Trata-se de um a das grandes dissidências do hinduísm o, talvez a m aior. A ela pertenceu
M ahatm a G handi.
O jainism o foi fundado entre os anos 599 e 537 a.C .,pelo indiano N ataputa Verdam ana, cham
ado, posteriorm ente, de V erdam ana M ahavira, cujo significado é “o grande herói”. Tal com o o
budism o e o hinduísm o, o jainism o tam bém encontra a origem de sua nom enclatura no sânscrito,
derivando do term o jaina, que pode ser traduzido po r “vitorioso”.
Possui inúm eras crenças com uns com os dem ais hindus, em bora tenha, tam bém , convicções
e práticas distintas. Um dos seus principais princípios é o ahinsa, que é contra qualquer tipo
de violência, em quaisquer circunstâncias, e no seu m ais am plo significado. Usam lenços sobre a
boca para não engolir m osquitos e outros insetos, para que estes não reencarnem . O u tro princí­
pio é a anekantwad, um conceito relativista da verdade, p o r m eio do qual existem m uitas verdades
(e não apenas um a), e cada um a delas se baseia em um ponto de vista. H á, ainda, o princípio
da aparigraha, que im plica em renunciar toda e qualquer possessão m aterial.
O jainism o possui seus próprios livros sagrados, escritos em u m idiom a cham ado Ardhamagadhi
e rejeita os Vedas, livros sagrados do hinduísm o. Segundo a tradição, seus livros sagrados
teriam sido extraviados p o r volta do século 3o d.C., sendo reescritos depois, em 454 d.C ., aproxim
adam ente.
Aliás, o jainism o não rejeita apenas os Vedas, m as tam bém o panteão e a m aioria das cerim ô­
nias hindus, além de desconsiderar o sacerdócio brâm ane. Todavia, aceita a reencarnação, o carm
a, o ascetism o e o vegetarianism o.
Não apresenta nenhum conceito sobre Deus, mas aceita o fato de alguns possuírem um alto
grau de aperfeiçoam ento e, por conta disso, se tornarem , de algum m odo,“divinizados”. Essa divinização
inclui um a quase onisciência. Por isso, os que alcançam este alto padrão no jainism o tornam –
se exemplos para as futuras gerações e chegam até m esm o a ter tem plos em sua hom enagem .
M ahavira acabou se to rn an d o um deus e é adorado, com grande fervor, pelos jainistas.

FONTE: APOLOGETICA ICP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *