32.Aprendei, pois, esta parábola da figueira: quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.

33.Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.

34.Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas aconteçam.

35.O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.