conhecida atualmente por el-Jib, situa-se 13 km a noroeste de
Jerusalém. Ali moravam os gibeonitas que viajaram a Gilgal e enganaram Josué,
levando-o a fazer um pacto com eles, tornando-se servos de Israel (Js 9:3-27). Foi nesse
lugar que os soldados de Abner e os de Joabe travaram uma batalha “no açude de
Gibeom” (2Sm 2:12-17). O Tabernáculo permaneceu um tempo em Gibeom, após ter sido trasladado de Nobe, até o Templo ser concluído por Salomão. Nesse lugar,
Salomão preparou uma grande festa e teve um sonho maravilhoso, escolhendo a Deus e
a sabedoria, em vez de riquezas e honra (2Cr 1:3-13). Em 1956 e 1957, o dr. James B.
Pritchard realizou escavações nesse lugar, limpando dos escombros um tanque escavado
na rocha, de 11 m de diâmetro e 10 de profundidade. Uma escada em espiral de
aproximadamente 1,5 m de largura conduzia até o fundo do tanque, onde foram
descobertas 27 asas de jarras, todas com o nome “Gibeom” impresso em hebraico.
Muitas dessas jarras traziam entalhados nomes como Amarias, Azarias e Hananias,
todos de personagens bíblicas. Hananias, adversário de Jeremias, era de Gibeom (Jr
28:1). No fundo do tanque, os degraus seguiam por um túnel, o qual se prolongava a
uma profundidade superior a 15 m, chegando a um manancial subterrâneo que se
constituía na principal fonte de abastecimento de água da cidade. Isso levou o escavador
a exclamar: “Teria sido esta impressionante proeza de engenharia, um tanque cavado na
rocha, com degraus que conduzem a um manancial 25 m abaixo da superfície, o cenário
da contenda entre os homens de Joabe e os de Abner?”. Ele concluiu que sim, e muitos
estão de acordo com ele. Durante as três temporadas de escavação, foram encontradas
muitas relíquias religiosas que datam da Idade do Bronze Médio em diante, mas para os
estudantes da Bíblia as relíquias mais interessantes e significativas são as do período
israelita.
Ver tb: Js 9:3, Js 9:17, Js 10:1, Js 10:12, Js 11:19, Js 18:25, 2Sm 2:12, 1Rs 3:5, 1Cr
14:16, 1Cr 21:29, 2Cr 1:3, Ne 3:7, Ne 7:25, Is 28:21, Jr 28:1

 

fonte: BIBLIA THOMPSON

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *