Ninguém consegue ser bom em todas as coisas.
Fazer tudo sempre com excelência e perfeição é uma tarefa
praticamente impossível para o ser humano. Fazer esse tipo
de exigência ao seu filho é o mesmo que dizer que ele será
considerado um incompetente e incapaz se não conseguir
concluir com êxito uma tarefa ou fazer algo perfeitamente.

Consequências
A tensão produzida por esse tipo de frase pode levar a
criança a querer fazer apenas o que ela acha que é capaz de
fazer com perfeição. O medo da desaprovação irá subtrair-lhe
a iniciativa, fazendo com que ela sinta medo de arriscar. A
criança terá em mente que jamais poderá falhar. Erros e
acertos fazem parte do aprendizado, e a criança precisa saber
aprender com ambos.

Se Thomas Edison não tivesse errado centenas de
vezes antes que a primeira lâmpada elétrica se acendesse, não
estaríamos desfrutando esse maravilhoso invento.

O que dizer?
Encoraje seu filho a simplesmente fazer as coisas.
Diga-lhe: “Não se preocupe se falhar: mesmo quando você
não consegue, está aprendendo. Continue tentando. Sei que
você vai melhorar à medida que for treinando, refazendo e
tentando novamente”. Outro exemplo: “Gostei da arrumação
que você fez no seu quarto. Não ficou impecável, mas o
importante é que você arrumou”.

Deixar claro que o erro é uma possibilidade propicia
um ambiente de coragem e de iniciativa. Seu filho deve saber
que ele não é obrigado a impressionar você nem a qualquer
outra pessoa cada vez que realizar uma tarefa. O ser humano
criativo é aquele que é estimulado a tomar iniciativas.

Contudo, encorajar a independência não implica
justificar a irresponsabilidade. A rigidez é para quem quer criar
filhos dependentes a vida inteira. A flexibilidade é o ambiente
que permite aos gênios e às pessoas comuns se manifestarem
igualmente.

FONTE: 50 Coisas que os pais nunca
devem dizer aos filhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *