Nas páginas dos evangelhos encontramos comumente
duas expressões similares!
“O Reino de Deus” e o “Reino dos Céus” .(128) Na passagem
do Apocalipse 11.15, estes “dois reinos” são retratados
como sendo um “grande mistério” (cf. Ef 1.9,10; Ap
10.7). Evidentemente, este mistério refere-se ao estabelecimento
do Reino de Deus sobre a terra, que começará com o
“reino milenar de Cristo (Ap 20.1-6), o qual, após o julgamento
final, passará para o Reino Eterno de Deus.
O reino de Deus e de Cristo é um só. Em Efésios 5.5
encontramos menção ao “reino de Cristo e de Deus”.
a. O doutor Scofield, já citado neste argumento, afirma
que 0 Reino dos Céus pode ser o Reino de Deus. Mas o
Reino de Deus não é necessariamente a mesma coisa que o
Reino dos Céus. Em Mateus 16.28 e em outras passagens
similares, o “Reino dos Céus” é completamente apresentado
no início da pregação de João Batista e segue até a rejeição
de Jesus como Rei: suspenso aqui e reiniciado no
“início do Milênio”.
Já 0 Reino de Deus, porém, tem em si mesmo um caráter
mais abrangente e desde que foi “implantado nos corações”
(Rm 14.17) seguirá seu curso até a eternidade.
I. O Reino de Deus é universal, incluindo todas as
criaturas voluntariamente sujeitas à sua vontade, sejam os
anjos, a Igreja, ou os santos do passado, do presente e do
futuro (Lc 13.28,29; Hb 12.22,23; Ap 11.15), todas as dispensações
da história humana podem ser apropriadamente
chamadas dispensações do Reino de Deus. E o mais incluso
dos dois termos. Enquanto que o Reino dos Céus é
messiânico, mediatorial e davídico. e tem por alvo 0 estabelecimento
do Reino de Deus sobre a terra (Mt 3.2: 1 Co
15.24,25).
II. Visto que 0 Reino dos Céus é a esfera terrestre do
Reino universal de Deus, os dois têm quase tudo em comum.
Por este motivo muitas parábolas e outros ensinos
são referidos ao Reino dos Céus em Mateus e ao Reino de
Deus em Marcos e Lucas. Mas tanto as omissões como os
acréscimos são significativos.
III. O Reino de Deus não vem com a aparência exterior
(Lc 17.20), mas é mais interior e espiritual (Rm 14.17), enquanto
que 0 Reino dos Céus é orgânico, e será, manifestado
com glória na terra e durará para sempre (Zc 12.8: Mt
17.2; Lc 1.31,33; 1 Co 15.24).
IV. Entra-se no Reino de Deus somente pelo novo nascimento
(Jo 3.5-7), mas o Reino dos Céus é a esfera da profissão
que pode ser verdadeira ou falsa (Mt 13.3;
25.1,11,12).
V. O Reino dos Céus se tornará o Reino de Deus quando
Cristo entregar o Reino a Deus, o Pai (1 Co 15.24,25).
Por isso convém que Ele reine! Assim no toque da sétima
trombeta, o Reino dos Céus, representado pelo Milênio,
entrará na terra com poder e grande glória e depois do Juí-
zo Final converter-se-á no Reino Eterno de Deus para todo
o sempre.

 

fonte: Escatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *