1*?. No Antigo Testamento o esplêndido Templo erguido
por Salomão foi destruído no ano 599 a.C. por Nabucodonosor,
que levou os judeus para o cativeiro babilônico,
50 ou 70 anos mais tarde, os exilados que voltaram, trouxeram
consigo os vasos que Nabucodonosor levara como despojo,
e autorização de Ciro, rei da Pérsia, para reedificação
daquele que seria o segundo Templo (Ed 1.1 e ss).
Segundo Josefo, este Templo reconstruído por Zorobabel,
era reduzido em suas proporções. Alcançou novamente
grande esplendor durante o reinado de Herodes, o
Grande, que sendo idumeu e querendo expiar seus crimes e
fazer-se popular entre os judeus, o reconstruiu.(65)
Dez mil operários trabalharam nesta grandiosa obra e
o Templo foi reconstruído com uma dupla esplanada e voltou
a ter sua antiga beleza e fulgor (Mt 24.1; Mc 13.1). A
construção começou no ano 20 a.C. e não terminou antes
de 24. d.C. (Jo 2.20). Este, portanto, foi o Templo que Jesus
conheceu.
29. No Novo Testamento, em dois grupos de passagensf
Jesus fala da destruição do Templo. No primeiro grupo,
refere-se ao Templo do seu Corpo (Mt 26.61; 27.40; Mc
14.57,58; 15.29,30; Jo 2.18-22; At 6.14).
Aqui, agora, portanto, já sua própria Pessoa está substituindo
o Templo material como habitação de Deus, onde
Deus se encontra com os homens. No segundo grupo, Jesus
profetiza a destruição do Templo de Jerusalém (Mt 24.1;
Mc 13.2,3; Lc 21.5,6). As predições de Jesus a este respeito,
cumpriram-se literalmente! No ano 70 d.C. o Templo foi
totalmente arrasado pelas tropas de Ti to.
Este tentou conservar intacto o Templo, já que era
uma das maravilhas do mundo, mas seus soldados o incendiaram.
atirando em seu interior uma tocha acesa.
a. A Menorah, 0 Candelabro de 7 braços, foi salvo e levado
por Tito, triunfalmente, para Roma. Em 135 d.C.,
depois de aplacar a segunda rebelião judaica, Adriano profanou
o lugar, erigindo ali um Templo dedicado a Júpiter.
Os primeiros cristãos, consideravam o local que butrora
era sagrado como um lugar amaldiçoado por Deus e 0
Monte Moriá converteu-se num amontoado de escombros.(66)
Quando, no ano de 636, os muçulmanos conquistaram
Jerusalém, os escombros foram retirados e o Califa Omar
construiu, ali, uma Mesquita, identificando-o como 0 lugar
de onde o Profeta Maomé teria ascendido aos Céus em
seu cavalo alado.
No ano de 691 d.C., Abel el Malik Ibn Merwan, ocalifa
dos Omais, transformou aquela pequena Mesquita de
Omar nessa que atualmente existe: O Domo da Rocha
(Mesquita de Omar), cuja importância religiosa no islamismo
vem depois da Kaada, em Meca, e do Túmulo do
Profeta, em Medina; foi construída no local onde se erigiram
o primeiro e o segundo Templos, a Cúpula da Rocha,
tal como a vemos agora, data do ano de 691 d.C. Foi restaurada
no Século XVI e novamente na década de 1960-70.
b. Quando os cruzados conquistaram Jerusalém em
1099, a Mesquita foi convertida na igreja do Templum Domini.
Depois da expulsão dos cruzados nos Cornos de Hittin,
no ano de 1187, a cruz que brilhou durante 88 anos
sobre o Domo foi retirada e a lua crescente voltou a seu lugar.
Desde então, o Domo da Rocha tem sido um santuário
muçulmano.
Seu estilo é bizantino, já que foi construído por artistas
bizantinos, mas sua decoração é oriental. O exterior é
um octógono regular, cujos lados medem 20 metros cada
um e com um diâmetro de 60 metros. A cúpula se eleva a
uma altura de 30 metros do solo, com um diâmetro de 25
metros.
A estrutura octogonal é recoberta por dentro com lages
de mármore até a altura de 6 metros e, acima delas, até
seu extremo superior as paredes estão decoradas com brilhantes
azulejos persas. O Domo é feito de folhas de alumí-
nio banhadas em ouro, que cintilam sob o brilhante sol de
Jerusalém.(67)

 

fonte: Ecatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *