1º Trimestre de 2011

 

Data: 27 de Fevereiro de 2011

TEXTO ÁUREO

“Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis, e dos filhos de Israel. E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome” (At 9.15,16).

VERDADE PRÁTICA

Na urgência da evangelização mundial, o Senhor Jesus continua a convocar e a capacitar vasos escolhidos para a sua seara.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – At 22.3

Paulo, o judeu de Tarso

Terça – At 26.4,5

Paulo, o fariseu de Jerusalém

Quarta – At 8.3

Paulo, o perseguidor dos cristãos

Quinta – At 9.1-18

A conversão de Paulo

Sexta – At 9.20-22

Paulo, o ardoroso pregador

Sábado – At 13.2

A vocação de Paulo

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Atos 9.1-9.

1 – E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote

2 – e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns daquela seita, quer homens, quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.

3 – E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.

4 – E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?

5 – E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.

6 – E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.

7 – E os varões, que iam com ele, pararam espantados, ouvindo a voz, mas não vendo ninguém.

8 – E Saulo levantou-se da terra e, abrindo os olhos, não via a ninguém. E, guiando-o pela mão, o conduziram a Damasco.

9 – E esteve três dias sem ver, e não comeu, nem bebeu.

INTERAÇÃO

As autoridades religiosas de Jerusalém outorgaram a Saulo cartas que lhe garantiam o direito de prender os cristãos. Todavia, no caminho de Damasco, Saulo teve um encontro memorável com Jesus. Este encontro mudou radicalmente sua vida. Diante do Rei dos reis, Saulo, o perseguidor de cristão, se prostra. Um dia, todos terão que se curvar diante de Jesus. As convicções religiosas de Saulo também são lançadas ao chão naquele momento. Embora cego, Saulo sai daquele encontro transformado e “enxergando” a realidade! Esse novo homem ficou três dias sem comer ou beber nada, certamente pensando em tudo que lhe aconteceu. Mais tarde Paulo aprendeu o que é padecer pelo Senhor. Por intermédio desse “vaso escolhido” a igreja tornou-se basicamente gentia.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Conhecer a respeito da formação cultural de Paulo.
Explicar como se deu o encontro de Saulo com Jesus.
Compreender os propósitos da vocação de Paulo.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, reproduza a tabela abaixo no quadro-de-giz. Utilize-o para introduzir o primeiro tópico da lição. Enfatize o fato de que Paulo era um homem extremamente religioso, conhecedor da Lei, porém, sedento espiritualmente. A religiosidade não implica em relacionamento com Deus. Todavia, Paulo teve um encontro com Cristo, confessou seus pecados, entregou-se inteiramente a Jesus e passou a ter uma nova vida, que implica em um relacionamento íntimo e pessoal com Jesus, o Filho de Deus.

RESUMO DA VIDA DE PAULO

• Nascido em Tarso, Capital da Cilícia (22.3);

• Fariseu (23.6);

• Cidadão romano (22.25-28);

• Fazedor de tendas (18.3);

• Aluno de Gamaliel (22.3);

• Guardava a Lei (26.5);

• Um encontro com Jesus mudou sua vida (9);

• Foi batizado (9.18);

• Suas últimas palavras (2 Tm 4.6-8).

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Conversão: Mudança que Deus opera na vida do que aceita a Cristo como seu Salvador pessoal, modificando-lhe radicalmente a maneira de ser, pensar e agir.

Paulo é considerado, depois de Jesus, o personagem mais importante da historia da Igreja Cristã (At 24.5). Ele escreveu quase a metade dos livros do Novo Testamento e foi responsável direto pela evangelização dos gentios. Dezessete dos vinte e oito capítulos de Atos dos Apóstolos são dedicados à conversão e ao ministério do apóstolo dos gentios (At 9; 13-28).

Sabemos mais a respeito de Pauto do que dos demais apóstolos. Aprendamos, pois, com a vida e a obra de Paulo!

I. SAULO DE TARSO

Na comunidade judaica, Paulo era conhecido por um nome bem hebreu: Saulo (At 9.1,4,11). Ele provinha de uma família benjamita que, apesar de viver na Diáspora, era mui fiel à tradição (Fp 3.5). Tendo em vista sua formação cultural e religiosa; mostrou-se mais do que hábil para atuar como o apóstolo dos gentios.

1. A formação cultural de Paulo. Instruído aos pés de Gamaliel (At 22.3), Saulo pertencia ao partido religioso mais conceituado do Judaísmo — os fariseus (At 26.5; Fp 3.5). Ele conhecia profunda e intimamente o Antigo Testamento (Rm 1.17; 3.4,5,10-18; 9.6-33), as tradições de seu povo (At 26.24: 28.17,18; Gl 1.13-14) e a língua hebraica (At 22.1,2). Era tão bem versado no meio religioso de Israel que, dos principais sacerdotes, recebera autorização para perseguir os discípulos de Cristo (At 26.10).

As evidências indicam que Paulo cursou a universidade de Tarso. Haja vista o seu domínio do idioma grego e dos autores clássicos, dos quais cita pelo menos dois: Aratos e Epimênides (At 17.28; Tt 1.12). Cidadão romano, falava também mui provavelmente o latim.

2. Paulo, cidadão romano. Natural de Tarso, na Cilícia (At 9.11; 21.39; Gl 1.21), Paulo tornara-se, por nascimento, cidadão de Roma, pois a cidade era província romana (At 22.25-29). Naquele tempo, a nacionalidade romana era adquirida de três maneiras: por direito de nascença, por concessão imperial e por aquisição pecuniária (At 22.28; 23.27; 24.7,22).

Embora conhecesse muito bem os seus direitos como romano (At 22.25-29; 25.10-12,21,27), era-lhe a cidadania celeste (Ef 2.19; Fp 3.20) mais importante do que os privilégios concedidos pelos homens. Esta é a razão pela qual renunciou a todas as regalias terrenas para assumir a cruz de Cristo (Fp 3.7-9). Como tem agido você como cidadão do céu?

SINOPSE DO TÓPICO (I)

A formação cultural e religiosa de Paulo foi importante para a realização da obra de evangelização dos gentios e judeus.

II. A CONVERSÃO DE PAULO

A conversão de Paulo está narrada em três capítulos de Atos dos Apóstolos (9.3-18; 22.6-21 e 26.12-18). Vejamos os relatos segundo o desenvolvimento cronológico dos fatos.

1. O Encontro com Jesus. Saulo solicita autorização aos principais sacerdotes, afim de perseguir os discípulos de Cristo que se achavam em Damasco (At 9.1-2; 22.5; 26.10-11). Já próximo da cidade, ele e seus companheiros são envolvidos subitamente por uma luz do céu, muito mais forte que o sol (At 9.3; 22.6; 26.13). E todos caem por terra (At 9.4; 22.7; 26.14). Em língua hebraica, Jesus deu-se-Ihe a conhecer (At 26.14,15).

Os que o acompanhavam não viram a ninguém. Aturdidos, ouviram, sim, a voz, mas não entenderam a mensagem (At 9.7; 22.9; cf. Jo 12.28-30). Paulo, então, é confrontado por Jesus Cristo (At 9.5; 22.7; 26.14,15) e por este é comissionado a levar o evangelho tanto aos filhos de Israel como aos gentios (At 26.16-18). Em seguida, o Senhor orienta-o a seguir viagem até Damasco, onde receberia novas instruções (At 9.6; 22.10).

Erguendo-se, Saulo nada enxerga. Conduzido por seus auxiliares até Damasco, na cidade permanece durante três dias sem nada ver, sem nada comer e sem nada beber (At 9.8,9; 22.11).

2. Ananias visita a Paulo. Enquanto isso, o Senhor em visão aparece a Ananias, homem piedoso e justo que morava em Damasco, e ordena-lhe que vá à casa de Judas, que ficava na rua Direita, e pergunte “por um homem de Tarso chamado Saulo”. Naquele instante, este orava e via numa visão a Ananias que, entrando em seus aposentos, impunha-lhe as mãos para que voltasse a enxergar (At 9.10-12; 22.12).

Ananias, então, retruca. Sabe ele qual o propósito de Paulo na cidade (At 9.13-14). O Senhor, porém, afiança-lhe que o perseguidor será doravante um vaso escolhido para tornar o evangelho conhecido em todo o mundo (At 9.15-16; 26.16-18). Imediatamente Ananias vai ao encontro de Saulo e, impondo-lhe as mãos, confirma a comissão que ele recebera do Senhor, recobra-lhe a visão e batiza-o (At 9.17-18; 22.13-16).

3. Saulo, de perseguidor a perseguido. Já refeito, Saulo busca congregar-se com os irmãos em Damasco (At 9.19). Apesar dos temores iniciais, os discípulos acabam por estender-lhe a destra de comunhão. Em ato contínuo, põe-se ele a testemunhar de Cristo a todos nas sinagogas da cidade (At 9.20). Os judeus perturbam-se com a sua conversão (At 9.21-22). E intentam tirar-lhe a vida (At 9.23). Tal plano chega ao conhecimento de Saulo (At 9.23-24). Para o livrarem da cilada, os irmãos descem-no de noite num cesto pelo muro (At 9.25). E ele segue em direção a Jerusalém (At 9.26; 22.17).

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Paulo teve um encontro com Jesus quando se dirigia para Damasco, na Síria, a fim de prender os cristãos.

III. PROPÓSITOS DA VOCAÇÃO DE PAULO

Os objetivos de Cristo ao confrontar Saulo na estrada de Damasco são desenvolvidos nas três narrativas de sua conversão de Atos dos Apóstolos (9.3-18; 22.6-21; 26.12-18).

1. Conhecer a vontade de Deus. Saulo teria de conhecer realmente a vontade de Deus concernente a Israel, a Igreja e ao mundo (At 22.14,15). Mais tarde, em sua Epístola aos Efésios, revela a sua compreensão concernente à Igreja de Deus, formada não por uma nação, mas constituída igualmente por judeus e gentios. Tudo isso revelou-lhe o próprio Senhor. Tem você procurado saber a vontade divina para a sua vida?

2. Tornar-se ministro e testemunha de Jesus. Consciente de sua vocação, põe-se Paulo a testemunhar de Cristo não somente diante dos gentios, mas também perante Israel. Faz ele apologia do evangelho ante os reis e filósofos. É um verdadeiro campeão de Deus (At 9.15; 22.15,21; 26.16-18). Como está o seu testemunho cristão? Acha-se preparado para defender a sua fé?

3. Sofrer a favor de Cristo e do evangelho. Em virtude de sua audácia, muito sofre por amor a Cristo (Gl 6.17). O que dantes perseguira a Igreja de Cristo, vê-se de repente perseguido por causa deste mesmo nome. No capítulo 11 de sua Segunda Epístola aos Coríntios, discorre ele acerca das muitas perseguições por ele sofridas, quer por parte de seus patrícios, quer por parte dos gentios. Mesmo perseguido, o evangelho foi poderosamente anunciado através de suas cadeias e sofrimentos.

SINOPSE DO TÓPICO (III)

Os propósitos da vocação de Paulo era que ele conhecesse a vontade divina, se tornasse uma testemunha e sofresse a favor de Cristo e do evangelho.

CONCLUSÃO

A conversão e vocação de Paulo ensinam-nos que Deus chama e capacita a quem ele quer para ministérios específicos. Ele transforma o mais terrível dos homens num “vaso escolhido”, a fim de que proclame o seu Evangelho até aos confins da terra.

Você foi chamado para anunciar a mensagem da cruz? Obedeça, já. É o tempo de segar.

VOCABULÁRIO

Linguagem: Sistema organizado de comunicação por sinais entre indivíduos.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. 3.ed. vol.1. RJ: CPAD, 2009.
RICHARDS, L. O. Comentário Histórico Cultural do Novo Testamento. 1.ed. RJ: CPAD, 2007.

EXERCÍCIOS

1. Quais as três cidadanias do apóstolo Paulo?

R. Judaica, romana e celeste.

2. Qual das três cidadanias contribuiu para a formação religiosa e piedosa de Paulo?

R. A cidadania judaica.

3. Qual o nome usado pelo apóstolo entre os gentios?

R. Paulo.

4. Para você, qual a importância da conversão de Paulo para o cristianismo?

R. Livre.

5. Cite três propósitos da conversão de Paulo.

R. Conhecer a vontade de Deus (At 22.14); tornar-se ministro e testemunha de Jesus (At 9.15); e sofrer a favor de Cristo e do evangelho (At 9.16).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *