As línguas estranhas não são produzidas por nós, mecanicamente,
atendendo à ordem de animadores de auditório. E essa distorção até municia
os inimigos do pentecostalismo, que gostam de zombar dos dons espirituais,
principalmente devido aos abusos que ocorrem quanto às línguas estranhas.
Dizem os chamados cessacionistas que existe contradição entre o que ocorre
no meio dos pentecostais com o que aconteceu no dia de Pentecostes.
Concordo plenamente que esteja havendo, nesses últimos dias, mau
uso dos dons espirituais. Prova disso é a banalização das línguas estranhas.
Há inclusive uma “cantora” que gravou um “hino” que mescla pretensas
línguas angelicais e uma descrição de um certo anjo de nome impublicável
que habita num “lugar estreitinho e maravilhoso”.
Mas, sabe de uma coisa? O que realmente importa é que existem de
fato línguas provenientes do Espírito. A Palavra de Deus diz que, pelo
mesmo Espírito, é dada a variedade de línguas e a interpretação destas (1 Co
12.10), as quais podem ou não ser inteligíveis por alguém presente num
auditório, como vimos acima.
Lembro-me de que, há alguns anos, na Assembléia de Deus em
Cordovil, no Rio de Janeiro, o Senhor me deu uma mensagem em línguas
que eu desconhecia totalmente. Eu nada entendi, pois elas provieram do
Espírito. Mas havia no púlpito um pastor que conhecia vários idiomas, o
qual entendeu tudo o que falei. Pedindo o microfone, ele deu a interpretação.
— Irmãos, o Senhor falou claramente à igreja: “Eu sou o Supremo
Senhor” — disse ele. Aleluia! Não precisamos, pois, de estímulo externo
para falar noutras línguas. Ninguém precisa nos mandar fazer isso. Como diz
a Palavra de Deus, “… um só e o mesmo Espírito opera todas essas coisas,
repartindo particularmente a cada um como quer” (1 Co 12.11).
Esse assunto me fez lembrar de uma expressão muito usada em nossos
dias: “reteté de Jesus”. Você já ouviu alguém falar disso ou participou de um
culto do reteté? Bem, esse é o assunto do próximo capítulo.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *