Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; e
todas as tribos da terra se lamentarão e verão o Filho do
Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande
glória.
— Mateus 24.30
Chega o tão esperado dia da viagem a Levitópolis. E os dois
casais partem rumo à cidade da musicalidade gos-pel. No
carro, Marionete está muito preocupada com a sua irmã
Maringênua, de 18 anos, solteira, que está grávida. Enquanto
ela, no banco de trás do carro, conversa sobre esse delicado problema
com a amiga Isadora Dora, Títere e o professor Bibliófilo,
ao volante, falam sobre vários assuntos ligados aos sinais da
Segunda Vinda.
— Professor, o senhor já ouviu falar da PLC 666?
— Sim, irmão Títere. Na verdade, é o PLC 666, pois PL significa
Projeto de Lei.
— Ah, entendi.
— Por que a pergunta?
— É que eu li uma postagem no blog do pastor Apoio Geta
sobre o assunto. Eu até imprimi. — Títere tira de sua pasta uma
folha de papel.
— Ah, o blog do Apoio Geta é muito interessante. O que diz aí?
— Vou ler para o senhor.
iuyn.ob que os Pregadores Devem Evitar
Títere começa a ler o artigo de Apoio Geta, que, a despeito de
pertencer a outra igreja, é um grande amigo de Bibliófilo.
Você está preocupado com a degradação moral no
mundo e no Brasil, em especial? Saiba que as coisas poderão
ficar ainda piores para igreja evangélica, nesses últimos
dias. O PANIC (Partido Anticonstitucional dos Numerosos
Inimigos do Cristianismo) pretende apresentar, em breve, o
PLC 666. O autor desse projeto de lei é o conhecido deputado
federal Adolf Diocleciano, que já manifestou o desejo
de queimar exemplares da Bíblia em praça pública. Ele alega
que esse livro é altamente hamartiofóbico, isto é, incentiva o
preconceito e a discriminação contra os pecadores.
Conhecido por sua luta pelos direitos do movimento
LABAS (Liga dos Adoradores da Besta Apocalíptica e
Simpatizantes), Diocleciano tem como meta eliminar toda e
qualquer influência do cristianismo no Brasil. Ele pretende,
com o PLC 666, proibir os cristãos de difundirem passagens
da Bíblia que condenem o pecado.
A nova lei, se aprovada, contemplará punições para
diversos crimes, como a sodomofobia, a pedofilofobia, a
efe-bofilofobia, etc. O objetivo é diminuir a quantidade de
mortes e agressões contra todos os tipos de pecadores.
Segundo o DataSodoma e o Ibopedof, o Brasil é campeão em
assassinatos e agressões contra sodomitas, pedófilos e
efebófilos.
Pregadores, escritores, articulistas e editores de blog
que vierem a cercear, de alguma forma, o direito dos pecadores
de pecar em paz, sem serem incomodados, em qualquer
lugar, serão punidos exemplarmente. Não se permitirá
que, num Estado Democrático de Direito e Laico, alguém
emita qualquer opinião a respeito dos pecados que as pessoas
quiserem cometer.
— Não vamos mais poder pregar o evangelho com total liberdade,
professor?
— Na verdade, a hamartiofobia está sendo definida como aver
são às pessoas pecadoras, e não ao pecado. E nós não temos ódio
das pessoas nem somos inimigos delas. Apenas pregamos contra
o pecado e apresentamos o evangelho, pelo qual elas podem ser
libertas e transformadas.
— Essa lei, então, não nos atingiria, visto que nós não somos
inimigos dos pecadores…
— É aí que está o problema. Nós não somos inimigos deles, mas
temos uma opinião contrária à prática do pecado.
— Sim, professor. Sempre aprendi que Deus ama o pecador e
odeia o pecado. E muita gente, de forma errada, acha que Ele faz
vista grossa para o pecado. Deus é amor e também é santo e justo.
— Isso mesmo, irmão Títere. Mas vivemos dias difíceis. E o
problema é que, agora, os pecadores querem criar leis para nos
obrigar a ficar bem quietinhos. Em alguns países, pregadores estão
sendo presos por causa do protesto contra o pecado.
— Então, se pregarmos contra um tipo de pecado, mesmo res
peitando as pessoas que o praticam, nos tornaremos criminosos
perante a lei, caso o PLC 666 seja aprovado?
— Exato. Isso é muito injusto porque os ativistas favoráveis a
esse projeto estão propagando a ideia errónea de que a hamartio
fobia não é aversão ao pecado. Eles afirmam que se trata de ódio
aos praticantes do pecado. E, não satisfeitos, querem associá-la ao
crime de racismo.
— É mesmo, professor?
— Sim. E tem mais: se o tal projeto for aprovado, além de cri
minalizar qualquer opinião contrária ao pecado, a nova redação
da lei privilegiará um grupo, em detrimento de outro. Isso é anticonstitucional.
— Como assim?
— A Constituição Federal nos dá total liberdade para criticar
comportamentos, sem ofender pessoas, pois temos liberdade de
expressão. Além disso, a Declaração Universal dos Direitos Hu
manos, no artigo 19°., garante, da mesma forma, liberdade de
pensamento e de expressão. Mas, caso o PLC 666 seja aprovado,
qualquer opinião contrária ao pecado equivalerá a crime de in145
Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar
tolerância e discriminação, compatível ao racismo. A Bíblia será
mais que politicamente incorreta. Ela se tornará um livro altamente
preconceituoso.
— Meu Deus! Que é isso?!
— E tem mais: se o PLC 666 for aprovado, qualquer pregador
ou escritor que afirmar, em tese, que determinada prática é peca
minosa, segundo a Bíblia, será considerado uma espécie de racista
e poderá ser condenado à prisão inafiançável.
— Prisão? Que absurdo! É o fim dos tempos.
— Não tenho dúvida de que o Arrebatamento da Igreja está
muito próximo. Mas o irmão sabia que os sinais da volta de Jesus
vão continuar, mesmo depois do Arrebatamento, e cada vez de
modo mais acentuado?
— É mesmo?
— Jesus, em Mateus 24, falou de sinais indicadores da primeira
etapa da sua volta, o Arrebatamento, e da segunda etapa, a sua
manifestação em poder e grande glória. A degradação moral, por
exemplo, é um sinal que vai se cumprir até o fim da Grande Tribu
lação. Se hoje as coisas estão difíceis, imagine como ficarão depois
que o povo de Deus for tirado deste mundo?
— Em breve sairemos daqui, professor. É isso que nos conforta.
Aleluia!
— Glória a Deus!

 

fonte: Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *