arte que a Palavra de Deus rejeita

Leitura Diária 

Êxodo 20.
4 Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
5 Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.
6 E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.

 

Reflexão

Êxodo 20.4-6 é uma passagem crucial nas Escrituras, onde Deus estabelece diretrizes claras sobre a criação e adoração de imagens. Este trecho faz parte dos Dez Mandamentos e reflete a seriedade com que Deus trata a questão da idolatria.

Siga o canal “Leitura Diária da EBD” no WhatsApp: CLIC AQUI

O Contexto Bíblico e Histórico

Durante o período em que Moisés liderava os israelitas pelo deserto, a tentação de adorar deuses pagãos era constante. Deus, conhecendo a inclinação humana para se apegar a representações físicas, proibiu terminantemente a criação de imagens esculpidas ou de qualquer forma que pudessem ser adoradas. Este comando não era apenas um decreto legal, mas um meio de proteger a pureza da fé e da adoração ao único Deus verdadeiro.

A Rejeição da Idolatria

Em Êxodo 20.4-6, Deus afirma: “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, na terceira e quarta geração daqueles que me odeiam, e faço misericórdia a milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.” Este texto deixa claro que qualquer forma de arte que sirva para idolatria é rejeitada por Deus.

Implicações para os Dias Atuais

A relevância desta passagem não se limita aos tempos antigos. No mundo contemporâneo, onde as imagens e ícones são omnipresentes, é essencial refletir sobre o tipo de arte que consumimos e produzimos. Manter a fé centrada em Deus, sem intermediários visíveis, é um desafio constante, mas é fundamental para uma vida espiritual autêntica e alinhada com os mandamentos divinos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima