Os propagadores da maldição hereditária costumam mesclar conceitos
e métodos psicoterápicos com a Bíblia. No entanto, embora a psicologia
tenha o seu valor como ciência, a chamada “psicoterapia cristã” é um jugo
desigual (2 Co 6.14).
Quem cura o nosso íntimo, libertando-nos do passado, é o Senhor
Jesus (Jo 8.32,36; Lc 4.18). A psicologia é até útil, desde que não queiramos
associá-la à obra do Espírito Santo.
Se precisamos quebrar maldições de antepassados, para que serve a
nossa santificação diária (Hb 12.14)? E os erros que cometemos, eles se
devem a fatores hereditários? Por que a Bíblia diz: “Não mintais uns aos
outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos” (Cl
3.9)? Que culpa tenho eu se meu avô foi um mentiroso inveterado? Ora,
tenho de lutar é contra a minha própria natureza (Hb 12.4; Gl 5.17)!
Portanto, que tal seguir à Bíblia? Ela diz: “… nenhuma condenação há
para os que estão em Cristo Jesus…” (Rm 8.1). E: “…se alguém está em
Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez
novo” (2 Co 5.17).

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *