JUIZES EM AUDIO CLIC AQUI

Josué NTLH

Js 1

Depois que Moisés, servo do SENHOR, morreu, Deus disse ao ajudante de Moisés, chamado Josué, filho de Num:

— O meu servo Moisés está morto. Agora você e todo o povo de Israel se preparem para atravessar o rio Jordão e entrar na terra que vou dar a vocês.

Como disse a Moisés, eu lhes darei toda a terra que pisarem.

Os limites dessa terra serão os seguintes: ao sul, o deserto; e, ao norte, os montes Líbanos; a leste, o grande rio Eufrates e toda a terra dos heteus; e, a oeste, o mar Mediterrâneo.

Você nunca será derrotado. Eu estarei com você como estive com Moisés. Nunca o abandonarei.

Seja forte e corajoso porque você vai comandar este povo quando eles tomarem posse da terra que prometi aos antepassados deles.

Seja forte e muito corajoso. Tome cuidado e viva de acordo com toda a Lei que o meu servo Moisés lhe deu. Não se desvie dela em nada e você terá sucesso em qualquer lugar para onde for.

Fale sempre do que está escrito no Livro da Lei. Estude esse livro dia e noite e se esforce para viver de acordo com tudo o que está escrito nele. Se fizer isso, tudo lhe correrá bem, e você terá sucesso.

Lembre da minha ordem: “Seja forte e corajoso! Não fique desanimado, nem tenha medo, porque eu, o SENHOR, seu Deus, estarei com você em qualquer lugar para onde você for!”

Então Josué ordenou aos líderes israelitas:

— Vão pelo meio do acampamento, dando esta ordem ao povo: “Arranjem comida porque daqui a três dias vocês vão atravessar o rio Jordão para tomar posse da terra que o SENHOR, nosso Deus, lhes dará.”

E Josué disse às tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste:

— Lembrem da ordem de Moisés, servo do SENHOR: “O SENHOR, nosso Deus, dará esta terra a vocês para morarem nela e ali viverem em segurança.

As suas mulheres, as crianças e o gado ficarão aqui na terra que Moisés lhes deu a leste do rio Jordão. Mas que os homens peguem as suas armas e atravessem o rio na frente dos seus irmãos israelitas e estejam prontos para ajudá-los na batalha!

Eles tomarão posse da terra que o SENHOR, nosso Deus, lhes dará e ficarão morando nela. Quando isso acontecer, vocês voltarão para viver na terra que Moisés, servo de Deus, deu a vocês aqui, a leste do Jordão.

Então eles responderam a Josué: — Faremos tudo o que você mandou e iremos aonde nos enviar.

Assim como sempre obedecemos a Moisés, também obedeceremos a você. Que o SENHOR, seu Deus, esteja com você como esteve com Moisés!

Quem se revoltar e desobedecer a qualquer ordem sua será morto. Acima de tudo seja forte e corajoso!

 

Js 2

Do acampamento do vale das Acácias, Josué mandou secretamente dois espiões com a seguinte ordem: — Examinem bem a terra, especialmente a cidade de Jericó. Então eles foram, entraram na casa de uma prostituta chamada Raabe e se hospedaram ali.

E chegou aos ouvidos do rei de Jericó a seguinte notícia: — Alguns israelitas chegaram aqui de noite para espionar a terra.

Então o rei mandou para Raabe o seguinte recado: — Os homens que estão na sua casa vieram para espionar toda a terra! Traga esses dois para fora!

Mas Raabe já os havia escondido. Ela respondeu aos mensageiros do rei: — É verdade que alguns homens vieram à minha casa, mas eu não sabia de onde eram.

Quando já estava escuro, e o portão da cidade ia ser fechado, eles saíram. Eu não sei para onde foram. Mas, se vocês forem depressa atrás deles, ainda poderão pegá-los.

Acontece que Raabe tinha levado os espiões ao terraço e os havia escondido debaixo das varas de linho amontoadas ali.

Os mensageiros do rei foram e, logo que saíram da cidade, o portão foi fechado. Eles procuraram os espiões até o lugar onde a estrada atravessa o rio Jordão.

Antes que os espiões fossem dormir, Raabe subiu ao terraço e disse a eles:

— Eu sei que o SENHOR deu esta terra a vocês, os israelitas. Para dizer a verdade, todos nós estamos morrendo de medo.

Soubemos que o SENHOR secou o mar Vermelho diante de vocês quando saíram do Egito. Também ficamos sabendo como, a leste do rio Jordão, vocês mataram Seom e Ogue, os reis dos amorreus, e destruíram os seus exércitos.

Quando ouvimos essas coisas, perdemos a coragem e todos nós ficamos com muito medo por causa de vocês. O Deus de vocês, o SENHOR, é Deus lá em cima no céu e aqui em baixo na terra.

Então agora jurem em nome do SENHOR e prometam que vão ser bons para a minha família porque eu também tratei vocês com bondade. Para isso peço que me dêem um sinal que não deixe dúvida.

Salvem o meu pai, a minha mãe, os meus irmãos e as minhas irmãs e as famílias deles. Não deixem que nos matem.

Os homens responderam: — Nós prometemos. E, se não cumprirmos a nossa palavra, nós é que deveremos morrer, e não você! Se você não contar a ninguém o que estamos fazendo, fique certa de que cumpriremos a nossa promessa. Quando o SENHOR nos der esta terra, seremos bons para você e mostraremos que somos homens de palavra.

Raabe morava numa casa construída na muralha da cidade. Por isso ela pôde fazer os espiões descerem pela janela, usando uma corda.

Ela disse: — Vão para as montanhas. Se não, os homens que estão procurando vocês vão achá-los. Escondam-se lá três dias, até que eles voltem. Depois vocês podem ir embora.

Os espiões disseram: — Cumpriremos o juramento que você nos pediu que fizéssemos, mas com as seguintes condições:

quando invadirmos a sua terra, amarre este cordão vermelho na janela de onde você nos fez descer. Junte, dentro da sua casa, o seu pai, a sua mãe, os seus irmãos e todos os parentes do seu pai.

Se alguém sair da casa, será culpado da sua própria morte, e nós não seremos responsáveis. Mas, se alguém que estiver com você for ferido dentro de casa, a culpa será nossa.

E, se você contar o que estamos fazendo, não seremos obrigados a cumprir o nosso juramento.

Raabe respondeu: — Eu concordo. Então ela deixou que eles fossem embora. E Raabe amarrou o cordão vermelho na janela.

Os espiões foram para as montanhas e se esconderam lá três dias enquanto os soldados do rei os procuravam por toda aquela região. Os soldados não acharam ninguém e voltaram para Jericó.

Aí os dois espiões desceram da montanha, atravessaram o rio Jordão e foram se encontrar com Josué. Contaram tudo o que havia acontecido

e terminaram assim: — Estamos certos de que o SENHOR nos deu toda esta terra. Todo mundo aqui está morrendo de medo de nós.

 

Js 3

Josué e todo o povo de Israel se levantaram de madrugada, saíram do acampamento do vale das Acácias e foram até o rio Jordão. Antes de atravessarem o rio, eles acamparam ali.

Três dias depois os líderes passaram pelo meio do acampamento,

dizendo ao povo: — Quando vocês virem os sacerdotes levitas carregando a arca da aliança do SENHOR, nosso Deus, arrumem as suas coisas e sigam a arca.

Assim vocês ficarão sabendo para onde ir, pois nunca passaram por esse caminho. Porém não cheguem perto da arca; fiquem longe dela mais ou menos um quilômetro.

Josué disse ao povo: — Purifiquem-se porque amanhã o SENHOR fará grandes coisas entre vocês.

Depois disse aos sacerdotes: — Peguem a arca da aliança e vão na frente do povo. E eles fizeram o que Josué mandou.

Aí o SENHOR disse a Josué: — Por causa daquilo que vou fazer hoje, todo o povo de Israel vai saber que você é um grande homem. Eles saberão que, assim como estive com Moisés, também estarei com você.

Dê aos sacerdotes que estão carregando a arca a seguinte ordem: “Quando chegarem ao rio, parem dentro da água, perto da margem.”

Então Josué disse ao povo: — Venham cá e prestem atenção naquilo que o SENHOR, nosso Deus, vai dizer.

Pelo que vai acontecer, vocês ficarão sabendo que o Deus vivo está entre vocês e que sem falta expulsará os cananeus, os heteus, os heveus, os perizeus, os girgaseus, os amorreus e os jebuseus.

A arca da aliança do Senhor de toda a terra vai atravessar o rio Jordão na frente de vocês.

Agora escolham doze homens, um de cada tribo de Israel.

Quando os sacerdotes que estão carregando a arca da aliança do SENHOR Deus, o Senhor de toda a terra, puserem os pés dentro da água, o Jordão vai parar de correr, e as águas da parte de cima ficarão amontoadas num lugar.

(14-15) Era o tempo da colheita, e as águas do rio haviam coberto as margens. Foi nessa ocasião que o povo saiu do acampamento para atravessar o Jordão. Os sacerdotes iam na frente, levando a arca da aliança. Quando chegaram ao Jordão e puseram os pés dentro da água,

ela parou de correr e ficou amontoada na parte de cima do rio até Adã, cidade que fica ao lado de Sartã. Na parte de baixo, o rio secou completamente até o mar Morto. Então o povo passou para o outro lado, perto de Jericó.

Enquanto os israelitas atravessavam, pisando terra seca, os sacerdotes que levavam a arca ficaram parados no seco, no meio do rio Jordão. E ficaram ali até que todo o povo acabou de passar.

 

Js 4

Quando todo o povo de Israel acabou de atravessar o rio Jordão, o SENHOR disse a Josué:

— Escolha doze homens, um de cada tribo,

e dê esta ordem: “Peguem doze pedras do meio do rio Jordão, do lugar onde os sacerdotes ficaram parados. Levem essas pedras e coloquem onde acamparem hoje à noite.”

Então Josué chamou os doze homens que havia escolhido

e disse: — Passem adiante da arca da aliança do SENHOR, o Deus de vocês, e sigam até o meio do Jordão. Cada um ponha no ombro uma pedra, uma para cada tribo de Israel.

Essas pedras ajudarão o povo a lembrar daquilo que o SENHOR tem feito. No futuro, quando os seus filhos perguntarem o que essas pedras querem dizer,

vocês contarão que as águas do Jordão pararam de correr no dia em que a arca da aliança atravessou o rio. Essas pedras farão com que o povo de Israel lembre sempre desse dia.

Os homens fizeram o que Josué mandou. Como o SENHOR Deus tinha dito a Josué, eles pegaram do meio do rio Jordão doze pedras, uma para cada tribo de Israel, e as levaram e colocaram no acampamento.

Josué também pôs doze pedras no meio do Jordão, no lugar onde os sacerdotes que carregavam a arca haviam parado. Essas pedras ainda estão lá.

Os sacerdotes ficaram parados no meio do Jordão até que foi feito tudo o que o SENHOR, por meio de Moisés, havia mandado Josué falar ao povo. Então o povo se apressou e atravessou o rio.

Quando todos já haviam passado, a arca da aliança e os sacerdotes também passaram e ficaram na frente do povo.

Os homens das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste atravessaram antes do resto do povo, prontos para a batalha, conforme Moisés tinha dito.

Mais ou menos quarenta mil homens preparados para guerrear marcharam diante de Deus, o SENHOR, indo para o lado da planície de Jericó.

Naquele dia o SENHOR fez com que o povo de Israel ficasse sabendo que Josué era um grande homem. E, durante a vida de Josué, eles o respeitaram assim como haviam respeitado a Moisés.

E o SENHOR Deus disse a Josué:

— Mande sair do rio Jordão os sacerdotes que estão carregando a arca da aliança.

Josué fez isso.

E, depois que os sacerdotes saíram do Jordão e pisaram a terra seca, o rio começou a correr de novo e cobriu as margens como antes.

O povo atravessou o Jordão no dia dez do primeiro mês e acampou em Gilgal, a leste de Jericó.

Ali Josué fez um monumento com as doze pedras que havia tirado do Jordão.

E disse ao povo de Israel: — Quando no futuro os filhos perguntarem aos pais o que estas pedras querem dizer,

vocês explicarão que o povo de Israel atravessou o rio Jordão em terra seca.

O SENHOR, o Deus de vocês, secou o Jordão para vocês atravessarem, assim como secou o mar Vermelho para nós passarmos.

Por causa disso todos os povos da terra vão conhecer o poder do SENHOR, o Deus de vocês, e vocês o respeitarão para sempre.

 

Js 5

Todos os reis amorreus do lado oeste do rio Jordão e todos os reis cananeus que viviam no litoral do mar Mediterrâneo ficaram sabendo que o SENHOR havia secado o Jordão para o povo de Israel passar. E, como o povo de Israel estava chegando, eles ficaram com medo e perderam toda a coragem.

O SENHOR Deus disse a Josué: — Prepare algumas facas de pedra e faça uma segunda cerimônia de circuncisão no meio do povo.

Josué fez as facas e circuncidou os israelitas no monte da Circuncisão.

Ele fez isso porque todos os homens que tinham idade para guerrear quando saíram do Egito haviam morrido pelo caminho, no deserto.

Todos os homens que saíram do Egito tinham sido circuncidados, mas isso não foi feito com nenhum dos que nasceram durante a viagem pelo deserto.

O povo de Israel havia andado quarenta anos pelo deserto. Durante esse tempo todos os homens que saíram do Egito em idade de guerrear tinham morrido porque haviam desobedecido a Deus, o SENHOR. Deus tinha dito que não ia deixá-los ver a terra boa e rica que ele havia jurado dar aos seus antepassados.

Mas os filhos, que tomaram o lugar dos pais, não haviam sido circuncidados durante a viagem pelo deserto. Esta foi a nova geração que Josué circuncidou.

A nação inteira ficou acampada até que sararam todos os que foram circuncidados.

E o SENHOR disse a Josué: — Hoje eu tirei de vocês a vergonha de terem sido escravos no Egito. Foi por isso que chamaram aquele lugar de Gilgal. E este nome continua até hoje.

Os israelitas estavam acampados em Gilgal, na planície em volta da cidade de Jericó, e ali comemoraram a Páscoa na noite do dia catorze do primeiro mês.

No dia seguinte comeram alimentos daquela terra: cereais torrados e pão sem fermento.

Depois disso os israelitas não tiveram mais o maná porque ele parou de cair do céu. Desse ano em diante, eles começaram a comer os alimentos da terra de Canaã.

Josué estava perto da cidade de Jericó. De repente, viu um homem com uma espada na mão parado na sua frente. Josué chegou perto dele e perguntou: — Você é do nosso exército ou é inimigo?

— Não sou nem uma coisa nem outra— respondeu ele. — Estou aqui como comandante do exército de Deus, o SENHOR. Josué ajoelhou-se, encostou o rosto no chão e o adorou. E disse: — Estou às suas ordens, meu senhor. O que quer que eu faça?

O comandante do exército do SENHOR respondeu: — Tire as sandálias porque a terra que você está pisando é santa. E Josué obedeceu.

 

Js 6

Os portões da cidade de Jericó estavam muito bem fechados, para não deixar que os israelitas entrassem. Ninguém podia entrar, nem sair da cidade.

O SENHOR Deus disse a Josué: — Olhe! Eu estou entregando a você a cidade de Jericó, o seu rei e os seus corajosos soldados.

Agora você e os soldados israelitas marcharão em volta da cidade uma vez por dia, durante seis dias.

Na frente da arca da aliança, irão sete sacerdotes, cada um levando uma corneta de chifre de carneiro. No sétimo dia você e os seus soldados marcharão sete vezes em volta da cidade, e os sacerdotes tocarão as cornetas.

Quando eles derem um toque longo, todo o povo gritará bem alto, e então a muralha da cidade cairá. Aí cada um avançará diretamente para a cidade.

Josué chamou os sacerdotes e disse: — Carreguem a arca da aliança, e na frente fiquem sete sacerdotes levando cornetas.

E disse ao povo: — Comecem a marchar em volta da cidade! E que os soldados marchem na frente da arca da aliança de Deus, o SENHOR!

Então, seguindo as ordens de Josué, os sete sacerdotes ficaram na frente da arca e começaram a tocar as cornetas.

Os soldados iam na frente dos sacerdotes que tocavam cornetas, e um grupo de guardas seguia a arca. Durante esse tempo as cornetas tocavam.

Mas Josué tinha dado ordem ao povo para não gritar, nem fazer barulho até que ele mandasse.

Aí Josué ordenou que os sacerdotes dessem uma volta ao redor da cidade, carregando a arca da aliança. Depois voltaram ao acampamento e passaram a noite lá.

No dia seguinte Josué se levantou de madrugada, e os sacerdotes carregaram a arca.

Os sete sacerdotes que levavam as sete cornetas iam na frente, tocando sem parar. Os soldados iam na frente deles, e um grupo de guardas seguia a arca. As cornetas não paravam de tocar.

No segundo dia marcharam de novo uma vez em volta da cidade e voltaram ao acampamento. E fizeram isso durante seis dias.

No sétimo dia levantaram-se de madrugada e marcharam em volta da cidade sete vezes no mesmo dia. Foi só nesse dia que deram sete voltas em redor da cidade.

Na sétima volta, quando os sacerdotes acabaram de tocar as cornetas, Josué disse ao povo: — Gritem agora! O SENHOR Deus está entregando Jericó a vocês!

A cidade deve ser destruída, junto com tudo o que há nela, como oferta para Deus. Somente ficará viva a prostituta Raabe e a sua família porque ela escondeu os nossos espiões.

Mas não peguem em nada daquilo que vai ser destruído. Se ficarem com qualquer coisa que eu mandei destruir, vocês vão trazer desgraça e destruição ao acampamento israelita.

Mas os objetos de prata, ouro, bronze e ferro serão separados para o SENHOR e colocados no seu tesouro.

Então os sacerdotes tocaram as cornetas. Logo que o povo ouviu este som, gritou com toda a força, e a muralha caiu. Aí todos subiram, entraram na cidade e a tomaram.

E mataram, com as suas espadas, todos os que estavam na cidade: homens e mulheres, crianças e velhos. Também mataram os bois, as ovelhas e os jumentos.

Depois Josué disse aos dois homens que haviam servido como espiões: — Entrem na casa de Raabe, a prostituta, e tragam a família dela para fora, conforme vocês prometeram.

Eles foram e fizeram sair Raabe, o seu pai, a sua mãe, os seus irmãos e o resto da família. Tiraram todas as pessoas da casa e as puseram do lado de fora do acampamento israelita.

Então incendiaram a cidade e queimaram tudo o que havia nela, menos os objetos de ouro, prata, bronze e ferro. Essas coisas foram colocadas no tesouro da casa de Deus, o SENHOR.

Josué deixou que Raabe, a prostituta, e todos os seus parentes ficassem vivos porque ela havia escondido os espiões que ele havia mandado a Jericó. E os descendentes dela vivem no meio do povo de Israel até hoje.

Nessa ocasião Josué amaldiçoou a cidade em nome de Deus, dizendo: — Quem tentar construir de novo esta cidade de Jericó será amaldiçoado pelo SENHOR! Quem puser os alicerces perderá o filho mais velho! Quem colocar os portões perderá o filho mais moço!

Assim o SENHOR Deus esteve com Josué, e a fama de Josué se espalhou por todo o país.

 

Js 7

Deus havia ordenado ao povo de Israel que ninguém guardasse nada do que era para ser destruído, mas a ordem foi desobedecida. Acã escondeu algumas coisas, e por isso o SENHOR ficou muito irado com os israelitas. Acã era filho de Carmi, descendente de Zabdi e descendente de Zera, da tribo de Judá.

Josué enviou alguns homens da cidade de Jericó até Ai, cidade que fica a leste de Betel, perto de Bete-Avém. Ele mandou que fossem ver a terra. Eles foram e examinaram bem a cidade.

Então voltaram e deram a Josué o seguinte relatório: — Não é preciso que todo mundo vá. Mande só dois ou três mil homens atacarem Ai porque existe pouca gente lá.

Assim foram mais ou menos três mil. Porém os homens de Ai fizeram os israelitas recuarem

e mataram uns trinta e seis. E eles perseguiram os israelitas desde o portão da cidade até as pedreiras, matando-os na descida. Então o povo ficou completamente desanimado e perdeu toda a coragem.

Em sinal de tristeza, Josué rasgou a sua roupa e se jogou no chão, com o rosto em terra, na frente da arca da aliança de Deus, o SENHOR. Os líderes de Israel fizeram a mesma coisa e ficaram ali com Josué até de tarde. E fizeram como ele: também jogaram terra na cabeça para mostrar que estavam tristes.

E Josué disse: — Ó SENHOR, meu Deus! Afinal de contas, por que fizeste este povo atravessar o rio Jordão? Foi para nos entregares aos amorreus, e eles nos matarem? Por que não ficamos do outro lado do Jordão?

Senhor, peço desculpas, mas já que Israel fugiu do inimigo, o que posso dizer?

Os cananeus e todos os outros moradores desta terra vão saber disso. Eles nos cercarão e nos matarão a todos. E neste caso o que farás em favor do teu grande nome?

O SENHOR Deus respondeu a Josué: — Levante-se! Por que é que você está aí desse jeito, com a cara no chão?

O povo de Israel pecou. Eles quebraram a aliança que haviam feito comigo, a aliança que eu mandei que guardassem. Ficaram com algumas coisas que eu mandei que fossem destruídas. Eles roubaram essas coisas, mentiram por causa delas e as colocaram no meio da bagagem deles.

É por isso que os israelitas não podem enfrentar o inimigo. Fogem dele porque agora eles mesmos estão condenados à destruição. Se vocês não destruírem o que roubaram, eu não continuarei com vocês.

Levante-se e vá santificar o povo. Diga que se purifiquem para amanhã porque eu, o SENHOR, o Deus de Israel, digo isto: “Israelitas, vocês estão guardando algumas coisas que eu mandei destruir. Enquanto não se livrarem delas, vocês não poderão enfrentar os inimigos.

Amanhã vocês se apresentarão, tribo por tribo, e haverá sorteio. A tribo que eu indicar virá à frente, grupo de famílias por grupo de famílias. Aí o grupo de famílias que eu indicar virá à frente, família por família. Finalmente a família que eu indicar virá à frente, homem por homem.

Então aquele que o sorteio indicar que ficou com essas coisas será queimado: ele, a sua família e tudo o que possui. O que esse homem fez foi terrível: ele quebrou a aliança que o meu povo fez comigo.”

Então Josué se levantou de madrugada e fez o povo de Israel se apresentar, tribo por tribo. O sorteio indicou a tribo de Judá.

Em seguida mandou que se apresentassem os grupos de famílias da tribo de Judá, e o grupo de Zera foi indicado. Aí chamou o grupo de Zera, família por família; e a família de Zabdi foi indicada.

Finalmente chamou a família de Zabdi, homem por homem, e Acã foi indicado. Acã era filho de Carmi, descendente de Zabdi, descendente de Zera, da tribo de Judá.

E Josué disse a Acã: — Agora, meu filho, confesse a verdade diante do SENHOR, o Deus de Israel. Conte-me o que você fez; não procure esconder nada.

Acã respondeu: — Sim, eu pequei contra o SENHOR, o Deus de Israel. Vou contar o que fiz.

Entre as coisas que pegamos, vi uma bela capa da Babilônia; vi também duzentas barras de prata e uma barra de ouro que pesava mais ou menos meio quilo. Fiquei com tanta vontade de ter aquelas coisas, que guardei para mim. Estão escondidas, enterradas na minha barraca, e a prata está por baixo.

Então Josué mandou que alguns homens fossem depressa até a barraca; e eles, de fato, acharam as coisas enterradas e a prata por baixo.

Tiraram as coisas da barraca, e levaram a Josué e a todos os israelitas, e puseram tudo na presença de Deus, o SENHOR.

Aí Josué e todo o povo de Israel pegaram Acã, a prata, a capa, a barra de ouro, os seus filhos e filhas, os seus bois, jumentos, ovelhas, a sua barraca e tudo o que ele tinha e os levaram para o vale da Desgraça.

E Josué disse: — Por que é que você fez essa desgraça cair sobre nós? Agora o SENHOR Deus vai fazer a desgraça cair sobre você! Em seguida o povo todo matou Acã a pedradas. Eles apedrejaram e queimaram a sua família e tudo o que ele tinha.

E puseram em cima dele um montão de pedras, que está naquele lugar até agora. É por isso que até hoje o nome daquele lugar é vale da Desgraça. Então a ira do SENHOR passou.

 

Js 8

O SENHOR Deus disse a Josué: — Não tenha medo! Seja corajoso! Marche com todos os seus soldados contra a cidade de Ai. Eu farei com que derrotem o rei de lá. O povo de Ai, a sua cidade e as suas terras serão de vocês.

Vocês vão fazer com essa cidade o que fizeram com Jericó, mas desta vez todos os objetos e o gado vão ficar para vocês. Preparem-se para atacar a cidade de surpresa e por trás.

Então Josué e todos os soldados se prepararam para marchar contra Ai. Ele escolheu trinta mil homens corajosos e os enviou de noite

com estas ordens: — Escondam-se do outro lado da cidade. Não fiquem muito longe e estejam prontos para atacar.

Eu e os meus soldados vamos avançar na direção da cidade. Quando os soldados de Ai saírem contra nós, vamos fugir como na primeira vez.

Eles vão sair atrás de nós, afastando-se da cidade. Vão pensar que estamos fugindo deles como na primeira vez.

Então vocês sairão dos esconderijos e tomarão a cidade. O SENHOR, nosso Deus, entregará Ai a vocês.

Depois que tomarem a cidade, ponham fogo nela, como o SENHOR mandou. São essas as minhas ordens.

Assim Josué enviou os soldados, e eles foram se esconder a oeste de Ai, entre Ai e Betel. Mas Josué passou a noite no acampamento.

Levantou-se de madrugada e reuniu os soldados. Ele e os líderes de Israel marcharam na frente do povo na direção de Ai.

Os soldados que iam com Josué marcharam na direção do portão principal da cidade e acamparam no lado norte. Havia um vale entre eles e Ai.

Josué reuniu uns cinco mil homens e os pôs em esconderijos a oeste, entre Ai e Betel.

Os soldados estavam colocados assim para a batalha: o acampamento principal, ao norte da cidade; e os outros, a oeste. E Josué passou a noite no vale.

O rei de Ai agiu depressa quando viu os israelitas. Ele e todos os seus soldados saíram de madrugada e foram lutar contra os israelitas no mesmo lugar de antes, em frente do vale do Jordão. Ele não sabia que ia ser atacado por trás.

Josué e os seus soldados fingiram que estavam sendo derrotados e fugiram para o deserto.

Todos os homens de Ai tinham sido convocados para ir atrás dos israelitas; e, enquanto perseguiam Josué, iam se afastando cada vez mais da cidade.

Todos os homens de Ai saíram atrás dos israelitas, e a cidade ficou aberta, sem ninguém para defendê-la.

Então o SENHOR disse a Josué: — Aponte a sua lança na direção de Ai, pois vou dar esta cidade a você. E Josué obedeceu.

Quando ele levantou a mão, os homens que estavam escondidos se levantaram depressa, correram, tomaram a cidade e em seguida puseram fogo nela.

Quando os homens de Ai olharam para trás, viram a fumaça, que subia para o céu. Porém não puderam fugir para lado nenhum porque os israelitas que haviam corrido para o deserto deram meia-volta e os atacaram.

Josué e os seus soldados viram que os outros tinham tomado a cidade e posto fogo nela. Então deram meia-volta e começaram a matar os homens de Ai.

Os israelitas que estavam na cidade também saíram para atacar os homens de Ai. Esses homens foram completamente cercados e mortos pelos israelitas;

só ficou vivo o rei de Ai, que foi preso e levado a Josué.

Os israelitas mataram todos os inimigos em campo aberto, no deserto onde haviam sido perseguidos. Depois voltaram para Ai e mataram os que estavam lá.

Nesse dia foram mortos todos os moradores de Ai— doze mil pessoas.

Josué continuou a apontar a lança na direção de Ai e não a abaixou até que todas as pessoas da cidade foram mortas.

Os israelitas ficaram com as coisas que pegaram na cidade, como o SENHOR havia ordenado que Josué fizesse.

Josué incendiou Ai, que virou um montão de ruínas para sempre, como se pode ver até hoje.

Ele enforcou o rei de Ai numa árvore e o deixou ali até de tarde. Ao pôr-do-sol mandou que tirassem o corpo e o jogassem no portão de entrada da cidade. E o cobriram com um montão de pedras, que está naquele lugar até hoje.

Nessa ocasião Josué construiu no monte Ebal um altar ao SENHOR, o Deus de Israel.

Ele seguiu as ordens que Moisés, servo do SENHOR, tinha dado aos israelitas, como está escrito na Lei de Moisés: “Faça um altar de pedras brutas, que não foram cortadas com ferramentas.” Sobre esse altar apresentaram ao SENHOR ofertas que foram completamente queimadas e ofertas de paz.

Ali, na frente do povo, Josué copiou em pedras a lei que Moisés tinha escrito.

E todos os israelitas, com os seus líderes, autoridades e juízes e também todos os estrangeiros que viviam no meio deles ficaram de um lado e de outro da arca da aliança. E outros ficaram de frente para os sacerdotes levitas que carregavam a arca. Metade do povo ficou em frente do monte Gerizim, e a outra metade, em frente do monte Ebal. Moisés, servo do SENHOR, tinha dado ordem para o povo se colocar nessa posição na hora de receber a bênção.

Então Josué leu em voz alta toda a lei, com as bênçãos e as maldições, como estão escritas no Livro da Lei.

Cada um dos mandamentos de Moisés foi lido por Josué para toda a multidão de israelitas e para as mulheres, crianças e estrangeiros que viviam entre eles. Nenhuma palavra deixou de ser lida.

 

Js 9

Todos os reis que viviam a oeste do rio Jordão, tanto os das montanhas como os das planícies, e também os reis de todo o litoral do mar Mediterrâneo até o Líbano ficaram sabendo disso. Estes eram os reis dos heteus, dos amorreus, dos cananeus, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus.

E todos eles se reuniram para guerrear contra Josué e o povo de Israel.

Quando os moradores da cidade de Gibeão, que eram heveus, ouviram falar do que Josué tinha feito com Jericó e com Ai,

resolveram enganá-lo. Pegaram comida e carregaram os seus jumentos com sacos velhos e com odres rasgados e remendados, cheios de vinho.

Calçaram sandálias velhas e remendadas e vestiram roupas bem gastas. E levaram para comer pão seco e bolorento.

Eles foram até o acampamento de Gilgal e disseram a Josué e a todos os homens de Israel: — Nós estamos chegando de um país que fica bem longe daqui. Façam um acordo de paz com a gente.

Porém os homens de Israel disseram: — Pode ser que vocês morem aqui por perto. Como é que podemos fazer um acordo de paz com vocês?

— Estamos prontos para ser seus empregados! — responderam eles. — Quem são vocês? De onde vêm? — perguntou Josué.

Os gibeonitas responderam: — Nós, os seus criados, somos de um país que fica muito longe e viemos até aqui porque ouvimos falar do SENHOR, seu Deus. Ouvimos as notícias de tudo o que ele fez no Egito.

E também soubemos o que fez com os dois reis amorreus a leste do rio Jordão; a Seom, rei de Hesbom, e a Ogue, rei de Basã, que vivia em Astarote.

Os nossos líderes e toda a nossa gente nos mandaram preparar comida para viajar. Eles nos mandaram encontrar com vocês e dizer: “Estamos prontos para ser seus empregados! Façam um acordo de paz com a gente.”

E vejam só o nosso pão! Estava quentinho quando saímos de casa no começo da viagem. Mas olhem! Agora está seco e bolorento.

Quando enchemos de vinho estes odres, eles eram novos. Mas vejam! Agora estão rasgados. As nossas roupas e as nossas sandálias estão gastas por causa da longa viagem que fizemos.

Os homens de Israel aceitaram a comida deles, porém não pediram conselho a Deus, o SENHOR.

Josué fez um acordo de paz com os gibeonitas, prometendo que não seriam mortos. E os líderes do povo de Israel juraram que cumpririam a sua palavra.

Três dias depois de feito o acordo, descobriram que aquela gente morava perto.

Tanto assim que os israelitas saíram do acampamento e três dias depois chegaram às cidades onde os gibeonitas viviam, isto é, Gibeão, Cefira, Beerote e Quiriate-Jearim.

Porém, por causa do juramento que os seus líderes tinham feito aos gibeonitas em nome do SENHOR, o Deus de Israel, os israelitas não os mataram. E por isso todo o povo reclamou contra os líderes,

mas eles explicaram assim: — Nós juramos em nome do SENHOR, o Deus de Israel, e agora não podemos fazer nada contra os gibeonitas.

Por causa da nossa promessa temos de deixá-los viver; se não, Deus nos castigará.

Deixem que eles vivam; mas terão de cortar lenha e carregar água para nós. Foi isso o que os líderes disseram.

Então Josué chamou os gibeonitas e perguntou: — Por que vocês nos enganaram, afirmando que vinham de longe, quando vivem aqui mesmo?

E, já que vocês fizeram isso, de agora em diante vão viver debaixo do castigo de Deus. É do povo gibeonita que sairão sempre os escravos para cortar madeira e carregar água para a casa do meu Deus.

Eles responderam: — Fizemos isso porque ficamos sabendo que o SENHOR, seu Deus, havia ordenado ao seu servo Moisés que entregasse toda esta terra aos israelitas. E também ordenou a vocês que, conforme fossem avançando, matassem todos os seus moradores. Fizemos isso porque ficamos com muito medo de vocês, medo de sermos mortos.

Agora estamos nas suas mãos; faça de nós o que achar melhor.

Josué protegeu os gibeonitas e não deixou que fossem mortos.

Mas, daquele dia em diante, ele os obrigou a serem carregadores de água e rachadores de lenha para o povo de Israel e para o altar de Deus, o SENHOR. E até hoje eles continuam fazendo isso, trabalhando no lugar escolhido por Deus para a sua adoração.

 

Js 10

Adoni-Zedeque, rei de Jerusalém, ouviu dizer que Josué havia tomado e destruído completamente a cidade de Ai e matado o seu rei. E ouviu dizer que o mesmo havia acontecido com Jericó e o seu rei. Também soube que os gibeonitas tinham feito um acordo de paz com os israelitas e que viviam entre eles.

Os moradores de Jerusalém ficaram com muito medo, pois a cidade de Gibeão era tão grande como qualquer outra governada por um rei. E era maior ainda do que Ai, e os seus homens eram soldados corajosos.

Então Adoni-Zedeque enviou mensageiros a Hoão, rei de Hebrom, e a Pirã, rei de Jarmute, e a Jafia, rei de Laquis, e a Debir, rei de Eglom, com a seguinte mensagem:

— Venham me ajudar a atacar Gibeão porque o povo de lá fez um acordo de paz com Josué e com o povo de Israel.

E esses cinco reis amorreus— de Jerusalém, Hebrom, Jarmute, Laquis e Eglom— ajuntaram-se com todos os seus exércitos e cercaram e atacaram a cidade de Gibeão.

Os gibeonitas então mandaram dizer a Josué no acampamento de Gilgal: — Não abandone a gente! Venha depressa nos ajudar e salvar! Todos os reis amorreus que moram nas montanhas se ajuntaram contra nós!

Então Josué e todo o seu exército partiram de Gilgal.

E o SENHOR Deus lhe disse: — Não fique com medo desses reis, pois eu já lhe dei a vitória. Nenhum deles será capaz de resistir.

Josué saiu de Gilgal e marchou a noite toda, subindo sempre. Ele atacou de surpresa.

E o SENHOR Deus fez com que os inimigos ficassem apavorados quando viram os exércitos de Israel. Assim os israelitas os derrotaram completamente em Gibeão e os perseguiram na descida de Bete-Horom, combatendo até Azeca e Maquedá.

E, enquanto eles fugiam dos israelitas, correndo na descida de Bete-Horom até Azeca, o SENHOR jogou do céu grandes pedras de gelo sobre os inimigos, e eles foram mortos. E morreram mais pessoas com essa chuva de pedras do que no combate com os israelitas.

No dia em que o SENHOR deu a vitória aos israelitas na luta contra os amorreus, Josué falou com ele. E, na presença dos israelitas, disse: “Sol, fique parado sobre Gibeão! Lua, pare sobre o vale de Aijalom!”

O sol ficou parado, e a lua também parou, até que o povo se vingou dos seus inimigos. Estas palavras estão escritas no Livro do Justo. O sol ficou parado no meio do céu e atrasou a sua descida por quase um dia inteiro.

Nunca tinha havido e nunca mais houve um dia como este, um dia em que o SENHOR obedeceu à voz de um homem. Isso aconteceu porque o SENHOR combatia a favor de Israel.

Depois disso Josué e o seu exército voltaram ao acampamento de Gilgal.

Os cinco reis escaparam e se esconderam na caverna de Maquedá,

mas foram descobertos. E Josué ficou sabendo que estavam escondidos lá.

Então disse: — Rolem algumas pedras grandes até a entrada da caverna e ponham alguns guardas.

Mas não fiquem lá. Persigam os inimigos e ataquem os que ficarem para trás. Não deixem que eles voltem para as suas cidades porque o SENHOR, nosso Deus, já os entregou a vocês para serem mortos.

Josué e os soldados de Israel os mataram até acabar com quase todos eles. Os que escaparam ficaram dentro das suas cidades protegidas por muralhas.

Então todos os soldados de Israel voltaram sãos e salvos para o acampamento de Maquedá, onde Josué estava. E ninguém tinha coragem de dizer nada contra os israelitas.

Depois Josué disse: — Tirem as pedras da entrada da caverna e tragam aqui os cinco reis.

E isso foi feito. Tiraram da caverna os reis de Jerusalém, Hebrom, Jarmute, Laquis e Eglom

e os levaram a Josué. Josué chamou os homens de Israel e ordenou aos oficiais do exército que tinham ido com ele: — Venham aqui e ponham os pés no pescoço destes reis. Eles fizeram isso.

Aí Josué disse: — Não tenham medo; não percam a coragem. Sejam fortes e corajosos porque o SENHOR fará isso com todos os inimigos que vocês enfrentarem.

Então Josué matou os reis e os pendurou em cinco postes de madeira. E eles ficaram pendurados ali até o anoitecer.

Ao pôr-do-sol, Josué mandou que eles fossem tirados dos postes e jogados na caverna onde se haviam escondido. E puseram na entrada grandes pedras, que estão lá até hoje.

Nesse mesmo dia Josué atacou e tomou Maquedá. Matou o rei e todos os moradores da cidade; ninguém ficou vivo. Ele fez com o rei de Maquedá o mesmo que havia feito com o rei de Jericó.

Em seguida Josué e o seu exército foram de Maquedá até a cidade de Libna e atacaram.

O SENHOR Deus também deu aos israelitas a vitória sobre essa cidade e sobre o seu rei. Eles mataram todos os moradores e fizeram com o rei de Libna o mesmo que haviam feito com o rei de Jericó.

Josué e o seu exército foram de Libna a Laquis. Eles cercaram e atacaram a cidade.

No segundo dia de combate, o SENHOR deu aos israelitas a vitória sobre a cidade de Laquis. E, como haviam feito em Libna, também em Laquis mataram todas as pessoas.

Então Horã, rei de Gezer, saiu para ajudar Laquis. Porém Josué derrotou o rei de Gezer e o seu povo; não deixou ninguém vivo.

Depois Josué e o seu exército foram de Laquis até Eglom. Eles cercaram e atacaram a cidade

e a tomaram no mesmo dia. E mataram todos, como haviam feito em Laquis.

Aí Josué e o seu exército subiram de Eglom até a cidade de Hebrom. Atacaram

e tomaram a cidade de Hebrom. Mataram o rei e todos os moradores de Hebrom e das cidades vizinhas. Josué mandou que destruíssem completamente a cidade, como tinham feito com Eglom. Ninguém ficou vivo.

Então Josué e o seu exército voltaram e atacaram Debir.

Tomaram a cidade, o seu rei e também todas as cidades vizinhas, matando todas as pessoas dali. Josué fez com Debir e com o seu rei o mesmo que havia feito com Hebrom e Libna e com os seus reis.

Assim Josué conquistou toda aquela terra. Derrotou os reis que moravam nas montanhas, na região sul, nas planícies e ao pé das montanhas. Ele não deixou ninguém vivo; todos foram mortos. Era isso o que o SENHOR, o Deus de Israel, havia mandado.

Josué os derrotou desde Cades-Barnéia até Gaza e toda a região de Gosém até Gibeão.

O SENHOR, o Deus de Israel, lutava pelo seu povo, e por isso Josué dominou todos esses reis e as suas terras numa só guerra.

Depois disso Josué e o seu exército voltaram para o acampamento de Gilgal.

 

Js 11

Essas coisas chegaram aos ouvidos de Jabim, rei de Hazor. E ele mandou mensageiros aos seguintes reis: a Jobabe, rei de Madom; aos reis de Sinrom e Acsafe;

aos reis da região montanhosa, ao norte; aos do vale do Jordão, ao sul do lago da Galiléia; e aos da planície e do litoral, perto de Dor.

Também enviou mensageiros aos cananeus dos dois lados do rio Jordão, aos amorreus, aos heteus, aos perizeus, aos jebuseus da região montanhosa e aos heveus, que viviam ao pé do monte Hermom, na terra de Mispa.

Eles foram com todos os seus soldados— um exército com tantos homens quantos são os grãos de areia da praia do mar. Tinham também muitos cavalos e carros de guerra.

Todos esses reis juntaram os seus soldados e acamparam perto do riacho de Merom, para lutar contra o povo de Israel.

O SENHOR Deus disse a Josué: — Não fique com medo deles. Amanhã, a esta mesma hora, eu matarei toda essa gente para Israel. Você aleijará os cavalos deles e queimará os seus carros.

Assim Josué e todos os seus soldados atacaram de surpresa perto do riacho de Merom,

e o SENHOR Deus deu a vitória aos israelitas. Eles atacaram os inimigos e os perseguiram até a grande Sidom e Misrefote-Maim e até o vale de Mispa, a leste. Continuaram a lutar até matarem todos os inimigos.

Josué fez como SENHOR havia mandado: aleijou os cavalos deles e queimou os seus carros de guerra.

Então Josué voltou, tomou a cidade de Hazor e matou o seu rei. Nesse tempo Hazor era o mais poderoso de todos esses reinos.

Os israelitas mataram todos os moradores, e a cidade foi queimada.

Josué tomou todas essas cidades e os seus reis. Matou todos, conforme a ordem de Moisés, servo do SENHOR.

Mas os israelitas não queimaram nenhuma das cidades construídas sobre ruínas, a não ser Hazor, que Josué incendiou.

Os israelitas ficaram com todos os objetos de valor e com o gado dessas cidades. Mas todas as pessoas foram mortas; não ficou ninguém vivo.

O SENHOR tinha dado essas ordens ao seu servo Moisés; Moisés as deu a Josué, e Josué obedeceu. Ele fez tudo o que o SENHOR havia mandado Moisés fazer.

Josué tomou toda aquela terra, isto é, a região montanhosa de Judá, toda a região sul, toda a terra de Gosém, as planícies de Judá, o vale do Jordão e também a região montanhosa e as planícies do litoral de Israel.

Essa região ia desde o monte Halaque, perto de Seir, até Baal-Gade, no vale do Líbano, ao pé do monte Hermom. Josué matou todos os reis desses lugares

nas guerras que fez por longo tempo contra eles.

Nenhuma dessas cidades fez acordos de paz com Israel, a não ser Gibeão, onde moravam alguns heveus. As outras cidades foram tomadas na guerra.

O SENHOR Deus fez com que os moradores dessas cidades teimassem em lutar contra o povo de Israel, para que, assim, fossem completamente destruídos e mortos sem dó nem piedade. O SENHOR havia ordenado isso a Moisés.

Nessa ocasião Josué foi e acabou com os gigantes anaquins que viviam nas montanhas: em Hebrom, Debir, Anabe e em toda a região montanhosa de Judá e de Israel. Josué acabou completamente com eles e destruiu as suas cidades.

Nenhum dos anaquins ficou na terra de Israel. Somente alguns continuaram a viver nas cidades de Gaza, Gate e Asdode.

Como o SENHOR havia ordenado a Moisés, Josué tomou a terra e a deu aos israelitas para ser propriedade deles. Ele dividiu a terra e deu uma parte a cada tribo. E assim a guerra acabou.

 

Js 12

O povo de Israel havia derrotado os reis que moravam a leste do rio Jordão e ocupado as suas terras. Essas terras iam desde o vale do Arnom, subindo o vale do Jordão, até o monte Hermom. Os reis que os israelitas derrotaram são citados em seguida.

O primeiro foi Seom, o rei dos amorreus, que vivia em Hesbom. O reino dele começava em Aroer, na beira do vale do Arnom e na metade do vale, e ia até o rio Jaboque, na divisa da região de Amom. Esse reino ia até a metade de Gileade.

Do lado leste do vale do Jordão, o reino de Seom começava no lago da Galiléia na direção de Bete-Jesimote, a leste do mar Morto, e ia até o sul, ao pé do monte Pisga.

Os israelitas também derrotaram Ogue, rei de Basã, que foi um dos últimos refains. Ele morava em Astarote e Edrei.

Do reino dele faziam parte o monte Hermom, Salca e toda a região de Basã, até a divisa com os gesuritas e maacatitas, e também metade de Gileade, até as terras de Seom, rei de Hesbom.

Moisés e o povo de Israel os derrotaram. Moisés, servo do SENHOR, deu as terras desses reis às tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste.

Josué e o povo de Israel derrotaram todos os reis das terras que ficam a oeste do rio Jordão, desde Baal-Gade, no vale do Líbano, até o monte Halaque, na direção de Seir. Josué dividiu essas terras entre as tribos, para serem delas para sempre.

Faziam parte dessas terras a região montanhosa, a planície, o vale do Jordão, a subida das montanhas, o deserto e a região sul. Nessa terra moravam os heteus, os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus e os jebuseus.

Foram derrotados os reis das seguintes cidades: Jericó, Ai (perto de Betel),

Jerusalém, Hebrom,

Jarmute, Laquis,

Eglom, Gezer,

Debir, Geder,

Horma, Arade,

Libna, Adulã,

Maquedá, Betel,

Tapua, Héfer,

Afeca, Lasarom,

Madom, Hazor,

Sinrom-Merom, Acsafe,

Taanaque, Megido,

Quedes, Jocneão (na região do Carmelo),

Dor (no litoral), Goim (na Galiléia)

e Tirza— ao todo trinta e um reis.

 

Js 13

Quando Josué já estava bem velho, o SENHOR disse: — Você já está muito velho, e ainda há muita terra para ser conquistada.

Falta conquistar a região dos filisteus e dos gesuritas.

(Essa terra, que vai desde o riacho de Sior, na divisa do Egito, até a divisa de Ecrom, no Norte, pertencia aos cananeus; os governadores dos filisteus viviam nas cidades de Gaza, Asdode, Asquelom, Gate e Ecrom.) Falta conquistar a terra de Avim,

no Sul, toda a terra dos cananeus e Meara (que pertencia aos sidônios), até Afeca, na divisa com os amorreus.

Também falta a terra dos gebalitas; e, na direção do leste, todo o Líbano, desde Baal-Gade, ao pé do monte Hermom, até a subida de Hamate.

Finalmente, faltam todos os sidônios que vivem na região montanhosa entre os montes Líbanos e Misrefote-Maim. Eu expulsarei essa gente conforme o povo de Israel for avançando. Divida desde já a terra para que o povo de Israel fique dono dela como mandei antes.

Portanto, reparta essa terra entre as outras nove tribos e a metade oeste da tribo de Manassés. Essa terra será dessas tribos.

As tribos de Rúben e de Gade e a outra metade da tribo de Manassés haviam recebido as suas terras, que ficam a leste do rio Jordão. Era isso que Moisés, servo do SENHOR, lhes tinha dado.

As suas terras iam desde Aroer, na beira do vale do Arnom, e desde a cidade que ficava no meio daquele vale, até Dibom, incluindo todo o planalto de Medeba.

Faziam parte das suas terras todas as cidades governadas por Seom, o rei dos amorreus, que reinava em Hesbom, e iam até a divisa com os amonitas.

As suas terras incluíam ainda Gileade e a região onde os gesuritas e os maacatitas moravam e também todo o monte Hermom e toda a região de Basã até Salca.

Incluíam finalmente o reino de Ogue. Ogue, que foi o último dos refains, reinava em Astarote e em Edrei. Moisés tinha derrotado e expulsado esse povo.

Mas os gesuritas e os maacatitas não foram expulsos; eles ainda vivem no meio do povo de Israel.

Porém Moisés não tinha dado terras à tribo de Levi. As propriedades dos levitas eram os alimentos trazidos a Deus, o SENHOR, como oferta, conforme ele havia ordenado a Moisés.

Moisés tinha dado uma parte da terra às famílias da tribo de Rúben, para ser propriedade delas.

Essas terras iam desde Aroer, na beira do vale do Arnom, e desde a cidade que ficava no meio do vale, até Medeba e todo o planalto ao seu redor.

Incluíam Hesbom e todas as cidades do planalto, isto é, Dibom, Bamote-Baal, Bete-Baal-Meom,

Jasa, Quedemote, Mefaate,

Quiriataim, Sibma e Zerete-Saar, no monte do vale.

Também Bete-Peor, a subida do monte Pisga, Bete-Jesimote,

todas as outras cidades do planalto e todas as cidades de Seom, o rei dos amorreus, que reinou em Hesbom. Moisés havia derrotado o reino de Seom e os príncipes de Midiã: Evi, Requém, Zur, Hur e Reba. Todos esses viviam nessa terra e reinavam dominados por Seom.

Entre os que foram mortos pelo povo de Israel estava Balaão, o adivinho, filho de Beor.

A oeste a divisa da tribo de Rúben era o rio Jordão. Estas foram as cidades e povoados dados às famílias da tribo de Rúben, para serem propriedade delas.

Moisés também tinha dado uma parte da terra às famílias da tribo de Gade, para ser propriedade delas.

As suas terras incluíam Jazer, todas as cidades de Gileade e metade da terra dos amonitas até Aroer, que fica a leste de Rabá.

Iam de Hesbom até Ramá-Mispa e Betonim e de Maanaim até a divisa de Lo-Debar.

No vale do Jordão, incluíam as cidades de Bete-Arã, Bete-Ninra, Sucote e Zafom e também o resto do reino de Seom, rei de Hesbom. A oeste o limite das terras de Gade era o rio Jordão, até o lago da Galiléia, no Norte.

Estas foram as cidades e povoados dados às famílias da tribo de Gade, para serem propriedade delas.

Moisés tinha dado uma parte da terra às famílias de uma das metades da tribo de Manassés, para ser propriedade delas.

As suas terras começavam na cidade de Maanaim e incluíam toda a região de Basã, que pertencia ao rei Ogue, e também todas as sessenta cidades que eram de Jair, em Basã.

Incluíam a metade da região de Gileade, Astarote e Edrei, cidades do reino de Ogue, em Basã. Essas terras foram dadas às famílias de metade dos descendentes de Maquir, filho de Manassés.

Assim Moisés, nas planícies de Moabe, tinha dividido a terra que ficava a leste da cidade de Jericó e do rio Jordão.

Mas ele não deu nenhuma parte da terra à tribo de Levi, para ser propriedade dela. Moisés disse aos membros dessa tribo que o SENHOR, o Deus de Israel, era a propriedade deles.

 

Js 14

São estas as terras que o povo de Israel recebeu em Canaã. Eleazar, o sacerdote, e Josué, filho de Num, e os chefes das famílias das tribos de Israel fizeram a divisão.

Como o SENHOR havia ordenado a Moisés, a divisão das terras das nove tribos e meia foi feita por sorteio.

Moisés tinha dado uma parte da terra às duas tribos e meia que ficaram a leste do rio Jordão, mas os levitas não receberam terras.

Os descendentes de José estavam divididos em duas tribos: Manassés e Efraim. Não foi dado nenhum pedaço de terra aos levitas, mas eles tinham cidades para morar e também pastos para o seu gado e os seus rebanhos.

O povo de Israel dividiu a terra como o SENHOR havia ordenado a Moisés.

O povo da tribo de Judá foi falar com Josué em Gilgal. Calebe, filho de Jefoné, do povo quenezeu, disse a Josué: — Você sabe o que o SENHOR disse a Moisés, homem de Deus, em Cades-Barnéia, a respeito de você e de mim.

Eu tinha quarenta anos quando Moisés, servo do SENHOR, me enviou de Cades-Barnéia para espionar a terra. E eu dei um relatório que sabia que era verdadeiro.

Os homens que foram comigo espalharam o medo no meio do povo, mas eu obedeci fielmente ao SENHOR, meu Deus.

Naquele dia Moisés me fez a seguinte promessa: “Calebe, você obedeceu fielmente ao SENHOR, meu Deus. Por isso fique certo de que você e os seus filhos serão donos para sempre de toda a terra que pisarem.”

E Calebe continuou: — Agora veja! Faz quarenta e cinco anos que o SENHOR Deus disse essas coisas a Moisés. Isso foi no tempo em que o povo de Israel atravessava o deserto; e o SENHOR me tem conservado com vida até hoje. Olhe para mim! Estou com oitenta e cinco anos

e me sinto tão forte hoje como no dia em que Moisés me mandou espionar a terra. Ainda tenho bastante força para combater na guerra e para fazer o que for preciso.

Agora me dê essa região montanhosa que o SENHOR me prometeu quando os meus companheiros e eu demos o relatório. Naquele tempo dissemos a você que os gigantes anaquins estavam lá, morando em grandes cidades cercadas de muralhas. Se o SENHOR estiver comigo, eu os expulsarei, como ele prometeu.

Então Josué abençoou a Calebe, filho de Jefoné, e lhe deu a cidade de Hebrom para ser sua propriedade.

Até hoje Hebrom pertence aos descendentes de Calebe, filho de Jefoné, do povo quenezeu, porque ele obedeceu fielmente ao SENHOR, o Deus de Israel.

Antes disso Hebrom era chamada de Quiriate-Arba. Arba havia sido o maior dos anaquins. Então houve paz na terra.

 

Js 15

As famílias da tribo de Judá receberam uma parte da terra com os seguintes limites: ao sul as terras iam até a divisa de Edom e até o deserto de Zim.

Começavam bem no sul do mar Morto

e iam em direção ao sul, desde a subida de Acrabim até chegar a Zim. Partindo da região sul, a divisa subia a Cades-Barnéia, passava por Hezrom, ia até Adar e rodeava Carca.

Continuava até Azmom e seguia o ribeirão, na divisa do Egito, até o mar Mediterrâneo, onde terminava. Estas eram as divisas da tribo de Judá, ao sul.

A leste a divisa era o mar Morto, até o ponto onde o rio Jordão desemboca. Ao norte a divisa começava ali,

seguia até Bete-Hogla e passava ao norte de Bete-Arabá. Daí subia até a pedra de Boã (Boã era filho de Rúben).

Depois, começando no vale da Desgraça, ia até Debir e voltava para o norte na direção de Gilgal, que fica em frente da subida de Adumim, no sul do vale. Em seguida continuava até as fontes de Semes e depois até a fonte de Rogel.

Daí atravessava o vale de Ben-Hinom, no sul da montanha dos jebuseus, onde fica a cidade de Jerusalém. Depois a divisa seguia até o alto da montanha que fica em frente do vale de Hinom, no lado oeste, no fim do vale dos Gigantes, ao norte.

Partindo do alto da montanha, ia até as fontes de Neftoa e daí até as cidades vizinhas do monte Efrom. Aí voltava na direção de Baalá (ou Quiriate-Jearim)

e rodeava Baalá pelo oeste até o monte Seir. Então passava pelo lado norte do monte Jearim (ou Quesalom), descia até Bete-Semes e ia além de Timna.

Daí a divisa seguia pelas subidas das montanhas ao norte de Ecrom, voltava até Siquerom, passava o monte Baalá, saindo em Jâmnia e terminando no mar Mediterrâneo.

A oeste a divisa era o litoral do mar Mediterrâneo. Estas eram as divisas da terra das famílias da tribo de Judá.

Como o SENHOR havia ordenado a Josué, uma parte da terra do povo de Judá foi dada a Calebe, filho de Jefoné. Josué lhe deu Hebrom, que era a cidade de Arba, o pai de Anaque.

Calebe expulsou dali os três filhos de Anaque, isto é, Sesai, Aimã e Talmai.

De lá foi atacar o povo que vivia em Debir, cidade que antes se chamava Quiriate-Sefer.

Calebe disse: — Eu darei minha filha Acsa em casamento ao homem que conseguir conquistar a cidade de Quiriate-Sefer.

Otoniel conquistou a cidade. Ele era filho de Quenaz, o irmão de Calebe. Então Calebe lhe deu sua filha Acsa em casamento.

Quando Acsa foi morar com Otoniel, ela insistiu com ele que pedisse ao pai dela algumas terras. Acsa foi para o lugar onde Calebe estava, e, quando ela desceu do jumento, o seu pai perguntou: — O que é que você quer?

— Eu quero um presente! — respondeu ela. — Já que o senhor me deu uma terra seca, me dê também algumas fontes de água. Então Calebe lhe deu as fontes que ficavam nas terras altas e nas baixas.

As terras que as famílias da tribo de Judá receberam como sua propriedade são citadas em seguida.

Bem no sul, perto da divisa de Edom, elas receberam as cidades de Cabzeel, Éder, Jagur,

Quiná, Dimona, Adada,

Quedes, Azor, Itnã,

Zife, Telém, Bealote,

Hazor-Hadata, Queriote-Hezrom (ou Hazor),

Amã, Sema, Molada,

Hazar-Gada, Hesmom, Bete-Palete,

Hazar-Sual, Berseba, Biziotia,

Baalá, Iim, Ezém,

Eltolade, Quesil, Horma,

Ziclague, Madmana, Sansana,

Lebaote, Silim, Aim e Rimom. Ao todo vinte e nove cidades, mais os povoados vizinhos.

As cidades na planície foram Estaol, Zora, Asnate,

Zanoa, En-Ganim, Tapua, Enã,

Jarmute, Adulã, Socó, Azeca,

Saaraim, Aditaim, Gedera e Gederotaim. Ao todo catorze cidades, mais os povoados vizinhos.

Também receberam as cidades de Zenã, Hadasa, Migdal-Gade,

Dileã, Mispa, Jocteel,

Laquis, Boscate, Eglom,

Cabom, Laamas, Quitlis,

Gederote, Bete-Dagom, Naama e Maquedá. Ao todo dezesseis cidades, mais os povoados vizinhos.

As famílias de Judá também receberam Libna, Eter, Asã,

Ifta, Asnate, Nezibe,

Queila, Aczibe e Maressa. Ao todo nove cidades, mais os povoados vizinhos.

Receberam ainda Ecrom com os seus povoados e aldeias

e todas as cidades e povoados perto de Asdode, desde Ecrom até o mar Mediterrâneo.

Receberam as cidades de Asdode e Gaza, com os seus povoados e aldeias, que iam até o ribeirão na divisa do Egito e até o litoral do mar Mediterrâneo.

Na região montanhosa, as cidades de Samir, Jatir, Socó,

Daná, Quiriate-Sana (ou Debir),

Anabe, Estemoa, Anim,

Gosém, Holom e Gilo. Ao todo onze cidades, mais os povoados vizinhos.

As famílias de Judá também receberam Arabe, Dumá, Esã,

Janim, Bete-Tapua, Afeca,

Hunta, Quiriate-Arba (ou Hebrom) e Zior. Ao todo nove cidades, mais os povoados vizinhos.

Receberam as cidades de Maom, Carmelo, Zife, Jutá,

Jezreel, Jocdeão, Zanoa,

Caim, Gibeá e Timna. Ao todo dez cidades, mais os povoados vizinhos.

Receberam ainda Halul, Bete-Zur, Gedor,

Maarate, Bete-Anote e Eltecom. Ao todo seis cidades, mais os povoados vizinhos.

Receberam também Quiriate-Baal (ou Quiriate-Jearim) e Rabá: duas cidades, mais os povoados vizinhos.

No deserto, Bete-Arabá, Midim, Secaca,

Nibsã, a “Cidade do Sal” e a Fonte de Gedi. Ao todo seis cidades, mais os povoados vizinhos.

Mas o povo de Judá não conseguiu expulsar os jebuseus que moravam em Jerusalém; até hoje eles moram ali com o povo de Judá.

 

Js 16

As terras que foram dadas aos descendentes de José iam desde o rio Jordão, perto da cidade de Jericó, até o deserto. De Jericó elas continuavam pela região montanhosa até a cidade de Betel.

De Betel a divisa ia até a cidade de Luz, chegando a Atarote, onde viviam os arquitas.

Daí seguia para o oeste, na divisa com os jafletitas, até a região de Bete-Horom-de-Baixo. Então ia até Gezer e terminava no mar Mediterrâneo.

As tribos de Manassés e Efraim, descendentes de José, receberam essas terras como sua propriedade.

As terras das famílias da tribo de Efraim são citadas em seguida. A sua divisa a leste era a cidade de Atarote-Adar, até Bete-Horom-de-Cima.

Dali ia até o mar Mediterrâneo. Micmeta ficava ao norte. A leste a divisa voltava até a cidade de Taanate-Siló e passava além dela, a leste, indo até Janoa.

Daí descia até as cidades de Atarote e Naarate. Chegava até Jericó e terminava no rio Jordão.

Para o oeste a divisa ia da cidade de Tapua ao riacho de Caná e terminava no mar Mediterrâneo. Estas foram as terras dadas às famílias da tribo de Efraim para serem propriedade delas.

A tribo de Efraim também recebeu alguns povoados e aldeias que estavam dentro das terras da tribo de Manassés.

Porém os cananeus que viviam em Gezer não foram expulsos. Eles continuam a viver no meio dos efraimitas até hoje, mas são obrigados a trabalhar como escravos.

 

Js 17

Uma parte da terra foi dada à tribo de Manassés, por ser ele o filho mais velho de José. Maquir, pai de Gileade, era o filho mais velho de Manassés e era soldado. Ele recebeu as regiões de Gileade e de Basã.

As outras famílias da tribo de Manassés também receberam terras. Foram as famílias de Abiezer, Heleque, Asriel, Siquém, Héfer e Semida. Estes eram filhos de Manassés, que era filho de José.

Zelofeade era filho de Héfer, neto de Gileade, bisneto de Maquir e trineto de Manassés. Zelofeade não tinha filhos; só filhas. Os nomes delas eram Macla, Noá, Hogla, Milca e Tirza.

Elas foram falar com o sacerdote Eleazar, com Josué e com os líderes e disseram: — O SENHOR Deus ordenou que Moisés desse não só aos nossos parentes do sexo masculino, mas também a nós uma parte da terra para ser nossa propriedade. E, como SENHOR havia mandado, elas também receberam terras para serem sua propriedade.

Assim Manassés recebeu a região de Gileade e Basã, no lado leste do rio Jordão, e recebeu também dez partes no lado oeste.

Isso porque tanto as suas filhas como os seus filhos receberam terras. A região de Gileade foi dada aos outros descendentes de Manassés.

As terras da tribo de Manassés iam desde as terras da tribo de Aser até a cidade de Micmeta, a leste de Siquém. A divisa dessas terras ia para o sul até onde morava o povo de En-Tapua.

A terra de Tapua pertencia à tribo de Manassés, mas a cidade de Tapua, na divisa, era dos descendentes de Efraim.

De En-Tapua a divisa descia até o ribeirão de Caná. As cidades ao sul do ribeirão eram da tribo de Efraim, embora estivessem entre as cidades dos descendentes de Manassés. A divisa das terras de Manassés continuava pelo lado norte do ribeirão e terminava no mar Mediterrâneo.

A tribo de Efraim ficava no Sul, e a de Manassés, no Norte, indo as suas terras até o mar Mediterrâneo. As terras da tribo de Manassés iam até as de Aser, no Norte, e até as de Issacar, no Leste.

Nas terras das tribos de Issacar e de Aser, a cidade de Bete-Sã e os povoados vizinhos eram da tribo de Manassés. Também faziam parte da tribo de Manassés os moradores de Ibleão e as cidades de Dor (no litoral), Endor, Taanaque, Megido e os povoados vizinhos.

Mas o povo de Manassés não conseguiu expulsar os moradores dessas cidades, e por isso os cananeus continuaram a morar nelas.

E, mesmo quando os israelitas se tornaram fortes, não expulsaram todos os cananeus, mas os obrigaram a trabalhar para eles.

As famílias das tribos de José disseram a Josué: — Por que é que você nos deu só uma parte da terra para ser nossa propriedade? Nós somos muitos porque o SENHOR nos tem abençoado.

Josué respondeu: — Se vocês são muitos, e a região montanhosa de Efraim é pequena demais para vocês, então tomem uma parte da terra dos perizeus e dos refains, na floresta, e limpem o terreno.

Eles disseram: — A região montanhosa não dá para nós. E além disso os cananeus que vivem na planície têm carros de ferro, tanto os que moram na cidade de Bete-Sã e nos povoados vizinhos como os do vale de Jezreel.

Então Josué disse aos descendentes de Efraim e de Manassés: — De fato, vocês são muitos e muito fortes. Vocês não terão só uma parte.

A região montanhosa será de vocês. Embora seja uma floresta, vocês limparão o terreno e ficarão com ele de ponta a ponta. Pois vocês expulsarão os cananeus, embora eles tenham carros de ferro e sejam fortes.

 

Js 18

Agora a terra já estava conquistada. Então todo o povo de Israel se reuniu na cidade de Siló, e armaram ali a Tenda Sagrada.

Sete tribos ainda não tinham recebido as suas terras.

Nessa ocasião Josué disse ao povo de Israel: — Até quando vão ficar esperando para tomar posse da terra que o SENHOR, o Deus dos seus antepassados, deu a vocês?

Escolham três homens de cada tribo, e eu os mandarei andar por toda esta terra. Eles farão por escrito uma descrição das terras que gostariam de ter como sua propriedade e depois voltarão para falar comigo.

Esses homens dividirão a terra em sete partes. A tribo de Judá ficará nas suas terras, no Sul, e os descendentes de José nas suas, no Norte.

Tragam a descrição da terra dividida em sete partes. Então eu farei o sorteio para consultar o SENHOR, nosso Deus, por vocês.

Os levitas não receberão, como os outros, uma parte da terra porque a parte deles é servir como sacerdotes de Deus, o SENHOR. As tribos de Gade, de Rúben e de Manassés do Leste já receberam as suas terras a leste do rio Jordão, terras que foram dadas por Moisés, servo do SENHOR.

E os homens saíram para fazer a descrição daquela terra, depois de receberem de Josué esta ordem: — Andem por toda esta terra, façam por escrito uma descrição dela e depois voltem para falar comigo. Então, aqui em Siló, eu farei o sorteio para consultar o SENHOR Deus por vocês.

Assim os homens foram, andaram por toda aquela terra e fizeram uma descrição dela num livro. Eles a dividiram em sete partes e prepararam uma lista das cidades. Depois voltaram ao acampamento de Siló, onde Josué estava.

Então Josué fez o sorteio para consultar o SENHOR por eles e deu a cada tribo do povo de Israel uma parte da terra.

As famílias da tribo de Benjamim receberam terras que ficavam entre a tribo de Judá e as tribos de José.

No Norte a sua divisa começava no rio Jordão. Daí subia pelo lado norte de Jericó, na direção oeste, seguindo pela região montanhosa até o deserto de Bete-Avém.

Então ia para o sul na direção da cidade de Luz, até a subida de Luz (também chamada de Betel). Daí descia para Atarote-Adar, na montanha que fica ao sul de Bete-Horom-de-Baixo.

Dali a divisa ia noutra direção e, do lado oeste da montanha que fica em frente de Bete-Horom, virava para o sul, indo até a cidade de Quiriate-Baal (ou Quiriate-Jearim), que é da tribo de Judá. Esta era a divisa a oeste.

No Sul a divisa começava na ponta de Quiriate-Jearim e dali ia para o oeste até as fontes de Neftoa.

Daí descia até o fim da montanha que está em frente do vale de Ben-Hinom, na ponta norte do vale dos Gigantes. A divisa seguia para o sul pelo vale de Hinom, no sul da subida dos jebuseus, até a fonte de Rogel.

Virava para o norte, indo até a fonte de Semes, e daí a Gelilote, do outro lado da subida de Adumim. Então descia até a pedra de Boã (Boã era filho de Rúben),

passava ao norte da subida defronte do vale do Jordão e depois descia até o vale.

Seguia para o norte da subida de Bete-Hogla e terminava na ponta sul do rio Jordão, isto é, na baía onde este rio desemboca no mar Morto. Esta era a divisa no Sul.

O rio Jordão era a divisa a leste. São estas as divisas das terras que as famílias da tribo de Benjamim receberam como sua propriedade.

As cidades que pertenciam às famílias da tribo de Benjamim eram Jericó, Bete-Hogla, Emeque-Quesis,

Bete-Arabá, Zemaraim, Betel,

Avim, Pará, Ofra,

Quefar-Amonai, Ofni e Gaba. Ao todo doze cidades, mais os povoados vizinhos.

Também eram da tribo de Benjamim as cidades de Gibeão, Ramá, Beerote,

Mispa, Cefira, Mosa,

Requém, Irpeel, Tarala,

Zela, Elefe, Jebus (ou Jerusalém), Gibeá e Quiriate-Jearim. Ao todo catorze cidades, mais os seus povoados. São estas as terras que as famílias da tribo de Benjamim receberam como sua propriedade.

 

Js 19

A segunda distribuição de terras foi feita para as famílias da tribo de Simeão. A sua parte ficava no meio das terras da tribo de Judá.

Eram da tribo de Simeão as cidades de Berseba, Seba, Molada,

Hazar-Sual, Balá, Ezém,

Eltolade, Betul, Horma,

Ziclague, Bete-Marcabote, Hazar-Susa,

Bete-Lebaote e Saruém. Ao todo treze cidades, mais os povoados vizinhos.

Também eram dessa tribo Aim, Rimom, Eter e Asã. Ao todo quatro cidades com os seus povoados.

Pertenciam ainda à tribo de Simeão todos os povoados vizinhos dessas cidades até Baalate-Ber, isto é, Ramá do Sul. Estas foram as terras que as famílias da tribo de Simeão receberam como sua propriedade.

A parte da tribo de Simeão foi tirada das terras de Judá. As terras dadas a Judá eram grandes demais para essa tribo, de modo que a de Simeão recebeu parte delas.

A terceira distribuição de terras foi feita para as famílias da tribo de Zebulom. Elas receberam terras que iam até Saride.

A sua divisa subia na direção oeste até Marala, passava por Dabasete e chegava ao riacho que fica a leste de Jocneão.

Do outro lado de Saride, seguia para o leste até a divisa com Quislote-Tabor, passava por Daberate e, subindo, chegava até Jafia.

Continuava na direção leste até Gate-Hefer e Ete-Cazim, virando para o lado de Néia, pelo caminho de Rimom.

No Norte a divisa virava para o lado de Hanatom, terminando no vale de Iftael.

Das terras de Zebulom também faziam parte Catate, Naalal, Sinrom, Idala e Belém. Ao todo doze cidades, mais os seus povoados.

Essas cidades e povoados estavam nas terras que as famílias da tribo de Zebulom receberam como sua propriedade.

A quarta distribuição de terras foi feita para as famílias da tribo de Issacar.

As suas terras incluíam as cidades de Jezreel, Quesulote, Suném,

Hafaraim, Seom, Anacarate,

Rabite, Quisião, Ebes,

Remete, En-Ganim, En-Hada e Bete-Pasês.

A divisa passava por Tabor, Saazima e Bete-Semes, terminando no rio Jordão. Faziam parte das terras de Issacar dezesseis cidades, mais os seus povoados.

Essas cidades e os seus povoados estavam nas terras que as famílias da tribo de Issacar receberam como sua propriedade.

A quinta distribuição de terras foi feita para as famílias da tribo de Aser.

Essas terras incluíam as cidades de Helcate, Hali, Betém, Acsafe,

Alameleque, Amade e Misal. No lado oeste a divisa chegava ao monte Carmelo e Sior-Libnate.

Depois virava para o leste até Bete-Dagom, passava por Zebulom e pelo vale de Iftael e ia para o norte até Bete-Emeque e Neiel. Continuava para o norte até as cidades de Cabul,

Ebrom, Reobe, Hamom e Caná, chegando até a grande Sidom.

A divisa então virava para o lado de Ramá, chegando a Tiro, a cidade cercada de muralhas. Daí virava para o lado de Hosa e terminava no mar Mediterrâneo. Das terras de Aser também faziam parte Maalabe, Aczibe,

Umá, Afeca e Reobe. Ao todo vinte e duas cidades, mais os seus povoados.

Essas cidades e os seus povoados estavam nas terras que as famílias da tribo de Aser receberam como sua propriedade.

A sexta distribuição de terras foi feita para as famílias da tribo de Naftali.

A sua divisa começava em Helefe, desde o carvalho de Zaananim, e ia de Adami-Nequebe e Jabneel até Lacum, terminando no rio Jordão.

A divisa virava para o oeste e ia até Aznote-Tabor; daí seguia até Hucoque, chegando até Zebulom ao sul, até Aser a oeste e até Judá a leste, no rio Jordão.

As cidades protegidas por muralhas eram Zidim, Zer, Hamate, Racate, Quinerete,

Adamá, Ramá, Hazor,

Quedes, Edrei, En-Hazor,

Irom, Migdalel, Horém, Bete-Anate e Bete-Semes. Ao todo dezenove cidades, mais os seus povoados.

Essas cidades e os seus povoados estavam nas terras que as famílias da tribo de Naftali receberam como sua propriedade.

A sétima distribuição de terras foi feita para as famílias da tribo de Dã.

As suas terras incluíam as cidades de Zora, Estaol, Ir-Semes,

Saalabim, Aijalom, Itla,

Elom, Timna, Ecrom,

Elteque, Gibetom, Baalate,

Jeúde, Benê-Beraque, Gate-Rimom,

Me-Jarcom, Racom e as terras que ficam em frente da cidade de Jope.

Quando os descendentes de Dã perderam as suas terras, eles foram a Laíe e a atacaram. Tomaram a cidade e mataram os seus moradores. Então tomaram posse da terra e passaram a morar nela. Mudaram o nome da cidade de Lesém para Dã, que era o nome do fundador da tribo.

Essas cidades e os seus povoados estavam nas terras que as famílias da tribo de Dã receberam como sua propriedade.

Quando os israelitas acabaram de fazer a divisão da terra, deram a Josué, filho de Num, uma parte para ser sua propriedade.

Como o SENHOR tinha ordenado, deram a Josué a cidade que ele havia pedido. Essa cidade ficava na região montanhosa de Efraim e se chamava Timnate-Sera. Josué construiu a cidade de novo e passou a morar nela.

O sacerdote Eleazar, Josué e os chefes das famílias das tribos de Israel fizeram a divisão da terra. Para fazerem essa divisão, consultaram o SENHOR, por sorteio, na entrada da Tenda Sagrada, em Siló. E assim acabaram de repartir a terra.

 

Js 20

O SENHOR Deus ordenou a Josué:

— Diga ao povo de Israel: “Escolham algumas cidades para fugitivos. Eu falei dessas cidades a vocês por meio de Moisés.

A pessoa que, sem querer ou por engano, matar alguém poderá fugir para uma dessas cidades, para escapar do parente da vítima, que está procurando vingança.

O fugitivo irá ao lugar de julgamento na entrada da cidade e explicará aos líderes o que aconteceu. Então elas o deixarão ficar na cidade e lhe darão um lugar para morar ali.

O povo da cidade não entregará o fugitivo ao parente que está procurando vingança. Eles protegerão o fugitivo porque matou alguém sem querer e não por ódio.

O fugitivo ficará na cidade até ser julgado na presença do povo dali e até que morra o Grande Sacerdote que estiver servindo naquele tempo. Aí poderá voltar para a sua cidade, a cidade de onde fugiu.”

Como cidades para fugitivos escolheram Quedes, na Galiléia, na região montanhosa de Naftali; Siquém, na região montanhosa de Efraim; e Quiriate-Arba (ou Hebrom), na região montanhosa de Judá.

A leste do rio Jordão, no planalto a leste de Jericó, no deserto, escolheram Bezer, da tribo de Rúben; Ramote, em Gileade, da tribo de Gade; e Golã, em Basã, da tribo de Manassés.

Estas foram as cidades para fugitivos escolhidas para todo o povo de Israel e para todos os estrangeiros que moravam no meio dos israelitas. Qualquer pessoa que, sem querer, matasse alguém podia encontrar proteção nessas cidades. Essa pessoa não podia ser morta pelo parente que procurava vingança. Ela era julgada ali na presença do povo da cidade.

 

Js 21

(1-2) Os chefes das famílias dos levitas foram até a cidade de Siló, na terra de Canaã. Ali falaram com o sacerdote Eleazar, com Josué, filho de Num, e com os chefes das famílias de todas as tribos de Israel. Eles disseram: — O SENHOR Deus ordenou, por meio de Moisés, que nos dessem cidades para morar e também pastos ao redor delas para o nosso gado.

E os israelitas, obedecendo à ordem de Deus, o SENHOR, deram das suas terras cidades e pastos para os levitas.

As famílias dos coatitas foram as primeiras a receber cidades. Os levitas que eram descendentes do sacerdote Arão receberam treze cidades das tribos de Judá, Simeão e Benjamim.

Os outros coatitas receberam dez cidades das famílias das tribos de Efraim e de Dã e da metade oeste da tribo de Manassés.

Os gersonitas receberam treze cidades das famílias das tribos de Issacar, Aser, Naftali e da metade da tribo de Manassés que estava em Basã, a leste do Jordão.

As famílias dos meraritas receberam doze cidades das tribos de Rúben, Gade e Zebulom.

O povo de Israel, por meio de sorteio, separou para os levitas essas cidades e os pastos ao redor delas, como o SENHOR havia ordenado por meio de Moisés.

São citadas a seguir as cidades das tribos de Judá e de Simeão que foram dadas

aos descendentes de Arão que eram do grupo de famílias de Coate, filho de Levi. As terras dos coatitas foram as primeiras a serem sorteadas.

Deram a essas famílias a cidade de Quiriate-Arba (Arba foi o pai de Anaque), que é Hebrom, na região montanhosa de Judá, e os pastos ao seu redor.

Mas os campos em volta da cidade e os seus povoados tinham sido dados a Calebe, filho de Jefoné, como sua propriedade.

Aos descendentes de Arão deram Hebrom com os seus pastos. Esta era uma das cidades para os fugitivos que tivessem matado alguém. Deram também as cidades de Libna,

Jatir, Estemoa,

Holom, Debir,

Aim, Jutá e Bete-Semes, com os seus pastos. Ao todo nove cidades das tribos de Judá e de Simeão.

Da tribo de Benjamim deram quatro cidades: Gibeão, Geba,

Anatote e Almom.

Ao todo foram dadas treze cidades com os seus pastos aos sacerdotes, que eram descendentes de Arão.

Para as outras famílias coatitas, que eram levitas, eles deram algumas cidades da tribo de Efraim.

Essas famílias receberam Siquém e os seus pastos na região montanhosa de Efraim. Siquém era uma das cidades para os fugitivos que tivessem matado alguém. Os coatitas receberam também Gezer,

Quibzaim e Bete-Horom, com os seus pastos. Ao todo quatro cidades.

Da tribo de Dã eles receberam quatro cidades: Elteque, Gibetom,

Aijalom e Gate-Rimom, com os seus pastos.

Da metade oeste da tribo de Manassés eles receberam duas cidades: Taanaque e Gate-Rimom, com os seus pastos.

Essas famílias coatitas receberam ao todo dez cidades com os seus pastos.

Os gersonitas, que eram outra família de levitas, receberam da metade leste da tribo de Manassés a cidade de Golã, em Basã, com os seus pastos. Esta era uma das cidades para os fugitivos que tivessem matado alguém. Os gersonitas receberam também a cidade de Beesterá com os seus pastos.

Da tribo de Issacar eles receberam quatro cidades: Quisião, Daberate,

Jarmute e En-Ganim, com os seus pastos.

Da tribo de Aser eles receberam quatro cidades: Misal, Abdom,

Helcate e Reobe, com os seus pastos.

Da tribo de Naftali receberam a cidade de Quedes, na Galiléia, com os seus pastos. Quedes era uma cidade para os fugitivos que tivessem matado alguém. Os gersonitas receberam também Hamote-Dor e Cartã, com os seus pastos. Ao todo três cidades.

As várias famílias dos gersonitas receberam ao todo treze cidades com os seus pastos.

Os outros levitas, isto é, as famílias meraritas, receberam da tribo de Zebulom quatro cidades: Jocneão, Cartá,

Dimna e Naalal, com os seus pastos.

Da tribo de Rúben eles receberam quatro cidades: Bezer, Jasa,

Quedemote e Mefaate, com os seus pastos.

Da tribo de Gade eles receberam Ramote, em Gileade, com os seus pastos. Ramote era uma das cidades para os fugitivos que tivessem matado alguém. Os meraritas receberam também Maanaim,

Hesbom e Jazer, com os seus pastos. Ao todo quatro cidades.

Esses levitas, isto é, as várias famílias meraritas, receberam doze cidades ao todo.

Das terras dos israelitas foram dadas aos levitas, ao todo, quarenta e oito cidades com os seus pastos.

Cada uma dessas cidades tinha pastos ao seu redor.

Assim o SENHOR Deus deu aos israelitas toda a terra que havia prometido aos seus antepassados. E, quando tomaram posse da terra, eles passaram a morar nela.

O SENHOR lhes deu paz com os povos vizinhos, conforme havia prometido aos seus antepassados. Nenhum dos inimigos conseguiu resistir, pois o SENHOR deu ao povo de Israel a vitória sobre eles.

O SENHOR cumpriu todas as boas promessas que havia feito ao povo de Israel.

 

Js 22

Então Josué reuniu o povo das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste

e disse: — Vocês têm feito tudo o que Moisés, servo do SENHOR, mandou e têm obedecido a todas as minhas ordens também.

Durante todo esse tempo, até hoje, vocês não abandonaram os seus irmãos israelitas. Vocês têm obedecido com cuidado aos mandamentos do SENHOR.

Agora o SENHOR, o Deus de vocês, deu aos seus irmãos israelitas a paz, como havia prometido. Voltem, pois, para a terra que vocês conquistaram do outro lado do rio Jordão, a terra que Moisés, servo do SENHOR, lhes deu.

Obedeçam com muito cuidado ao mandamento e à lei que Moisés, servo do SENHOR, lhes deu. Amem o SENHOR, o Deus de vocês, façam a vontade dele, obedeçam aos seus mandamentos, fiquem ligados com ele e o sirvam com todo o coração e com toda a alma.

Aí Josué os abençoou e se despediu deles. E eles voltaram para casa.

Moisés tinha dado terras a leste do rio Jordão, em Basã, a uma das metades da tribo de Manassés. Mas para a outra metade Josué tinha dado terras a oeste do rio, junto com as outras tribos. Quando Josué se despediu deles, abençoou-os

e disse: — Vocês estão voltando para casa muito ricos, com muito gado, prata, ouro, bronze, ferro e grande quantidade de roupas. Repartam com os seus irmãos israelitas aquilo que vocês tomaram dos inimigos.

Então o povo das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste voltou para casa. Eles deixaram os outros israelitas em Siló, na terra de Canaã, e foram para Gileade, a terra deles, que haviam conquistado conforme o SENHOR tinha ordenado por meio de Moisés.

Quando chegaram a Gelilote, do lado oeste do rio Jordão, as duas tribos e meia construíram ali um altar grande, que podia ser visto de longe.

Os israelitas das outras tribos ouviram falar disso e comentavam: — Escutem! O povo das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste construiu um altar em Gelilote, do nosso lado do rio Jordão!

Quando o povo de Israel ouviu isso, todos se reuniram em Siló para fazer guerra contra eles.

Então o povo de Israel enviou Finéias, filho do sacerdote Eleazar, à terra de Gileade, para falar com o povo das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste.

Junto com Finéias foram dez líderes, um de cada uma das tribos de Israel.

Eles foram até a terra de Gileade para falar com o povo de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste. Eles disseram:

— Todo o povo de Deus reunido mandou dizer isto: “Por que vocês fizeram essa traição contra o Deus de Israel? Por que se revoltaram contra o SENHOR, construindo vocês mesmos esse altar? Será que não estão mais seguindo o SENHOR?

Vocês não lembram do pecado cometido em Peor, quando o SENHOR castigou o seu povo? Nós ainda estamos sofrendo por causa disso. Será que aquele pecado não bastava?

Será que agora vão deixar de seguir o SENHOR? Se hoje vocês se revoltarem contra o SENHOR, amanhã ele ficará irado com todo o povo de Israel.

Agora, se acham que a terra de vocês é impura, então passem para cá, para a terra de Deus, o SENHOR, onde está a Tenda Sagrada em que ele mora. Peçam um pedaço de terra aqui do nosso lado. Porém não se revoltem contra o SENHOR nem contra nós, construindo vocês mesmos outro altar além do altar do SENHOR, nosso Deus.

Lembrem que Acã, filho de Zera, não quis obedecer ao mandamento a respeito das coisas que deviam ser destruídas, e todo o povo de Israel foi castigado por causa disso. E Acã não foi o único que morreu por causa do seu pecado.”

Então o povo das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste respondeu aos chefes das famílias de Israel:

— Deus é o Poderoso! Ele é o SENHOR! Deus é o Poderoso! Ele é o SENHOR! Ele sabe por que fizemos isso, e fiquem sabendo vocês também. Se nós nos revoltamos e se não fomos fiéis ao SENHOR, não nos deixem continuar a viver.

Nós não construímos o nosso altar para oferecer sacrifícios a serem completamente queimados, nem para colocar sobre ele ofertas de cereais ou ofertas de paz. Que o SENHOR mesmo nos castigue se construímos este altar para desobedecer a ele!

Pelo contrário, fizemos isso porque ficamos com medo de que um dia os descendentes de vocês venham a dizer aos nossos: “Que ligação vocês têm com o SENHOR, o Deus de Israel?

O SENHOR pôs o rio Jordão como divisa entre nós e vocês, tribos de Rúben e de Gade. Vocês não têm nada a ver com Deus, o SENHOR.” E assim os descendentes de vocês poderiam fazer com que os nossos descendentes deixassem de adorar o SENHOR.

Por isso o altar que construímos não foi para apresentar ofertas a serem completamente queimadas, nem para oferecer sacrifícios.

Pelo contrário, queríamos que fosse um sinal para nós, e para vocês, e para os nossos descendentes depois de nós. Seria um sinal para adorarmos o SENHOR com as nossas ofertas a serem completamente queimadas, com sacrifícios de animais e com ofertas de paz. Isso foi feito para evitar que um dia os seus descendentes venham a dizer aos nossos: “Vocês não têm nenhuma ligação com o SENHOR.”

Nós pensamos que, se um dia isso acontecer, os nossos descendentes poderão dizer: “Vejam! Os nossos antepassados fizeram um altar igual ao altar de Deus, o SENHOR. Ele não foi construído a fim de apresentarmos ofertas a serem completamente queimadas nem sacrifícios de animais, mas a fim de ser um sinal para nós e para vocês.”

Nunca tivemos a intenção de nos revoltar contra o SENHOR, nem pensamos em deixar de segui-lo. Nós não iríamos construir um altar para apresentar ofertas a serem completamente queimadas ou ofertas de cereais, nem para oferecer sacrifícios de animais. Nunca faríamos outro altar além do altar do SENHOR, nosso Deus, que fica em frente da Tenda onde ele mora.

O sacerdote Finéias, os líderes do povo e os chefes das famílias de Israel que estavam com ele ouviram o que disse o povo das tribos de Rúben, de Gade e de Manassés do Leste e ficaram satisfeitos.

E Finéias, filho do sacerdote Eleazar, disse ao povo de Rúben, de Gade e de Manassés: — Agora sabemos que o SENHOR está entre nós, pois vocês não se revoltaram contra ele. Vocês salvaram o povo de Israel do castigo do SENHOR.

Então Finéias e os líderes deixaram a gente de Rúben e de Gade na região de Gileade, voltaram para a terra de Canaã e contaram tudo ao povo de Israel.

O que disseram agradou aos israelitas. Então eles louvaram a Deus e não pensaram mais em fazer guerra, nem em destruir a terra onde a gente de Rúben e de Gade estava morando.

E a gente das tribos de Rúben e de Gade chamou o altar de “Testemunha” porque disseram: “É uma testemunha entre nós de que o SENHOR é Deus.”

 

Js 23

O SENHOR Deus deixou que o povo de Israel vivesse em paz com os inimigos ao seu redor. Passou muito tempo, e Josué ficou bem velho.

Ele chamou todo o povo de Israel, os conselheiros, os líderes, os juízes e os oficiais e disse: — Eu já estou velho.

Vocês viram tudo o que o SENHOR, nosso Deus, fez com todas essas nações por causa de vocês. O SENHOR tem lutado a favor de vocês.

Escutem! Eu distribuí entre as tribos, para serem propriedade delas, as terras das nações que ainda não foram conquistadas. Assim também distribuí as terras das nações que já foram vencidas, desde o rio Jordão, a leste, até o mar Mediterrâneo, a oeste.

O SENHOR, nosso Deus, fará com que essas nações fujam de vocês e as expulsará para longe. Vocês tomarão posse das terras dessas nações, como o SENHOR, nosso Deus, prometeu.

Por isso se esforcem para obedecer fielmente a tudo o que está escrito no Livro da Lei de Moisés. Não desprezem nenhuma parte desta Lei

para que assim não se misturem com esses povos que ainda vivem entre vocês. Também não falem os nomes dos seus deuses, nem jurem por eles; não os adorem, nem se curvem diante deles.

Fiquem ligados a Deus, o SENHOR, como vocês têm ficado até agora.

O SENHOR expulsou povos grandes e fortes para longe, e até agora ninguém conseguiu resistir a vocês.

Um só israelita pode fazer fugirem mil inimigos porque o SENHOR, nosso Deus, está lutando por vocês, como prometeu.

Por isso amem somente o SENHOR, nosso Deus.

Mas, se vocês não forem fiéis a ele, e fizerem amizade com os povos que ainda estão aí, e casarem com essa gente,

podem ficar certos de que ele não expulsará mais esses povos do meio de vocês. Pelo contrário, eles se tornarão perigosos para vocês, como se fossem precipícios, armadilhas, chicotes nas costas ou espinhos nos olhos. E isso continuará até que vocês desapareçam desta boa terra que o SENHOR, nosso Deus, lhes deu.

— Agora o dia da minha morte está perto. Todos vocês sabem, no seu coração e no seu íntimo, que o SENHOR, nosso Deus, lhes deu todas as coisas boas que havia prometido. Ele cumpriu tudo; não falhou em nada.

(15-16) Sim, o SENHOR, nosso Deus, fez com que acontecessem todas as coisas boas que lhes tinha prometido. Mas, se vocês adorarem outros deuses e se curvarem diante deles, então ele ficará irado e castigará vocês. Porque, se vocês fizerem isso, quebrarão a aliança que o SENHOR Deus mandou que cumprissem. E logo não ficará nenhum de vocês nesta boa terra que ele lhes deu.

 

Js 24

Depois Josué reuniu em Siquém todas as tribos de Israel. Chamou os conselheiros, os líderes, os juízes e os oficiais de Israel, e eles se apresentaram diante de Deus.

Então Josué disse a todo o povo: — O SENHOR, o Deus de Israel, diz isto: “Há muito tempo, os antepassados de vocês viviam no outro lado do rio Eufrates e adoravam outros deuses. Tera, um desses antepassados, era pai de Abraão e de Naor.

Porém eu tirei Abraão da terra que está do outro lado do Eufrates e fiz com que ele andasse por toda a terra de Canaã. Eu lhe dei muitos descendentes: a Abraão eu dei Isaque

e a Isaque dei Jacó e Esaú. A Esaú eu dei, para ser sua propriedade, a região montanhosa de Seir; porém Jacó e os seus filhos desceram até o Egito.

Depois enviei Moisés e Arão e fiz uma grande destruição no Egito. Nessa ocasião tirei vocês de lá.

Fiz com que os seus antepassados saíssem do Egito, e eles chegaram até o mar Vermelho. Mas os egípcios os perseguiram até o mar, com carros de guerra e cavaleiros.

Então os israelitas me pediram socorro, e eu fiz com que uma escuridão os escondesse dos egípcios. E mandei que o mar caísse em cima dos egípcios e os cobrisse. Vocês viram o que eu fiz com o Egito. Depois vocês viveram no deserto por muito tempo.

— “Então eu os levei para a terra dos amorreus que moravam a leste do rio Jordão. Os amorreus os atacaram, mas eu dei a vitória a vocês. Vocês tomaram posse da terra deles, e eu os destruí diante de vocês.

Aí o rei de Moabe, Balaque, filho de Zipor, fez guerra contra Israel. Balaque mandou buscar Balaão, filho de Beor, e pediu que ele amaldiçoasse vocês.

Mas eu não quis ouvir Balaão, e assim ele os abençoou, e eu os salvei das mãos de Balaque.

Vocês atravessaram o rio Jordão e chegaram até a cidade de Jericó. Os homens de Jericó lutaram contra vocês, e depois também os amorreus, os perizeus, os cananeus, os heteus, os girgaseus, os heveus e os jebuseus. Eu fiz com que vocês vencessem a todos.

Antes de vocês chegarem, expulsei os dois reis amorreus, fazendo com que eles fugissem apavorados. Não foi nem pelas espadas nem pelos arcos e flechas de vocês que eles foram expulsos.

Eu dei a vocês uma terra em que vocês nunca haviam trabalhado e cidades que não haviam construído. E vocês estão vivendo nessas cidades e comendo uvas e azeitonas de parreiras e oliveiras que não plantaram.”

Josué terminou, dizendo: — Portanto, agora temam a Deus, o SENHOR. Sejam seus servos sinceros e fiéis. Esqueçam os deuses que os seus antepassados adoravam na Mesopotâmia e no Egito e sirvam o SENHOR.

Mas, se vocês não querem ser servos do SENHOR, decidam hoje a quem vão servir. Resolvam se vão servir os deuses que os seus antepassados adoravam na terra da Mesopotâmia ou os deuses dos amorreus, na terra de quem vocês estão morando agora. Porém eu e a minha família serviremos a Deus, o SENHOR.

O povo respondeu: — Nunca poderíamos pensar em abandonar o SENHOR para servir outros deuses!

Foi o SENHOR, nosso Deus, quem tirou a nós e aos nossos pais da escravidão na terra do Egito. E vimos as grandes coisas que ele fez. Ele nos guardou pelos caminhos por onde andamos e no meio dos países por onde passamos.

Conforme íamos avançando, o SENHOR ia expulsando todos aqueles povos e até os amorreus que moravam nesta terra. Portanto, nós também serviremos o SENHOR, pois ele é o nosso Deus.

Josué disse ao povo: — Vocês não podem servir o SENHOR, pois ele é Deus Santo e não tolera aqueles que adoram outros deuses. Ele não perdoará os pecados e as maldades de vocês.

Se abandonarem a Deus, o SENHOR, e adorarem deuses estrangeiros, ele se voltará contra vocês e os castigará. Ele os destruirá, embora antes tenha sido bom para vocês.

O povo respondeu: — Que isso não aconteça! O que nós queremos é servir a Deus, o SENHOR.

Então Josué disse: — Vocês mesmos são testemunhas de que escolheram servir o SENHOR. — Sim, somos testemunhas! — responderam eles.

E Josué continuou: — Então joguem fora os deuses estrangeiros que estão com vocês e prometam que serão fiéis ao SENHOR, o Deus de Israel.

O povo disse a Josué: — Serviremos o SENHOR, nosso Deus, e obedeceremos aos seus mandamentos.

Assim naquele dia Josué fez um acordo para o povo e ali em Siquém lhes deu leis e regulamentos.

Josué os escreveu no Livro da Lei de Deus. Em seguida pegou uma grande pedra e a colocou ali debaixo da árvore sagrada, no lugar onde adoravam a Deus, o SENHOR.

E disse a todo o povo: — Olhem para esta pedra! Ela será nossa testemunha. Ela ouviu todas as palavras que o SENHOR nos tem falado. E também será testemunha contra vocês, para evitar que abandonem ao seu Deus.

Então Josué mandou o povo embora, cada um para a sua propriedade.

Depois disso, com a idade de cento e dez anos, morreu Josué, filho de Num e servo do SENHOR.

Ele foi sepultado na sua propriedade, em Timnate-Sera, na região montanhosa de Efraim, no lado norte do monte Gaás.

O povo de Israel serviu a Deus, o SENHOR, enquanto Josué viveu. E também depois da sua morte, enquanto viveram os líderes que sabiam de tudo o que Deus havia feito pelo povo de Israel.

O corpo de José, que os israelitas tinham trazido do Egito, foi sepultado em Siquém, no pedaço de terra que Jacó havia comprado dos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem barras de prata. Os descendentes de José receberam essa terra como herança.

Eleazar, filho de Arão, também morreu e foi sepultado em Gibeá, na região montanhosa de Efraim. Essa cidade tinha sido dada ao seu filho Finéias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.