Religião fundada, em 1935, pelo carioca M anoel Jacinto Coelho, no antigo D istrito Federal,
no Méier, na rua Lopes da C ruz, 89, em u m centro espírita cham ado Tenda Espírita Francisco de
Assis. E m bora tenha sido criada naquele ano, só passou a ser divulgada a p artir de 1970. A C ultura
Racional se autoclassifica com o filosofia ou ciência e não com o religião.
Esta curiosa religião de origem nacional foi desenvolvida sobre a pessoa de seu fundador,
que afirm a que M anoel Jacinto C oelho é C ultura Racional e C ultura Racional é M anoel Jacinto
Coelho. Diz ter recebido, por ocasião de seu nascim ento, alguns fenôm enos paranorm ais, q u an ­
do, segundo ele, um corpo de massa cósm ica, sem elhante a um a estrela, penetrou no seu corpo.
Por conta disso, confere a si m esm o atributos divinos.
E m bora citem a Bíblia para justificar suas crenças e práticas, possuem , porém , seu próprio
livro sagrado, o Universo em desencanto, escrito p o r Jacinto Coelho. Esse livro apresenta inúm eros
conceitos espíritas e sua leitura é vital para a salvação do indivíduo.
Jesus C risto nada m ais foi para a C ultura Racional do que um filósofo do seu tem po, sendo
com parado com Aristóteles, Platão, M aom é e Buda, entre outros. M as seu com entário sobre este
aspecto é m uito confuso, um a vez que se refere a Jeová e Alá com o filósofos.
A salvação na C ultura Racional acom panha a linha reencarnacionista, com algum as peculiaridades.
O hom em pode evoluir ou involuir, de acordo com sua dedicação ao estudo e à p rática
do livro Universo em desencanto. Em sua involução, o hom em pode ir regredindo em um a sé­
rie de reencarnações, transform ando-se em vários anim ais diferentes até tornar-se um a onça. É
o extrem o da cadeia de involução. N o caso da evolução, o indivíduo avança até tornar-se o que é
cham ado de “racional pu ro ”.
O m ovim ento tam bém destaca, sobrem aneira, a existência dos OVNIs e seu contato com os
seres hum anos. Em sua publicação, o Jornal Racional, são constantes as m atérias que falam sobre
extraterrestres e um forte incentivo de contato com os m esm os.

FONTE: APOLOGETICA ICP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *