Realmente tem havido muitas especulações e debates
sobre a hipótese do Templo que será erguido e por quem
será erguido (o Anticristo ou os judeus?) no local onde se
encontram as Mesquitas de Omar e a de El-Eksa. Todos
oabem que o monte Moriá (o local do Templo) é venerado
pelas três grandes religiões monoteístas.
Para os judeus, é o lugar onde foi construído o Grande
Templo pelo monarca Salomão (1 Rs 6.1 e ss).
Para os cristãos, está associado a muitos acontecimentos
da vida de Jesus e seus discípulos.
Para os muçulmanos é o terceiro lugar mais sagrado
depois de Meca e Medina.{62)
a. O local onde foi construído o Grande Templo por
Salomão começou sua história com Abraão. A tradição o
tem identificado com o local onde Abraão teria preparado
o sacrifício de seu filho Isaque, o que não se concretizou por
meio de uma intervenção divina (Gn 22.1-22).
Em fins de seu reinado, o rei Davi comprou o topo desnudo
do monte, que Araúna (Omã), o jebuseu, havia usa
do como eira (2 Sm 24.18-25) e levantou nele um altar a
Deus, prometendo construir um Templo. Mas esta promessa
só foi cumprida por seu filho Salomão.
b. A construção original do Templo começou no quarto
ano do reinado de Salomão e foi completada sete anos
mais tarde. A cronologia bíblica aponta esse “ quarto ano
do reinado de Salomão” como sendo “ o ano quatrocentos e
oitenta, depois de saírem os filhos de Israel do Egito” (1 Rs
6:1).
Este magnífico Templo, como veremos mais a frente,
foi despojado por Sisaque, rei do Egito, no reinado do filho
de Salomão, Roboão, (1 Rs 14.26) e posteriormente, destruído
pelo exército babilônico.
A terminologia do termo para expressar a palavra
“ templo” : 1? no Antigo Testamento – L X X (tradução dos
setenta), é “ naos” e é empregada 55 vezes (de um total de
61 ocorrências) para traduzir o hebraico “ kêkãl” que significa
“ Palácio” ou “ Templo” , que, por sua vez, corresponde
ao babilônico “ egallu” – isto é: “ casa grande” . Os escritores
sagrados registraram 5 ocorrências em que é usado o
termo:
“ ülãm” que significa “ pórtico do Templo” (1 Cr 28.11;
2 Cr 8.12; 15.8; 29.7,17).
c. No Novo Testamento (“ naos” ) é achado mais freqüentemente
no Apocalipse de João (16 vezes) e nos escritos
de Paulo (7 vezes).
Josefo tinha muito respeito para com o Templo. Para
ele o Templo incorporava a adoração do único Deus verdadeiro
pelo povo de Deus.(6 ) Era a habitação de Deus, para
a qual Deus enviava uma porção do seu Espírito.(64) Para
os judeus o Templo era, além do “ centro de adoração” , objeto
de orgulho (Mt 24.1; Mc 13.1). Josefo registra que “ estas
estruturas pareciam incríveis para aqueles que ainda
não as viram, e eram olhadas com espanto por aqueles que
nelas colocavam os olhos” .
Para os muçulmanos não há na terra um lugar tão sagrado
além de Meca e Medina: “ Digno de elogios é aquele
que levou seu servo de noite, desde a Mesquita Sagrada (A
Cúpula da Rocha) até a Mesquita Distante (El-Aksa), cujos
recintos temos abençoado” (Ale. Sura 17.1).

 

fonte: Ecatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *