Houve um período na História Eclesiástica que muitos
julgaram ser a época áurea do Milênio de Cristo.
Essa época foi especialmente a dos Séculos II a XV
d.C. começando com a conversão aparente de Constantino,
quando parecia que a Igreja estava com todos os poderes
sobre os governantes e reis da terra.
Mas foi, antes, a Época do Obscurantismo. Portanto,
o Milênio ainda é futuro.
Antes de Cristo estabelecer o seu Reino, haverá um
período de preparação. Isto significa que o Milênio só será
estabelecido “depois” da Grande Tribulação, logo após 0
julgamento das nações vivas (Dn 12.11-13; Mt 25.31 e ss).
Durante o Milênio haverá modificações profundas em
todo 0 mundo.
a. Na terra. Das palavras do Criador em Gênesis 3.17,
fica avidenciado que 0 pecado trouxe sobre a terra uma
maldição: “ …maldita é a terra”. Essa maldição é já a segunda
causada pelo pecado, pois em 3.14 já havia sido pronunciada
a primeira que recaiu sobre a serpente: “…malditas
serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais
do campo” .
A primeira maldição trata da modificação no caráter e
estrutura da serpente:
A segunda, porém, trata da mudança operada na pró-
pria terra. Durante a Era Milenar esta e outras maldições
impostas por Deus serão removidas (Is 55.13). Assim tanto
o reino vegetal como a própria estrutura terrestre serão
modificados por ocasião do retorno de Cristo à Terra com
poder e grande glória.
“Os cientistas contemporâneos esperam uma modificação
na estrutura terrestre e dos polos dentro dos próximos
anos. Eles asseveram que se houvesse estudo suficiente,
poder-se-ia predizer quando a terra terá seus polos modificados.
Alguns mais corajosos, chegaram até fixar uma
data, isto é: o ano 2000 – na virada do século. Nós, que cremos
na Palavra profética e nas determinações de Deus, sabemos
ser isso possível a qualquer momento” .(129)
Mas sem dúvida alguma, isso se dará na introdução
do Milênio. Cremos que na antiguidade já tenha havido fatos
semelhantes. Cidades antigas completas tem sido encontradas
sob o nível do mar. Supomos que o Dilúvio foi
numa dessas ocasiões, quando massas terrestres inteiras
deslizaram e os polos sofreram uma modificação profunda
em suas posições.
b. Nos rios. O profeta Isaías descreve que isso acontecerá.
Os rios e os mananciais surgirão até nos “cumes das
montanhas5’ (Is 35.7; 41.18). Deus também modificará a
forma hidrográfica dos rios, e, sua “profundidade” será removida
para que não haja morte por afogamento (Is
11.15). Exemplificando (Ap 16.12). Um rio de grandes proporções,
atingirá uma profundidade de apenas (“5”) centí-
139
metros em uma extensão de 500 metros de largura (cf. Ez
47.3).
Será bastante raso: ninguém morrerá ali! Certamente
Deus também irrigará a terra com muitos rios e lagos. E.
como coroa desta modificação. Ele criará o “Rio milenar”
(Ez 47.1-12; Zc 14.8). O leito deste rio será criado no momento
em que Jesus tocar com seus pés sobre o monte das
Oliveiras (Zc 14.4 e ss). Sua “foz”, porém, será debaixo da
casa do Senhor (o Templo Milenar), especialmente, do
lado direito do Santuário (Ez 47.1; Zc 14.8). Esse rio. ainda
que um pouco diferente, se assemelha em alguma coisa
ao rio que manava do Jardim do Éden (Gn 2.10).
Aquele se dividia em “quatro braços” : este porém,
apenas em “dois” que seguirão direções diferentes (Zc
14.8).
O primeiro: em direção ao mar Morto – mar Oriental;
O segundo: em direção ao mar Mediterrâneo – mar
Ocidental. Formando um “vale” nas montanhas de Judá
(Zc 14.5,8), e ampliando-se nas “fontes de Engedi” (fonte
do cabrito), e em “En-Glaim” (fonte dos Bezerros), que se
localizam entre Hebrom e o mar Morto (Cf. Jr 15.63; Ez
47.10) – avançando, assim, até “Asei” na parte oriental do
território de Judá (Zc 14.5 etc).
O primeiro canal que seguirá na direção do mar Morto
será destinado a sarar suas águas amargas (Ez 47.8).
Enquanto o segundo, que seguirá na direção do mar
Mediterrâneo, será destinado a fertilizar as regiões desérticas
de Israel. Todos os rios da Terra Santa se tornarão tributários
do Rio Milenar durante mil anos, e a Terra de Israel
passará a ser a melhor do mundo (Is 35.1,7; Jr 3.19: Ez
20.6,15; Dn 8.9).
Os judeus criam que as coisas terrenas tivessem seu
paralelo nas coisas celestiais (Hb 8.5 e 9-23). Assim, há
atualmente em Israel um projeto “precursor” para formação
do “Rio Milenar” que, segundo eles, servirá como prenúncio
na abreviação da Vinda do Messias com poder e
glória (cf. Ec 3.15). Observemos:
JERU SALÉM : Um projeto já apoiado na mudança
do século por Theodor Herze, o fundador espiritual de Israel,
recebeu agora aprovação do governo em Jerusalém:
Os israelitas querem retirar água do mar Mediterrâneo,
conduzindo-o ao mar Morto, ameaçado de secar devido à
evaporação, gerando energia elétrica, fazendo açudes para
criação de peixes, atraindo turistas a um lago salgado artificial
– e possivelmente resfriando assim a primeira usina
nuclear do País.(׳(”
Os crescentes preços do petróleo elevaram de tal maneira
os custos de energia do Estado Judeu, que 0 investimento
calculado para a ligação de água do Mediterrâneo
para 0 Mar Morto e para a usina hidrelétrica parece pela
primeira vez economicamente compensador. Os israelitas,
entretanto, esperam ofertas do exterior para conseguirem o
valor total de 50 milhões de dólares.
Dificuldades políticas, possivelmente protestos da
Jordânia, cuja fronteira com Israel localiza-se na direção
norte-sul no meio do mar Morto poderão ainda ser acrescent
ados aos problemas financeiros.
Xesse projeto, que poderá estar concluído, 0 mais cedo
possível em 1999 (na virada do século), portanto, deverá
ser utilizada a água do mar Mediterrâneo, diante da costa
da Faixa de Gaza ocupada por Israel. De lá ela seria conduzida
num trecho de 80 km, na maior parte subterraneamente,
através do Deserto de Negev até a cadeia de montanha
na margem ocidental do mar Morto. Essas montanhas
serão perfuradas e no outro lado as massas de água
poderão então “cair’’ para 0 ponto mais baixo da terra
(cerca de 400 rnt abaixo do nível do mar), movimentando
as turbinas da usina elétrica.
A instalação está projetada para uma produção de 600
megawatt (um quinto do consumo atual).
Ao mesmo tempo evita-se que o mar Morto seque.
Esse lago salgado de características únicas no mundo teve
seu nível reduzido de 393 mt originais para 401 mt abaixo
do nível do mar, porque seu mais importante afluente, o
Jordão, tem que fornecer água para fins industriais e agrí-
cuias.( [)
Da sua água. que antigamente fluía num volume de
1.2 bilhões de mt cúbicos anuais para o mar Morto, hoje
são desviados aproximadamente 1 bilhão de mt cúbicos.
Por isso a superfície do mar Morto, onde há forte evaporação,
desceu tanto que se formou uma faixa de terra em
direção leste-oeste e a parte mais rasa ao sul ameaça secar
dentro de poucos anos. Através da água do mar Mediterrâ-
neo o mar Morto atingirá novamente seu nível original o
mais tardar dentro de 20 anos. conclui 0 Dr. ·J. Xeeman,
Físico da Universidade de Telavive. Israel”).
Israel é uma nação profética. Será que ainda concluirá
a construção deste Cariai Precursor antes da Vinda do Senhor?
Talvez que não! Mas de qualquer forma, essa intensão
é figuradamente um adiantamento profético daquilo
que acontecerá indubitavelmente em breve.(1 ־(
Observe 0 (“GRÁFICO DEMONSTRATIVO’־ (no
centro e depois, tire uma conclusão daquilo que está vaticinado
(Ez 47.1 e ss; Zc 14.8).
c. Na vida animal. Com o pecado do homem, o reino
animal sofreu alterações nítidas. Seu comportamento foi
completamente modificado.
A ferocidade das feras foi acentuada. As feras passaram
a perseguir os homens e de igual modo, os homens as
feras (cf. Gn 9.13; -Jz 14.õ; 2 Rs 2.24; Ez 14.21). Porém, é
evidente que Deus também trará uma modificação bené-
vola sobre isso. E assim, 0 reino animal voltará à sua condição
primitiva (Is 11.6 e ss). Deus então, fará um concerto
do homem com as feras (Jó 5.22,23; Is 11.8,9). E tudo ali,
será somente paz e harmonia: “Não se fará mal nem dano
algum” durante o glorioso reinado de Cristo por 1000 anos.
d. Na vida humana. Várias passagensdas Escrituras que
aludem ao período milenar dizem que durante aqueles mil
anos de paz e prosperidade haverá grande fertilidade sobre
o gênero humano. Os profetas do Senhor descrevem isso da
seguinte maneira:
“ Assim diz o Senhor Jeová: Ainda por isso me pedirá
a casa de Israel, que lho faça: multiplicar-lhe-ei os homens,
como a um rebanho.
“Como 0 rebanho santificado, como o rebanho de Jerusalém
nas suas solenidades, assim as cidades desertas se
encherão de famílias; e saberão que eu sou o Senhor” (Ez
36.37,38).
“Assim diz o Senhor dos Exércitos: Ainda nas praças
de Jerusalém habitarão velhos e velhas, levando cada um
na mão o seu bordão, por causa da sua muita idade.
“E as ruas da cidade se encherão de meninos e meninas,
que nelas brincarão” (Zc 8.4,5).
No que tange à saúde humana, haverá também bastante
saúde! “Morador nenhum dirá: Enfermo estou” (Is
33.24a). Alguns dos defeitos físicos serão corrigidos. “ …Os
olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se
abrirão. Então os coxos saltarão como servos, e a língua
dos mudos cantará…” (Is 35.5,6; Zc 13.1). Também as
doenças de caráter psíquico e as perturbações mentais serào
banidas (Is 65.23).
Isso se dará, além da bênção do Senhor, a alguma mudança
climática e ambiental e mesmo à remoção da influência
maléfica do inimigo das almas (Jó 1.1.19; Is
65.20). Nesta mudança a vida humana voltará seu curso
normal como antes e serão os dias do homem “ …como os
dias da árvore” (Is 65.22).
A adolescência no Milênio irá até 100 anos (Is 65.20).
apenas o pecador será amaldiçoado e morrerá mais cedo
(Is 65.20).
e. No Cosmo. Haverá também mudanças profundas
no sistema planetário e, mesmo na região atmosférica a intervenção
divina estará também presente. O Senhor Jesus
será contra os terríveis vendavais e furacões que tanto têm
devastado a humanidade (Is 32.2).
O céu estará mais claro de dia. e as noites serão menos
escuras. “E será a luz da lua como a luz do sol. e a luz do
sol sete vezes maior, como a luz de sete dias. no dia em que
o Senhor ligar a quebradura do seu povo. e curar a chaga
da sua ferida” (Is 30.26). Eis uma das razões por que devemos
orar: “Venha o teu reino!” (Mt 6.10).
f. No mundo tenebroso. Um fato notável que acontecerá
no início do Milênio será a prisão e desterro de Satanás.
O grande inimigo de Deus e dos homens será agrilhoado
pelo arcanjo Miguel e lançado no abismo (Ap 20.1,2).
Muitos têm dificuldades em aceitar a prisão de Satanás
no sentido literal. Mas nós temos na Bíblia outras passagens
falando de “ …espíritos em prisão” (1 Pd 3.19; 2 Pd
2.4; Jd v 6; Ap 9.1 e ss).
As algemas que o agrilhoarão são de fabricação divina.
Não há pois, razão para recusar 0 sentido literal da “cadeia”
e “prisão” desta figura sombria, pois a palavra grega
usada para “cadeia” (hálusis), é a mesma usada nas passagens
de Atos 12.7; 28.20; 2 Tm 1.16 e seu equivalente.(1 )
No terceiro versículo do Apocalipse 20, diz que, além
da chave e corrente usada pelo ser angelical, haverá também
alguma “espécie de selo” posto sobre Satanás, impedindo-lhe
qualquer movimento ou ação maléfica.
Este selo, portanto, o colocará na condição de uma
“múmia”, o qual apenas “como uma sombra” em seu sentimento
perverso se revolverá ao redor da prisão.(1 4)
g. No campo religioso. As condições espirituais durante
o Milênio serão bastante favoráveis. Haverá, então, uma
realização plena na profecia de Joel 2.28,29, quando o
Espírito Santo será derramado em plenitude sobre Israel e
sobre as demais nações (Ez 36.25-27; Zc 12.10).
0 apóstolo Pedro distinguia isso muito bem, quando
disse: “Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel”. E logo
no contexto seguinte: “E nos últimos dias acontecerá, diz
Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne…”
(At 2.16,17). A promessa plena, portanto, é “derramar
‘O ’ Espírito” e não “derramar ( D O ’) Espírito” . Evidentemente,
esta profecia de Joel alcança também a Era
milenar. O conhecimento do Senhor e suas leis será universal.
“ …Porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor,
como as águas cobrem o m ar” (Is 11.9b; 34; Zc
8.22.23). Se 0 leitor deste livro ainda não é um crente fervoroso
em Jesus, então ore dizendo: “Senhor, lembra-te de
mim. quando entrares no teu reino!” (Lc 23.42b).

 

fonte: Escatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *