Diante do exposto, quero enfatizar que o púlpito — embora muitos
hoje o estejam transformando em palco — é um lugar sagrado. Dele se
ministra a Palavra do Senhor: “E Esdras, o escriba, estava sobre um púlpito
de madeira, que fizeram para aquele fim; (…) E Esdras abriu o livro perante
os olhos de todo o povo…” (Ne 8.4,5). Que não subamos nele, se não
estivermos preparados.
Valorizemos, pois, o privilégio que temos de ser mensageiros do
Senhor, pregando a Palavra — e somente a Palavra — com temor e tremor.
Afinal, não são todos que receberam esta chamada específica. Num sentido,
todos devem ser pregadores (Mc 16.15), mas eu me refiro ao ministério (Ef
6.11).
Assim, que, à semelhança de Paulo, você reconheça esse dom de Deus
(2 Tm 1.11). Em resumo, “… cumpre o teu ministério” (2 Tm 4.5).
Bem, no próximo capítulo vamos aprender um pouco com o Senhor
Jesus Cristo, o Pregador-modelo. Como Ele pregava? Qual era o conteúdo de
suas pregações? E, quanto ao seu porte e à sua postura? Vale a pena conferir.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *