8 Lem bra-te do dia do sábado, para o santificar.

Adventlsmo do Sétimo Dia. Argumenta: “Você gostariade ter outro deus diante de Deus? Curvar-se diante de imagens,
ou tomar o seu Santo nome em vão? Não desejam vocês
honrar seus pais? Ou querem matar alguém? Cometer adultério,
furtar, testemunhar falsamente, cobiçar?” . Efica aguardando pela
resposta que, obviamente, é: “Não”. Em seguida, pergunta: “Por
que então você não guarda o sábado, se o mesmo faz parte do
corpo dos Dez Mandamentos?”.

RESPOSTA APOLOGÉTICA: Em resposta atai questiona=»
mento, devemos ler Mateus 12.5, que diz: “Ou não tendes
lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sá­
bado, e ficam sem culpa?’ . Diante disso, deveríamos fazer aos sabatistas
as mesmas perguntam com as quais gostam de abordar
seus ouvintes. A saber: “Os sacerdotes no templo podiam ter outro deus diante de Deus eficar sem culpa? Curvar-se diante de imagens,
ou tomar o seu santo nome em vào e ficar sem culpa? Desejavam
honrar seus pais? Ou quereriam matar alguém? Cometer
adultério, furtar, testemunhar falsamente, cobiçar e ficar sem culpa?
Podiam, então, os sacerdotes violar o sábado no templo e ficar
sem culpa?”. A resposta é óbvia: “Sim!”. Jesus, como Senhor
do sábado, com autoridade para determinar o grau de culpabilidade
de quem trabalha nesse dia, declarou: ‘Mas, se vós soubésseis
o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis
os inocentes” (Mt 12.7). Além disso, não estamos mais debaixo
do antigo concerto (Hb 8.6-13). O sábado foi abolido (Os 2.11;
Cl 2.14-17). Mas os adventistas insistem em dizer que a palavra “sá­
bados” , em Colossenses 2.14-17, se refere aos sábados de cerimô­
nias anuais, denominados festas (Lv 23.37).
Os próprios adventistas declaram que as palavras “sábado” e “sá­
bados” e a expressão “dia de sábado”, que aparecem 60 vezes no
NovoTestamento, em 59 dos casos estão se referindo ao sábado semanal.
Por que motivo, então, deixam de interpretar o texto de Colossenses
2.16 dessa maneira, visto que se fosse entendido no seu
real sentido, contaria com o apoio de mais 59 referências bíblicas?
Confirmando o nosso ponto de vista, diz Samuele Bacchiocchi,
escritor adventista: “Um outro significado argumentado contra os
sábados cerimoniaisouanuaiséo fato dequeestesjá estão incluídos
nas palavras ‘dias de festa’, positivamente que a palavra SABBATON,
como é usada em Colossenses 2.16, não pode se referir
aos sábados festivos, anuais ou cerimoniais…”.
Com isso, vemos que é a doutrina adventista que determina a
compreensão de seus adeptos a respeito dessa passagem, sem
levar em consideração as evidências lingüísticas e contextuais
e indo contra as regras de hermenêutica bíblica. O sábado e todas
as instituições do culto no Antigo Testamento foram sombra
ou símbolo preparatório de bênçãos da salvação presente e futura
em Jesus Cristo.

FONTE: BIBLIA APOLOGETICA ICP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *