Segundo as Escrituras, ironicamente, o Anticristo iniciará
seu governo mundial através de uma proclamação.
Utilizando-se de seu poder sólido que herdou do dragão
(Ap 13.2).
Por seu domínio absoluto sobre 0 mundo, no sentido
político, econômico e religioso, ele conseguirá arregimentar
o maior exército já visto do mundo: 200.000.000 de cavaleiros
(Ap 9.16; 16.16).
Seu brilhantismo como líder será sobre-humano, pois
que estará sob o domínio e a direção do próprio Satanás.
Conforme já tivemos ocasião de explicar; durante seu governo
de trevas ele aniquilará, cruelmente toda oposição.
Seu verdadeiro caráter é revelado pelos títulos que lhe são
apresentados nas Escrituras.
De acordo com a passagem do Apocalipse 16.13,14, os
exércitos do mundo vão reunir-se por influência demoníaca.
De certa forma, isso acontecerá para consolidar a
cronologia bíblica na seqüência dos acontecimentos. Pois o
governante mundial, que se estabeleceu e conseguiu o
domínio do mundo inteiro pela ajuda de Satanás, passará
agora a ser atacado por exércitos que hão de entrar em
combate sob a inspiração de demônios enviados por Satanás.
a. O ataque. O profeta Daniel descreveu um grande
exército vindouro da África, que incluirá não só o Egito
(pois esse já tinha sido destruído pelo anticristo: Dn 11.42)
mas também outros países desse continente (Dn 11.43-45).
Esse exército, provavelmente composto por milhões de soldados,
atacará 0 Oriente Médio pelo sul. Ao mesmo tempo,
conforme está predito (Dn 11.44), as forças do Norte e
outros exércitos mobilizarão outra poderosa força militar
para invadir a terra Santa e desafiar o ditador mundial.
Todavia, mesmo parecendo que o ditador mundial esteja
obtendo 0 controle da situação, há de chegar um informe
sobre 0 avanço de um exército oriental (Dn 11.44; Ap
16.12).
Nesse ponto, estará se desenrolando a maior batalha
de toda a história, na qual participarão centenas de milhões
de homens e vai transformar a planície do Armagedom
no maior campo de batalha. Na verdade os exércitos
mundiais serão congregadas numa antecipação à Segunda
Vinda de Cristo.
Todas as forças armadas do mundo estarão concentradas
no Oriente Médio, prontas para lutar contra o poder de
Cristo quando Ele retornar do Céu (Ap 19.11 e ss).
b. A intervenção de Deus. Conforme deixam claro os
acontecimentos subseqüentes, a operação militar será
completamente inútil e sem esperança naquele grande dia
do Deus todo-poderoso. Os exércitos do mundo não dispõem,
de modo algum, dos equipamentos adequados para
a luta contra os exércitos do céu. Apesar disso, numa falsa
esperança, Satanás vai reunir as nações para essa hora final
e, de fato, as nações decidirão ficar do lado dele e oporse
à segunda vinda do Rei em glória (Salmo 2).
Chegará, porém, 0 momento decisivo! Deus na pessoa
de seu Filho descerá ali! Em vez de se humilharem, os lideres
do mundo estarão dispostos a desprezarem tanto a
Deus como a seu Ungido. A demonstração decisiva de força
entre Deus e as nações estará a ponto de ocorrer. Só falta
a hora marcada para isso! Os profetas revelaram que todos
esses episódios serão os preparativos para o grande
clímax da história sombria por ocasião do retorno de Cristo,
do estabelecimento de seu reino na terra que se dará
por mil anos (Ap 11.15; 20.1 e ss). Portanto, tudo está predito
e tudo deve acontecer! Oremos, portanto, para que sejamos
havidos “ …por dignos de evitar todas estas coisas
que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do
homem” (cf. Lc 21.36b).

 

fonte: Ecatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *