Alguns irmãos me pediram que eu desse um parecer sobre um artigo
que circula na Internet, pelo qual certo pregador discorre sobre o seu novo
visual e procura distinguir os termos “mundano” e “moderno”. Farei uma
breve análise do texto, omitindo o nome do seu autor, haja vista eu não ter
como objetivo expor pessoas, e sim esclarecer o povo de Deus, combatendo
heresias e modismos contrários ao evangelho de Cristo.
Examinei, pois, o artigo, intitulado “Ser moderno sem ser mundano”, e
exponho aqui um sucinto parecer. Antes, porém, para ser honesto, e como
profissional da área editorial, reconheço que o texto que li, no site do tal
pregador, é relativamente fluente e bem escrito. Parabenizo, pois, o seu autor
pela clareza de sua exposição, mas… Causou-me estranheza o fato de, ao
longo de sua explanação, o tal pregador falar pouco do Senhor Jesus Cristo.
A bem da verdade, há apenas uma referência direta a Cristo no artigo, além
de outra anexa à sua assinatura. Apesar disso, ele faz questão de afirmar que
é pentecostal! Por que eu estranhei? Porque o apóstolo Pedro, na primeira
pregação pentecostal, pregou a Cristo (At 2.22,36). Filipe, em Samaria,
pregou a Cristo (At 8.5). Paulo pregou a Cristo (1 Co 1.22,23). Um pregador
verdadeiramente pentecostal prega a Jesus Cristo, e não se preocupa em falar
tanto de si mesmo.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *