1º Trimestre de 2011

 

Data: 02 de Janeiro de 2011

TEXTO ÁUREO

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (At 1.8).

VERDADE PRÁTICA

Apesar de suas limitações locais, a Igreja de Cristo, sob o poder do Espírito Santo, universaliza-se em suas conquistas e faz-se irresistível como Reino de Deus.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – At 1.4

Jesus confirma a promessa do Pai

Terça – At 1.9

A ascensão de Jesus

Quarta – At 1.15-26

A primeira reunião da Igreja

Quinta – At 1.8

A missão da Igreja

Sexta – At 6.7

A expansão da Igreja

Sábado – Ef 4.3

Conservando a unidade da Igreja pelo Espírito Santo

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Atos 1.1-5.

1 – Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar,

2 – até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera;

3 – aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias e falando do que respeita ao Reino de Deus.

4 – E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes.

5 – Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.

INTERAÇÃO

Prezado professor, em virtude das comemorações do centenário das Assembléias de Deus no Brasil, a revista Lições Bíblicas, ao longo desse trimestre, buscará, baseada no Livro de Atos dos Apóstolos, refletir a razão e as ações da Igreja de Cristo em seus primórdios, comparando-as com a Igreja dos nossos dias. O comentarista das lições é o pastor Claudionor de Andrade, conferencista, autor de várias obras e gerente de Publicações da CPAD. Como poderá ser verificado, o término abrupto do livro de Atos sugere que os dons e as manifestações espirituais, como promessa do Senhor ressurreto, acompanharão a Igreja pelos séculos. Que esse ano seja de profundas reflexões para a compreensão da razão da nossa existência como Igreja de Cristo.

OBJETIVOS

Conhecer o conteúdo e o propósito do livro de Atos.
Explicar os eventos pré-pentecostais à descida do Espírito Santo.
Saber como se deu o desenvolvimento da expansão da igreja neo-testamentária.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, reproduza o esquema abaixo para introduzir o Tópico I. Faça a exposição panorâmica do livro de Atos, informando suas principais divisões (conteúdo, versículo-chave e o propósito do livro). Explique que “Atos dos Apóstolos” fragmenta-se em três principais momentos: 1) o derramamento do Espírito Santo; 2) a vida comunitária da Igreja Primitiva em Jerusalém; 3) e a expansão da Igreja entre os gentios. No desenvolvimento desse processo, o Espírito Santo protagoniza o papel de condutor essencial do caminho missionário da Igreja. Sob Sua ação, a Igreja caminha poderosa, testemunhando acerca de Jesus Cristo de Nazaré. Boa Aula!

CONTEÚDO GERAL DE ATOS

Autor: Lucas

Tema: A propagação triunfal do Evangelho pelo poder do Espírito Santo

Data: cerca de 63 d.C.

I. Introdução (1.1-11).

II. O derramamento do Espírito Santo (1.12 — 2.41).

III. A comunidade cristã em Jerusalém (2.42 — 8.1).

IV. A perseguição (8.1b — 9.31).

V. A Igreja entre os Gentios (9.32 — 12.25).

VI. O concílio de Jerusalém e as viagens missionárias (13.1 — 21.16).

VII. A prisão de Paulo e seu ministério em Roma (21.17 — 28.31).

Versículo-Chave: 1.8.

Propósito: Relatar o avanço do evangelho, saindo, do Judaísmo para o mundo gentio. Revelando a missão do Espírito Santo na vida e no papel da Igreja na sociedade, bem como a continuidade do ministério de Cristo na propagação do evangelho.

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Ação: Ato ou efeito de atuar, agir obrar, operar.

Neste trimestre, estudaremos o livro de Atos dos Apóstolos. Certamente haveremos de nos convencer de que, à semelhança daqueles dias, o Espírito Santo vem agindo na Igreja e através da Igreja, levando-a a ser o sal de um século insípido e a luz de um mundo em trevas. Mas não espere encontrar uma igreja sem problemas, conforme adverte-nos o pastor inglês John Stott: “A leitura de Atos não deve levar-nos a uma idealização da Igreja Primitiva, como se ela não possuísse nenhum defeito. Como veremos adiante, ela tinha muitos”.

Sim, não encontraremos uma igreja perfeita, mas uma igreja poderosa e militante que espalha o Evangelho de Cristo sem impedimento algum.

I. AUTORIA, DATA E TEMA

Em seu Evangelho, Lucas fez um relato fidedigno e metódico pondo “em ordem a narração dos fatos”, diz ele, “que entre nós se cumpriram, segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde o princípio” (Lc 1.1,2). Já em Atos dos Apóstolos, pôs-se ele a narrar a expansão da Igreja de Cristo. Neste livro, Lucas atua também como o personagem que, de forma modesta, oculta-se na humildade do pronome da primeira pessoa do plural (At 20.6,13,15; 21.16; 27.8).

Conheçamos, pois, mais alguns detalhes dos Atos dos Apóstolos que devem ser conhecidos ainda, segundo F.B. Meyer, como “os Atos do Espírito do Cristo que ascendeu ao céu”.

1. Autoria. Não possuímos muitas informações acerca do autor de Atos dos Apóstolos. Sabemos apenas tratar-se de um homem excepcional, culto e possuidor de um estilo literário de impressionante grandeza. Haja vista o prólogo de seu evangelho escrito num grego que se aproxima do clássico (Lc 1.1-4).

Lucas também era médico (Cl 4.14). E mui amado por todos.

Pelo que depreendemos de sua obra, veio ele a converter-se depois da ascensão do Senhor Jesus. A partir da segunda viagem missionária de Paulo, encontramo-lo a participar ativamente da evangelização dos gentios (At 16.10).

2. Data de composição. Lucas concluiu os Atos dos Apóstolos entre os anos 61-63. Portanto, antes da execução de Paulo e bem antes da destruição de Jerusalém pelos romanos. Historiador consciencioso que era, jamais deixaria de mencionar ambos os fatos, houvesse ele escrito o livro após o ano 70. Acerca da historiografia lucana, manifesta-se A. N. Sherwin-White, emérito professor de história da Universidade de Oxford: “Para o autor de Atos, a confirmação da historicidade dos fatos é fundamental”.

3. Tema. Podemos resumir assim o tema central dos Atos dos Apóstolos: A expansão triunfal do Evangelho de Cristo através da Igreja no poder do Espírito Santo.

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Lucas participa da história da Igreja Primitiva, não somente como autor, mas como um personagem presente e ativo.

II. O CONTEÚDO DE ATOS DOS APÓSTOLOS

Assim podemos dividir o conteúdo de Atos dos Apóstolos: Eventos Pré-pentecostais (At 1); Evento Pentecostal (At 2); A expansão do Evangelho em Jerusalém (At 3-7); A expansão do Evangelho na Judeia e Samaria (At 8-12); A expansão do Evangelho entre os gentios (At 13-28). As divisões de Atos dos Apóstolos acompanham a ordem de Jesus em Atos 1.8.

1. Eventos pré-pentecostais. Dois foram os principais eventos que precederam a descida do Espírito Santo no Dia de Pentecostes: a ascensão de Cristo e a escolha de Matias como ocupante do posto desprezado por Judas Iscariotes.

a) A ascensão de Cristo. A subida do Cristo ressurreto e glorioso ao céu, como veremos na próxima lição, não foi um artifício mitológico criado por Lucas, mas um fato histórico comprovado e testemunhado por centenas de pessoas (At 1.15; 1 Co 15.6).

b) A eleição de Matias. A escolha do substituto do Iscariotes tem de ser encarada como um capítulo importantíssimo da História da Igreja Cristã. Além do mais, foi o próprio Espírito Santo quem constrangeu a Pedro a presidir a reunião que culminou com a designação de Matias. A Igreja não poderia ser inaugurada com o colégio apostólico incompleto (At 1.15-20).

2. Evento Pentecostal. Estando o Cristo já à destra do Pai e a vacância de Judas preenchida por Matias, só faltava mesmo a efusão do Espírito Santo sobre os discípulos, para que a Igreja fosse inaugurada como a agência por excelência do Reino de Deus. O fato está registrado em Atos capítulo dois. Na terceira lição, estaremos a discorrer com mais vagar sobre o evento.

3. Eventos missionários. Lucas narra, com precisão, seis eventos missionários que mostram como a Igreja de Cristo expande-se de Jerusalém aos confins da terra: a expansão em Jerusalém, a expansão na Judeia e Samaria e a expansão entre os gentios, compreendendo as quatro viagens missionárias de Paulo.

a) A expansão em Jerusalém. Nenhum líder judeu poderia imaginar que, logo após a morte do Senhor Jesus, a Igreja Cristã, inaugurada no Pentecostes, esparramar-se-ia tão celeremente por toda Jerusalém. No Sermão do Pentecostes, quase três mil almas agregaram-se aos fiéis (At 2.41). Mais adiante, o número já sobe para quase cinco mil (At 4.4). Daí em diante, multiplicou-se tanto o número de conversos que até mesmo não poucos sacerdotes obedeciam a fé (At 6.7).

b) A expansão da Igreja na Judeia e Samaria. A morte de Estêvão foi apenas o início de uma perseguição que culminaria com a diáspora da igreja hebreia. Os irmãos, espalhados que foram pela arbitrariedade das autoridades judaicas, iam semeando a Palavra de Deus por toda a Judeia até chegar a desprezada Samaria (At 8.1-25). Nessa fase, destaca-se como evangelista o que fora escolhido como diácono: Filipe (At 8.5).

c) A expansão da Igreja entre os gentios. Se na parte inicial de Atos, a figura proeminente é Pedro, na segunda parte destacar-se-á Saulo de Tarso como o grande campeão de Cristo que, em três viagens missionárias, levou o Evangelho ao extremo ocidental do mundo então conhecido sem impedimento algum (At 13-28).

SINOPSE DO TÓPICO (II)

A ascensão de Cristo e a eleição apostólica de Matias foram os eventos que antecederam o Pentecostes.

III. O PROPÓSITO DE ATOS DOS APÓSTOLOS

O livro de Atos dos Apóstolos foi escrito com o propósito de narrar e justificar a expansão universal da Igreja de Cristo no poder do Espírito Santo. É o seu intento também estimular os crentes de todas as gerações a prosseguir na universalização do Reino de Deus até a volta de Cristo.

1. Narrar a expansão da Igreja. Como a Igreja de Cristo, inaugurada pelo Espírito Santo em Jerusalém, veio a tornar-se na universal e invisível assembléia dos santos? Foi justamente para responder a esta pergunta que Lucas escreveu os Atos dos Apóstolos. Metódica e sistematicamente, mostra ele como a Igreja transcendeu as fronteiras da Judeia para universalizar-se nos confins da terra (At 1.1-15).

2. A justificar os Atos dos Apóstolos. De maneira sutil, porém bastante evidente, Lucas destaca o mandamento do Cristo que justifica não apenas a expansão da Igreja como a sua universalização: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (At 1.8). Evangelizar e fazer missões é a nossa obrigação.

3. Estimular aos crentes. Ao encerrar os Atos dos Apóstolos, deixa Lucas bem patente a todos nós que aqueles atos não foram encerrados com a prisão de Paulo em Roma, mas acham-se abertos e livres para que evangelizemos e façamos missões até a volta de Jesus sem impedimento algum.

SINOPSE DO TÓPICO (III)

A expansão da Igreja deu-se em duas etapas: de Jerusalém à Samaria, de forma espontânea; de Antioquia à Roma, de forma planejada e intencional.

CONCLUSÃO

Neste trimestre, por conseguinte, veremos o que pode fazer a Igreja de Cristo no poder do Espírito Santo. Tendo como ensejo o Centenário das Assembléias de Deus no Brasil, busquemos um poderoso avivamento, a fim de que o Evangelho de Cristo seja levado aos mais distantes rincões, quer de nosso país, quer do mundo, sem quaisquer impedimentos. Ore. Rogue a Deus um avivamento autenticamente pentecostal.

VOCABULÁRIO

Escatologia: Estudo sistemático e lógico das doutrinas concernente às últimas coisas.
Paracleto: “Aquele que é chamado ao lado de…”; defensor, advogado.
Parousia: Presença, vinda ou chegado do Rei.
Vacância: Condição ou estado do que não se acha preenchido ou ocupado.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

PEARMAN, M. Atos: E a Igreja se fez Missões. 2.ed. RJ: CPAD, 1999.
ZUCK, R. et al. Teologia do Novo Testamento. 1.ed. RJ: CPAD, 2008.

EXERCÍCIOS

1. O que é o Livro de Atos dos Apóstolos?

R. Uma narrativa teológica da expansão da Igreja de Cristo.

2. Lucas pode ser considerado um historiador?

R. Sim. Em seu evangelho, Lucas fez um relato fidedigno e metódico (Lc 1.1,2).

3. Como a Igreja de Cristo expandiu-se?

R. No Sermão do Pentecostes, quase três mil almas agregaram-se aos fiéis (At 2.41). Mais adiante, o número já sobe para quase cinco mil (At 4.4).

4. Ao todo, quantas viagens missionárias foram realizadas por Paulo?

R. Quatro viagens missionárias.

5. De que forma, poderemos alcançar os extremos do Brasil e do mundo?

R. Por um poderoso avivamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *