É a doutrina principal das escrituras sagradas. Foi ela, a salvação, a razão única da vinda do salvador a este mundo: Lucas 19:10: “Porque o Filho do Homem veio buscar o que se havia perdido”.
Na linguagem humana, salvação pode representar o fato de uma pessoa ter escapado ilesa de algum acidente. Ex: O automóvel em que eu viajava, capotou várias vezes mas eu consegui me salvar. Ë evidente que este caso se refere ao fato de a pessoa não ter morrido no acidente. Na linguagem bíblica, porém, a salvação é de um sentido muito mais amplo. Ela se refere à graça de Deus envolvendo a alma humana.
Tito 2:11: “Porque a graça de Deus se há manifestado trazendo salvação a todos os homens”. Tornando o pecador uma nova criatura.
2 Coríntios 5:17: Assim, se alguém está em Cristo, nova criatura é. As coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” . Um filho de Deus.
João 1:12: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus”. Aos que crêem no seu nome.
1 João 3:1-2: “Vede quão grande caridade nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não os conhece. Porque não o conhece a ele”.

Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos. Simplificando: De um pedido, destinado ao inferno, transformado em cidadão do céu, para estar com Cristo para sempre:
João 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê, não pereça mas tenha a vida eterna”.
Filipenses 3:20: “Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”.

Pelo pecado de Adão, todo gênero humano foi destituído, separado, isolado da graça de Deus:
Romanos 5:12: “Pelo que, por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte. Assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram”.
Romanos 3: 23: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”.
Romanos 3:10-12: “Como está escrito: Não há justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus”.
Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis, Não há quem faça o bem, não há nem um só: Salmos 14:2-3: “O Senhor olhou desde os céus, para os filhos dos homens para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus. Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundo; não há quem faça o bem, não há sequer um”.
Isaías 59:1-2: “Eis que a mão do Senhor não está encolhida para que não possa salvar, nem o seu ouvido agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça”.

Desde a queda do homem no Éden, este vem procurando desesperadamente o caminho de volta para o paraíso perdido. Os homens criaram deuses imaginários, variados métodos de adoração, esperando encontrar a tão desejada salvação, e isto contribuiu para mergulhar o mundo em profundo paganismo, levando a humanidade ainda mais longe do verdadeiro Deus:
Isaías 53: 6 a: “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho”.
Estando portanto a humanidade neste deplorável estado de perdição, ela depende de um salvador forte, glorioso, que possa restituí-la ao seu estado primitivo de íntima comunhão com Deus:
Gênesis 3:15: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente, e a sua semente. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe feriras o calcanhar”. O salvador forte, a semente da mulher, veio para esmagar a cabeça da serpente. Isto é: Para derrotar para sempre o autor do pecado. A antiga serpente, que se chama diabo e Satanás. (Apocalipse 12:9).

Estando portanto o autor do pecado derrotado por Cristo, todo pecador arrependido que se aproxima de Cristo confessando os seus pecados, recebe imediatamente a salvação. Em Lucas 23:42-43, encontramos o ladrão que morria crucificado ao lado do Senhor Jesus, suplicando: Senhor, lembrar-te de mim, quando entrares no teu reino. Jesus não colocou nenhum obstáculo, não lhe falou do purgatório, nem de reencarnação, mas a resposta do Senhor foi objetiva e consoladora. Hoje estarás comigo no Paraíso. Podemos concluir então que quando o pecador se converte a Cristo, ele recebe a salvação imediatamente. Então o pecador arrependido pode perfeitamente saber que é salvo. Ele sente a salvação dentro de seu ser. 1 Coríntios 1:18 : “Mas para nós que somos salvos, é o poder de Deus.” O texto diz: Para nós que somos (no presente) salvos. João 5:24: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida”. Nesta passagem Jesus afirma ter a vida eterna no presente; já passou da morte para a vida.
Então o Senhor declarou a Zaqueu: “Hoje veio a salvação a esta casa”. (Lucas 19:9). Zaqueu ia dizer que era salvo, pois foi o próprio Jesus, o próprio salvador quem o declarara. Talvez alguém nos perguntasse: E os crentes atuais como poderão saber? Além de todas as passagens bíblicas citadas, as quais seriam suficientes para cremos na salvação imediata, ainda temos a declaração do apóstolo São Paulo, em Romanos 8:16. O mesmo Espírito, testifica com nosso espírito que somos filhos de Deus. Portanto ser crente em Jesus Cristo, é mais do que professar uma religião, é mais do que ser membro de uma igreja. Ser crente em Jesus Cristo, é ser salvo. A Salvação não é um mérito pessoal, não é alcançada através de boas obras, ou do purgatório, ou reencarnação, ou por qualquer outro meio criado pela imaginação humana. Mas o pecador é salvo pela graça.
Efésios 2:8-9: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”.
A Salvação é uma dádiva divina. Não há dinheiro que a possa comprar e não há ninguém bonzinho que a possa merecer:
1 Pedro 1:18-19: “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que foste resgatados da vossa maneira de viver que por tradição recebeste de vossos pais. Mas com o precioso sangue de Cristo como de um cordeiro imaculado e incontaminado”.
O pecador se aproxima de Cristo, confessando os seus pecados e confiando somente em seu sacrifício vicário, sem necessidade de nenhum mediador:
1 Timóteo 2:5: “Porque há um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo o homem.” E pela fé recebe o perdão dos seus pecados, e salvação de sua alma. (1 João 1:2,12). Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo mundo. Filhinhos, escrevo-vos porque em seu nome vos são perdoados os pecados.

A salvação não é uma benção futura, para ser alcançada depois da morte, mas ela é presente, para o dia que se chama hoje: Hebreus 2:7-8,12: “Portanto como diz o Espírito Santo, se ouvirdes hoje a sua voz; não endureçais os corações. Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado”.
O pecador começa a gozar a salvação no exato momento que a recebe. Mesmo que seja ele pobre e necessitado:
Salmos 40:17 a: “Eu sou pobre e necessitado, mas o Senhor cuida de mim”.
A salvação gera alegria: Salmos 51:12: Torna a dar-me alegria da salvação”.
A alegria da salvação é diferente da alegria que sente um torcedor no estádio, quando o seu time vence a partida. É diferente da alegria produzida por bebidas alcoólicas, ou das orgias, ou daquela alegria oriunda das riquezas”. A alegria da salvação inunda a alma, enche o coração até transbordar, e leva a enaltecer e louvar o seu salvador:
Lucas 2:46-47: “Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor. E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador”.
Salmos 126:1-3: Quando o Senhor trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham. Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cânticos; então se dizia entre as nações: Grandes coisas fez o Senhor a estes. Grandes coisas fez o Senhor por nós e por isso estamos alegres”.

Salvação é um assunto muito sério, e deve ser encarado com muita seriedade. Porque a alma humana é salva ou perdida. Não há meio termo. Ou vai para o céu, ou vai para o inferno. E ambos são eternos. Tanto gozo dos salvos na Glória, como o sofrimento dos ímpios no inferno:
Mateus 25:46: “E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna”.
João 5:24: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna. E não entrará em condenação mas passou da morte para vida”.
João3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crer, não pereça mas tenha a vida eterna. E não entrará em condenação mas passou da morte para a vida”.
Apocalipse 20:10: Ë o diabo que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre”.

Isaías 33:14: “Os pecadores de Sião se assombravam, o tremor surpreendeu os hipócritas. Quem dentre nós habitará com o fogo consumidor? Quem dentre nós habitará com as labaredas eternas?”.
Mateus 3:12: “Em sua mão tem a pá, e limpa a sua eira e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará”.
Marcos 9:44: “Onde seu bicho não morre e o fogo nunca se apaga”. Podíamos citar ainda muitos textos bíblicos a respeito do gozo eterno dos salvos, e o tormento eterno dos ímpios. Cremos porém, que os textos citados são suficientes para provar a base bíblica dessa doutrina. Se o leitor já é salvo, glorifica ao Senhor por isso, e permaneça fiel ao teu salvador até o fim.
Mateus 10:22: “E odiados de todos sereis por causa do meu nome, mas aquele que perseverar até o fim, será salvo”. Se não és salvo ainda prezado leitor, renda-te agora mesmo a Cristo, onde estiveres.
Atos 16:31: “E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e a tua casa”.
Romanos 10:13: “Porque todo aquele que invocar o nome do senhor, será salvo”.
A primeira experiência que o pecador tem com Cristo, é a salvação. Vindo a seguir maravilhosas experiências, que o levará a viver uma vida de intima comunhão com o seu salvador.

O crente em Cristo entra pelo caminho da santificação, busca o batismo com o Espírito Santo, acredita e recebe a benção da cura divina, e finalmente ele estará com Cristo para sempre:
1 Tessalonicenses 4:17: “… E assim estaremos sempre com o Senhor”.

 

Santificação, é um processo gradual na vida do crente. À medida que ele vai se aproximando do Senhor, pela leitura e conhecimentos da sua Palavra, pela vida de oração e consagração, ele vai se tornando mais semelhante ao Senhor, até atingir a estatura de varão perfeito como o é Jesus Cristo:
Efésios 4:13: “Até que cheguemos a unidade da fé; e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”.

O pecador vem a Jesus, trazendo em si todos os costumes do mundo: Vícios, linguagem imprópria a um filho de Deus, superstições, idolatria, natureza impulsiva, ira-se com facilidade, tem um forte sentimento de vingança, atração para o sexo ilícito, usa roupas indecentes, enfim, tudo que é natural ao mundo de pecado, ele tem em si. Leia vagarosamente, estas passagens: Efésios 4:17-32; 5:1-20, Romanos 1: 18-32.

Nestas passagens, o apóstolo São Paulo, mostra a triste condição que se encontra o homem sem Deus. É, nesta mesma condição, o pecador vem a Cristo e o recebe como Salvador. Ele é salvo imediatamente:
Lucas 23:39-43: “E um dos malfeitores que estavam pendurados, blasfemava dele dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós. Respondendo, porém o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?… E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”. Ao ladrão arrependido, que costuma-se dizer dele o bom ladrão, ele era tão mau quanto o outro. A única diferença, foi que ele reconheceu seus pecados, e os confessou, suplicando a misericórdia do Senhor. A resposta de Jesus foi objetiva: Hoje estarás comigo no Paraíso. Entendemos então, que quando o pecador se rende a Cristo, mesmo carregado dos mais hediondos e desprezíveis pecados, e morrer em seguida, ele está salvo, vai para o Paraíso como ladrão convertido. Vivendo, porém esta pessoa, a nova natureza começa a manifestar-se nele. Nota-se logo uma mudança de comportamento em todos os sentidos:
Nas suas ações – Efésios 4:28: “Aquele que furtava não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos, o que é bom, para que tenha que repartir com o que tiver necessidade”.

Na sua linguagem – Colossenses 3:8: “Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca”.

Nos seus sentimentos – Filipenses 2:5: “De sorte que haja em vós, o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus”.
A santificação começa a manifestar-se nesta pessoa, de dentro para fora. De nada adianta vestir uma pessoa de santa se ela não é por dentro. O catolicismo romano enclausura as pessoas, tentando forçá-las a pelo menos ter aparência de santas. Esta santidade é superficial, é exterior. Porém o santificado interiormente, solta-o no mundo, no meio da corrupção e ele se destaca. É como uma garrafa tampada, jogada ao mar. Ela está no mar, porém o mar não está nela. Então para que o crente se santifique, não é necessário ameaça-lo e sim ensinar-lhe a palavra de Deus. A palavra de Deus tem o poder santificador:
João 15:3: “Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado”.
Efésios 5:26: “Para santificar, purificando-a com a lavagem da água pela Palavra”.
Ex: Uma moça aceita Jesus, e recebe a convicção do perdão dos seus pecados, e da salvação da sua alma. Ela não sente necessidade de apelar para os cosméticos e outros recursos artificiais para se tornar mais atraente:
1 Pedro 3:3: “O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos”.
Quando nos referimos a mulher, porque neste aspecto ela é mais tentada. Porém o dever de viver em santidade, é de todos os salvos independente do sexo ou da idade:
1João 3:3: “E qualquer que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo como também ele é puro”.
1 Pedro 1:15-16: “Mas como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda maneira de viver. Porque está escrito: Sede santos, porque eu sou santo”.
11 Coríntios 7:1: “Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne, e do espírito, aperfeiçoado a santificação no temor de Deus”.
1 Tessalonicenses 4:3 a: “Porque esta é a vontade de Deus, vossa santificação”.
Hebreus 12:14: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.
Jesus salva o pecador e outorga-lhe poder para viver em santidade. Porém é o próprio crente que tem o dever de procurar a santificação. Nós sabemos que a natureza carnal e pecaminosa, ainda habita em nós e contra essa natureza, o crente deve lutar para domina-la e prevalecer em nós a nova natureza, recebida através do novo nascimento:
Romanos 7:15-25: “Porque o que faço não aprovo, pois o que quero isso não faço. E se faço o que quero, consinto com a lei que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim: que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus. Mas vejo nos meus membros, outra lei que batalha e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que sou eu. Quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo a lei de Deus, mas com a carne a lei do pecado.”

Se o Espírito Santo nos adverte de que essa natureza ainda está viva em nós, ele quer nos fazer entender que precisamos lutar contra ela. E para essa luta, o próprio Espírito Santo coloca em nossas mãos as armas necessárias:
Gálatas 5:16-17: “Digo porém: Andai em Espírito e não cumprireis as concupiscências da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito e o Espírito contra a carne e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.”

O primeiro passo que o crente deve dar para a santificação é deseja-la ardentemente:
I Pedro 2:2: “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele, vades crescendo.”

A segunda arma que o Espírito Santos coloca em nossas mãos é a oração:
Colossenses 4:2: “Perseverai em oração velando nela com ações de graças.”

Se nós achamos que a luta é desigual e não há em nós força para vencer a carne, recorramos então ao auxílio do Senhor em oração:
Romanos 8:26: “E da mesma maneira também, o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.”

O jejum é outra arma à nossa disposição. O crente deve jejuar? Sim, deve:
Mateus 9:14,15: “Vieram depois os discípulos de João e lhe perguntaram: Porque jejuamos nós e os fariseus muitas vezes e teus discípulos não jejuam? Respondeu-lhes Jesus: Podem por acaso estar tristes os convidados para o casamento enquanto o noivo está com eles? Dias virão contudo, em que lhes será tirado o noivo e, nesses dias, hão de jejuar.”

O noivo Jesus Cristo, já nos foi tirado. Estamos esperando a sua volta. Então agora é a época dos crentes jejuarem. O crente, ao jejuar, deve ter uma finalidade específica. A iniciar o período escolhido para o jejum, deve-se orar, dizendo ao Senhor, que estamos lhe oferecendo um jejum por tal finalidade e, neste período pré-determinado, abster-se de toda alimentação, quer sólida, quer líquida. As pessoas casadas devem abster-se também do ato conjugal, com pleno consentimento do seu cônjuge:
I Coríntios 7:5: “Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes a oração e novamente vos ajuntardes, para que satanás não vos tente por causa da incontinência.”

Não é necessário sair publicando que está jejuando. Pelo contrário, guarda-se segredo somente com o Senhor. Não se deve aparentar desfigurado com o semblante caído, mas com semblante alegre, como é natural quando estamos gozando de perfeita comunhão com Deus:
Mateus 6:16-18: “Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. Tu, porém, quando jejuares, unges a cabeça, lava o rosto; com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai em secreto, e teu Pai que vê em secreto te recompensará.”

Outra arma indispensável no processo da santificação, é a constante leitura da palavra de Deus:
Salmos 1:1-2: “Bem aventurado o homem que não anda no conselhos dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.”
Colossenses 3:16: “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.”
O crente precisa fiscalizar seus próprios pensamentos, não permitindo a permanência de pensamento impuros ou pecaminosos.
Colossenses 3:2: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são daqui da terra.”
Salmos 139:2: “Sabes quando me assento, e quando me levanto. De longe penetras os meus pensamentos.”
Nunca uma pessoa pode ser santificada em toda maneira de viver, se não for primeiro no seu próprio pensamento:
Provérbios 23:7: “Porque como imagina em sua alma assim ele é.”

O crente precisa ter pensamentos santos, olhar santo, andar santo, a fim de agradar o Santo que se fez pecado por ele:
Salmos 103:1: “Bendize, ó minha alma ao Senhor e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.”
I Tessalonicenses 5:23: “E o mesmo Deus de paz, santifique em tudo e todo o vosso espírito e alma e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis, para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo.”

Olhar Santo – Lucas 11:34: “A candeia do corpo é o olho. Sendo pois o teu olho simples, também o teu corpo será luminoso; mas se for maus, também o teu corpo será tenebroso.” Andar Santo.
Gálatas 5:16: “Digo porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne.”
Efésios 4:1: “Digo-vos pois eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados.”
Colossenses 2:6: “Como pois recebeste o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele.”

Estamos pois em constante luta. Lutemos primeiro contra nós mesmos, contra a velha natureza, e a carne com suas paixões. Lutamos com o mundanismo e os seus corruptos costumes. Lutemos contra Satanás, e suas astutas ciladas. Revistamo-nos pois, de toda a armadura de Deus, e lutemos com santo fervor:
Efésios 6:10-18: “Subamos pois os degraus desta sublime escada chamada santificação, e muito em breve, galgaremos o último degrau. E então encontraremos Jesus Cristo, nosso mui amado Salvador, e com ele ficaremos para todo o sempre. Amém.”

 

 

 

 

 

 

O batismo com Espírito Santo, é uma das maravilhosas promessas do Senhor para todos os crentes neo-testamentários, isto é, para todos os crentes que vivem na dispensação da graça:
Atos 2:39: “Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos que estão longe: A todos quantos Deus nosso Senhor chamar.”

A dispensação da graça foi inaugurada com a ressurreição do Senhor Jesus:
João 1:17: “Porque a lei dói dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.”

E findará com o arrebatamento da igreja, época em que o mundo será dominado pelo Anti-Cristo, e se prepara para a inauguração do milênio, quando o Senhor vier com sua igreja glorificada:
Judas 1:4: “Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos.”

Não podemos aceitar a doutrina de que o batismo com o Espírito Santo foi somente para o tempo dos apóstolos, porque em nenhuma parte das Escrituras encontramos tal ensinamento, pelo contrário, depois do derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes, relatado em Atos 2:1-4, encontramos várias passagens onde esse maravilhoso evento é repetido:
Atos 8:14-17: “Os apóstolos pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a Palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Os quais tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo. Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus. Então lhe impuseram as mãos e receberam o Espírito Santo.”

Outra vez em Atos 19:1-6: “E sucedeu que enquanto Apólo estava em Corinto, Paulo tendo passado por todas as regiões superiores chegou a Éfeso; e achando ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo. Perguntou-lhes então: Em que sois batizados então? E eles disseram; no batismo de João. Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo.
E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas e profetizavam.”

E em outra passagem, encontramos essa maravilhosa promessa alcançando os gentios:
Atos 10:44-47: “E dizendo Pedro ainda estas palavras, veio o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a Palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouvia falar línguas e magnificar a Deus. Respondeu então Pedro: Pode alguém por ventura recusar a água para que sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo?”
Conforme as passagens acima, o batismo com o Espírito Santo é uma Segunda experiência que a pessoa tem com Cristo, a primeira é a salvação, a Segunda o batismo com Espírito Santo.
Existe uma teoria que tenta provar que o batismo com o Espírito Santo, não é para os nossos dias, dizendo que a pessoa recebe o Espírito Santo no mesmo instante em que recebe a salvação sendo, portanto, uma só experiência. Em parte concordamos. De fato a pessoa recebe o Espírito Santo quando se converte a Cristo. Pois quem convence o mundo do pecado é o Espírito Santo:
João 16:7-8: “Todavia digo-vos a verdade, que convém que eu vá; porque, se eu não for, o consolador não virá a vós; mas, se eu for enviá-lo-ei. E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo.”

Importante porém é notar a diferença entre batismo com o Espírito Santo, e selo com o Espírito Santo. Todos os salvos são selados com o Espírito Santo, mas nem todos são batizados:
Efésios 1:13: “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o Evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa.”
Efésios 4:30: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.”

Então com o selo com o Espírito Santo, é dado como penhor para o dia da redenção, isto é, para o dia do arrebatamento da igreja. Jesus após ressuscitado soprou sobre os apóstolos, dizendo: Recebei o Espírito Santo. (João 20:22) Então eles receberam o Espírito Santo, no exato momento em que Jesus soprou sobre eles. Mas isto não impediu que eles fossem batizados com o Espírito Santo dez dias após a ascensão do Senhor no dia de Pentecostes. (Atos 2:1-4)
Falar em línguas estranhas é o sinal do batismo com Espírito Santo:
Atos 2:4: “E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.”
Atos 10:46: “Porque os ouvia falar em línguas e magnificar a Deus.”
Atos 19:6: “E impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam línguas e profetizavam.”

Atos 8:17 diz que com a imposição da mãos dos apóstolos Pedro e João, os novos convertidos em Samaria receberam o Espírito Santo. Não está escrito que falaram línguas, mas o versículo 18, diz que Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro. Que sinal teria visto Simão, para saber que eles tinham recebido o Espírito Santo? É natural entendermos que Simão tenha visto a manifestação do mesmo sinal manifestado em outras ocasiões semelhantes, isto é, línguas estranhas. Não quero entrar no assunto de falar línguas estranhas, porque estaria fugindo do nosso tema. Mas apenas mostrar pelas Escrituras que o falar línguas estranhas, é o sinal do batismo com o Espírito Santo.

Porque deve o crente buscar o batismo com o Espírito Santo? Porque o Espírito Santo dá ao crente poder para ser testemunha de Jesus:
Atos 1:8: “Mas recebeis a virtude do Espírito Santo que há de vir sobre vós, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.”
É muito importante que os pregadores do Evangelho sejam pessoas bastante cultas, e que procurem sempre aprimorar essa cultura que pesquisem, que estudem; mas é indispensável que sejam batizados com o Espírito Santo, e permaneçam cheios do Espírito Santo. O batismo com o Espírito Santo, abre ao crente as portas para o recebimento dos dons espirituais que o torna útil para a Igreja:
I Coríntios 12:7: “Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil. O Espírito Santo glorifica a Jesus no crente.”
João 16:14: “Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vô-lo há de anunciar.”

É uma nova experiência que o crente tem com Cristo. O Espírito Santo dá ao crente poder sobre a carne, sobre o mundo, e o diabo. O crente batizado com o Espírito Santo, sente um manancial de vida afluir do seu interior como as correntezas de um rio caudaloso:
João 7:37-39: “E o último dia, o grande dia da festa Jesus pôs-se em pé, e clamou dizendo: Se alguém tem sede, vem a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a escritura, rios de águas vivas correrão do seu ventre. E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem, porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.”
Os crentes que ainda não são batizados com o Espírito Santo o conselho de Jesus é que o busquem até receber:
Lucas 11:9-13: “E eu vos digo a vós. Pedi e dar-se-vos-á; buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á. Porque quem pede recebe, e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-vos-á. E qual o pai dentre vós que se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou também se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois vós sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito àqueles que lho pedirem?”

E aos crentes batizados com o Espírito Santo, não devem se acomodar acham do que já subiram o último degrau. Deus tem muitas bênçãos ainda para lhes dar. O celeiro celestial está cheio. Glória a Deus.
Está escrito que, após o Senhor Jesus Ter sido batizado nas águas, o céu se abriu e veio sobre ele o Espírito Santo, descendo como pomba e vindo sobre ele. (Mateus 3:16) Depois que veio o Espírito Santo sobre Jesus, o mesmo Espírito o conduziu para o deserto para ser tentado por Satanás. (Lucas 4:1) E após a completa vitória de Jesus sobre o diabo, teve início ao seu glorioso ministério. Isto deve nos servir de ensino, que após o batismo com o Espírito Santo, não cessam as lutas; mas nos conforta saber, que estamos mais preparados para a luta. Que estamos agora revestido de poder. (Lucas 24:49).
Os grandes movimentos evangelísticos, que tem sido a causa da salvação de muitas almas, grandes campanhas de cura divina e libertação de oprimidos, tem surgido sempre após um período de oração, e grande derramamento do Espírito Santo.

Oxalá possamos receber uma grande avivamento espiritual e muitos crentes apáticos e acomodados possam ser sacudidos pelo poder de Deus; cheio do Espírito Santo, e se tornarem uma benção para o reino de Deus aqui na terra.

Encontra-se com muita evidência este sinal nos quatro evangelhos e em Atos dos Apóstolos, sendo praticado por Jesus e seus santos apóstolos. O ministério terrestre do Senhor Jesus, foi maravilhosamente marcado pela operação de grandes maravilhas. Cura de enfermos, e libertação de oprimidos pelo diabo:
Lucas 4:18-19: “O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração. A apregoar liberdade aos cativos, e dar vista aos cegos; a por em liberdade os oprimidos; anunciar o ano aceitável ao Senhor.”

A fama do Senhor Jesus, correu por todas as terras circunvizinhas:
Lucas 4:14: “Então pela virtude do Espírito, voltou Jesus para a Galiléia, e a sua fama correu por todas as terras em derredor.”
Lucas 4:37: “E a sua fama divulgou-se por todos os lugares, em redor daquela comarca.”

Atraídos pelas curas maravilhosas por ele operadas, as multidões o procuravam não só para ouvir a sua palavra, mas também para serem por ele curados:
Lucas 5:15: “Porém a sua fama se propagava ainda mais, e ajuntava-se muita gente para ouvir e para ser por ele curada das suas enfermidades.”

Jesus não repreendia as pessoas que o procuravam para serem curadas.
Pelo contrário, ele curava a todos:
Mateus 8:16: “E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados e ele com a sua palavra expulsava os espíritos, e curou todos os que estavam enfermos.”

Jesus enviou seus doze discípulos para pregar o reino, e deu-lhes poder para curar os enfermos e expulsar os demônios:
Lucas 9:1-2: “E convocando seus doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, e para curarem enfermidades. E enviou-os a pregar o reino de Deus e a curar os enfermos.”

Mais adiante, encontramos o Senhor enviando mais setenta discípulos com a mesma missão e conferiu-lhes poder sobre as doenças e os demônios:
Lucas 10:1,9,17,19,20:
“01. E depois disto, designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares onde ele havia de ir.
09. E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus.
17. E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitaram.
19. Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo e nada vos fará dano algum.
20. Mas não vos alegreis porque se vos sujeitam os espíritos, alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.”

Estes sinais não cessaram com a ascensão do Senhor mas tiveram seqüências na vida dos apóstolos e da igreja primitiva, conforme as promessas do Senhor Jesus:
João 14:12: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas. Porque eu vou para meu Pai.”
Marcos 16:17-18: “E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios, e porão as mãos sobre os enfermos e os curarão.”

Em Atos dos Apóstolos encontramos o fiel cumprimento dessa promessa: Atos 2:43: “E em toda alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.”

Os sinais confirmam a pregação da palavra:
Hebreus 2:2-3-4: “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram, testificando também Deus com eles por sinais e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?”
Marcos 16:20: “E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes cooperando como ele o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiam. Amém.”

Não devemos confundir cura divina com curandeirismo, agindo em desacordo com a Palavra de Deus, causando escândalo e procurando denegrir a genuína pregação do Evangelho. Exemplo: Venda de óleo ungido, bala ungida ou qualquer tipo de amuleto ou prática que não visam glorificar o nome do Senhor e sim, atender interesses pessoais. Estes são os Janes e os Jambres de nossos dias. (II Timóteo 3:8) O homem de Deus prega a Palavra, expulsa os demônios, cura os enfermos e nada cobra por isso:
Mateus 10:8: “Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios, de graça recebeste, de graça dai.”
Então se Jesus nos outorga poder sobre as doenças, é de se estranhar que muitos crentes fiquem doentes por tanto tempo. Muitos crentes precisando de calmante para dormir e tantos outros vivem gemendo sob uma enfermidade tornando suas vidas tristes ou desanimadas. Não há necessidade do cristão viver dessa maneira: Ele pode Ter vida abundante, gozar saúde física e mental, ser operante tanto em seus deveres pessoais, como obra do Senhor. Há necessidade somente de por a fé em ação. Tomar posse das bênçãos que o Senhor nos legou. Glória a Deus.
Alguém nos poderia dizer: Com tal doutrina nenhum crente morreria, pois não ficaria doente, e se por ventura ficasse, alcançaria logo a cura divina. E desta maneira nenhum crente morreria. A isto nós respondemos: Deus não precisa de doença para levar seus filhos para glória. De que doença morreu Elias? (II Reis 2:11) Qual a doença que vitimou Moisés? (Deuteronômio 34:7) E Davi, e Daniel e tantos outros servos de Deus, tanto do antigo como do novo testamento? E até mesmo em nossos dias, Deus tem chamado alguns dos seus servos para a glória sem haver necessidade de doença.

Alguns casos de enfermidades pode ser motivo de pecado oculto. Não temos o direito de acusar nossos irmãos que adoecem de estarem em pecado. Muitas vezes um sentimento de culpa e a convicção de um pecado cometido, entristece profundamente a pessoa e a coloca em estado de forte depressão. Esta situação se agrava de tal maneira, a ponto de afetar o sistema nervoso e gerar daí muitos males. Para situações como estas, São Tiago nos deu a receita:
Tiago 5:14-16: “Está alguém dentre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor. E a oração da fé salvará o doente e o Senhor o levantará e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.”

O Senhor Jesus que operou tantas maravilhas no passado, ele não mudou. (Hebreu 13:8) Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Ele pode usar maravilhosamente os seus servos para operar grandes sinais em seu nome. Com a exclusiva finalidade de atrair almas para o seu reino e para a glória do seus santo nome:
João 14:12: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas; porque eu vou para meu Pai.”
Atos 4:21c,22: “Porque todos glorificavam a Deus pelo que acontecera. Pois tinha mais de quarenta anos o homem em quem se operara milagre de saúde.”
Amém.

 

 

Esta é a promessa que mais tem alimentado a igreja desde os primórdios do cristianismo e, passados já quase dois mil anos, em pleno fim do século 20, ela ainda permanece nos corações dos filhos de Deus com tanta intensidade, que às vezes parecem ver, pelos olhos da fé, a igreja sendo arrebatada a encontrar o Senhor nos ares. Aleluia! O Senhor veio a primeira vez prepara um povo para o seu nome:
Tito 2:11-14: “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens. Ensinando-nos que, renunciando a impiedade e as concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria e justa e piamente. Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo. O qual se deu a sim mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade e purificar para si um povo seu especial, zeloso e de boas obras.”

Virá a Segunda vez, para levar esse povo consigo:
João 14:2-3: “Na casa de meu Pai há muitas moras; se não fosse assim, eu vô-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vos também.”

Em várias passagens dos evangelhos, encontramos o Senhor Jesus fazendo menção de sua segunda vinda. Algumas vezes por parábolas e outras vezes diretamente. Podemos entender com isso que o Senhor Jesus queria deixar bem nítido na memória de todos os crentes a importância deste glorioso evento. Veja as seguintes passagens: Lucas 17:24, 30, 34, 35; João 14:28a; Mateus 24:42, 44. Veja ainda as parábolas dos dois servos (Mateus 24:45-51), a parábola das dez virgens (Mateus 25:1-13), a parábola dos talentos (Mateus 24:14-19). Muitos crentes perguntam: Jesus virá antes da grande tribulação? Tomando como base várias passagens tanto do velho como do novo testamento, podemos afirmar que o arrebatamento da igreja se dará antes da grande tribulação. A igreja está esperando Jesus Cristo e não o Anti-Cristo. Está esperando o gozo do arrebatamento e a grande alegria de ver a face de seu amado salvador, não os sofrimentos da grande tribulação.
Atentemos para as figuras do velho testamento:
Gênesis 5:24: Enoque foi trasladado por Deus antes do dilúvio. Veja ainda referência sobre Enoque em Hebreus 11:5.
II Reis 2:11: O arrebatamento de Elias.
Gênesis 19:22: A retirada de Ló de Sodoma. Atenta para a expressão do anjo a Ló. “Eu nada poderei fazer, enquanto não tiveres chegado ali.”
Isaías 26:20: “Vai pois, povo meu, entra nos teus quartos e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por um momento até que passe a ira.”

Consideremos agora algumas passagens do novo testamento:
I Tessalonicenses 1:10: “E esperar do céu a seu filho a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus que nos livra da ira futura.”
Apocalipse 3:10: “Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.” Notemos bem a expressão usada nesse texto, o Senhor promete a igreja de Filadélfia, guardá-la não na hora da tentação e sim da hora da tentação.
II Pedro 2:9: “Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, reservar os injustos para o dia de juízo, para serem castigados.”
A ira de Deus manifestada na grande tribulação, está destinada aos ímpios, e aos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. E não aos filhos de Deus, que foram comprados pelo sangue de Jesus. (II Pedro 3:7; I Tessalonicenses 5:9; II Tessalonicenses 1:7-8).
Outra dúvida de muitos crentes: Haverá salvação após o arrebatamento da igreja ou os que ficarem estarão irremediavelmente perdidos? Como já temos visto, após o arrebatamento da igreja, o mundo entrará no período da grande tribulação, com a manifestação do Anti-Cristo. Também chamado homem do pecado e filho da perdição. (II Tessalonicenses 2:3-4) Neste período se desencadeará violenta perseguição religiosa em todo o mundo, promovida pelo Anti-Cristo. Especialmente contra os judeus. Pois o ditador mundial se levantará contra tudo o que se chama Deus ou se adora.
II Tessalonicenses 2:4: “O qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora, de sorte que se assentará como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.”

Todos que resistirem a essa perseguição não prestando-lhe culto, sofrerão horrivelmente e pagarão com a vida. (Apocalipse 13:15)
Mas também neste período o evangelho será pregado em larga escala:
Apocalipse 14:6-7: “E vi outro anjo voar pelo meio do céu, tinha o evangelho eterno para o proclamar aos que habitam sobre a terra e a toda a nação e tribo e língua e povo. Dizendo com grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória; porque vinda é a hora do seu juízo. E adora aquele que fez o céu e a terra e o mar e as fontes da águas.”
Deus ainda enviará duas testemunhas para advertirem o povo que somente Deus deve ser adorado.
Leia Apocalipse 11:1-2: O evangelho eterno pregado pelo anjo e a pregação das duas testemunhas é o mesmo evangelho que pregamos hoje, não existe outro evangelho. O apóstolo São Paulo disse que se alguém pregar outro evangelho mesmo que seja um anjo do céu, seja anátema, ou seja maldito. (Gálatas 1:8) Então os moradores da terra, nesta ocasião, terão oportunidade de aceitar o evangelho, resistindo toda a perseguição promovida pelo Anti-Cristo e prestando somente a Deus toda adoração, ainda que esta resistência lhe custe a vida. Mas quando voltar o Senhor Jesus com sua Igreja glorificada – Judas 14 – Então eles ressuscitarão e reinarão com Cristo mil anos.
Apocalipse 20:4-6: “E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas dos que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus e que não adoraram a besta nem a sua imagem e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos. Mas quanto aos outros, não reviveram até que os mil anos se acaba. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.” Então haverá oportunidade de salvação mesmo após o arrebatamento da igreja.

Espero que isto não sirva de pretexto para alguns crentes se descuidarem da vigilância e da necessidade de estarem preparados para a vinda do Senhor. Pois os que forem arrebatados, escaparão à perseguição do Anti-Cristo e entrarão para as bodas do Cordeiro. Deus nos ajude amado leitor a estarmos vigiando noite e dia esperando nosso amado Salvador.
Quando, no monte da Oliveiras, o Senhor, levantando as mãos, foi elevado ao céu e mais de quinhentos irmãos ficaram com os olhos fitos no céu onde o Senhor foi recebido, dois anjos vieram confortá-los lembrando-lhes a promessa da sua vinda:
Atos 1:9-11: “E quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas e uma nuvem o recebeu ocultando-o a seus olhos. E estando com os olhos fitos no céu enquanto ele subia, eis que junto dele puseram-se dois varões vestidos de branco, os quais lhes disseram: Varões galileus, porque estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir, assim como para o céu o viste ir.”

Na segunda vinda do Senhor, quando ele vier para arrebatar a Igreja, o mundo não vai perceber mas somente a Igreja, porque ela será arrebatada para encontrar o Senhor nos ares.
Mateus 24:27: “Porque assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do filho do homem.”
I Coríntios 15:51-52: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados. Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta, porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados.”
I Tessalonicenses 4:17: “Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com ele nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares e assim estaremos sempre com o Senhor.”

A palavra arrebatar, segundo o dicionário da língua portuguesa, significa tirar com violência, arrancar. Assim se dará com a Igreja. Ela será arrancada deste mundo violentamente, repentinamente:
Lucas 17:34-36: “Digo-vos que naquela noite estarão dois numa cama; um será tomado, outro será deixado. Duas estarão juntas, moendo, uma será tomada, outra será deixada. Dois estarão no campo; um será tomado, outro será deixado.”

Não haverá tempo para reconciliação, conserto, ou qualquer outra media que queiramos tomar. Por isso, a advertência do Senhor é: Vigiai:
Mateus 24:42: “Vigiai, pois não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.”

É glorioso lembrarmos que, naquele dias, enquanto os crentes estiverem ocupados nas mais diversas atividades, alguns nas oficinas, indústrias, escritórios, em trânsito, misteriosamente desaparecerão das vistas dos seus companheiros sem deixar nenhum vestígio. Isso deverá causar grande confusão em todo o mundo. O rádio, a televisão, certamente interromperão suas programações normais, para informar sobre um importante acontecimento de última hora. Grande parte de gente desapareceu da terra, em todas as partes do mundo. Os jornais deverão anunciar em suas manchetes com letras garrafais e ninguém conseguirá realmente entender o que estará acontecendo. A Igreja porém, estará com o Senhor, para nunca mais se separar dele. Estaremos para sempre com o Senhor. Glória a Deus.

Os crentes mortos ressuscitarão incorruptíveis. (I Coríntios 15:52) Isto quer dizer que os nossos irmãos que morreram vitimados pelas mais diversas enfermidades, trucidados, queimados, enfim não importa de que maneira morreram, ressuscitarão em um corpo perfeito. Não mais doentes, nem aleijados, mas perfeitos e incorruptíveis como é o nosso Senhor:
I João 3:2: “Amados agora somos filhos de Deus e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos.”
Sobre a ressurreição do salvos para o arrebatamento, veja ainda I Coríntios 15:42-44; João 6:39, 40; I Tessalonicenses 4:13-16.

O Senhor levará sua Igreja, permanecerá com ela no céu por um período de sete anos. A última semana de Daniel. (Daniel 9:24-27) Não vamos aqui falar sobre as setenta semanas de Daniel, para não deixarmos o nosso assunto, pois as setenta semanas de Daniel envolvem a história de Israel desde a saída do cativeiro babilônico, no ano 442 AC, até a terceira vinda do Senhor, para implantar o milênio. Após este período de sete anos, o Senhor voltará com sua Igreja glorificada e aniquilará o Anti-Cristo:
II Tessalonicenses 2:8: “E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor de sua vinda.”

É nesta época que o Senhor em glória e todo olho o verá:
Apocalipse 1:7: “Eis que vem com as nuvens e todo olho o verá, até os mesmo que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém.”

Quando os judeus se sentirem oprimidos pelo Anti-Cristo e clamarem por socorro divino, então virá o Senhor Jesus Cristo, a quem os judeus reconheceram como o seu Messias. Ele virá e os salvará. Assim como José se deu a conhecer a seus irmãos, que o haviam vendido como escravo aos ismaelistas – Gênesis 45:1-5 – Jesus se dará a conhecer aos judeus que o crucificaram:
Zacarias 13:6: “E se alguém lhe disser: Que feridas são estas nas tuas mãos? Dirá ele: São feridas com que fui ferido em casa dos meus amigos.”

Sobre a vinda de Jesus, acompanhado de sua igreja glorificada, veja:
Zacarias 14:5: “Então virá o Senhor meu Deus e todos os santos contigo ó Senhor.”
Judas 14: “Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos.”
Sobre a terceira vinda de Jesus, visível a todos os olhos, veja ainda as seguintes referências: Mateus 24:30; Apocalipse 1:7; Mateus 26:64; Daniel 7:13; Zacarias 12:10; João 19:37.

Em sua primeira vinda, ele veio humilde como ovelha perante os seus tosquiadores. E desceu às partes mais baixas da terra, humilhando-se até a morte, e morte de cruz. (Filipenses 2:7-8)
Em sua segunda vinda, para buscar sua igreja, ele não virá na terra, mas somente até as nuvens e sua igreja subirá para encontrá-lo. (I Tessalonicenses 4:17)
E sua terceira vinda, acompanhado de sua Igreja glorificada para implantar o milênio, em que parte da terra ele virá? Ele colocará seus pés, no mesmo lugar onde ele subiu. (Zacarias 14:4) E naquele dia estarão seus pés sobre o monte das Oliveiras que está defronte de Jerusalém para o Oriente.
Todos os que durante a grande tribulação, não adorarem a besta nem a sua imagem, tanto judeus como gentios, mas forem fiéis a Deus, pagarão por isso com a própria vida. Mas quando Jesus vier implantar o milênio, eles ressuscitarão para reinarem com Cristo.
Encontramos então na Bíblia, três épocas em que haverá ressurreição: A primeira se dará no arrebatamento da Igreja como já temos visto. A segunda fase da ressurreição, a qual a bíblia chama ainda de a primeira ressurreição, se dará no início do milênio. (Apocalipse 20:4-6) Entendemos então que a primeira ressurreição se dará em duas fases. A primeira fase, no arrebatamento da Igreja, a segunda na terceira vinda de Jesus, quando vier para reinar. A segunda ressurreição, a de todos os ímpios, acontecerá no fim do milênio.
Apocalipse 20:5: “Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram.”

No fim do milênio, todos os ímpios ressuscitarão e serão julgados por Jesus, diante do grande trono branco. (Apocalipse 20:11-15)
Oxalá que todos os filhos de Deus, tenham seus corações abrasados e ardendo em desejo pela vinda do Senhor e possam constantemente fazerem a última oração da bíblia.
Ora! Vem Senhor Jesus. (Apocalipse 22:20)

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *