rei sobre todo o Israel.

5 – E, de todos os meus filhos (porque muitos filhos me deu o SENHOR), escolheu ele o meu filho Salomão para se assentar no trono do reino do SENHOR sobre Israel.

6 – E me disse: Teu filho Salomão, ele edificará a minha casa e os meus átrios, porque o escolhi para filho e eu lhe serei por pai.

7 – E estabelecerei o seu reino para sempre, se perseverar em cumprir os meus mandamentos e os meus juízos, como até ao dia de hoje.

8 – Agora, pois, perante os olhos de todo o Israel, a congregação do SENHOR, e perante os ouvidos do nosso Deus, guardai e buscai todos os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, para que possuais esta boa terra e a façais herdar a vossos filhos depois de vós, para sempre.

INTERAÇÃO

Prezado professor, nesta lição, estudaremos a respeito da transição do reino de Davi para Salomão, seu filho com Bate-Seba. Não podemos esquecer que o reino de Israel pertencia ao Senhor, não a Davi. Os líderes de Deus, levantados na atualidade, também precisam estar conscientes deste princípio bíblico: a obra pertence ao Senhor. Ele é o único dono. Não somos proprietários de nada, somos mordomos. Um dia teremos de prestar conta ao nosso Senhor. Não podemos nos esquecer que “formar sucessores é, sem dúvida, uma das maiores virtudes dos grandes líderes”. Davi, no momento certo, passa o cetro para o seu sucessor que, com certeza, já estava sendo preparado para esse momento. Salomão não era o filho mais velho de Davi, no entanto, isso não importava para o Senhor, pois o filho de Jessé também era o menor dentre seus irmãos. O Senhor havia escolhido a Salomão. Deus escolhe e usa quem quer.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Saber que uma das responsabilidades do líder é formar sucessores.
Compreender que Salomão foi indicado por Davi, mas escolhido por Deus.
Descrever as características de Salomão, as quais agradaram a Deus.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, reproduza no quadro-de-giz a tabela abaixo . Utilize-a ao concluir o tópico três da lição. Mostre aos seus alunos os pontos fortes e fracos de Salomão. Explique que, enquanto Salomão buscou ao Senhor e procurou viver em santidade, obteve êxito, mas, ao deixar se levar pelos enganos do mundo, acabou errando o alvo e se desviando dos propósitos de Deus para sua vida.

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Sucessão: Do latim sucessionis, passagem, transmissão de direitos. Na lição significa a continuidade da monarquia davídica.

Sabemos pela Escritura que o governo monárquico de Davi teve uma longa duração, cerca de 40 anos. Mas, como nenhum governo humano tem a capacidade de se perpetuar, chegou o tempo do segundo monarca de Israel passar o cetro para o seu sucessor. A história mostra-nos os últimos atos daquele que, sem dúvida, foi um dos maiores governos da história bíblica. Davi é um dos poucos personagens da Bíblia que tem a rara capacidade de nos causar admiração e decepção ao mesmo tempo. Admiração pela sua piedade e coração quebrantado; e decepção por haver falhado quando todos vibrávamos por seus acertos. Seja como for, o velho monarca conseguia ainda ouvir a Deus e, por isso, foi capaz de preparar um sucessor.

I. UM SUCESSOR INDICADO POR DAVI, MAS ESCOLHIDO POR DEUS

1. As insubmissas escolhas humanas. A transmissão do reino a Salomão não aconteceu de forma tão amistosa e pacífica. Durante seu reinado, Davi teve que administrar alguns conflitos internos que provaram ser extremamente danosos. O mais impressionante é que os levantes contra a autoridade real, isto é, as tentativas de golpe de estado, não vieram, por exemplo, dos militares, mas de seus próprios filhos: Absalão (2 Sm 15.4) e Adonias (1 Rs 1.5). Nenhum deles havia sido escolhido por Deus para suceder Davi. De fato, o que observamos são homens ávidos pelo poder e que desejavam sentar-se no trono a qualquer custo. Eram escolhas e projetos meramente humanos para uma nação que tinha, de Deus, um desígnio divino a cumprir (Sl 135.4).

2. A escolha divina. Quando Davi ainda fazia seu projeto para a construção do Templo, Deus revelou ao profeta Natã que um de seus filhos, e não ele, seria o escolhido de Deus para construir o Santuário (1 Cr 17.11-15). A profecia do texto de 1 Crônicas 17.11-15, refere-se primeiramente a Salomão, o herdeiro carnal de Davi, que levantaria posteriormente o Templo. Contudo, ela também aponta para o futuro e prediz o reino eterno do Messias, Jesus Cristo, o filho de Davi. Salomão, portanto, não chegou ao trono por uma simples indicação de Davi, mas por uma escolha divina (1 Cr 22.9), pois, mesmo antes de apresentá-lo ao povo, Davi já sabia dessa revelação divina.

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Salomão chegou ao trono por indicação divina.

II. UM SUCESSOR DE POUCA EXPERIÊNCIA, MAS QUE HERDOU UM GRANDE LEGADO

1. O legado político institucional. Sem dúvida um dos grandes legados que Davi deixou para seu filho Salomão foi o fortalecimento das instituições. Uma nação forte possui instituições sólidas. Não devemos esquecer que Israel, até os dias de Samuel, era apenas um aglomerado de tribos. Com Saul, a monarquia foi instaurada, todavia, por causa de seu governo desobediente a Deus, não foi possível consolidá-la. No final do reinado de Davi encontramos as instituições de Israel bastante consolidadas. Observamos nos dias de Davi um exército bem montado, capaz de vencer grandes batalhas e uma guarda real bem aparelhada (1 Cr 18.14-17; 27.32-34). Outro fator que deve ser levado em conta é o sistema judiciário daqueles dias. O rei agia como o juiz do povo (1 Cr 18.14). Entretanto, ele nomeara oficiais e juízes para cuidar da política externa e dos negócios da coroa real (1 Cr 26.29-32). Davi foi hábil na organização até mesmo das minúcias do reino (1 Cr 27.25-31).

2. O legado religioso. O maior legado deixado por Davi ao seu filho Salomão foi o espiritual. Davi foi um homem que durante sua vida, demonstrou por diversas vezes que era dependente da orientação divina (1 Sm 23.2; 30.8; 2 Sm 2.1), e sabia, portanto, que o reinado do filho só teria êxito se Salomão agisse da mesma forma.

A chave para um reinado bem-sucedido estava no conhecimento e cumprimento das leis imutáveis de Deus, por isso, Davi apela ao filho para que não se esqueça, durante o seu governo, de ser um homem apegado à Palavra de Deus. Ele já havia discursado antes e lembrado toda a congregação de Israel de guardar todos os mandamentos do Senhor (1 Cr 28.8). O aviso fora dado e cabia ao seu filho, juntamente com seus súditos, observar esse importante legado (1 Cr 28.9).

SINOPSE DO TÓPICO (II)

A chave para um reinado bem-sucedido estava no cumprimento das leis imutáveis de Deus.

III. UM SUCESSOR JOVEM, MAS DE GRANDE PIEDADE

1. Na vida privada. Como já constatamos, ao colocar Salomão no trono de Israel, Davi estava seguindo a orientação de Deus. Todavia, como já vimos em outras lições, a decisão divina não anula nossas responsabilidades diante do Senhor. Esta é uma verdade bíblica incontestável (Dt 30.19). No início do seu reinado, Salomão respondeu bem à vocação divina e proferiu uma das mais belas orações da Bíblia; uma oração que agradou a Deus (v.10). Após ser visitado pelo Senhor durante um sonho, Salomão ora a Deus e, por meio de suas palavras e intenções, ele revela traços de seu caráter piedoso (1 Rs 3.3-15). Mas o que havia na oração do sucessor de Davi que tanto agradou ao Senhor?

a) Ele reconheceu os atributos divinos. Salomão reconheceu a benevolência de Deus (v.6), e deu graças ao Senhor, pois era consciente de que estava no trono pela bondade do Altíssimo e não por causa de seus méritos.

b) Ele demonstrou humildade. Em sua oração, Salomão reconheceu que não passava de uma criança e que não sabia como se conduzir (v.7).

c) Ele demonstrou um grande senso de justiça e não foi egoísta. Salomão orou ao Senhor pedindo um coração sábio, a fim de que soubesse discernir o bem do mal (v.9). Neste particular Salomão se distancia das pessoas comuns, pois não desejou aquilo que parece ser o alvo de todos os homens: longevidade, posses, vingança (v.11). Na oração de Salomão percebemos que ser próspero e abençoado é algo que transcende a tudo isso.

2. Na vida pública. Algo que marcou o reinado de Salomão foi sua forma de administrar. Tal capacidade chamou a atenção da rainha de Sabá, que constatou esse fato ao visitar a Israel (1 Rs 10.1-13). A chamada rainha do Sul admirou-se da sabedoria de Salomão, da casa que edificara, de seus criados e dos sacrifícios oferecidos ao Eterno. O mais importante de tudo é que o êxito do reinado não foi atribuído unicamente a Salomão, mas ao seu Deus, que foi glorificado na boca de alguém que não o servia (v.9).

SINOPSE DO TÓPICO (III)

A decisão divina não anula nossas responsabilidades diante do Senhor.

CONCLUSÃO

Davi cumpriu a sua missão, mas antes de morrer foi sábio e preparou um sucessor. Embora estejamos separados de Davi por um longo espaço de tempo, os princípios por ele vividos ainda continuam válidos para hoje. A liderança de Davi foi bem-sucedida porque ele não viveu para si, mas para Deus e para o próximo. Será que somos líderes com este perfil? Será que temos buscado esse tipo de vida?

VOCABULÁRIO

Sem ocorrências.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

RICHARDS, L. O. Guia do Leitor da Bíblia. RJ: CPAD, 2005.
DEVER, M. A Mensagem do Antigo Testamento. RJ: CPAD, 2008.

EXERCÍCIOS

1. Qual era o desejo dos dois filhos de Davi que usurparam o trono?

R. Eles desejavam o poder.

2. Além de Salomão, a quem se refere à profecia de 1 Crônicas 17.11-15?

R. Aponta para o futuro e prediz o reino eterno do Messias.

3. Qual é a chave para um reinado bem-sucedido?

R. Conhecimento e cumprimento das leis imutáveis de Deus.

4. Cite os elementos da oração de Salomão que agradaram a Deus.

R. Salomão reconheceu os atributos divinos, demonstrou humildade e senso de justiça.

5. Relacione o que aconteceu a Salomão, por ocasião da visita da rainha de Sabá, com o texto de Mateus 5.16, e avalie se estamos agindo como o sucessor de Davi.

R. Resposta pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *