Ezequiel 38.17-23 mostra Deus se levantando com furor.
Ele se indignará diante da invasão não-provocada, pelas
hordas do norte, e lhes trará todos os tipos de desastres
naturais.
As armas de Deus usadas nesta batalha são: terremoto
(Ez 38.20), a espada (Ez 38.21), peste e sangue (Ez
38.22). Como se isso não bastasse, mais quatro elementos
da natureza serão empregados por Deus: chuva torrencial,
saraiva, fogo e enxofre (Ez 38.22). Porém, é evidente que
Deus livra através de meios naturais e sobrenaturais. Assim
a proteção divina será assegurada tanto por operações
divinas, como por operações humanas e, para auxiliar Israel
Deus levantará outras nações que não concordarão
com Gogue e suas tropas.
a. Seba – (Ez 38.13). Seba foi um neto de Cuse, o primogênito
de Cão (Gn 10.6,7). De acordo com historiadores
antigos, 0 povo que descende deste nome emigrou para o
Sul da Arábia. “ O nome (Seba) associa-se com Sabá, país
do extremo sul (SI 72.10). Josefo chegou a identificar Seba
com a Ilha Meros, situada entre o Nilo e o Afluente Atbara…
os hebreus conheciam-na com o nome de Cuse” .(44)
Hoje, na área que outrora fora ocupada por Seba, localizam-se
o Iêmen e Iêmen do Sul.
Sua posição geográfica: Sudoeste da Península Arábica.
O Iêmen é limitado ao norte e a leste pela Arábia Saudita,
ao sul pelo Iêmen do Sul e a oeste pelo mar Vermelho.
Enquanto que o Iêmen do sul, sua posição geográfica
é: Parte sul da Península Arábica. O Iêmen do Sul é limitado
ao norte pela Arábia Saudita, a leste por Omã, ao sul
pelo Golfo de Aden e a oeste pelo Iêmen.
Nos tempos clássicos era conhecida essa região como
Arábia Felix. Foi a sede de numerosos e opulentos reinos
mercantis. Um deles era Sheba ou Seba, que floresceu desde
mais ou menos 750 até 115 a.C.(45) Os sabaneses ajudarão
a Israel na intuição da memória de laços judaizantes
(cf. 1 Rs 10).
b. Dedã – (Ez 38.13). Os dedanitas são citados tanto
por Isaías (21.13) como por Jeremias (25.23). Esta nação
associa-se muito com os temanitas descendentes de Ismael
(Jr 49.7,8). Um dos amigos de Jó (Elifaz) pertencia à tribo
dos temanitas (Jó 2.11). “ Em tempos remotos, era composta,
de duas tribos: uma de origem semítica, que habitava
perto de Edom, e outra de origem cusita, que habitava
perto de Ramá. Essa tribo dedanita se estabeleceu na costa
do Golfo Pérsico” .(46) Hoje, os dedanitas têm se fundido
em tribos árabes.
c. Társis – (Ez 38.13). Társis de acordo com Gênesis
10.4. era descendente de Jafé. “ Heródoto, historiador do
quinto século a.C., diz que a tribo que descende de Társis
se estabeleceu no sul da Espanha” . Alguns historiadores
modernos opinam que “ Társis” seja Gibraltar. Era o mais
distante porto conhecido de então. Foi para ali que Jonas
tentou fugir (1.3).
Gibraltar é uma minúscula península voltada para o
oeste do Mediterrâneo, na Espanha. Eleva-se de uma
planície arenosa até o famoso rochedo, de 425 metros de altura.
Atualmente Gibraltar é uma colônia britânica. Outros
historiadores, porém, acham que Társis corresponde à
índia, ao sul da Ásia Central. Seja como for, quando Deus
determinar, essa nação se levantará em favor de Israel.
Além das possíveis nações mencionadas, Deus levantará
também outros povos que virão em socorro de Israel.
Essas potências são designadas pelo apelativo de “Leõezinhos”.
Do ponto de vista divino de observação, o comandante
do Norte (Gogue), enfrentará uma certa dificuldade
geográfica para alcançar a Terra de Israel. Então, como já
tivemos ocasião de ver, será necessário para seu auxílio “ uma
terceira célula” que, a Palavra divina denominou de
“ ilhas” . Mas do ponto de vista moral, Deus não se deixa
vencer e, semelhantemente, acionará seus “ leõezinhos”
como represália. Dois pontos de vista devem ser aqui observados:
Primeiro: Geograficamente falando, esses “ leõezinhos”
podem e devem simbolizar as “ pequenas tribos”
que margeiam as nações já mencionadas na seção anterior;
Segundo: Escatologicamente falando, eles apontam
diretamente para algumas das potências atuais, tais como:
Estados Unidos da América do Norte, Grã-Bretanha e outros
países do mesmo porte.

 

fonte: Ecatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *