22 de Setembro




 

Texto Áureo

“Os céus são os céus do SENHOR; mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens.” (Sl 115.16)

Verdade Prática

O salvo em Cristo deve ter uma consciência bíblica de sua responsabilidade com o meio ambiente.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Gn 2.15 Deus pôs o homem no Éden para cuidar do jardim 

Terça – Gn 1.26 O homem foi colocado para “dominar” a Terra 

Quarta – Is 45.18 A Terra foi formada para ser habitada

Quinta – Gn 3.17 A maldição da Terra 

Sexta – Jó 24.12 Os homens “gemem” nas cidades 

Sábado – Ap 11.18 Deus trará juízo sobre quem destrói a Terra

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Gênesis 1.26-30

26 – E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra. 

27 – E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. 

28 – E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves

dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. 

29 – E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda erva que dá semente e que está sobre a face de toda a terra e toda árvore em que há fruto de árvore que dá semente; ser-vos-ão para mantimento. 

30 – E a todo animal da terra, e a toda ave dos céus, e a todo réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde lhes será para mantimento. E assim foi.

HINOS SUGERIDOS: 204, 207, 213 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL

Pontuar que o salvo em Cristo deve ter uma consciência bíblica de sua responsabilidade com o meio ambiente. 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

1 Destacar que o homem foi criado para ser mordomo de Deus; 

2 Mostrar como Deus concedeu a Terra aos homens; 

3 Apresentar o homem e sua relação com a Terra.

• INTERAGINDO COM O PROFESSOR

O homem foi preparado para ser o mordomo de Deus no planeta Terra. Foi para plantar, cultivar, constituir famílias, sociedade e construir empreendimentos, preservando os recursos naturais que Deus concedeu legitimidade ao homem para cuidar da Terra. É preciso desenvolver a nossa consciência bíblica acerca dessa responsabilidade com a Terra. Não podemos contribuir para poluí-la, degradá-la e arruiná-la. O nosso Deus nos deu o privilégio de zelar pela Terra, o lar de todos nós.

INTRODUÇÃO 

Nesta lição, estudaremos a vocação do ser humano para ser o mordomo de Deus na Terra. Veremos que Deus entregou este planeta aos nossos cuidados. Por isso, faremos uma reflexão bíblica sobre a responsabilidade humana com o ambiente natural. Concluindo, perceberemos que há promessas bíblicas para a restauração da Terra. Nosso Senhor há de restaurá-la plenamente. 

PONTO CENTRAL

É preciso ter consciência bíblica de nossa responsabilidade com o meio ambiente.

I – O HOMEM FOI CRIADO PARA SER MORDOMO DE DEUS 

    1. O mordomo da Terra. Deus chamou o homem para ser o mordomo (gr. oikonomos) da Criação. Pela fé, entendemos que ela é obra de Deus, e não o resultado de um processo evolutivo “planejado” pelo acaso. Não há lógica em dizer que um sistema tão complexo como o da Criação tenha sido fruto de algo aleatório. A Bíblia afirma que Deus criou o Universo, fazendo-o surgir a partir de sua palavra (Hb 11.3). Por isso, o Criador é digno de receber toda a glória, toda a honra e todo o poder pela obra de suas mãos (Ap 4.11). 

       2. A terra habitável. Deus fez a Terra para que os seres humanos a habitassem. O homem foi autorizado por Deus a desfrutar da plenitude da Terra, e para desta sustentar-se, conforme diz a Bíblia: “Porque assim diz o Senhor que tem criado os céus, o Deus que formou a terra e a fez; ele a estabeleceu, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o Senhor, e não há outro” (Is 45.18).

SÍNTESE DO TÓPICO I 

O homem foi criado para ser um mordomo de Deus na Terra. 

SUBSÍDIO DIDÁTICO PEDAGÓGICO

Faça uma pesquisa sobre os rios, lagos ou lagoas próximos de sua localidade. Procure conhecer como eles eram há 20, 30 ou 50 anos, e como são hoje. Munido dessas informações, faça uma reflexão com os alunos a partir de sua pesquisa. Inicie a aula perguntando como era os rios da redondeza na época dos pais e avós deles. Leve-os a refletir sobre o que levou aos rios de ontem estarem poluídos hoje. Mostre que, à luz da Bíblia, e da lição estudada, essa não é a vontade de Deus. Afirme que é possível um país se desenvolver, e ao mesmo o tempo, preservar seus recursos naturais. 




 

II – DEUS CONCEDEU A TERRA AOS HOMENS 

     1. A Terra é do Senhor (Sl 24.1). As Escrituras declaram que a Terra é de Deus, e que Ele a confiou aos homens (Sl 115.16; cf. Dt 10.14). O que o Criador espera de nós é o zelo, o cuidado e a sabedoria para exercer a nossa mordomia sobre a Terra. Nesse sentido, espera-se que os crentes, em Jesus, sejam o exemplo na relação com o meio ambiente. Não podemos contaminar os recursos naturais; precisamos evitar os desperdícios e o uso irracional da água. 

      2. A natureza – uma dádiva da graça de Deus. A natureza é um presente de Deus ao ser humano, pois é Ele “quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas” (At 17.25). Por meio dela, Deus nos garante o ar, a água, o sol, a chuva, a germinação das plantas, o fruto e os alimentos necessários à nossa subsistência. 

     Sem a natureza, não haveria vida. Tudo isso são dádivas naturais, fruto da graça de Deus, conforme nos revela o Evangelho: “porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos” (Mt 5.45). Por isso, quando fizermos alguma refeição, agradeçamos a bondade de Deus, e reconheçamos a sua provisão (Sl 65.8-13). 

       3. A missão de governar a Terra. Deus governa o cosmos. Assim como todos os planetas, estrelas e outros corpos celestes, a Terra pertence a Deus. Primeiramente, por direito de criação. Diz o Gênesis: “No princípio criou Deus o céu e a terra” (Gn 1.1). Em segundo lugar, por direito de preservação. Deus preserva todos os aspectos da natureza: “Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra” (Sl 104.30; 65.9-13). Portanto, cuidemos com zelo do ambiente natural (Gn 1.26).

SÍNTESE DO TÓPICO II 

A Terra é do Senhor, a natureza é uma dádiva divina e, por isso, o homem deve cuidar da Terra.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

“Ao refletir sobre o momento em que o propósito de Deus para a criação será cumprido, Paulo escreve: “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8.18). Paulo, então, revela que toda a criação está gemendo, em ardente expectativa por esse momento (8.19- 22). Assim também os crentes, apesar das bênçãos que têm recebido. Eles igualmente gemem, esperando a redenção do corpo (8.23-25). Nesse ínterim, porém, ‘sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto’ (Rm 8.28). O fato de possuírem os seres humanos a capacidade de amar a Deus pressupõe que a humanidade foi dotada com o livre-arbítrio na criação. 

      Posto que a totalidade da criação aponta para o propósito salvífico de Deus, é de esperar que haja neste propósito provisão suficiente para toda a humanidade, inclusive uma chamada universal à salvação. Os propósitos salvíficos de Deus também resultaram na criação de uma criatura com livre-arbítrio” (HORTON, Stanley M. (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p.229). 

III – O HOMEM E SUA RELAÇÃO COM A TERRA 

    1. A Terra antes do homem. O livro de Gênesis assim descreve a situação do reino vegetal, no Éden, antes da criação do homem: “Toda planta do campo ainda não estava na terra, e toda erva do campo ainda não brotava; porque ainda o SENHOR Deus não tinha feito chover sobre a terra, e não havia homem para lavrar a terra. Um vapor, porém, subia da terra e regava toda a face da terra.” (Gn 2.5,6). O ser humano, por conseguinte, era, e continua a ser, indispensável ao cultivo, à guarda e à preservação do planeta. Essa é a nossa missão. 

      2. A Terra depois da criação do homem. O segundo capítulo de Gênesis narra a formação do homem e a sua vocação para ser o mordomo do jardim (Gn 2.7,8). Nesse tempo, a ecologia era perfeita. Deus plantou um jardim para colocar o homem nele. Isso só ocorreu depois que o ambiente natural já estava pronto para ser habitado.

     Muitas foram as árvores que brotaram, inclusive “a árvore da vida, no meio do jardim, e a árvore da ciência do bem e do mal” (Gn 2.9). Após a disposição dos ecossistemas, o Criador entregou ao homem a sua grande missão: “E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar” Gn 2.15). 

     3. A Terra depois da Queda. O homem desobedeceu a ordem divina, e comeu do fruto proibido. Por causa dessa desobediência, Deus exerceu severo juízo sobre ele e sobre a natureza. Diz o Gênesis: “E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida” (Gn 3.17).

      Dessa forma, toda a ecologia do planeta foi prejudicada pela ação pecaminosa do homem (Rm 8.20,21). Por causa dele, o ambiente natural tornou-se hostil à sobrevivência humana.

SÍNTESE DO TÓPICO III 

A relação do homem com a Terra se resume em antes e depois de sua criação, e depois da Queda. 

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

“Ao refletir sobre o momento em que o propósito de Deus para a criação será cumprido, Paulo escreve: “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8.18). Paulo, então, revela que toda a criação está gemendo, em ardente expectativa por esse momento (8.19-22). Assim também os crentes, apesar das bênçãos que têm recebido. Eles igualmente gemem, esperando a redenção do corpo (8.23-25). Nesse ínterim, porém, ‘sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto’ (Rm 8.28). O fato de possuírem os seres humanos a capacidade de amar a Deus pressupõe que a humanidade foi dotada com o livre-arbítrio na criação.

    Posto que a totalidade da criação aponta para o propósito salvífico de Deus, é de esperar que haja neste propósito provisão suficiente para toda a humanidade, inclusive uma chamada universal à salvação. Os propósitos salvíficos de Deus também resultaram na criação de uma criatura com livre- -arbítrio” (HORTON, Stanley M. (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p.229).  




 

IV – A MORDOMIA DO MEIO AMBIENTE 

      1. A falha do homem na mordomia da Terra. Você já ouviu falar em “desenvolvimento sustentável”? É a missão de prover o desenvolvimento econômico e tecnológico sem esgotar os recursos naturais do planeta. Essa não é uma tarefa fácil, pois o interesse pelas riquezas naturais tem levado o homem a não se preocupar com a conservação do meio ambiente (1 Tm 6.10). 

      O objetivo do chamado desenvolvimento sustentável, além de garantir a preservação ambiental, é assegurar uma condição digna de vida às gerações futuras. Na maioria dos países, a exemplo do Brasil, as cidades em geral são ambientes poluidores, dominados por estruturas corruptas, imoralidade e violência sem controle. Nesse sentido, as palavras de Jó são reveladoras: “Desde as cidades gemem os homens, e a alma dos feridos exclama, e contudo Deus lho não imputa como loucura” (Jó 24.12).

     Em resumo, os processos de urbanização e industrialização se tornaram símbolos de poluição e degradação do meio-ambiente. 

      2. A degradação da Terra. O adversário de nossa alma, Satanás, tem atuado contra o ser humano na Terra (Jó 2.1,2). Ele provoca tragédias espirituais, morais e físicas contra o homem. Assim, movido por sentimento de ganância e avidez, ou por não procurar fazer o uso correto dos recursos naturais, o homem deteriorou o meio ambiente e causou grandes desastres ambientais. Quantos rios que, outrora limpos e cheios de peixes, são agora poluídos e impróprios à saúde?! 

        3. A restauração da Terra. A Palavra de Deus declara que “a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus” (Rm 8.20,21). Agora, a criação encontra-se sujeita à degradação, aguardando o dia da sua redenção. O Senhor nosso Deus prometeu, um dia, restaurar plenamente o nosso planeta (Is cap. 35).

SÍNTESE DO TÓPICO IV 

Num contexto de falha na mordomia e degradação da Terra, há uma promessa divina de restauração.  

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

“A descrição da Nova Jerusalém demonstra que Deus tem para nós um lugar melhor do que o Jardim do Éden, com todas as bênçãos do Éden intensificadas. Deus é tão bom! Ele sempre nos restaura a algo melhor do que aquilo que perdemos. Desfrutamos da comunhão com Ele agora, mas o futuro reserva-nos a ‘comunhão intensificada com o Pai, o Filho e o Espírito Santo e com todos os santos’. A vida na Nova Jerusalém será emocionante. Nosso Deus infinito nunca ficará sem novas alegrias e bênçãos para oferecer aos redimidos” (HORTON, Stanley M. (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p.645).

CONCLUSÃO 

Antes da Queda, o ambiente natural era perfeito, sem alterações climáticas, sem catástrofes ou fenômenos que ameaçassem a vida humana. No entanto, depois da desobediência do homem à voz de Deus, tudo mudou. Houve um prejuízo imenso tanto para o homem quanto para a Terra. O pecado transtornou a natureza. Mas há promessa de Deus para a restauração da Terra. Isso ocorrerá quando o Senhor Jesus implantar pessoalmente o Reino Milenial neste mundo.

PARA REFLETIR

A respeito de “A Mordomia do Cuidado com a Terra”, responda: 

• Para quê Deus chamou o homem? 

Deus chamou o homem para ser o mordomo (gr. Oikonomos) da Criação. 

• Para quê Deus fez a Terra? 

Deus fez a Terra para que os seres humanos a habitasse. 

• Por que a natureza é um presente de Deus ao ser humano? 

A natureza é um presente de Deus ao ser humano, pois é Ele “quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas” (At 17.25). 

• Qual a grande missão que Deus entregou ao homem? 

Deus tomou o homem, “e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar” Gn 2.15). 

• O que é o “desenvolvimento sustentável”? 

Desenvolvimento Sustentável é a difícil missão de prover o desenvolvimento econômico e tecnológico sem esgotar os recursos naturais. 

CONSULTE

Revista Ensinador Cristão – CPAD, nº 79, p.42. Você encontrará mais subsídios para enriquecer a lição. São artigos que buscam expandir certos assuntos.

fonte:CPAD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *