De tempos em tempos aparecem pregadores “ungidos” anunciando
novidades dissociadas das Escrituras, mas sempre afirmando que têm o aval
de Deus para isso. No plano espiritual, estão em voga as “novas unções”,
acompanhadas de “novas visões”. Fala-se muito em “unção da loucura de
Deus”, com base em 1 Coríntios 1.25: “Porque a loucura de Deus é mais
sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os
homens”.
Os espalhafatosos pregadores dessa “nova unção” vêem na passagem
acima a justificativa para todas as aberrações que dizem e fazem. Alguns têm
ministrado a “bênção do depósito celestial”. Prometem que as pessoas que
tiverem fé encontrarão uma grande quantia em sua conta bancária! No
entanto, a suposta bênção divina traz ao “agraciado” um grande problema.
Trata-se de um autêntico “presente de grego”!
Não pense que sou incrédulo. Creio sim num Deus que faz até moeda
aparecer na boca de um peixe! Mas, se aparecerem, digamos, cinqüenta mil
reais na conta de alguém, como fica a sua situação em relação à Receita
Federal? Como o tal declarará isso no Imposto de Renda, haja vista não
poder dizer simplesmente: “Foi Deus quem me deu”? O Senhor nos daria
uma bênção pela qual nos tornaríamos sonegadores de impostos, infratores
da lei?
Quanto à expressão “loucura de Deus”, ela foi empregada por Paulo
apenas para enfatizar o quanto os seres humanos, por mais capazes que
sejam, estão aquém do Todo-Poderoso.
Ah, e ele também mencionou a “fraqueza de Deus”. Por que esses
“ungidos” não pregam também a “unção da fraqueza de Deus”? Como se vê,
o texto que empregam não apóia as suas atitudes extravagantes e as suas
ministrações insanas.
Por outro lado, em 1 Timóteo 6.3,4 o apóstolo Paulo — ao mencionar
o “obreiro” que ensina outra (gr. heteros, “dessemelhante”) doutrina e não se
conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo — chamou esse
tipo de “obreiro” de louco! E aqui é louco mesmo! Não se trata de linguagem
figurada. Eis a descrição contida no versículo 4: “é soberbo e nada sabe, mas
delira acerca de questões e contendas de palavras…” Não seria essa a loucura
ou delírio presente na vida de alguns super-pregadores?

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *