2° CRONICAS EM AUDIO CLIC AQUI

1 Crônicas NTLH

1 Cr 1

Adão foi pai de Sete, Sete foi pai de Enos, Enos foi pai de Cainã,

Cainã foi pai de Maalalel, Maalalel foi pai de Jarede.

Jarede foi pai de Enoque, Enoque foi pai de Matusalém, Matusalém foi pai de Lameque,

e Lameque foi pai de Noé. Noé foi pai de três filhos: Sem, Cam e Jafé.

Os filhos de Jafé foram: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tirás. Eles foram os antepassados dos povos que trazem os seus nomes.

Os descendentes de Gomer foram os povos de Asquenaz, de Rifate e de Togarma.

Os descendentes de Javã foram os povos de Elisá, da Espanha, de Chipre e de Rodes.

Os filhos de Cam foram os antepassados dos povos que trazem os seus nomes, isto é, dos povos de Cuche, Egito, Líbia e Canaã.

Os descendentes de Cuche foram os povos de Sebá, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabteca. Os descendentes de Raamá foram os povos de Sabá e Dedã.

(Cuche foi pai de um filho chamado Ninrode, que se tornou o primeiro grande conquistador do mundo.)

Os descendentes de Egito foram os povos de Lídia, Anam, Leabe, Naftu,

Patrus, Caslu e Creta (de quem os filisteus são descendentes).

Os filhos de Canaã foram: Sidom, o mais velho, e Hete. Eles foram os antepassados dos povos que trazem os seus nomes.

Canaã também foi o antepassado dos jebuseus, dos amorreus, dos girgaseus,

dos heveus, dos arquitas, dos sineus,

dos arvaditas, dos zemareus e dos hamateus.

Os filhos de Sem foram Elão, Assur, Arpaxade, Lude, Arã, Uz, Hul, Geter e Meseque. Eles foram os antepassados dos povos que trazem os seus nomes.

Arpaxade foi pai de Selá, e Selá foi pai de Éber.

Éber foi pai de dois filhos: um se chamava Pelegue porque no seu tempo os povos do mundo foram divididos; o nome do seu irmão era Joctã.

Os descendentes de Joctã foram os povos de Almodá, Selefe, Hazar-Mavé, Jera,

Adonirão, Uzal, Dicla,

Obal, Abimael, Sabá,

Ofir, Havilá e Jobabe.

A linha de famílias de Sem a Abrão foi a seguinte: Sem, Arpaxade, Selá,

Éber, Pelegue, Reú,

Serugue, Naor, Tera

e Abrão, também conhecido como Abraão.

Abraão foi pai de dois filhos, que se chamaram Isaque e Ismael.

Os filhos de Ismael foram os chefes de doze tribos: Nebaiote, o seu filho mais velho, Quedar, Adbeel, Mibsão,

Misma, Dumá, Massá, Hadade, Temá,

Jetur, Nafis e Quedemá.

Abraão teve uma concubina chamada Quetura, e ela lhe deu seis filhos. Os nomes deles foram: Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Isbaque e Sua. Jocsã foi pai de dois filhos: Sabá e Dedã.

Midiã foi pai de cinco filhos: Efa, Éfer, Enoque, Abida e Elda.

Isaque, filho de Abraão, foi pai de dois filhos: Esaú e Jacó.

Os filhos de Esaú foram: Elifaz, Reuel, Jeús, Jalã e Corá.

Elifaz foi o antepassado das seguintes tribos: Temã, Omar, Zefo, Gaetã, Quenaz, Timna e Amaleque.

Reuel foi o antepassado das tribos de Naate, Zera, Sama e Miza.

Os primeiros moradores de Edom eram descendentes dos seguintes filhos de Seir:

Lotã, que foi o antepassado dos grupos de famílias de Hori e Homã. (Lotã tinha uma irmã chamada Timna.)

Sobal, que foi o antepassado dos grupos de famílias de Alvã, Manaate, Ebal, Sefô e Onã. Zibeão, que foi pai de dois filhos: Aías e Aná.

Aná foi pai de Disom, e Disom foi o antepassado dos grupos de famílias de Hanrão, Esbã, Itrã e Querã.

Eser, que foi o antepassado dos grupos de famílias de Bilã, Zaavã e Jaacã. Disã, que foi o antepassado dos grupos de famílias de Uz e Arã.

Os seguintes reis governaram a terra de Edom, um depois do outro, no tempo em que Israel ainda não tinha rei. Belá, filho de Beor, da cidade de Dinaba.

Jobabe, filho de Zera, da cidade de Bosra.

Husã, da região de Temã.

Hadade, filho de Bedade, da cidade de Avite. Ele derrotou os midianitas numa batalha na terra de Moabe.

Samlá, da cidade de Masreca.

Saul, da cidade de Reobote-do-Rio-Eufrates.

Baal-Hanã, filho de Acbor.

Hadade, da cidade de Paú (o nome da mulher dele era Meetabel, filha de Matrede e neta de Me-Zaabe).

O povo de Edom estava dividido nas seguintes tribos: Timna, Alva, Jetete,

Oolibama, Elá, Pinom,

Quenaz, Temã, Mibsar,

Magdiel e Irão.

 

1 Cr 2

Jacó foi pai de doze filhos: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar, Zebulom,

Dã, José, Benjamim, Naftali, Gade e Aser.

Judá foi pai de cinco filhos ao todo. A sua mulher cananéia, que se chamava Bate-Sua, lhe deu três filhos: Er, Onã e Selá. Er, o filho mais velho, era tão mau, que o SENHOR Deus o matou.

Tamar, a nora de Judá, lhe deu mais dois filhos: Peres e Zera.

Peres foi pai de dois filhos: Hezrom e Hamul.

Zera foi pai de cinco filhos: Zinri, Etã, Hemã, Calcol e Dara.

Acar, filho de Carmi, um dos descendentes de Zera, trouxe desgraça para o povo de Israel, por ter ficado com coisas conquistadas na guerra, as quais haviam sido dedicadas a Deus.

Etã foi pai de um filho chamado Azarias.

Hezrom foi pai de três filhos: Jerameel, Rão e Calebe.

Rão foi pai de Aminadabe, e Aminadabe foi pai de Nasom, um dos chefes da tribo de Judá;

Nasom foi pai de Salma, e Salma foi pai de Boaz;

Boaz foi pai de Obede, e Obede foi pai de Jessé.

Jessé foi pai de sete filhos, que foram os seguintes, por ordem de idade: Eliabe, Abinadabe, Siméia,

Netanel, Radai,

Ozém e Davi.

Jessé também foi pai de duas filhas: Zeruia e Abigail. Zeruia teve três filhos: Abisai, Joabe e Asael.

Abigail casou com Jéter, que era descendente de Ismael, e eles tiveram um filho chamado Amasa.

Calebe, filho de Hezrom, casou com Azuba, e eles tiveram uma filha chamada Jeriote. Ela teve três filhos: Jeser, Sobabe e Ardom.

Depois da morte de Azuba, Calebe casou com Efrata, e eles tiveram um filho chamado Hur.

Hur foi pai de um filho chamado Uri e teve um neto chamado Bezalel.

Quando Hezrom tinha sessenta anos de idade, casou com a filha de Maquir, a irmã de Gileade. Eles tiveram um filho chamado Segube,

e Segube foi pai de um filho chamado Jair. Jair governou vinte e três cidades na região de Gileade.

Mas os reinos de Gesur e Arã conquistaram sessenta cidades dali, incluindo as aldeias de Jair e a cidade de Quenate e os seus povoados. Todas as pessoas que moravam ali eram descendentes de Maquir, o pai de Gileade.

Depois que Hezrom morreu, o seu filho Calebe casou com Efrata, a viúva do seu pai. Eles tiveram um filho chamado Azur, que fundou a cidade de Tecoa.

Jerameel, o filho mais velho de Hezrom, foi pai de cinco filhos: Rão, o mais velho, Buna, Orém, Ozém e Aías.

(26-27) Rão foi pai de três filhos: Maaz, Jamim e Équer. Jerameel teve outra esposa, uma mulher chamada Atara, e eles tiveram um filho chamado Onã.

Onã foi pai de dois filhos: Samai e Jada, e Samai também foi pai de dois filhos, que se chamavam Nadabe e Abisur.

Abisur casou com uma mulher chamada Abiail, e eles tiveram dois filhos, que se chamavam Abã e Molide.

Nadabe foi pai de dois filhos, que se chamavam Selede e Apaim. Selede morreu sem ter tido filhos,

e Apaim foi pai de Isi, Isi foi pai de Sesã, e Sesã foi pai de Alai.

Jada, o irmão de Samai, foi pai de dois filhos, que se chamavam Jéter e Jônatas. Jéter morreu sem ter tido filhos,

e Jônatas foi pai de dois filhos: Pelete e Zaza. Todos esses foram descendentes de Jerameel.

Sesã não teve filhos; só filhas. Ele tinha um escravo egípcio que se chamava Jara.

Sesã deu uma das suas filhas em casamento a Jara. Eles tiveram um filho, que se chamava Atai.

Atai foi pai de Natã, e Natã foi pai de Zabade.

Zabade foi pai de Eflal, e Eflal foi pai de Obede.

Obede foi pai de Jeú, e Jeú foi pai de Azarias.

Azarias foi pai de Heles, e Heles foi pai de Eleasa.

Eleasa foi pai de Sisamai, e Sisamai foi pai de Salum.

Salum foi pai de Jecamias, e Jecamias foi pai de Elisama.

O filho mais velho de Calebe, irmão de Jerameel, se chamava Messa. Messa foi pai de Zife, Zife foi pai de Maressa, e Maressa foi pai de Hebrom.

Hebrom foi pai de quatro filhos: Corá, Tapua, Requém e Sema.

Sema foi pai de Raão e avô de Jorqueão. Requém foi pai de Samai,

Samai foi pai de Maom, e Maom foi pai de Bete-Zur.

Calebe tinha uma concubina chamada Efa, e ela lhe deu mais três filhos: Harã, Mosa e Gazez. Harã também foi pai de um filho chamado Gazez.

(Um homem chamado Jadai foi pai de seis filhos: Regém, Jotão, Gesã, Pelete, Efa e Saafe.)

Calebe tinha outra concubina, chamada Maacá, que lhe deu dois filhos: Seber e Tiraná.

Mais tarde ela teve mais dois filhos: Saafe e Seva. Saafe fundou a cidade de Madmana, e Seva fundou as cidades de Macbena e Gibeá. Calebe também foi pai de uma filha chamada Acsa.

As seguintes pessoas também foram descendentes de Calebe: Hur foi o filho mais velho de Calebe com a sua mulher Efrata. Sobal, filho de Hur, fundou a cidade de Quiriate-Jearim.

Salma, o seu segundo filho, fundou a cidade de Belém, e Harefe, o terceiro, fundou Bete-Gader.

Sobal, que fundou Quiriate-Jearim, foi o antepassado do povo de Haroé e de metade dos moradores de Menuote.

Foi também o antepassado dos seguintes grupos de famílias que moravam em Quiriate-Jearim: os itritas, os puítas, os sumateus e os misraeus. Os povos das cidades de Zora e Estaol pertenciam a esses grupos de famílias.

Salma, o fundador de Belém, foi o antepassado do povo de Netofa, de Atarote-Bete-Joabe e dos zoreus, que eram um dos dois grupos de famílias de Manaate.

(Os grupos de famílias dos escrivães que moravam em Jabes foram os tiratitas, os simeatitas e os sucatitas. Eles eram queneus que haviam casado com os recabitas.)

 

1 Cr 3

São estes, por ordem de idade, os filhos de Davi que nasceram quando ele estava em Hebrom: Amnom, filho de Ainoã, de Jezreel; Daniel, filho de Abigail, de Carmelo;

Absalão, filho de Maacá, que era filha de Talmai, rei de Gesur; Adonias, filho de Hagite;

Sefatias, filho de Abital; Itreão, filho de Eglá.

Esses seis nasceram em Hebrom durante os sete anos e meio em que Davi reinou ali. Ele reinou trinta e três anos em Jerusalém,

e muitos filhos dele nasceram ali. A sua mulher Bate-Seba, filha de Amiel, lhe deu quatro filhos: Samua, Sobabe, Natã e Salomão.

Davi foi pai de outros nove filhos: Ibar, Elisua, Elpelete,

Noga, Nefegue, Jafia,

Elisama, Eliada e Elifelete.

Além de todos esses, Davi também teve filhos com as suas concubinas. Ele também foi pai de uma filha chamada Tamar.

Salomão foi pai de Roboão, Roboão foi pai de Abias, Abias foi pai de Asa, e Asa foi pai de Josafá;

Josafá foi pai de Jeorão, Jeorão foi pai de Acazias, e Acazias foi pai de Joás;

Joás foi pai de Amazias, Amazias foi pai de Uzias, e Uzias foi pai de Jotão;

Jotão foi pai de Acaz, Acaz foi pai de Ezequias, e Ezequias foi pai de Manassés;

Manassés foi pai de Amom, e Amom foi pai de Josias.

Josias foi pai de quatro filhos: Joanã, Jeoaquim, Zedequias e Joacaz.

Jeoaquim foi pai de dois filhos: Joaquim e Zedequias.

São estes os descendentes do rei Joaquim, que foi levado prisioneiro pelos babilônios. Joaquim foi pai de sete filhos: Salatiel,

Malquirão, Pedaías, Senazar, Jecamias, Hosama e Nedabias.

Pedaías foi pai de dois filhos: Zorobabel e Simei. Zorobabel foi pai de dois filhos: Mesulã e Hananias. Também foi pai de uma filha chamada Selomite.

Zorobabel foi pai de mais cinco filhos: Hasuba, Oel, Berequias, Hasadias e Jusabe-Hesede.

Hananias foi pai de dois filhos: Pelatias e Jesaías. Jesaías foi pai de Refaías, Refaías foi pai de Arnã, Arnã foi pai de Obadias, e Obadias foi pai de Secanias.

Secanias foi pai de um filho chamado Semaías e teve cinco netos: Hatus, Igal, Barias, Nearias e Safate.

Nearias foi pai de três filhos: Elioenai, Ezequias e Azricã.

Elioenai foi pai de sete filhos: Hodavias, Eliasibe, Pelaías, Acube, Joanã, Delaías e Anani.

 

1 Cr 4

São estes os descendentes de Judá: Peres, Hezrom, Carmi, Hur e Sobal.

Sobal foi pai de Reaías, Reaías foi pai de Jaate, Jaate foi pai de Aumai e Laade. Aumai e Laade foram os antepassados dos grupos de famílias que moravam em Zora.

(3-4) Hur foi o filho mais velho de Calebe e da sua mulher Efrata, e os seus descendentes fundaram a cidade de Belém. Hur foi pai de três filhos: Etã, Penuel e Ézer. Etã foi pai de três filhos: Jezreel, Isma e Idbas e de uma filha chamada Hazelelponi. Penuel fundou a cidade de Gedor, e Ézer fundou Husa.

Asur, que fundou a cidade de Tecoa, teve duas esposas: Helá e Naara.

Ele e Naara tiveram quatro filhos: Auzã, Héfer, Temeni e Haastari.

Asur e Helá tiveram três filhos: Zerete, Isar e Etnã.

Coz foi pai de Anube e Zobeba e foi o antepassado dos grupos de famílias que descendem de Acarel, filho de Harum.

Houve um homem chamado Jabes, que foi a pessoa mais respeitada da sua família. A sua mãe pôs nele o nome de Jabes porque ela havia sofrido muito durante o parto.

Mas Jabes orou assim ao Deus de Israel: “Ó Deus, abençoa-me e dá-me muitas terras. Fica comigo e livra-me de qualquer coisa que possa me causar dor.” E Deus atendeu a sua oração.

Quelube, irmão de Suá, foi pai de um filho chamado Meir. Meir foi pai de Estom,

e Estom foi pai de três filhos: Bete-Rafa, Paséia e Teína. Teína foi o fundador da cidade de Naás. Os descendentes deles moravam em Reca.

Quenaz foi pai de dois filhos: Otoniel e Seraías. Otoniel também foi pai de dois filhos: Hatate e Meonotai.

Meonotai foi pai de Ofrá. Seraías foi pai de Joabe, o fundador do vale dos Artesãos, onde todos os homens faziam trabalhos de artesanato.

Calebe, filho de Jefoné, foi pai de três filhos: Iru, Elá e Naã. E Elá foi pai de Quenaz.

Jealelel foi pai de quatro filhos: Zife, Zifa, Tiria e Asareel.

Esdras foi pai de quatro filhos: Jéter, Merede, Éfer e Jalom. Merede casou com Bitia, que era filha do rei do Egito, e eles tiveram uma filha chamada Míriam e dois filhos: Samai e Isba. Isba fundou a cidade de Estemoa.

Merede também casou com uma mulher da tribo de Judá, e eles tiveram três filhos: Jerede, que fundou a cidade de Gedor; Héber, que fundou Socó; e Jecutiel, que fundou Zanoa.

Hodias casou com a irmã de Naã. Os seus descendentes fundaram o grupo de famílias de Garmi, que morava na cidade de Queila, e o grupo de famílias de Maacá, que morava em Estemoa.

Simão foi pai de quatro filhos: Amnom, Rina, Ben-Hanã e Tilom. Isi foi pai de dois filhos: Zoete e Ben-Zoete.

Selá foi um dos filhos de Judá. Um dos descendentes de Selá foi Er, que fundou a cidade de Leca; outro foi Lada, que fundou Maressa. Selá foi também o antepassado dos grupos de famílias que teciam linho e que moravam na cidade de Bete-Asbéia.

Foi também o antepassado de Joquim e do povo que morava na cidade de Cozeba. E também de Joás e Sarafe, que casaram com mulheres moabitas e ficaram morando em Belém. (Estes registros são antigos.)

Eles eram oleiros que trabalhavam para o rei e moravam nas cidades de Netaim e Gedera.

Simeão foi pai de cinco filhos: Nemuel, Jamim, Jaribe, Zera e Saul.

Saul foi pai de Salum, Salum foi pai de Mibsão, e Mibsão foi pai de Misma.

Misma foi pai de Hamuel, Hamuel foi pai de Zacur, e Zacur foi pai de Simei.

Simei foi pai de dezesseis filhos e seis filhas, mas os seus parentes tiveram menos filhos do que ele, e a tribo de Simeão não cresceu tanto como a tribo de Judá.

Até o tempo do rei Davi, os descendentes de Simeão moravam nas seguintes cidades: Berseba, Molada, Hazar-Sual,

Bila, Ezém, Tolade,

Betuel, Horma, Ziclague,

Bete-Marcabote, Hazar-Susim, Bete-Biri e Saaraim.

Eles também moravam em mais cinco cidades: Etã, Aim, Rimom, Toquém e Asã,

e nos povoados que ficavam ao seu redor, até a cidade de Baal. São essas as suas famílias e os lugares onde moravam.

São estes os chefes dos seus grupos de famílias: Mesobabe, Janleque, Josa, filho de Amazias;

Joel, Jeú, filho de Josibias, neto de Seraías e bisneto de Asiel;

Elioenai, Jaacobá, Jesoaías, Asaías, Adiel, Jesimiel, Benaías,

Ziza, filho de Sifi, neto de Alom, bisneto de Jedaías, trineto de Sinri e tetraneto de Samaías.

As suas famílias continuaram a aumentar, e por isso

eles se espalharam para o oeste quase até Gerar e levaram as suas ovelhas para pastar no lado leste do vale onde fica aquela cidade.

Ali eles acharam muitas pastagens num pedaço de terra espaçosa, tranqüila e cheia de paz. Os descendentes de Cam haviam morado ali antes.

No tempo do rei Ezequias, de Judá, os homens cujos nomes estão escritos acima foram até Gerar e destruíram as barracas e cabanas do povo que morava ali. Eles expulsaram o povo e ficaram morando em Gerar porque ali havia bastante pasto para as suas ovelhas.

Quinhentos homens da tribo de Simeão foram para Edom, na direção leste. Os seus chefes eram os filhos de Isi: Pelatias, Nearias, Refaías e Uziel.

Eles mataram os amalequitas que haviam escapado com vida e estão morando ali até hoje.

 

1 Cr 5

São estes os descendentes de Rúben, o filho mais velho de Jacó. (Por ter tido relações com uma concubina do seu pai, Rúben havia perdido os direitos que eram dele como filho mais velho. Esses direitos foram dados a José.

Foi a tribo de Judá que, de fato, se tornou a mais forte, e dela saiu um governador para todas as tribos.)

Rúben, o filho mais velho de Jacó, foi pai de quatro filhos: Enoque, Palu, Hezrom e Carmi.

Joel foi pai de Semaías, Semaías foi pai de Gogue, Gogue foi pai de Simei,

Simei foi pai de Mica, Mica foi pai de Reaías, Reaías foi pai de Baal,

Baal foi pai de Beera. Beera, o chefe da tribo, foi levado como prisioneiro por Tiglate-Pileser, rei da Assíria.

Foram escritos numa lista os nomes dos seguintes chefes de grupos de famílias da tribo de Rúben: Jeiel, Zacarias,

Belá, filho de Azaz e neto de Sema, do grupo de famílias de Joel. Esse grupo de famílias morava em Aroer e na região que ia para o Norte até Nebo e Baal-Meom.

Eles tinham grandes rebanhos na terra de Gileade e por isso ocuparam a terra na direção leste até o deserto que termina no rio Eufrates.

No tempo do rei Saul, a tribo de Rúben atacou e matou os hagaritas e ocupou a terra deles na parte leste de Gileade.

A tribo de Gade morou ao norte das terras da tribo de Rúben, na região de Basã, até Salca, no leste.

Joel foi o fundador do principal grupo de famílias, e Safã foi o fundador do segundo mais importante grupo de famílias. Janai e Safate foram fundadores de outros grupos de famílias em Basã.

Os outros membros da tribo pertenciam aos seguintes sete grupos de famílias: Micael, Mesulã, Seba, Jorai, Jacã, Zia e Héber.

Eles eram descendentes de Abiail, filho de Huri, filho de Jaroa, filho de Gileade, filho de Micael, filho de Jesisai, filho de Jado, filho de Buz.

Aí, filho de Abdiel e neto de Guni, era o chefe desses grupos de famílias.

Eles moravam nas regiões de Basã e de Gileade, nas cidades dali e por todas as terras de pastagens de Sarom.

(Estes registros foram feitos no tempo do rei Jotão, de Judá, e do rei Jeroboão, de Israel.)

Nas tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste havia quarenta e quatro mil setecentos e sessenta soldados bem treinados no uso de escudos, espadas e arco e flechas.

Eles fizeram guerra contra as tribos hagaritas de Jetur, Nafis e Nodabe.

Pediram a ajuda de Deus e confiaram nele, e por isso ele respondeu às suas orações e lhes deu a vitória sobre os hagaritas e os seus aliados.

Eles tomaram dos inimigos cinqüenta mil camelos, duzentas e cinqüenta mil ovelhas e dois mil jumentos e levaram cem mil prisioneiros de guerra.

Mataram muitos inimigos porque a guerra era da vontade de Deus. E ficaram morando naquela região até a época em que o povo foi levado como prisioneiro para fora da sua terra.

O povo de Manassés do Leste ficou morando na região de Basã até as cidades de Baal-Hermom e Senir e o monte Hermom, no norte. Eles aumentaram muito em número.

Estes foram os chefes dos seus grupos de famílias: Éfer, Isi, Eliel, Azriel, Jeremias, Hodavias e Jadiel. Todos eram soldados valentes e chefes famosos dos seus grupos de famílias.

Mas o povo não foi fiel ao Deus dos seus antepassados e o abandonou para adorar os deuses das nações que Deus havia expulsado da terra.

Por isso, Deus fez com que Pul, rei da Assíria, que também era conhecido como Tiglate-Pileser, invadisse a terra deles. Ele levou embora as tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste e as fez morar nas cidades de Hala, Habor e Hara e na beira do rio Gozã, onde estão até hoje.

 

1 Cr 6

Levi foi pai de três filhos: Gérson, Coate e Merari.

Coate foi pai de quatro filhos: Anrão, Isar, Hebrom e Uziel.

Anrão foi pai de dois filhos: Arão e Moisés, e de uma filha chamada Míriam. Arão foi pai de quatro filhos: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar.

Eleazar foi pai de Finéias, e Finéias foi pai de Abisua;

Abisua foi pai de Buqui, e Buqui foi pai de Uzi;

Uzi foi pai de Zeraías, e Zeraías foi pai de Meraiote;

Meraiote foi pai de Amariá, e Amariá foi pai de Aitube;

Aitube foi pai de Zadoque, e Zadoque foi pai de Aimaás;

Aimaás foi pai de Azarias, e Azarias foi pai de Joanã;

Joanã foi pai de Azarias, que serviu como sacerdote no Templo que Salomão construiu em Jerusalém.

Azarias foi pai de Amariá, e Amariá foi pai de Aitube;

Aitube foi pai de Zadoque, e Zadoque foi pai de Salum;

Salum foi pai de Hilquias, e Hilquias foi pai de Azarias;

Azarias foi pai de Seraías, e Seraías foi pai de Jeozadaque.

Jeozadaque foi levado como prisioneiro junto com os moradores de Judá e de Jerusalém que Deus levou para o cativeiro por meio do rei Nabucodonosor.

Levi foi pai de três filhos: Gérson, Coate e Merari.

Gérson foi pai de Libni e Simei.

Coate foi pai de Anrão, Isar, Hebrom e Uziel.

Merari foi pai de Mali e Musi.

Gérson foi pai de Libni, Libni foi pai de Jaate, e Jaate foi pai de Zima;

Zima foi pai de Joá, Joá foi pai de Ido, Ido foi pai de Zera, e Zera foi pai de Jeaterai.

Coate foi pai de Aminadabe, Aminadabe foi pai de Corá, e Corá foi pai de Assir;

Assir foi pai de Elcana, Elcana foi pai de Ebiasafe, e Ebiasafe foi pai de Assir;

Assir foi pai de Taate, Taate foi pai de Uriel, Uriel foi pai de Uzias, e Uzias foi pai de Saul.

Elcana foi pai de dois filhos: Amasai e Aimote.

Aimote foi pai de Elcana, Elcana foi pai de Zofai, e Zofai foi pai de Naate;

Naate foi pai de Eliabe, Eliabe foi pai de Jeroão, e Jeroão foi pai de Elcana.

Samuel foi pai de dois filhos: Joel, o mais velho, e Abias.

Merari foi pai de Mali, Mali foi pai de Libni, Libni foi pai de Simei, e Simei foi pai de Uzá;

Uzá foi pai de Siméia, Siméia foi pai de Hagias, e Hagias foi pai de Asaías.

São estes os homens que o rei Davi encarregou da música no lugar de adoração em Jerusalém, depois que a arca da aliança foi colocada lá.

Eles se revezavam nos seus deveres na Tenda da Presença de Deus, antes de o rei Salomão construir o Templo.

São estes os que ocupavam esse cargo: Do grupo de famílias de Coate: Hemã, o regente do primeiro coro, era filho de Joel, e Joel era filho de Samuel;

Samuel era filho de Elcana, Elcana era filho de Jeroão, Jeroão era filho de Eliel, e Eliel era filho de Toá;

Toá era filho de Zufe, Zufe era filho de Elcana, Elcana era filho de Maate, e Maate era filho de Amasai;

Amasai era filho de Elcana, Elcana era filho de Joel, Joel era filho de Azarias, e Azarias era filho de Sofonias;

Sofonias era filho de Taate, Taate era filho de Assir, Assir era filho de Ebiasafe, e Ebiasafe era filho de Corá;

Corá era filho de Isar, Isar era filho de Coate, Coate era filho de Levi, e Levi era filho de Jacó.

Asafe, o regente do segundo coro, era filho de Berequias, e Berequias era filho de Siméia;

Siméia era filho de Micael, Micael era filho de Baaséias, e Baaséias era filho de Malquias;

Malquias era filho de Etni, Etni era filho de Zera, e Zera era filho de Adaías;

Adaías era filho de Etã, Etã era filho de Zima, e Zima era filho de Simei;

Simei era filho de Jaate, Jaate era filho de Gérson, e Gérson era filho de Levi.

Etã, do grupo de famílias de Merari, era o regente do terceiro coro. Etã era filho de Quisi, Quisi era filho de Abdi, e Abdi era filho de Maluque;

Maluque era filho de Hasabias, Hasabias era filho de Amazias, e Amazias era filho de Hilquias;

Hilquias era filho de Anzi, Anzi era filho de Bani, e Bani era filho de Semer;

Semer era filho de Mali, Mali era filho de Musi, Musi era filho de Merari, e Merari era filho de Levi.

Os seus colegas levitas estavam encarregados de todos os outros serviços do lugar de adoração em Jerusalém.

Arão e os seus filhos apresentavam as ofertas de incenso e ofereciam os sacrifícios que eram completamente queimados no altar. Eles eram responsáveis por toda a adoração no Lugar Santíssimo e pelos sacrifícios por meio dos quais Deus perdoava os pecados do povo de Israel. Eles faziam tudo isso de acordo com as instruções dadas por Moisés, servo de Deus.

Arão foi pai de Eleazar, Eleazar foi pai de Finéias, e Finéias foi pai de Abisua;

Abisua foi pai de Buqui, Buqui foi pai de Uzi, e Uzi foi pai de Zeraías;

Zeraías foi pai de Meraiote, Meraiote foi pai de Amariá, e Amariá foi pai de Aitube;

Aitube foi pai de Zadoque, e Zadoque foi pai de Aimaás.

Este é o território que foi dado ao grupo de famílias de Coate, descendentes de Arão. Eles receberam a primeira parte da terra dada aos levitas,

isto é, a cidade de Hebrom, no território da tribo de Judá, e as terras de pastagens que ficavam ao seu redor.

Mas os campos e povoados que pertenciam à cidade foram dados a Calebe, filho de Jefoné.

(57-59) As seguintes cidades foram dadas aos descendentes de Arão: Hebrom, que era uma das cidades para fugitivos, e as cidades de Jatir, Libna, Estemoa, Hilém, Debir, Asã e Bete-Semes, com as terras de pastagens que ficavam ao redor delas.

No território de Benjamim eles receberam as seguintes cidades com as suas terras de pastagens: Geba, Alemete e Anatote. Isso dava um total de treze cidades, para nelas morarem as famílias que descendiam de Arão.

Dez cidades no território de Manassés do Oeste foram dadas por sorteio ao resto do grupo de famílias de Coate, família por família.

Ao grupo de famílias de Gérson, família por família, foram dadas treze cidades nos territórios de Aser, Naftali e Manassés do Leste, na região de Basã.

Do mesmo modo, doze cidades nos territórios de Rúben, Gade e Zebulom foram dadas ao grupo de famílias de Merari, família por família.

Dessa maneira o povo de Israel deu aos levitas, para nelas morarem, cidades e as terras de pastagens que ficavam ao seu redor.

(As cidades que ficavam nos territórios de Judá, Simeão e Benjamim, das quais se falou acima, também foram dadas por sorteio.)

Do grupo de famílias de Coate, algumas receberam no território de Efraim as seguintes cidades e terras de pastagens:

Siquém, uma cidade para fugitivos que ficava na região montanhosa; Gezer,

Jocmeão, Bete-Horom,

Aijalom e Gate-Rimom.

No território de Manassés do Oeste, eles receberam as cidades de Aner e Bileão, com as terras de pastagens que ficavam ao seu redor.

Do grupo de famílias de Gérson, estas receberam as seguintes cidades, com as terras de pastagens que ficavam ao seu redor: No território de Manassés do Leste: Golã, na região de Basã, e Astarote.

No território de Issacar: Quedes, Daberate,

Ramote e Aném.

No território de Aser: Masal, Abdom,

Hucoque e Reobe.

No território de Naftali: Quedes, na região da Galiléia, Hamom e Quiriataim.

Do grupo de famílias de Merari, estas receberam as seguintes cidades, com as terras de pastagens que ficavam ao seu redor: No território de Zebulom: Rimono e Tabor.

No território de Rúben, a leste do rio Jordão, em frente de Jericó: Bezer, no planalto, Jasa,

Quedemote e Mefaate.

No território de Gade: Ramote, na região de Gileade, Maanaim,

Hesbom e Jazer.

 

1 Cr 7

Issacar foi pai de quatro filhos: Tolá, Puá, Jasube e Sinrom.

Tolá foi pai de seis filhos: Uzi, Refaías, Jeriel, Jamai, Ibsão e Samuel. Eles foram chefes de famílias do grupo de famílias de Tolá e foram soldados famosos. No tempo do rei Davi, os descendentes deles chegavam a vinte e dois mil e seiscentos.

Uzi foi pai de um filho chamado Izraías. Izraías e os seus quatro filhos, Micael, Obadias, Joel e Issias, foram todos chefes de famílias.

Eles tiveram tantas mulheres e filhos, que os seus descendentes puderam fornecer trinta e seis mil homens para o serviço militar.

Os nomes dos membros de todas as famílias da tribo de Issacar foram escritos numa lista, e havia oitenta e sete mil homens capazes para o serviço militar.

Benjamim foi pai de três filhos: Belá, Bequer e Jediael.

Belá foi pai de cinco filhos: Esbom, Uzi, Uziel, Jerimote e Iri. Eles foram chefes de famílias do seu grupo de famílias e foram soldados famosos. Entre os seus descendentes havia vinte e dois mil e trinta e quatro homens capazes para o serviço militar.

Bequer foi pai de nove filhos: Zemira, Joás, Eliézer, Elioenai, Onri, Jerimote, Abias, Anatote e Alemete.

Na lista dos seus descendentes, família por família, havia vinte mil e duzentos homens capazes para o serviço militar.

Jediael foi pai de um filho chamado Bilã, que foi pai de sete filhos: Jeús, Benjamim, Eúde, Quenaana, Zetã, Társis e Aisaar.

Eles foram chefes de famílias do seu grupo de famílias e foram soldados famosos. Entre os seus descendentes havia dezessete mil e duzentos homens capazes para o serviço militar.

Supim e Hupim também eram dessa tribo. Dã foi pai de um filho chamado Husim.

Naftali foi pai de quatro filhos: Jaziel, Guni, Jezer e Salum. (Eles eram descendentes de Bila.)

Com a sua concubina síria, Manassés teve dois filhos: Asriel e Maquir. Maquir foi pai de Gileade.

Maquir arranjou uma mulher para Hupim e outra para Supim. O nome da irmã de Supim era Maacá. O segundo filho de Maquir se chamava Zelofeade; ele só teve filhas.

Maacá, a mulher de Maquir, teve dois filhos, em quem eles puseram os nomes de Peres e Seres. Peres foi pai de dois filhos: Ulão e Raquém.

Ulão foi pai de um filho chamado Bedã. Estes foram descendentes de Gileade, filho de Maquir e neto de Manassés.

Hamolequete, a irmã de Gileade, teve três filhos: Isode, Abiezer e Macla.

(Semida foi pai de quatro filhos: Aiã, Siquém, Liqui e Anião.)

Efraim foi pai de Sutela, Sutela foi pai de Berede, Berede foi pai de Taate, Taate foi pai de Eleada, e Eleada foi pai de Taate;

Taate foi pai de Zabade, e Zabade foi pai de Sutela. Efraim foi pai de mais dois filhos além de Sutela; eles se chamavam Ézer e Eleade e foram mortos quando tentavam roubar o gado dos moradores de Gate.

Efraim, o seu pai, chorou por eles muitos dias, e os irmãos dele foram consolá-lo.

Depois ele teve relações com a sua mulher, ela ficou grávida e deu à luz um filho. Eles puseram nele o nome de Berias porque a desgraça tinha caído sobre o seu lar.

Efraim foi pai de uma filha chamada Seerá. Ela construiu as cidades de Bete-Horom-de-Baixo, Bete-Horom-de-Cima e Uzém-Seerá.

Efraim também foi pai de um filho chamado Refa. Refa foi pai de Resefe, Resefe foi pai de Telá, e Telá foi pai de Taã;

Taã foi pai de Ladã, Ladã foi pai de Amiúde, e Amiúde foi pai de Elisama;

Elisama foi pai de Num, e Num foi pai de Josué.

O território que eles receberam e onde ficaram morando incluía Betel e as cidades que ficavam ao seu redor, indo na direção leste até Naarã e na direção oeste até Gezer e as cidades que ficavam ao seu redor. Desse território também faziam parte Siquém e Aia e as cidades que ficavam ao seu redor.

Os descendentes de Manassés controlavam as cidades de Bete-Sã, Taanaque, Megido e Dor e as cidades que ficavam ao seu redor. São esses os lugares onde moravam os descendentes de José, filho de Jacó.

São estes os descendentes de Aser. Ele foi pai de quatro filhos: Imna, Isva, Isvi e Berias, e de uma filha chamada Sera.

Berias foi pai de dois filhos: Héber e Malquiel. Malquiel fundou a cidade de Birzavite.

Héber foi pai de três filhos: Jaflete, Somer e Hotão, e de uma filha chamada Suá.

Jaflete também foi pai de três filhos: Pasaque, Bimal e Asvate.

Somer, seu irmão, foi pai de três filhos: Roga, Jeuba e Arã.

Hotão, seu irmão, foi pai de quatro filhos: Zofa, Imna, Seles e Amal.

Os descendentes de Zofa foram: Sua, Harnefer, Sual, Beri, Inra,

Bezer, Hode, Sama, Silsa, Itrã e Beera.

Os descendentes de Jéter foram: Jefoné, Pispa e Ara.

Os descendentes de Ula foram: Ará, Haniel e Rizia.

Todos estes foram descendentes de Aser. Eles foram chefes de famílias, soldados famosos e líderes destacados. Entre os descendentes de Aser havia vinte e seis mil homens capazes para o serviço militar.

 

1 Cr 8

Benjamim foi pai de cinco filhos. São estes os seus nomes, por ordem de idade: Belá, Asbel, Aará,

Noá e Rafa.

Os descendentes de Belá foram: Adar, Gera, Abiúde,

Abisua, Naamã, Aoá,

Gera, Sefufã e Hurã.

(6-7) Os descendentes de Eúde foram: Naamã, Aías e Gera. Eles foram chefes de famílias e moravam em Geba, mas foram obrigados a sair dali e ir morar em Manaate. Gera, o pai de Uzá e Aiúde, foi o chefe deles nessa mudança.

(8-9) Saaraim se divorciou das suas duas mulheres, que se chamavam Husim e Baara. Algum tempo depois, quando estava morando na terra de Moabe, ele casou com Hodes e teve com ela sete filhos: Jobabe, Zíbia, Messa, Malcã,

Jeús, Saquias e Mirma. Todos os seus filhos se tornaram chefes de famílias.

Saaraim também teve dois filhos com a sua mulher Husim. Os nomes deles eram Abitube e Elpaal.

Elpaal foi pai de três filhos: Héber, Misã e Semede. Semede construiu as cidades de Ono e Lode e os povoados que ficavam ao seu redor.

Berias e Sema foram os chefes das famílias que ficaram morando na cidade de Aijalom. Eles expulsaram os moradores da cidade de Gate.

Entre os descendentes de Berias estavam: Aiô, Sasaque, Jeremote,

Zebadias, Arade, Éder,

Micael, Ispa e Joá.

Entre os descendentes de Elpaal estavam: Zebadias, Mesulã, Hizequi, Héber,

Ismerai, Izlias e Jobabe.

Entre os descendentes de Simei estavam: Jaquim, Zicri, Zabdi,

Elienai, Ziletai, Eliel,

Adaías, Beraías e Sinrate.

Entre os descendentes de Sasaque estavam: Ispã, Éber, Eliel,

Abdom, Zicri, Hanã,

Hananias, Elão, Antotias,

Ifdéias e Penuel.

Entre os descendentes de Jeroão estavam: Sanserai, Searias, Atalias,

Jaaresias, Elias e Zicri.

Estes foram os primeiros chefes de famílias que moraram em Jerusalém e os seus principais descendentes.

Jeiel fundou a cidade de Gibeão e ficou morando ali. A sua mulher se chamava Maacá,

e o seu filho mais velho, Abdom. Os seus outros filhos foram: Zur, Quis, Baal, Ner, Nadabe,

Gedor, Aiô, Zequer

e Miclote, o pai de Siméia. Os seus descendentes moravam em Jerusalém, perto das outras famílias do seu grupo de famílias.

Ner foi pai de Quis, e Quis foi pai do rei Saul. Saul foi pai de quatro filhos: Jônatas, Malquisua, Abinadabe e Esbaal.

Jônatas foi pai de Meribe-Baal, que foi pai de Mica.

Mica foi pai de quatro filhos: Pitom, Meleque, Taréia e Acaz.

Acaz foi pai de Jeoada, e Jeoada foi pai de três filhos: Alemete, Azmavete e Zinri. Zinri foi pai de Mosa,

Mosa foi pai de Bineá, Bineá foi pai de Rafa, Rafa foi pai de Eleasa, e Eleasa foi pai de Azel.

Azel foi pai de seis filhos: Azricã, Bocru, Ismael, Searias, Obadias e Hanã.

Eseque, o irmão de Azel, foi pai de três filhos: Ulão, Jeús e Elifelete.

Os filhos de Ulão foram famosos soldados e atiradores de flechas. Ulão teve cento e cinqüenta filhos e netos. Todos estes foram membros da tribo de Benjamim.

 

1 Cr 9

Fizeram uma lista de todo o povo de Israel de acordo com as suas famílias, e isso foi escrito no Livro dos Reis de Israel. O povo de Judá havia sido levado prisioneiro para a Babilônia como castigo pelos seus pecados.

Os primeiros que voltaram a morar nas suas propriedades e nas suas cidades foram gente do povo, sacerdotes, levitas e servidores do Templo.

Pessoas das tribos de Judá, Benjamim, Efraim e Manassés foram morar em Jerusalém.

(4-6) Seiscentas e noventa famílias da tribo de Judá moraram em Jerusalém. O líder dos descendentes de Peres, filho de Judá, foi Utai, filho de Amiúde e neto de Onri. Entre os seus antepassados estavam Inri e Bani. O líder dos descendentes de Selá, filho de Judá, foi Asaías, que era o chefe da sua família. O líder dos descendentes de Zera, filho de Judá, foi Jeuel.

(7-8) Moravam em Jerusalém os seguintes membros da tribo de Benjamim: Salu, filho de Mesulã, neto de Hodavias e bisneto de Hassenuá; Ibnéias, filho de Jeroão; Elá, filho de Uzi e neto de Micri; Mesulã, filho de Sefatias, neto de Reuel e bisneto de Ibnijas.

Novecentas e cinqüenta e seis famílias da tribo de Benjamim moravam em Jerusalém. Todos os homens cujos nomes estão escritos acima eram chefes de famílias.

(10-12) Moravam em Jerusalém os seguintes sacerdotes: Jedaías, Jeoiaribe e Jaquim. Ali morava também Azarias, que era o administrador do Templo; ele era filho de Hilquias, neto de Mesulã, bisneto de Zadoque, trineto de Meraiote e tetraneto de Aitube. Adaías, filho de Jeroão, neto de Pasur e bisneto de Malquias. Masai, filho de Adiel, neto de Jazera, bisneto de Mesulã, trineto de Mesilemite e tetraneto de Imer.

Havia mil setecentos e sessenta sacerdotes que eram chefes de famílias. Eles estavam preparados para fazer todos os trabalhos do Templo.

(14-16) Moravam em Jerusalém os seguintes levitas: Semaías, filho de Hassube, neto de Azricã e bisneto de Hasabias. Ele era do grupo de famílias de Merari. Baquebacar, Heres e Galal. Matanias, filho de Mica, neto de Zicri e bisneto de Asafe. Obadias, filho de Semaías, neto de Galal e bisneto de Jedutum. Berequias, filho de Asa e neto de Elcana, que morava nas terras que pertenciam à cidade de Netofa.

Moravam em Jerusalém os seguintes guardas do Templo: Salum, Acube, Talmom e Aimã. Salum era o chefe deles.

Desde aquele tempo até hoje, membros dos seus grupos de famílias têm sido guardas do Portão do Rei, que ficava no lado leste do Templo. Antigamente eles eram os guardas dos portões dos acampamentos dos levitas.

Salum, filho de Coré e neto de Ebiasafe, e também os seus parentes do grupo de famílias de Corá eram os encarregados de guardar a entrada da Tenda da Presença de Deus, como os seus antepassados haviam sido quando eram os encarregados do acampamento de Deus, o SENHOR.

Naquela época, Finéias, filho de Eleazar— que o SENHOR esteja com Finéias! — era o chefe deles.

Zacarias, filho de Meselemias, também era guarda da entrada da Tenda da Presença de Deus.

Ao todo, duzentos e doze homens foram escolhidos para serem guardas dos portões. Os nomes deles foram escritos numa lista, de acordo com os povoados onde moravam. O rei Davi e o profeta Samuel é que haviam colocado os antepassados deles nesses cargos de confiança.

Eles e os seus descendentes guardavam os portões da área do Templo.

Havia um portão de frente para cada uma das direções: norte, sul, leste e oeste, e cada portão tinha um guarda-chefe.

Esses guardas eram ajudados pelos seus parentes que moravam nos povoados e que se revezavam no trabalho de sete em sete dias.

Os quatro guardas-chefes eram levitas e eram responsáveis por esse trabalho e também vigiavam os cômodos do Templo e as coisas guardadas ali.

Eles moravam perto do Templo porque era seu dever guardá-lo e abrir os portões todas as manhãs.

Os outros levitas eram responsáveis pelos objetos usados no culto. Todas as vezes que esses objetos eram usados, eles os contavam quando eram levados e quando eram devolvidos.

Também havia levitas encarregados dos outros objetos sagrados e da farinha de trigo, do vinho, do azeite, do incenso e das especiarias.

Mas os sacerdotes é que tinham a responsabilidade de misturar as especiarias.

Um levita chamado Matitias, que era o filho mais velho de Salum, do grupo de famílias de Corá, era o encarregado de preparar as ofertas de pães.

Membros do grupo de famílias de Coate estavam encarregados de fazer todos os sábados os pães sagrados para o Templo.

Algumas famílias de levitas eram responsáveis pela música no Templo. Os chefes dessas famílias moravam nos cômodos do Templo e não tinham outros deveres, pois estavam ocupados no seu serviço de dia e de noite.

Foram estes os chefes de famílias de levitas, de acordo com a lista dos nomes dos seus antepassados. Eles eram os líderes que moravam em Jerusalém.

Jeiel fundou a cidade de Gibeão e ficou morando ali. A sua mulher se chamava Maacá.

O seu filho mais velho se chamava Abdom, e os outros eram Zur, Quis, Baal, Ner, Nadabe,

Gedor, Aiô, Zacarias e Miclote.

Miclote foi o pai de Siméia. Os seus descendentes moravam em Jerusalém, perto das outras famílias do seu grupo de famílias.

Ner foi pai de Quis, e Quis foi pai de Saul. Saul foi pai de quatro filhos: Jônatas, Malquisua, Abinadabe e Esbaal.

Jônatas foi pai de Meribe-Baal, e Meribe-Baal foi pai de Mica.

Mica foi pai de quatro filhos: Pitom, Meleque, Taréia e Acaz.

Acaz foi pai de Jaerá, e Jaerá foi pai de três filhos: Alemete, Azmavete e Zinri. Zinri foi pai de Mosa,

Mosa foi pai de Bineá, Bineá foi pai de Refaías, Refaías foi pai de Eleasa, e Eleasa foi pai de Azel.

Azel foi pai de seis filhos: Azricã, Bocru, Ismael, Searias, Obadias e Hanã.

 

1 Cr 10

Os filisteus lutaram contra os israelitas no monte Gilboa. Muitos israelitas foram mortos ali, e o resto fugiu. Entre os que fugiram estavam o rei Saul e os seus filhos.

Mas os filisteus os cercaram e mataram Jônatas, Abinadabe e Malquisua, filhos de Saul.

A luta estava feroz em volta de Saul, que foi atingido por flechas inimigas e ficou muito ferido.

Então disse ao rapaz que carregava as suas armas: — Tire a sua espada e me mate para que esses filisteus pagãos não caçoem de mim. Mas o rapaz estava muito apavorado e não quis fazer isso. Então Saul pegou a sua própria espada e se jogou sobre ela.

Quando viu que Saul estava morto, o rapaz também se jogou sobre a sua própria espada e morreu junto com ele.

E assim Saul e os seus três filhos morreram juntos, e nenhum dos seus descendentes se tornou rei.

Quando os israelitas que moravam no vale de Jezreel souberam que o exército de Israel havia fugido e que Saul e os seus filhos tinham sido mortos, abandonaram as suas cidades e fugiram. Então os filisteus foram e ocuparam aquelas cidades.

Um dia depois da batalha, quando os filisteus voltaram lá para tirar dos mortos as coisas de valor, acharam os corpos de Saul e dos seus filhos caídos no monte Gilboa.

Então cortaram a cabeça de Saul e pegaram as armas dele. Depois mandaram mensageiros com elas para o território filisteu a fim de darem as boas notícias aos seus ídolos e ao povo.

Eles puseram as armas dele num dos seus templos e penduraram a sua cabeça no templo de Dagom, o deus deles.

Quando o povo da cidade de Jabes, em Gileade, soube do que os filisteus haviam feito com Saul,

os seus moradores mais corajosos foram, pegaram os corpos de Saul e dos seus filhos e os levaram para Jabes. Eles os sepultaram debaixo de um carvalho e jejuaram sete dias.

Saul morreu assim porque foi infiel a Deus, o SENHOR. Ele desobedeceu aos mandamentos de Deus e consultou os espíritos dos mortos,

em vez de consultar o SENHOR. Por isso, Deus o matou e entregou o reino a Davi, filho de Jessé.

 

1 Cr 11

Todo o povo de Israel foi encontrar-se com Davi em Hebrom e disse: — Nós pertencemos ao mesmo povo que o senhor.

No passado, mesmo quando Saul era o nosso rei, o senhor comandava o povo de Israel nas batalhas. E o SENHOR, seu Deus, prometeu que o senhor seria o chefe e o protetor do povo dele.

Assim todos os líderes de Israel foram se encontrar com Davi em Hebrom. Davi fez um acordo sagrado com eles, eles o ungiram, e ele se tornou rei de Israel, como o SENHOR Deus havia prometido por meio de Samuel.

O rei Davi e todos os israelitas foram atacar a cidade de Jerusalém. Nessa época a cidade se chamava Jebus, e os jebuseus, os primeiros moradores daquela terra, ainda moravam ali.

Os jebuseus disseram a Davi que ele nunca entraria na cidade, mas ele conquistou a fortaleza de Sião, e ela passou a se chamar Cidade de Davi.

Davi disse: — O primeiro que matar um jebuseu será o comandante do exército. Joabe, cuja mãe era Zeruia, dirigiu o ataque e se tornou o comandante.

Assim Davi ficou morando na fortaleza, e por isso ela foi chamada de “Cidade de Davi”.

Ele construiu a cidade de novo, começando pelo lugar que havia sido aterrado no lado leste do monte Sião, e Joabe reconstruiu o resto da cidade.

Davi tornou-se cada vez mais forte porque o SENHOR Todo-Poderoso estava com ele.

Esta é a lista dos famosos soldados de Davi. Junto com o resto do povo de Israel, estes soldados ajudaram Davi a se tornar rei, como o SENHOR Deus havia prometido, e conservaram forte o seu reino.

O primeiro foi Jasobeão, do grupo de famílias de Hacmoni. Jasobeão era o líder do grupo chamado “Os Três”. Com a sua lança ele lutou contra trezentos homens e os matou numa só batalha.

Depois dele, entre os famosos “Três”, vinha Eleazar, filho de Dodo, do grupo de famílias de Aoí.

Eleazar lutou ao lado de Davi contra os filisteus na batalha de Pas-Damim. Ele estava numa plantação de cevada quando os israelitas começaram a fugir.

Então Eleazar e os seus soldados ficaram no meio da plantação e lutaram contra os filisteus. E o SENHOR lhe deu uma grande vitória.

Um dia, três dos trinta oficiais foram até uma rocha perto da caverna de Adulã, onde Davi estava, enquanto que um bando de filisteus acampava no vale dos Gigantes.

Um grupo de filisteus havia ocupado a cidade de Belém, e Davi se encontrava na fortaleza que havia no alto de um morro.

Então ele suspirou e disse: — Como eu gostaria que alguém me trouxesse um pouco da água do poço que fica perto do portão de Belém!

Então “Os Três” passaram pelo meio do acampamento dos filisteus, tiraram água do poço e levaram para Davi. Mas ele não quis beber daquela água; em vez disso, a derramou como oferta a Deus

e disse: — Ó Deus, eu não poderia beber desta água! Isso seria o mesmo que beber o sangue destes homens que arriscaram a sua vida para trazê-la! E assim ele não tomou daquela água. Foram essas as coisas que fizeram os famosos “Três”.

Abisai, irmão de Joabe, era o líder dos famosos “Trinta”. Com a sua lança ele lutou contra trezentos homens e os matou, ficando famoso entre “Os Trinta”.

Abisai foi o mais famoso dos “Trinta” e se tornou o seu líder, mas ele não foi tão famoso quanto “Os Três”.

Benaías, filho de Jeoiada, da cidade de Cabzeel, foi um soldado famoso e praticou muitos atos de coragem. Ele matou dois grandes soldados moabitas. Num dia de neve, um leão caiu numa cova. Benaías desceu lá e o matou.

Matou também um egípcio, um homem muito grande, de dois metros e vinte de altura, que estava armado com uma lança enorme, muito grande e pesada. Benaías atacou o egípcio com o seu bastão, arrancou a lança da mão dele e o matou com ela.

Esses foram os atos de coragem de Benaías, que foi um dos “Trinta”.

Ele tinha uma posição de destaque entre “Os Trinta”, mas não foi tão famoso quanto os “Três”. Davi o pôs como chefe da sua guarda pessoal.

Os outros soldados famosos foram os seguintes: Asael, irmão de Joabe; Elanã, filho de Dodo, da cidade de Belém;

Samote, da cidade de Harode; Heres, da cidade de Pelete;

Ira, filho de Iques, da cidade de Tecoa; Abiezer, da cidade de Anatote;

Sibecai, da cidade de Husa; Ilai, da cidade de Aoí; Helede, filho de Baaná,

e Maarai, os dois da cidade de Netofa;

Itai, filho de Ribai, da cidade de Gibeá, no território da tribo de Benjamim; Benaías, da cidade de Piratom;

Hurai, dos vales de Gaás; Abiel, da cidade de Arba;

Azmavete, da cidade de Baarum; Eliaba, da cidade de Saalbom;

Hasém, da cidade de Gizom; Jônatas, filho de Sage,

e Aião, filho de Sacar, da cidade de Harar; Elifal, filho de Ur;

Héfer, da cidade de Mequerá; Aías, da cidade de Pelom;

Hezro, da cidade de Carmelo; Naarai, filho de Ezbai;

Joel, irmão de Natã; Mibar, filho de Hagri;

Zeleque, do país de Amom; Naarai, da cidade de Beerote, que era quem carregava as armas de Joabe;

Ira e Garebe, da cidade de Jatir;

Urias, o heteu; Zabade, filho de Alai;

Adina, filho de Sizá (um dos principais membros da tribo de Rúben, que tinha o seu próprio grupo de trinta soldados);

Hanã, filho de Maacá; Josafá, da cidade de Mitã

Uzias, da cidade de Asterá; Sama e Jeiel, filhos de Hotão, da cidade de Aroer;

Jediael e Joá, filhos de Sinri, da cidade de Tiz;

Eliel, da cidade de Maavá; Jeribai e Josavias, filhos de Elnaã; Itma, do país de Moabe;

Eliel, Obede e Jaaziel, da cidade de Zoba.

 

1 Cr 12

Davi estava morando na cidade de Ziclague, para onde havia ido a fim de fugir do rei Saul. Ali foram juntar-se a ele alguns soldados corajosos e de confiança.

Eles eram da tribo de Benjamim, como Saul era. Atiravam flechas com o arco e pedras com fundas, tanto com a mão direita como com a esquerda.

Os comandantes deles eram Aiezer e Joás, filhos de Semaá, da cidade de Gibeá. Os soldados eram estes: Jeziel e Pelete, filhos de Azmavete; Beraca e Jeú, que era da cidade de Anatote;

Ismaías, da cidade de Gibeão, soldado famoso e um dos líderes do grupo chamado “Os Trinta”; Jeremias, Jaaziel, Joanã e Jozabade, que era da cidade de Gedera;

Eluzai, Jerimote, Bealias, Semarias e Sefatias, que era da cidade de Harife;

Elcana, Issias, Azarel, Joezer e Jasobeão, que eram do grupo de famílias de Corá;

Joela e Zebadias, filhos de Jeroão, da cidade de Gedor.

São estes os nomes dos soldados corajosos e treinados da tribo de Gade que foram juntar-se ao exército de Davi quando ele estava na fortaleza do deserto. Eles sabiam lutar com escudo e lança e eram ferozes como os leões e ligeiros como as gazelas.

Os nomes deles foram escritos numa lista na seguinte ordem: Ézer, Obadias, Eliabe,

Mismana, Jeremias,

Atai, Eliel,

Joanã, Elzabade,

Jeremias e Macbanai.

Alguns desses homens da tribo de Gade comandavam mil homens, e outros, cem.

Certa vez, no primeiro mês do ano, quando o Jordão alaga as suas margens, eles atravessaram o rio e puseram em fuga o povo que morava nos vales, tanto no lado leste como no lado oeste do rio.

Também um grupo de homens das tribos de Benjamim e Judá foi até a fortaleza onde Davi estava.

Davi saiu para encontrar-se com eles e disse: — Se vocês vieram como amigos, para me ajudar, aceito de todo o coração que façam parte do meu grupo. Mas, se vieram para me trair e me entregar aos meus inimigos, embora eu não tenha cometido nenhum crime, o Deus dos nossos antepassados ficará sabendo e castigará vocês.

Então o Espírito de Deus tomou conta de Amasai, que depois veio a ser o comandante dos “Trinta”, e ele gritou: — Davi, filho de Jessé, nós somos seus! Tudo de bom para você e para aqueles que o ajudam! Deus está do seu lado! Então Davi os recebeu e os colocou como oficiais do seu exército.

Alguns soldados da tribo de Manassés passaram para o lado de Davi quando ele havia saído junto com os filisteus para lutar contra o rei Saul. Na verdade ele não ajudou os filisteus. Os seus governadores mandaram que Davi voltasse para Ziclague porque ficaram com medo que ele os entregasse ao seu antigo chefe, o rei Saul.

São estes os soldados da tribo de Manassés que passaram para o lado de Davi quando ele estava voltando para lá: Adna, Jozabade, Jediael, Micael, Jozabade, Eliú e Ziletai. Em Manassés todos eles haviam sido comandantes de grupos de mil homens.

Eles serviram Davi como oficiais das suas tropas porque eram soldados capazes. Mais tarde, eles foram oficiais do exército israelita.

Quase todos os dias, novos homens vinham juntar-se ao grupo de Davi, e por isso em pouco tempo o seu exército ficou enorme.

Quando Davi estava em Hebrom, muitos soldados treinados foram se juntar ao seu exército para ajudar a fazê-lo rei no lugar de Saul, como o SENHOR Deus havia prometido. Este é o número deles:

Da tribo de Judá: seis mil e oitocentos homens bem equipados, armados com escudos e lanças.

Da tribo de Simeão: sete mil e cem homens bem treinados.

Da tribo de Levi: quatro mil e seiscentos homens;

seguidores de Joiada, descendente de Arão: três mil e setecentos homens;

e Zadoque, um soldado jovem e capaz, veio com vinte e dois chefes do seu grupo de famílias.

Da tribo de Benjamim, a tribo de Saul: só três mil homens, pois a maior parte do povo de Benjamim continuava fiel a Saul.

Da tribo de Efraim: vinte mil e oitocentos homens valentes, que eram famosos nos seus grupos de famílias.

Da tribo de Manassés do Oeste: dezoito mil homens que foram escolhidos para irem fazer Davi rei.

Da tribo de Issacar: duzentos líderes e os homens comandados por eles. Esses líderes sabiam o que o povo de Israel devia fazer e a melhor ocasião para fazê-lo.

Da tribo de Zebulom: cinqüenta mil homens fiéis e de confiança, treinados para usar todos os tipos de armas e prontos para lutar.

Da tribo de Naftali: mil líderes e mais trinta e sete mil homens armados com escudos e lanças.

Da tribo de Dã: vinte e oito mil e seiscentos homens treinados.

Da tribo de Aser: quarenta mil homens preparados para a batalha.

Das tribos que ficavam a leste do rio Jordão, isto é, Rúben, Gade e Manassés do Leste: cento e vinte mil homens treinados para usar todos os tipos de armas.

Todos esses soldados preparados para a batalha foram até Hebrom, resolvidos a fazerem Davi rei de todos os israelitas. Todo o resto do povo de Israel estava unido no mesmo propósito.

Eles ficaram três dias ali com Davi, comendo e bebendo aquilo que os seus irmãos israelitas haviam preparado para eles.

De bem longe, até das tribos de Issacar, Zebulom e Naftali, no Norte, vieram pessoas trazendo jumentos, camelos, mulas e bois carregados de comida, isto é, farinha de trigo, figos, passas, vinho e azeite. Também trouxeram gado e ovelhas para matar e comer. Tudo isso mostrava a alegria que havia em todo o país.

 

1 Cr 13

O rei Davi consultou todos os oficiais que comandavam grupos de mil homens e grupos de cem.

Depois anunciou a todo o povo de Israel o seguinte: — Se vocês acharem bom, e se isso for da vontade do SENHOR, nosso Deus, vamos mandar mensageiros ao resto dos nossos irmãos israelitas e aos sacerdotes e levitas nas suas cidades, para dizerem a eles que venham se reunir aqui com a gente.

Aí nós iremos buscar a arca da aliança, pois ela ficou esquecida durante o reinado de Saul.

Essa proposta agradou ao povo, e todos concordaram com ela.

Então Davi reuniu todo o povo de Israel, desde a fronteira do Egito, no Sul, até a subida de Hamate, no Norte, a fim de levarem a arca da aliança de Quiriate-Jearim para Jerusalém.

Davi e o povo foram até a cidade de Baalá, isto é, Quiriate-Jearim, no território da tribo de Judá, para tirar dali a arca da aliança de Deus, a qual tem o nome do SENHOR, que se assenta no seu trono, acima dos querubins.

Colocaram a arca num carro de bois, novo, e a levaram embora da casa de Abinadabe. Uzá e Aiô guiavam o carro.

Então Davi e todo o povo começaram a dançar com todas as suas forças em louvor a Deus. Eles cantavam e tocavam instrumentos musicais, isto é, harpas, liras, tambores, pratos e trombetas.

Quando chegaram ao campo de debulhar cereais que pertencia a Quidom, os bois tropeçaram. Então Uzá estendeu a mão e segurou a arca da aliança.

Na mesma hora, o SENHOR ficou irado por Uzá ter tocado na arca e o matou. Ele morreu ali, na presença de Deus.

Davi ficou furioso porque Deus, na sua ira, havia castigado Uzá; assim até hoje aquele lugar é chamado de Peres-Uzá.

Então Davi ficou com medo de Deus e disse: — E agora como poderei levar comigo a arca da aliança?

Assim Davi não levou a arca consigo para Jerusalém. Em vez disso, ele a deixou na casa de um homem chamado Obede-Edom, que era da cidade de Gate.

A arca ficou ali três meses, e Deus abençoou a família de Obede-Edom e tudo o que era dele.

 

1 Cr 14

O rei Hirão, da cidade de Tiro, enviou embaixadores a Davi. Ele mandou toras de cedro e também carpinteiros e pedreiros para construírem um palácio para Davi.

E assim Davi entendeu que o SENHOR Deus o havia confirmado como rei de Israel e que, por amor ao seu povo, estava fazendo o seu reino progredir.

Em Jerusalém, Davi casou com outras mulheres e foi pai de mais filhos e filhas.

São estes os nomes dos seus filhos que nasceram em Jerusalém: Samua, Sobabe, Natã, Salomão,

Ibar, Elisua, Elpelete,

Noga, Nefegue, Jafia,

Elisama, Beeliada e Elifelete.

Quando os filisteus souberam que Davi tinha se tornado rei de Israel, o exército deles saiu para prendê-lo. Davi soube disso e saiu para encontrar-se com eles.

Os filisteus chegaram ao vale dos Gigantes e começaram a atacar e a roubar.

Então Davi perguntou a Deus: — Devo lutar contra os filisteus? Tu me darás a vitória? — Vá! — disse o SENHOR. — Eu lhe darei a vitória.

Davi os atacou em Baal-Perazim e os derrotou. Ele disse: — Como se eu fosse uma enchente que derruba tudo, Deus me usou para abrir uma brecha no meio do exército inimigo. Por isso, aquele lugar é chamado de Baal-Perazim.

Quando os filisteus fugiram, deixaram os seus ídolos para trás, e Davi ordenou que fossem queimados.

Mas logo os filisteus voltaram ao vale e começaram a atacar.

Mais uma vez Davi consultou a Deus, e ele respondeu: — Não os ataque daqui. Dê a volta e ataque pelo outro lado, perto das amoreiras.

Quando você ouvir o barulho de marcha por cima das amoreiras, ataque-os porque isso quer dizer que eu estou indo na sua frente para derrotar o exército dos filisteus.

Davi fez o que Deus havia mandado e obrigou os inimigos a recuar desde Gibeão até Gezer.

A fama de Davi se espalhou por toda parte, e o SENHOR fez com que todas as nações ficassem com medo dele.

 

1 Cr 15

Para o seu próprio uso, Davi construiu casas na Cidade de Davi. Também preparou um lugar para a arca da aliança de Deus e armou uma barraca para ela.

Então disse: — Somente levitas podem carregar a arca da aliança porque foram eles que o SENHOR Deus escolheu a fim de carregá-la e para servi-lo para sempre.

Então Davi chamou todo o povo de Israel a Jerusalém a fim de trazer a arca da aliança para o lugar que ele havia preparado para ela.

Em seguida mandou buscar os descendentes de Arão e os levitas.

Do grupo de famílias levitas de Coate veio Uriel, chefiando cento e vinte homens do seu grupo de famílias;

do grupo de famílias de Merari veio Asaías, chefiando duzentos e vinte homens;

do grupo de famílias de Gérson veio Joel, chefiando cento e trinta;

do grupo de famílias de Elisafã veio Semaías, chefiando duzentos;

do grupo de famílias de Hebrom veio Eliel, chefiando oitenta;

e do grupo de famílias de Uziel veio Aminadabe, chefiando cento e doze.

Davi chamou os sacerdotes Zadoque e Abiatar e os levitas Uriel, Asaías, Joel, Semaías, Eliel e Aminadabe.

Então disse aos levitas: — Vocês são os líderes dos grupos de famílias levitas. Purifiquem-se e purifiquem os seus irmãos levitas, para que possam trazer a arca da aliança do SENHOR, o Deus de Israel, para o lugar que preparei para ela.

Não foram vocês que a carregaram da primeira vez, e por isso o SENHOR, nosso Deus, nos castigou por não o termos consultado como devíamos.

Então os sacerdotes e os levitas se purificaram a fim de carregar a arca da aliança do SENHOR, o Deus de Israel.

Os levitas a carregaram nos ombros pelos cabos, como Deus havia mandado por meio de Moisés.

Davi mandou que os líderes dos levitas nomeassem vários levitas para cantar e para tocar música alegre nas harpas, e nas liras, e com os pratos.

(17-21) Dos grupos de famílias de cantores eles escolheram para tocar pratos de metal os seguintes homens: Hemã, filho de Joel; o seu parente Asafe, filho de Berequias; e Etã, filho de Cuchaías, que era do grupo de famílias de Merari. Escolheram os levitas Zacarias, Jaaziel, Semiramote, Jeiel, Uni, Eliabe, Maaséias e Benaías para ajudá-los; eles tocavam as harpas, que alcançavam notas altas. Para tocarem as liras, que alcançavam notas baixas, escolheram os seguintes levitas: Matitias, Elifeleu, Micnéias, Azazias e os guardas do Templo, Obede-Edom e Jeiel.

Porque era entendido em música, Quenanias foi escolhido para dirigir os músicos levitas.

(23-24) Berequias e Elcana, junto com Obede-Edom e Jeías, foram escolhidos para serem os guardas da arca da aliança. Para tocarem trombeta em frente da arca, foram escolhidos os sacerdotes Sebanias, Josafá, Netanel, Amasai, Zacarias, Benaías e Eliézer.

Então o rei Davi, os líderes de Israel e os comandantes militares foram até a casa de Obede-Edom buscar a arca da aliança e fizeram uma grande festa.

E, como Deus estava ajudando os levitas que carregavam a arca, foram oferecidos em sacrifício sete touros e sete carneiros.

Davi estava vestido com uma roupa feita do mais fino linho; do mesmo jeito também estavam vestidos os músicos, Quenanias, que era o seu líder, e os levitas que carregavam a arca. Davi usava ainda um manto sacerdotal feito de linho.

E assim todos os israelitas subiram até Jerusalém, acompanhando a arca com gritos de alegria, ao som de trombetas, de cornetas feitas de chifre de carneiro, de pratos e de música de harpas e liras.

Quando a arca estava entrando na cidade, Mical, filha de Saul, olhou pela janela e viu o rei Davi dançando e pulando de alegria. Então sentiu desprezo por ele.

 

1 Cr 16

Levaram a arca da aliança para a barraca que Davi tinha preparado para ela e a colocaram lá dentro. Então ofereceram a Deus sacrifícios que foram completamente queimados e ofertas de paz.

Depois que Davi acabou de oferecer os sacrifícios, abençoou o povo em nome do SENHOR

e distribuiu comida a todos. Deu a cada homem e a cada mulher de Israel um pão, um pedaço de carne assada e passas.

Davi nomeou alguns levitas para dirigirem a adoração ao SENHOR, o Deus de Israel, cantando e louvando a Deus, em frente da arca da aliança.

Asafe foi nomeado o chefe deles, e Zacarias, o seu ajudante. Para tocarem lira, foram nomeados: Jeiel, Semiramote, Jeiel, Matitias, Eliabe, Benaías, Obede-Edom e Jeiel. Para tocar pratos, foi nomeado Asafe,

e, para tocarem trombeta todos os dias em frente da arca da aliança, foram nomeados os sacerdotes Benaías e Jaaziel.

Foi nesse dia que Davi deu pela primeira vez a Asafe e aos seus colegas levitas a responsabilidade de cantarem louvores a Deus, o SENHOR.

Agradeçam a Deus, o SENHOR, anunciem a sua grandeza e contem às nações as coisas que ele fez.

Cantem a Deus, cantem louvores a ele, falem dos seus atos maravilhosos.

Tenham orgulho daquilo que o Santo Deus tem feito. Que fique alegre o coração de todos os que adoram ao SENHOR!

Procurem a ajuda do SENHOR; estejam sempre na sua presença.

(12-13) Vocês, descendentes de Abraão, servo de Deus, vocês, descendentes de Jacó, o escolhido de Deus, lembrem de tudo o que Deus tem feito, lembrem dos seus grandes e maravilhosos milagres e de como tem condenado os nossos inimigos!

Ele é o SENHOR, nosso Deus; os seus mandamentos são para o mundo inteiro.

Ele sempre lembrará da sua aliança e, por milhares de gerações, cumprirá as suas promessas.

Ele será fiel à aliança feita com Abraão e à promessa que fez com juramento a Isaque.

Deus fez uma aliança com Jacó para sempre, fez com ele uma aliança eterna.

Naquela ocasião Deus disse: “Eu lhe darei a terra de Canaã, e ela será de vocês para sempre.”

Eles eram muito poucos, eram estrangeiros na Terra Prometida.

Andavam de país em país, de reino em reino.

Mas Deus não deixou que ninguém os maltratasse e, para protegê-los, avisou reis.

Ele disse: “Não toquem nos servos que eu escolhi; não maltratem os meus profetas!”

Cantem ao SENHOR, todos os povos da terra. Anunciem todos os dias que ele nos salvou.

Falem da sua glória às nações; contem a todos os povos as coisas maravilhosas que ele tem feito.

O SENHOR é grande e merece todo o nosso louvor; ele deve ser temido mais do que todos os deuses.

Pois os deuses das outras nações são somente ídolos, mas o SENHOR fez os céus.

Ele está cercado de glória e majestade; poder e beleza enchem o seu Templo.

Louvem o SENHOR, todos os povos da terra! Louvem a sua glória e o seu poder.

Dêem ao SENHOR a honra que ele merece; tragam uma oferta e entrem nos pátios do seu Templo. Curvem-se diante do Santo Deus quando ele aparecer;

trema diante dele, toda a terra. A terra está firme no seu lugar e não pode ser abalada.

Alegre-se a terra, e fique contente o céu. Digam em todas as nações: “O SENHOR é Rei!”

Ruja o mar e todas as criaturas que nele vivem. Alegrem-se os campos e tudo o que há neles.

Então as árvores dos bosques gritarão de alegria diante do SENHOR, pois ele vem governar a terra.

Dêem graças ao SENHOR porque ele é bom, e o seu amor dura para sempre.

Digam a ele: “Liberta-nos, ó SENHOR, nosso Salvador! Ajunta-nos e tira-nos do meio dos pagãos. Assim nós te daremos graças e com prazer te louvaremos, ó Santo Deus.”

Louvemos o SENHOR, o Deus de Israel. Louvem o SENHOR agora e sempre. Então todo o povo disse “amém!” e louvou a Deus, o SENHOR.

O rei Davi pôs Asafe e os seus colegas levitas como encarregados permanentes da adoração que era feita no lugar onde a arca da aliança havia sido colocada. Eles deviam cumprir ali os seus deveres todos os dias.

Obede-Edom, filho de Jedutum, e sessenta e oito homens do seu grupo de famílias deviam ser os seus ajudantes. Hosa e Obede-Edom eram os guardas dos portões.

Porém o sacerdote Zadoque e os seus colegas estavam encarregados do culto ao SENHOR Deus no lugar de adoração que ficava em Gibeão.

Todas as manhãs e todas as tardes eles deviam oferecer no altar sacrifícios que seriam completamente queimados, de acordo com o que está escrito na Lei que o SENHOR deu ao povo de Israel.

Estavam ali com eles Hemã e Jedutum e os outros que haviam sido nomeados a fim de cantar louvores ao SENHOR por causa do seu amor que dura para sempre.

Hemã e Jedutum também estavam encarregados das trombetas, dos pratos e dos outros instrumentos que eram tocados para acompanhar os hinos de louvor. Os membros do grupo de famílias de Jedutum estavam encarregados de guardar os portões.

Então todos foram para casa, e Davi também foi, a fim de passar algum tempo com a sua família.

 

1 Cr 17

Davi estava morando no seu palácio. Um dia ele mandou chamar o profeta Natã e disse: — Veja só! Eu estou aqui, morando numa casa revestida de madeira de cedro, mas a arca da aliança está guardada numa barraca!

Natã respondeu: — Faça tudo o que quiser, pois Deus está com o senhor.

Mas naquela noite Deus disse a Natã:

— Vá e diga ao meu servo Davi que eu mandei dizer o seguinte: “Você não é a pessoa que vai construir o templo em que eu vou morar.

Desde o tempo em que tirei o povo de Israel do Egito até hoje, eu não tenho morado em nenhum templo. Tenho sempre morado em barracas e mudado de um lugar para outro.

Em todas as minhas viagens com o povo de Israel, nunca perguntei a nenhum dos líderes que escolhi por que razão eles não construíram para mim um templo revestido de cedro.”

Portanto, diga ao meu servo Davi que eu, o SENHOR Deus Todo-Poderoso, digo o seguinte: “Eu tirei você do trabalho de cuidar de ovelhas nos campos e o fiz rei do meu povo de Israel.

Estive com você em todos os lugares por onde tem ido e o defendi de todos os seus inimigos conforme você foi avançando. Eu farei com que você seja famoso, tão famoso quanto os maiores líderes do mundo.

(9-10) Escolhi um lugar para o meu povo de Israel e o fiz morar ali, num lugar onde eles viverão sem nunca mais serem perseguidos. Desde que entraram nesta terra, eles têm sido atacados por povos violentos, mas isso não acontecerá mais. Prometo derrotar todos os seus inimigos e dar descendentes a você.

E, quando você morrer e for sepultado ao lado dos seus antepassados, eu colocarei um dos seus filhos como rei e tornarei forte o reino dele.

Será ele quem construirá um templo para mim, e eu farei com que os seus descendentes governem para sempre.

Eu serei pai dele, e ele será meu filho. Nunca retirarei dele o meu amor, como fiz com Saul, que foi rei antes de você.

Eu o colocarei como responsável pelo meu povo e pelo meu reino para sempre. A sua descendência real nunca terminará.”

E Natã contou a Davi tudo o que Deus lhe havia revelado.

Então o rei Davi entrou na Tenda Sagrada, sentou-se e orou assim: — Ó SENHOR Deus, eu não mereço tudo aquilo que fizeste por mim no passado, e a minha família também não merece.

E, como se isso ainda fosse pouco, estás fazendo promessas a respeito dos meus descendentes no futuro e tu, ó SENHOR Deus, já me estás tratando como um grande homem.

O que mais posso te dizer? Tu me conheces bem e, no entanto, me honras a mim, teu servo.

Era teu desejo e propósito fazeres isso por mim e me mostrares a minha futura grandeza.

Ó SENHOR, não há ninguém igual a ti; nós sempre soubemos que só tu és Deus.

Não há nenhuma outra nação na terra como o teu povo de Israel, que libertaste para ser o teu próprio povo. As grandes e maravilhosas coisas que fizeste por eles tornaram o teu nome famoso em todo o mundo. Tu libertaste o teu povo do Egito e expulsaste as outras nações conforme o teu povo ia avançando.

Tu fizeste com que o teu povo de Israel fosse teu para sempre e tu, ó SENHOR, te tornaste o seu Deus.

— E agora, ó SENHOR Deus, confirma para sempre a promessa que fizeste a meu respeito e a respeito dos meus descendentes e cumpre o que disseste que ias fazer.

A tua fama será grande, e para sempre as pessoas dirão: “O SENHOR Todo-Poderoso é o Deus de Israel.” E tu farás com que sempre haja reis entre os meus descendentes.

Ó meu Deus, eu tenho coragem para te fazer esta oração porque revelaste a mim, teu servo, que farás com que os meus descendentes sejam reis.

Tu, ó SENHOR, és Deus e me fizeste essa maravilhosa promessa.

Eu te peço que abençoes os meus descendentes para que eles continuem a ter sempre a tua proteção. Tu, ó SENHOR, os tens abençoado, e que a tua bênção esteja com eles para sempre.

 

1 Cr 18

Algum tempo depois, Davi atacou de novo os filisteus e os derrotou. Tomou deles a cidade de Gate e os povoados que ficavam ao seu redor.

Também derrotou os moabitas, que ficaram dominados por ele e lhe pagavam impostos.

Depois Davi atacou Hadadezer, que era o rei de Zoba, na Síria, perto da região de Hamate. Isso aconteceu quando Hadadezer estava tentando conquistar a região que ficava ao longo do rio Eufrates.

Davi tomou de Hadadezer mil carros de guerra e prendeu sete mil cavaleiros e vinte mil soldados de infantaria. Ele também ficou com cavalos suficientes para puxarem cem carros de guerra e aleijou os outros.

Os sírios de Damasco foram socorrer Hadadezer, e Davi os atacou e matou vinte e dois mil deles.

Em seguida colocou acampamentos militares no território dos sírios de Damasco. Davi os dominou, e eles lhe pagavam impostos. O SENHOR Deus fez com que Davi fosse vitorioso em todos os lugares.

Davi tomou dos oficiais de Hadadezer os escudos de ouro que eles usavam e os levou para Jerusalém.

Também tomou uma grande quantidade de bronze das cidades de Tibate e de Cum, que eram governadas por Hadadezer. (Anos mais tarde, Salomão usou esse bronze para fazer o tanque, as colunas e objetos para o Templo.)

O rei Toí, da cidade de Hamate, soube que Davi tinha derrotado todo o exército de Hadadezer.

Então mandou o seu filho Jorão para cumprimentar Davi e para lhe dar os parabéns por ter vencido Hadadezer. Acontece que Toí havia lutado muitas vezes contra Hadadezer. Jorão levou para Davi objetos de prata, de ouro e de bronze.

E o rei Davi os separou para serem usados na adoração a Deus, o SENHOR, juntamente com a prata e o ouro que tinha tomado dos povos que havia conquistado, isto é, os edomitas, os moabitas, os amonitas, os filisteus e os amalequitas.

Abisai, cuja mãe se chamava Zeruia, derrotou os edomitas no vale do Sal e matou dezoito mil deles.

Ele colocou acampamentos militares em todo o país de Edom, e o povo dali ficou debaixo do domínio de Davi. O SENHOR fez com que Davi fosse vitorioso em todos os lugares aonde ia.

Davi governou todo o Israel e fez com que o seu povo fosse sempre tratado com justiça.

Joabe, irmão de Abisai, era o comandante do exército. Josafá, filho de Ailude, era conselheiro do rei.

Zadoque, filho de Aitube, e Aimeleque, filho de Abiatar, eram sacerdotes. Seraías era o escrivão.

Benaías, filho de Joiada, era o chefe dos queretitas e dos peletitas. E os filhos do rei Davi tinham as mais altas posições no seu serviço.

 

1 Cr 19

Algum tempo depois, morreu o rei Naás, do país de Amom, e o seu filho Hanum se tornou rei.

Davi disse: — Eu serei bondoso com Hanum, assim como Naás, o seu pai, foi bondoso comigo. Então enviou mensageiros a Hanum, para mostrar a sua amizade. Quando os mensageiros chegaram lá e visitaram o rei Hanum,

os líderes amonitas disseram a ele: — O senhor pensa que é em honra do seu pai e para mostrar amizade ao senhor que Davi enviou estes homens? É claro que não! Ele os mandou aqui como espiões a fim de ficarem conhecendo a nossa terra, para poderem conquistá-la.

Então Hanum pegou os mensageiros de Davi, raspou a barba deles, cortou as suas roupas até a altura das nádegas e os mandou embora.

Eles ficaram tão envergonhados, que não tinham coragem de voltar para casa. Quando Davi soube disso, mandou lhes dizer que ficassem na cidade de Jericó e que só voltassem quando as suas barbas tivessem crescido de novo.

O rei Hanum e os amonitas compreenderam que tinham feito de Davi um inimigo. Por isso, contrataram na Mesopotâmia e em Maacá e Zoba, na Síria, carros de guerra e soldados de cavalaria. Pagaram para isso mais de trinta e quatro mil quilos de prata.

Os trinta e dois mil carros de guerra que eles haviam contratado e o exército do rei de Maacá foram e acamparam perto da cidade de Medeba. Os amonitas também saíram de todas as suas cidades e se aprontaram para a guerra.

Quando Davi soube disso, enviou contra eles Joabe e todo o exército israelita.

Os amonitas saíram e tomaram posição na entrada de Rabá, a sua capital; e os reis que haviam ido ajudá-los tomaram posição em campo aberto.

Joabe viu que as tropas inimigas atacariam pela frente e por trás. Então escolheu os melhores soldados de Israel e os colocou de frente para os sírios.

Deixou o resto das suas tropas debaixo do comando do seu irmão Abisai, que as colocou de frente para os amonitas.

E Joabe disse a Abisai: — Se você perceber que os sírios estão me vencendo, venha me ajudar; e, se os amonitas estiverem vencendo você, eu irei ajudá-lo.

Seja corajoso! Vamos lutar com firmeza pelo nosso povo e pelas cidades do nosso Deus. E que seja feita a vontade de Deus, o SENHOR!

Então Joabe e os seus soldados avançaram para atacar, e os sírios fugiram.

Os amonitas viram os sírios fugindo, e aí eles também fugiram de Abisai, e voltaram para dentro da cidade. Então Joabe voltou para Jerusalém.

Quando os sírios viram que tinham sido vencidos pelos israelitas, mandaram buscar tropas que estavam no lado leste do rio Eufrates. Essas tropas eram dirigidas por Sobaque, o comandante do exército do rei Hadadezer, de Zoba.

Quando Davi soube disso, reuniu o exército israelita, atravessou o rio Jordão e colocou as tropas de frente para os sírios. A luta começou,

e os israelitas fizeram os sírios fugir. Davi e o seu exército mataram sete mil soldados sírios que guiavam carros de guerra e quarenta mil soldados de infantaria. Também mataram Sobaque, o comandante sírio.

Quando os reis que eram chefiados por Hadadezer viram que tinham sido vencidos pelos israelitas, fizeram paz com Davi, ficando debaixo do seu poder. E os sírios nunca mais quiseram ajudar os amonitas.

 

1 Cr 20

Na primavera seguinte, na época do ano em que os reis costumam sair para a guerra, Joabe saiu com o seu exército e invadiu o país de Amom. Porém o rei Davi ficou em Jerusalém. O exército israelita cercou, atacou e destruiu a cidade de Rabá.

Moloque, o ídolo dos amonitas, tinha uma coroa que pesava mais ou menos trinta e quatro quilos. A coroa era de ouro, e nela havia uma pedra preciosa, que Davi tirou e colocou na sua própria coroa. Davi levou também de Rabá muitas coisas de valor.

Ele fez o povo sair da cidade e o obrigou a trabalhar com serras, enxadas e machados. Fez o mesmo em todas as outras cidades de Amom. Então Davi e os seus soldados voltaram para Jerusalém.

Algum tempo depois, houve guerra contra os filisteus em Gezer. Isso aconteceu quando Sibecai, da cidade de Husa, matou um gigante chamado Sipai, e os filisteus foram derrotados.

Houve outra batalha contra os filisteus, e Elanã, filho de Jair, matou Lami, irmão de Golias, da cidade de Gate. A lança de Lami era enorme, muito grossa e pesada.

E houve ainda outra batalha em Gate. Ali havia um descendente dos antigos gigantes que tinha seis dedos em cada mão e em cada pé.

Esse gigante desafiou os israelitas, e Jônatas, filho de Siméia, irmão de Davi, o matou.

Esses três, que foram mortos por Davi e os seus soldados, eram descendentes dos gigantes da cidade de Gate.

 

1 Cr 21

Satanás quis criar problemas para o povo de Israel e por isso levou Davi a fazer uma contagem do povo.

Davi deu a Joabe e aos outros oficiais a seguinte ordem: — Vão por toda a terra de Israel, desde o Norte até o Sul, e façam a contagem do povo. Eu quero saber quantos somos.

Mas Joabe respondeu: — Que o SENHOR, nosso Deus, faça o povo de Israel cem vezes mais numeroso do que é agora! Ó rei, todos eles são seus servidores. Por que é que o senhor quer fazer isso e tornar culpada toda a nossa nação?

Mas o rei fez com que Joabe obedecesse à sua ordem. Então Joabe saiu, viajou por toda a terra de Israel e depois voltou para Jerusalém.

Ele informou ao rei Davi que o total de homens capazes para o serviço militar era o seguinte: um milhão e cem mil em Israel e quatrocentos e setenta mil em Judá.

Mas Joabe desaprovava a ordem do rei e por isso não fez a contagem nas tribos de Levi e Benjamim.

O que foi feito desagradou a Deus, e por isso ele castigou o povo de Israel.

Então Davi disse: — Ó Deus, eu cometi um pecado terrível quando mandei contar o povo. Por favor, perdoa-me! O que fiz foi uma loucura.

Então o SENHOR Deus disse a Gade, o profeta de Davi:

— Vá e diga a Davi que eu dou a ele o direito de escolher uma de três coisas; aquilo que ele escolher eu farei.

(11-12) Gade foi falar com Davi, contou o que o SENHOR tinha dito e disse: — Você pode escolher uma destas três coisas: três anos de fome, três meses fugindo dos exércitos dos seus inimigos ou três dias nos quais o SENHOR atacará você com a espada dele, mandando peste para a terra de Israel e usando o seu anjo para trazer a morte por todo o país. O que você prefere? Que resposta devo dar a Deus?

Davi respondeu: — Estou desesperado; porém não quero ser castigado por homens. Que o próprio SENHOR me castigue porque ele é misericordioso!

Então Deus mandou que uma peste caísse sobre o povo de Israel, e morreram setenta mil israelitas.

Depois mandou um anjo para destruir a cidade de Jerusalém, mas mudou de idéia e disse ao anjo: — Pare! Já chega! O anjo estava perto do terreiro de malhar cereais que pertencia a Araúna, o jebuseu.

Davi olhou e viu o anjo no ar, segurando a sua espada, pronto para destruir Jerusalém. Então Davi e os líderes do povo, todos eles vestindo roupas feitas de pano grosseiro, ajoelharam-se e encostaram o rosto no chão.

Aí Davi orou assim: — Ó Deus, fui eu que errei. Fui eu quem mandou fazer o recenseamento. O que foi que essa pobre gente fez? Ó SENHOR, meu Deus, castiga a mim e a minha família e poupa o teu povo!

Então o anjo do SENHOR disse a Gade que mandasse Davi construir um altar para Deus no terreiro de malhar cereais que pertencia a Araúna.

Davi obedeceu à ordem do SENHOR e foi, como Gade lhe tinha dito.

Ali, no terreiro, Araúna e os seus quatro filhos estavam malhando trigo. Quando viram o anjo, os filhos fugiram e se esconderam.

Ao ver Davi chegando, Araúna saiu do terreiro, ajoelhou-se e encostou o rosto no chão.

Então Davi lhe disse: — Quero que você me venda o seu terreiro de malhar cereais a fim de que eu construa nele um altar para Deus, o SENHOR, e assim a peste acabe. Eu pagarei um preço justo por ele.

Araúna disse: — Fique com o terreiro e faça com ele o que quiser. Aqui estão estes bois para serem queimados em sacrifício no altar, as tábuas de debulhar cereais para serem usadas como lenha e também trigo para dar como oferta. Eu lhe dou tudo isso.

Mas Davi respondeu: — Isso não! Eu pagarei o preço justo. Não vou dar como oferta ao SENHOR coisas que são de você, coisas que não me custaram nada.

E pagou a Araúna quase sete quilos de ouro pelo terreiro.

Então construiu ali um altar para Deus e ofereceu sacrifícios que foram completamente queimados e ofertas de paz. Ele orou, e Deus respondeu, mandando fogo do céu para queimar os sacrifícios que estavam no altar.

O SENHOR Deus mandou que o anjo colocasse a sua espada na bainha, e ele obedeceu.

Naquele instante Davi entendeu que Deus havia respondido à sua oração e por isso ofereceu sacrifícios no altar do terreiro de malhar cereais.

Naquele tempo a Tenda da Presença de Deus, que Moisés havia feito no deserto, e o altar onde os sacrifícios eram queimados ainda estavam no lugar de adoração que ficava em Gibeão.

Mas Davi não podia ir até lá para adorar a Deus porque estava com medo da espada do anjo do SENHOR.

 

1 Cr 22

Então Davi disse: — Neste lugar será construído o Templo de Deus, o SENHOR. Neste altar o povo de Israel deverá apresentar sacrifícios que serão completamente queimados.

Davi mandou que fossem reunidos todos os estrangeiros que moravam em Israel e os pôs para trabalhar. Alguns deles preparavam blocos de pedra para a construção do Templo.

Davi ajuntou uma grande quantidade de ferro para fazer pregos e braçadeiras para os portões de madeira e ajuntou tanto bronze, que não foi possível pesar.

Mandou que o povo de Tiro e de Sidom lhe trouxesse uma grande quantidade de toras de cedro.

Davi pensou assim: “O templo que o meu filho Salomão vai construir deverá ser esplêndido e famoso no mundo inteiro. Mas ele é jovem e sem experiência; por isso, eu preciso ajuntar o material necessário para a construção.” Por isso, Davi, antes de morrer, ajuntou uma grande quantidade de material.

Ele mandou chamar o seu filho Salomão e ordenou que ele construísse um templo para o SENHOR, o Deus de Israel.

Davi disse: — Meu filho, eu quis construir um templo em honra do SENHOR, meu Deus.

Mas ele disse que eu havia matado muita gente e feito muitas guerras. Portanto, por causa de todo o derramamento de sangue que eu causei, ele não me deixaria construir um templo para ele.

Porém Deus me fez uma promessa. Ele disse: “Você terá um filho que governará em paz porque eu farei com que ele viva em paz com todos os seus inimigos. O seu nome será Salomão porque durante o seu reinado eu darei paz e segurança ao povo de Israel.

Ele construirá um templo para mim. Ele será meu filho, e eu serei seu pai. Os seus descendentes governarão Israel para sempre.”

Davi continuou: — Agora, meu filho, que o SENHOR, seu Deus, esteja com você para que você consiga construir um templo para ele, conforme ele prometeu que você faria.

E que o SENHOR, seu Deus, lhe dê inteligência e sabedoria para que você possa governar o povo de Israel de acordo com a Lei dele!

Se você obedecer a todas as leis que o SENHOR deu a Moisés para o povo de Israel, tudo irá bem para você. Seja firme e corajoso; não desanime, nem tenha medo.

Quanto ao Templo, com muito esforço eu ajuntei mais de três mil e quatrocentas toneladas de ouro e mais de trinta e quatro mil toneladas de prata para serem usados na construção. Além disso, há uma quantidade tão grande de bronze e ferro, que nem dá para contar. Também armazenei madeira e pedras preparadas, mas você deve arranjar mais.

Para o serviço você tem muitos trabalhadores. Há homens para trabalhar nas pedreiras, e há carpinteiros e pedreiros, e também uma grande quantidade de especialistas em todo tipo de trabalho

em ouro, prata, bronze e ferro. Portanto, mãos à obra, e que o SENHOR Deus o ajude!

Davi ordenou a todos os líderes de Israel que ajudassem Salomão.

Ele disse: — O SENHOR, nosso Deus, tem estado com vocês e lhes tem dado paz por todos os lados. Ele deixou que eu conquistasse todos os povos que moravam nesta terra, e agora eles são dominados por vocês e por Deus.

Portanto, sirvam o SENHOR, seu Deus, com todo o coração e alma. Comecem a construir o Templo para que possam colocar nele a arca da aliança do SENHOR e os outros objetos usados na sua adoração.

 

1 Cr 23

Quando já estava bem velho, Davi pôs o seu filho Salomão como rei de Israel.

O rei Davi reuniu todos os líderes israelitas e todos os sacerdotes e levitas.

Foram contados os levitas de trinta anos para cima, e o total foi de trinta e oito mil homens.

O rei nomeou vinte e quatro mil deles para administrarem o trabalho de construção do Templo. Nomeou também seis mil para fazerem a escrita e resolverem os problemas que surgissem.

E ainda nomeou quatro mil para serem guardas dos portões e quatro mil para louvarem o SENHOR com os instrumentos que o próprio rei tinha mandado fazer para isso.

Davi dividiu os levitas de acordo com os seus três grupos de famílias, que descendiam de Gérson, Coate e Merari.

Gérson foi pai de dois filhos: Ladã e Simei.

Ladã foi pai de três filhos: Jeiel, Zetã e Joel,

que foram os chefes dos grupos de famílias descendentes de Ladã. (Simei foi pai de três filhos: Selomite, Haziel e Harã.)

(10-11) Simei foi pai de quatro filhos: Jaate, Ziza, Jeús e Berias, pela ordem de idade. Jeús e Berias não tiveram muitos descendentes e por isso foram contados como um só grupo de famílias.

Coate foi pai de quatro filhos: Anrão, Isar, Hebrom e Uziel.

Anrão, o filho mais velho, foi o pai de Arão e Moisés. (Arão e os seus descendentes foram separados para sempre a fim de tomar conta dos objetos sagrados, para queimarem incenso na adoração a Deus, o SENHOR, para o servirem e para abençoarem o povo em seu nome.

Mas os filhos de Moisés, homem de Deus, foram contados entre os levitas.)

Moisés foi pai de dois filhos: Gérson e Eliézer.

O líder dos filhos de Gérson foi Sebuel.

Eliézer foi pai de somente um filho, chamado Reabias, mas Reabias teve muitos descendentes.

Isar, o segundo filho de Coate, foi pai de um filho chamado Selomite, que foi o chefe do seu grupo de famílias.

Hebrom, o terceiro filho de Coate, foi pai de quatro filhos: Jerias, Amariá, Jaaziel e Jecameão.

Uziel, o quarto filho de Coate, foi pai de dois filhos: Mica e Issias.

Merari foi pai de dois filhos: Mali e Musi. Mali também foi pai de dois filhos: Eleazar e Quis,

mas Eleazar morreu sem deixar nenhum filho homem; só deixou filhas. Estas casaram com os primos, os filhos de Quis.

Musi, o segundo filho de Merari, foi pai de três filhos: Mali, Éder e Jerimote.

Foram estes os descendentes de Levi, por famílias e por grupos de famílias, registrados nome por nome. Todos os seus descendentes da idade de vinte anos para cima eram responsáveis pelos serviços do Templo de Deus, o SENHOR.

Davi disse: — O SENHOR, o Deus de Israel, tem dado paz ao seu povo e morará em Jerusalém para sempre.

Por isso, os levitas não precisam mais carregar a Tenda da Presença de Deus nem os objetos usados na adoração.

Assim, de acordo com as últimas ordens de Davi, quando completavam vinte anos de idade, os levitas eram registrados para o serviço.

Então eram escalados para ajudar os sacerdotes descendentes de Arão na adoração no Templo, para cuidar dos seus pátios e salas e para conservar puro tudo o que era sagrado;

para serem responsáveis pelos pães oferecidos a Deus, pela farinha de trigo usada nas ofertas, pelos pães achatados feitos sem fermento, pelas ofertas assadas em frigideiras e pela farinha de trigo misturada com azeite. Eram também encarregados de pesar e medir as ofertas para o Templo;

de louvar e glorificar o SENHOR todas as manhãs e todas as tardes

e sempre que as ofertas a Deus eram queimadas no sábado, na Festa da Lua Nova e em outras festas. Foram feitas regras a respeito do número de levitas escalados de cada vez para fazerem esse trabalho. Eles ficaram encarregados para sempre da adoração ao SENHOR.

Eles receberam a responsabilidade de cuidar da Tenda da Presença de Deus e de ajudar os seus parentes, os sacerdotes descendentes de Arão, na adoração no Templo.

 

1 Cr 24

São estes os grupos aos quais pertenciam os descendentes de Arão. Arão foi pai de quatro filhos: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar.

Nadabe e Abiú morreram antes do seu pai; eles não deixaram filhos, e por isso os seus irmãos Eleazar e Itamar se tornaram sacerdotes.

O rei Davi organizou os descendentes de Arão de acordo com os seus deveres. Foi ajudado nesse trabalho por Zadoque, que era descendente de Eleazar, e por Aimeleque, que era descendente de Itamar.

Os descendentes de Eleazar foram divididos em dezesseis grupos, e os descendentes de Itamar foram divididos em oito. Isso foi feito assim porque entre os descendentes de Eleazar havia um número maior de chefes de famílias.

Como havia oficiais do Templo e líderes espirituais tanto entre os descendentes de Eleazar como entre os de Itamar, eles foram divididos por sorteio.

Os descendentes de Eleazar e de Itamar eram sorteados alternadamente, e os seus nomes foram escritos num livro pelo escrivão Semaías, filho de Netanel. Foram testemunhas o rei, os seus oficiais, o sacerdote Zadoque, Aimeleque, filho de Abiatar, e os chefes das famílias de sacerdotes e das famílias de levitas.

Depois de tirada a sorte, os vinte e quatro grupos receberam os seus turnos na seguinte ordem: (1) Jeoiaribe; (2) Jedaías;

(3) Harim; (4) Seorim;

(5) Malquias; (6) Miamim;

(7) Hacoz; (8) Abias;

(9) Jesua; (10) Secanias;

(11) Eliasibe; (12) Jaquim;

(13) Hupá; (14) Jesebeabe;

(15) Bilga; (16) Imer;

(17) Hezir; (18) Hapises;

(19) Petaías; (20) Jeezquel;

(21) Jaquim; (22) Gamul;

(23) Delaías; (24) Maazias.

Os nomes desses homens foram escritos num livro, de acordo com os seus turnos, para entrarem no Templo e cumprirem os deveres conforme as regras deixadas por Arão, o seu antepassado, conforme o SENHOR, o Deus de Israel, lhe havia ordenado.

São estes os outros chefes de famílias dos descendentes de Levi: Jedias, descendente de Anrão através de Sebuel;

Issias, descendente de Reabias;

Jaate, descendente de Isar através de Selomite;

Jerias, Amariá, Jaaziel e Jecameão, filhos de Hebrom, por ordem de idade;

Samir, descendente de Uziel, através de Mica;

Zacarias, descendente de Uziel, através de Issias, irmão de Mica;

Mali, Musi e Jaazias, descendentes de Merari.

Jaazias foi pai de três filhos: Soão, Zacur e Ibri.

(28-29) Mali foi pai de dois filhos: Eleazar e Quis. Eleazar não deixou filhos, porém Quis foi pai de um filho chamado Jerameel.

Musi foi pai de três filhos: Mali, Éder e Jerimote. Eram estas as famílias dos levitas.

O chefe de cada família e um dos seus irmãos mais novos tiraram sortes para serem escalados como haviam feito os seus parentes, os sacerdotes descendentes de Arão. Foram testemunhas o rei Davi, Zadoque, Aimeleque e os chefes de famílias de sacerdotes e de levitas.

 

1 Cr 25

O rei Davi e os líderes dos levitas escolheram os seguintes grupos de famílias de levitas para dirigirem os cultos de adoração: Asafe, Hemã e Jedutum. Eles deviam anunciar as mensagens de Deus, acompanhados por música de harpas, liras e pratos. Esta é a lista dos homens escolhidos para este serviço:

Os quatro filhos de Asafe: Zacur, José, Netanias e Asarela. Quem os dirigia era Asafe, que anunciava as mensagens de Deus quando o rei mandava.

Os seis filhos de Jedutum: Gedalias, Zeri, Jesaías, Simei, Hasabias e Matitias. Dirigidos pelo seu pai, eles anunciavam a mensagem de Deus, acompanhados por música de liras, e cantavam louvores e agradecimentos a Deus, o SENHOR.

Os catorze filhos de Hemã: Buquias, Matanias, Uziel, Sebuel, Jerimote, Hananias, Hanani, Eliata, Gidalti, Romanti-Ézer, Josbecasa, Maloti, Hotir e Maaziote.

Deus deu a Hemã, o profeta do rei, esses catorze filhos e também três filhas, conforme havia prometido, a fim de dar poder a Hemã.

Todos os seus filhos cantavam nos serviços religiosos do Templo, tocando pratos, liras e harpas. Quem os dirigia era o pai. Asafe, Jedutum e Hemã estavam debaixo das ordens do rei.

Os músicos treinados para tocar instrumentos e cantar louvores a Deus, o SENHOR, eram duzentos e oitenta e oito ao todo.

Para organizar os turnos de serviço, todos eles tiraram sortes, tanto os jovens como os velhos, os já treinados e os principiantes.

Esses duzentos e oitenta e oito homens foram divididos de acordo com as suas famílias em vinte e quatro grupos de doze, cada grupo com um chefe. Esta é a ordem dos seus turnos de serviço: (1) José, da família de Asafe; (2) Gedalias;

(3) Zacur;

(4) Zeri;

(5) Netanias;

(6) Buquias;

(7) Jesarela;

(8) Jesaías;

(9) Matanias;

(10) Simei;

(11) Uziel;

(12) Hasabias;

(13) Sebuel;

(14) Matitias;

(15) Jerimote;

(16) Hananias;

(17) Josbecasa;

(18) Hanani;

(19) Maloti;

(20) Eliata;

(21) Hotir;

(22) Gidalti;

(23) Maaziote;

(24) Romanti-Ézer.

 

1 Cr 26

Segue a lista dos levitas que foram escalados para trabalhar como guardas do Templo: Meselemias, filho de Coré, da família de Asafe e do grupo de famílias de Corá.

Ele foi pai de sete filhos, que foram os seguintes, por ordem de idade: Zacarias, Jediael, Zebadias, Jatniel,

Elão, Joanã e Elioenai.

(4-5) Obede-Edom, a quem Deus abençoou dando oito filhos. Eles foram os seguintes, por ordem de idade: Semaías, Jeozabade, Joá, Sacar, Netanel, Amiel, Issacar e Peuletai.

(6-7) Semaías, o filho mais velho de Obede-Edom, foi pai de seis filhos: Otni, Rafael, Obede, Elzabade, Eliú e Semaquias. Por serem valentes, todos eles eram importantes no seu grupo de famílias; e os dois últimos eram ainda mais valentes do que os outros.

A família de Obede-Edom forneceu sessenta e dois homens valentes e fortes para trabalharem como guardas do Templo.

A família de Meselemias forneceu dezoito homens valentes.

Do grupo de famílias de Merari havia Hosa, que foi pai de quatro filhos: Sinri, que foi posto pelo seu pai como chefe, embora não fosse o filho mais velho;

Hilquias, Tebalias e Zacarias. Ao todo, treze membros da família de Hosa eram guardas do Templo.

Os guardas do Templo foram divididos em grupos, de acordo com as suas famílias, e receberam tarefas no serviço do Templo, como os outros levitas.

Fizeram um sorteio entre as famílias, tanto grandes como pequenas, e assim cada uma foi escalada para tomar conta de um portão.

Selemias recebeu por sorteio o portão leste, e o seu filho Zacarias, que sempre dava bons conselhos, recebeu o portão norte.

Obede-Edom foi sorteado para o portão sul, e os seus filhos foram sorteados para tomar conta dos depósitos.

Supim e Hosa receberam por sorteio o portão oeste e o portão de Salequete, na estrada de cima. O serviço dos guardas foi dividido do seguinte modo:

cada dia havia seis guardas no leste, quatro no norte e quatro no sul. Quatro guardas ficavam nos depósitos: dois em cada um.

No pátio oeste ficavam quatro guardas perto da estrada, e dois no pátio propriamente dito.

Assim ficaram repartidas as tarefas dos guardas que pertenciam ao grupo de famílias de Corá e de Merari.

Outros dos seus irmãos levitas estavam encarregados do tesouro do Templo e dos depósitos onde ficavam guardados os presentes oferecidos a Deus.

Ladã, um dos filhos de Gérson, foi o antepassado de muitos grupos de famílias, entre eles a família do seu filho Jeieli.

Zetã e Joel, os outros dois filhos de Ladã, estavam encarregados do tesouro e dos depósitos do Templo.

Os descendentes de Anrão, Isar, Hebrom e Uziel também receberam tarefas.

Sebuel, do grupo de famílias de Gérson, filho de Moisés, era o oficial encarregado do tesouro do Templo.

Ele era aparentado com Selomite através de Eliézer, irmão de Gérson. Eliézer foi pai de Reabias, Reabias foi pai de Jesaías, Jesaías foi pai de Jorão, Jorão foi pai de Zicri, e Zicri foi pai de Selomite.

Selomite e os membros da sua família estavam encarregados de todos os presentes oferecidos a Deus pelo rei Davi, pelos chefes de famílias, pelos líderes de grupos de famílias e pelos oficiais do exército.

Esses presentes eram coisas tomadas dos inimigos na guerra e separadas para serem usadas no Templo.

Selomite e a sua família estavam encarregados de tudo aquilo que havia sido dedicado para ser usado no Templo. No meio dessas coisas estavam os presentes dados pelo profeta Samuel, pelo rei Saul, por Abner, filho de Ner, e por Joabe, cuja mãe se chamava Zeruia.

Quenanias e os seus filhos, que eram descendentes de Isar, estavam encarregados de escrever o que acontecia e de resolver as questões que surgiam no meio do povo de Israel.

Hasabias e mil e setecentos dos seus parentes, todos eles homens de valor, eram descendentes de Hebrom. Eles foram encarregados de cuidar de todos os assuntos, tanto os religiosos como os da vida comum em Israel, no lado oeste do rio Jordão.

Jerias era o chefe dos descendentes de Hebrom. No ano quarenta do reinado de Davi, foi feita uma pesquisa nas listas de famílias dos descendentes de Hebrom. E foram encontrados morando em Jazer, na região de Gileade, soldados de grande coragem que pertenciam à família de Hebrom.

Entre os parentes de Jerias, o rei Davi escolheu dois mil e setecentos chefes de famílias, homens de valor, e os encarregou de cuidar de todos os assuntos, tanto os religiosos como os da vida comum em Israel, no lado leste do rio Jordão, isto é, nos territórios de Rúben, Gade e Manassés do Leste.

 

1 Cr 27

Esta é a lista dos israelitas chefes de famílias e líderes de grupos de famílias e os seus oficiais que prestavam serviço militar no reino. Cada mês do ano um grupo diferente de vinte e quatro mil homens estava de serviço, dirigidos pelo comandante daquele mês.

Os comandantes de cada mês eram os seguintes: Primeiro mês: Jasobeão, filho de Zabdiel.

Ele era do grupo de famílias de Peres, uma parte da tribo de Judá.

Segundo mês: Dodai, descendente de Aoí. Miclote era o seu ajudante no comando.

Terceiro mês: Benaías, filho do sacerdote Joiada.

Benaías era o líder do grupo chamado “Os Trinta”, e o seu filho Amizabade ficou no lugar dele como comandante desse grupo.

Quarto mês: Asael, irmão de Joabe. Depois o seu filho Zebadias ficou no lugar dele.

Quinto mês: Samute, descendente de Isar.

Sexto mês: Ira, filho de Iques, da cidade de Tecoa.

Sétimo mês: Heles, da tribo de Efraim, que era da cidade de Pelom.

Oitavo mês: Sibecai, da cidade de Husa, que era do grupo de famílias de Zera, uma parte da tribo de Judá.

Nono mês: Abiezer, da cidade de Anatote, no território da tribo de Benjamim.

Décimo mês: Maarai, da cidade de Netofa, que era do grupo de famílias de Zera.

Décimo primeiro mês: Benaías, da cidade de Piratom, que ficava no território da tribo de Efraim.

Décimo segundo mês: Heldai, da cidade de Netofa, que era descendente de Otoniel.

Esta é a lista dos chefes das tribos de Israel: (Tribo- Chefe) Rúben- Eliézer, filho de Zicri; Simeão- Sefatias, filho de Maacá;

Levi- Hasabias, filho de Quemuel; Arão- Zadoque;

Judá- Eliú, irmão do rei Davi; Issacar- Onri, filho de Micael;

Zebulom- Ismaías, filho de Obadias; Naftali- Jerimote, filho de Azriel;

Efraim- Oséias, filho de Azazias; Manassés do Oeste- Joel, filho de Pedaías;

Manassés do Leste- Ido, filho de Zacarias; Benjamim- Jaaziel, filho de Abner;

Dã- Azarel, filho de Jeroão.

O rei Davi não contou os homens que tinham menos de vinte anos, pois Deus havia prometido fazer o povo de Israel tão numeroso como as estrelas do céu.

Joabe, cuja mãe se chamava Zeruia, começou a fazer um recenseamento, porém não terminou. Deus castigou o povo de Israel por causa desse recenseamento. Por isso, o número total não foi escrito nos registros oficiais do rei Davi.

Esta é a lista dos que cuidavam das propriedades do rei: Depósitos do rei: Azmavete, filho de Adiel. Depósitos nos campos, nas cidades, nos povoados e nas fortalezas: Jônatas, filho de Uzias.

Trabalhadores do campo: Ezri, filho de Quelube.

Plantações de uvas: Simei, da cidade de Ramá. Depósitos de vinho: Zabdi, da cidade de Sefã.

Plantações de oliveiras e de figueiras que havia nas planícies de Judá: Baal-Hanã, de Gedera. Depósitos de azeite: Joás.

Gado que pastava na planície de Sarom: Sitrai, da cidade de Sarom. Gado que pastava nos vales: Safate, filho de Adlai.

Camelos: Obil, que era ismaelita. Jumentos: Jedias, da cidade de Meronote.

Ovelhas e cabras: Jaziz, que era de uma tribo hagarita.

Jônatas, tio de Davi, um homem sábio e instruído, era escrivão. Ele e Jeiel, filho de Hacmoni, estavam encarregados da educação dos filhos do rei.

Aitofel era conselheiro do rei, e Husai, o arquita, era amigo do rei e seu conselheiro.

Depois que Aitofel morreu, Abiatar e Joiada, filhos de Benaías, se tornaram conselheiros. Joabe era o comandante do exército do rei.

 

1 Cr 28

O rei Davi ordenou que todas as autoridades de Israel se reunissem na cidade de Jerusalém. Portanto, se reuniram em Jerusalém todos os chefes das tribos, os oficiais que cuidavam dos negócios do reino, os chefes dos grupos de famílias, os administradores das propriedades e de todo o gado que pertenciam ao rei e aos seus filhos e também os funcionários do palácio, os oficiais superiores do exército e outros homens importantes.

Então Davi ficou de pé na frente deles e disse: — Povo da minha terra, meus irmãos, escutem! Eu quis construir uma casa onde ficasse guardada para sempre a arca da aliança, que é o estrado dos pés do SENHOR, nosso Deus. Eu havia feito preparativos para construir um templo em sua honra,

mas ele me proibiu de construí-lo porque sou soldado e fiz correr muito sangue.

O SENHOR, o Deus de Israel, escolheu a mim e aos meus descendentes a fim de governarmos o povo de Israel para sempre. Pois ele escolheu a tribo de Judá para que dela saíssem os reis; da tribo de Judá ele preferiu a família do meu pai; e entre os filhos do meu pai ele me escolheu para me fazer rei de todo o povo de Israel.

Ele me deu muitos filhos e entre todos eles escolheu Salomão para governar Israel, o reino do SENHOR.

E Davi continuou: — Deus me disse: “O seu filho Salomão é quem irá construir o meu Templo. Eu o escolhi para ser meu filho e serei pai dele.

Se ele continuar a obedecer a todas as minhas leis e mandamentos, como tem feito até hoje, eu firmarei o seu reino para sempre”.

Davi disse também: — Portanto, agora, na presença do nosso Deus e desta assembléia de todo o povo de Israel, o povo do SENHOR, eu recomendo a vocês que obedeçam cuidadosamente a tudo o que o SENHOR, nosso Deus, ordenou, para que esta boa terra continue a ser de vocês e para que vocês possam deixá-la como herança aos seus filhos para sempre.

E a Salomão ele disse: — Meu filho, reconheça o Deus do seu pai e sirva-o com todo o coração e de livre e espontânea vontade. Ele conhece todos os seus pensamentos e desejos. Se você o procurar, ele o aceitará; mas, se o abandonar, ele o rejeitará para sempre.

Você deve compreender que o SENHOR o escolheu para construir o seu santo Templo. Portanto, seja forte e mãos à obra!

Davi entregou a Salomão a planta de todos os prédios do Templo, dos depósitos, de todas as salas e do Lugar Santíssimo, onde os pecados são perdoados.

Deu também as plantas de tudo o que tinha planejado para os pátios e as salas que deveriam ficar ao seu redor e as plantas dos depósitos onde seriam guardados os objetos do Templo e as ofertas dedicadas a Deus.

Davi também deu a Salomão por escrito a maneira de organizar os sacerdotes e levitas no cumprimento dos seus deveres, para fazer o trabalho do Templo e para cuidar de todos os objetos do Templo.

O plano determinava o peso da prata e do ouro que deveriam ser usados para fazer os objetos do Templo,

para fazer cada lamparina e candelabro,

as mesas de prata e cada uma das mesas de ouro onde seriam colocados os pães oferecidos a Deus.

Também determinava o peso do ouro puro que deveria ser usado para fazer os garfos, as bacias e as jarras, o peso da prata e do ouro para fazer os pratos

e o peso do ouro puro que deveria ser usado para fazer o altar onde o incenso é queimado e para fazer o carro onde seriam colocados os querubins, que com as asas estendidas cobrem a arca da aliança de Deus, o SENHOR.

O rei Davi disse: — Tudo o que está nestas plantas foi escrito de acordo com as instruções que o SENHOR me deu, explicando como tudo deve ser feito.

E disse ao seu filho Salomão: — Seja forte e corajoso e mãos à obra! Não desanime, nem tenha medo, pois o SENHOR, meu Deus, estará com você. Ele não o abandonará, mas ficará com você até terminarem todas as obras da construção do Templo.

Os sacerdotes e os levitas foram escalados para cuidar dos serviços do Templo. Trabalhadores que sabem fazer todos os tipos de serviço estão prontos para ajudá-lo, e todo o povo e os seus líderes estão às suas ordens.

 

1 Cr 29

Depois o rei Davi disse a todo o povo: — O meu filho Salomão é o único a quem Deus escolheu, mas ele ainda é jovem e sem experiência. O trabalho a ser feito é enorme porque não se trata da construção de um palácio onde vão morar pessoas, mas de um templo para Deus, o SENHOR.

Para construir o Templo do meu Deus, preparei com todo o esforço o material necessário, isto é, ouro, prata, bronze, ferro, madeira, pedras de ônix, pedras preciosas, pedras de várias cores para os mosaicos e muito mármore.

Mas, além de todos os preparativos que fiz para o Templo, dei também prata e ouro que me pertencem, pois amo o Templo do meu Deus.

Dei mais de cem toneladas do mais puro ouro e duzentos e quarenta toneladas de prata pura para revestir as paredes do Templo

e para todos os objetos que os artesãos vão fazer. Agora, quem está disposto a dar ofertas ao SENHOR Deus por vontade própria?

Então os chefes dos grupos de famílias, as autoridades das tribos, os oficiais do exército e os administradores das propriedades do rei deram de livre vontade

para a obra do Templo o seguinte: mais de cento e setenta toneladas de ouro, dez mil barras de ouro, trezentas e quarenta toneladas de prata, seiscentas e quinze toneladas de bronze e três mil quatrocentas e vinte toneladas de ferro.

Aqueles que tinham pedras preciosas deram essas pedras para o tesouro do Templo, que era administrado por Jeiel, do grupo de famílias levitas de Gérson.

O povo deu de boa vontade ofertas a Deus, o SENHOR, e eles ficaram alegres porque havia sido dado tanto. O rei Davi também ficou muito feliz.

Então, ali em frente de todo o povo, o rei Davi louvou a Deus, o SENHOR. Ele disse: — Ó SENHOR, Deus do nosso antepassado Jacó, bendito sejas para sempre!

Tu és grande e poderoso, glorioso, esplêndido e majestoso. Tudo o que existe no céu e na terra pertence a ti; tu és o Rei, o supremo governador de tudo.

Toda a riqueza e prosperidade vêm de ti; tu governas todas as coisas com o teu poder e a tua força e podes tornar grande e forte qualquer pessoa.

Agora, nosso Deus, nós te agradecemos e louvamos o teu nome glorioso.

— No entanto, o meu povo e eu não podemos, de fato, te dar nada, pois tudo vem de ti, e nós somente devolvemos o que já era teu.

Tu sabes, ó SENHOR, que tanto os nossos antepassados como nós passamos pela vida como estrangeiros, como pessoas que estão de passagem. Os nossos dias são como uma sombra que passa, e não podemos escapar da morte.

Ó SENHOR, nosso Deus, nós trouxemos toda esta riqueza a fim de construir um templo para honrar o teu santo nome, mas tudo isso veio de ti, e tudo é teu.

Eu sei que tu pões à prova os corações e amas as pessoas corretas. Com honestidade e sinceridade, eu te dei de livre vontade tudo isso e vejo com alegria que o teu povo, que está reunido aqui, trouxe de boa vontade ofertas a ti.

Ó SENHOR, Deus dos nossos antepassados Abraão, Isaque e Jacó, conserva para sempre no coração do teu povo esta disposição e este pensamento e guarda-o fiel a ti.

Dá ao meu filho Salomão o desejo de obedecer com todo o coração a todos os teus mandamentos e ordens e a vontade de construir o Templo para o qual fiz estes preparativos.

Então Davi disse a todo o povo: — Louvem o SENHOR, nosso Deus! E todo o povo louvou o SENHOR, o Deus dos seus antepassados; todos se ajoelharam e encostaram o rosto no chão, adorando a Deus e prestando homenagem ao rei.

No dia seguinte mataram animais em sacrifício, dedicando-os a Deus, o SENHOR, e depois os entregaram ao povo para que os comessem. Além disso, mil touros novos, mil carneiros e mil ovelhas foram completamente queimados no altar. Também trouxeram ofertas de vinho.

Naquele dia comeram e beberam com muita alegria na presença de Deus. Depois foi anunciado pela segunda vez que Salomão era rei. Em nome do SENHOR eles o ungiram como o seu rei e ungiram Zadoque como sacerdote.

E assim o rei Salomão sentou-se no trono de Deus, o SENHOR, em lugar de Davi, o seu pai. Ele enriqueceu, e todo o povo de Israel lhe obedecia.

Todos os oficiais e soldados e até os outros filhos de Davi prometeram ser fiéis a Salomão.

O SENHOR fez com que todo o povo respeitasse Salomão e o tornou mais glorioso do que qualquer outro rei que havia governado Israel.

Davi, filho de Jessé, governou todo o povo de Israel

quarenta anos: sete anos em Hebrom e trinta e três em Jerusalém.

Ele morreu bem velho, rico e respeitado, e o seu filho Salomão ficou no lugar dele como rei.

A história do rei Davi, do começo ao fim, foi escrita pelos profetas Samuel, Natã e Gade.

Essa história fala do seu governo, do seu poder e de todas as coisas que aconteceram com ele, com Israel e com os países vizinhos de Israel.

2 opiniões sobre “1° CRONICAS EM AUDIO”

  1. You really make it seem so easy with your presentation but I find this matter to be actually something that I think I would never understand. It seems too complicated and extremely broad for me. I am looking forward for your next post, I will try to get the hang of it!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.