Lição 2 – CONHECENDO A BÍBLIA

MEDITAÇÃO 

“Conheçamos e prossigamos em conhecer o SENHOR: como a alva, será a sua saída; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra” (Os 6.3).

REFLEXÃO BÍBLICA DIÁRIA 

 SEGUNDA-Salmos 33.4,6 
 TERÇA – Mateus 4.4 
 QUARTA-João 5.24 
 QUINTA-João 12.47 

 SÁBADO – 2 Timóteo 4.1,2

TEXTO BÍBLICO BASE 

33 – Ensina-me, ó SENHOR, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até o fim. 
34 – Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei e observá-la-ei de todo o coração. 
35 – Faze-me andar na verdade dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer. 
36 – Inclina o meu coração a teus testemunhos e não à cobiça. 
37 – Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade e vivifica-me no teu caminho. 
38 – Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor. 
39 – Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons. 

40 – Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

INTERAGINDO COM O ALUNO

 Professor, este é um dos assuntos mais importantes (Sara o nosso discipulando. Reconhecer a Bíblia como Palavra de Deus e compreender que ela contém elementos humanos fará toda a diferença para a formação cristã do seu aluno. Deus se revelou para nós usando a linguagem humana, a cultura do povo e todos os elementos possíveis para que fosse o veículo condutor da sua graça e misericórdia. É um privilégio termos a Bíblia Sagrada em mãos. Aproveite esta e a aula seguinte para estimular os discipulandos a desenvolverem uma relação de carinho e seriedade com a Bíblia. Pesquise, indique textos, passe filmes, conte histórias em que a Bíblia influenciou definitivamente a vida de uma pessoa e até mesmo uma nação. Faça tudo que estiver no seu alcance para esclarecer o seu aluno sobre a Bíblia. Deus o abençoe!

OBJETIVOS

Sua aula deverá alcançar os seguintes objetivos: 
1 Explicar o desenvolvimento da Bíblia 
2 Dissertar sobre o Antigo Testamento e sua organização. 

3 Apresentar o Novo Testamento e sua organização.

PROPOSTA PEDAGÓGICA 

Para introduzir a lição desta semana, você pode apresentar um quadro esquemático, logo abaixo, que resume a organização de todos os livros contidos na Bíblia dos evangélicos-protestantes. Após ministrar a lição, revise-a usando o esquema sugerido por nós, a fim de que os alunos reconheçam os livros do Antigo e do Novo Testamentos. Parece que não, mas achar um livro da Bíblia é uma das maiores dificuldades dos novos convertidos. Por isso, seja paciente, explique-os amorosamente e tire todas as dúvidas possíveis. Boa aula!

INTRODUÇÃO 

Não há um livro igual à Bíblia. Esta tem formado a cultura ocidental e a identidade de muitos povos ao longo dos séculos. A Bíblia é o livro que integram o conteúdo da fé cristã. Nossas crenças acham-se fundamentadas no texto da Bíblia. Por isso é importante que você conheça como essa obra surgiu, quais livros a integram e como eles estão organizados. Nesta lição, veremos que a Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus que, concomitantemente, desenvolveu-se em meio à cultura humana e que está organizada em dois principais documentos: o Antigo e o Novo Testamentos. Esses são os assuntos da presente lição.

1. A ORIGEM DA BÍBLIA 

   1.1. Como se deu. Qual o significado do termo Bíblia? A palavra deriva do latim e provém do grego bíblia. Outros dois vocábulos gregos (biblion – plural e diminutivo de livro / biblos – livro ou documento escrito em papiro) denotam a ideia que queremos dar ao termo Bíblia: Escritos ou Escrituras. Ou seja, vários livros dentro de um só livro. Uma biblioteca em um único lugar. 
    Ao longo da história da revelação divina ao ser humano, pessoas registraram suas experiências com Deus, desde a mais remota antiguidade ao tempo mais próximo da era presente. Assim, por intermédio de um período de aproximadamente 1600 anos, formou-se um conjunto de Escritos de 66 livros, Antigo Testamento e Novo Testamento que, por mais de 20 séculos, vem formando os membros da Igreja de Cristo no mundo. 
   1.2. Palavra de Deus. Desde o mais remoto tempo da história cristã, os cristãos creem que a Bíblia é a Palavra de Deus. Os evangelistas afirmavam isso: “Nunca lestes nas Escrituras?” (Mt 21.42). Naturalmente, Mateus se refere às Escrituras do Antigo Testamento. O apóstolo Paulo confirmou para o jovem Timóteo: “desde a tua meninice, sabe as sagradas letras” (2 Tm 3.15). E as suas epístolas foram consideradas Escrituras Sagradas pelo apóstolo Pedro: “falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição” (2 Pe 3.16). Portanto, os escritos do Antigo Testamento e, posteriormente, os do Novo Testamento, são a Palavra de Deus para a Igreja de Cristo no mundo. 
   1.3. Cultura do Homem. A Bíblia foi escrita num tempo, espaço geográfico e em meio a diversas culturas. No Antigo Testamento, vemos o povo de Israel imergir de dentro de uma cultura politeísta (adoração a vários deuses) a partir de nações reconhecidas pela História Moderna, tais como: Egito, Império Babilônio, Império Medo-Persa e Império Grego. Em o Novo Testamento, a cultura greco-romana (união das culturas do Império Grego com as do novo Império Romano) está presente na formação da Bíblia. Por exemplo, em Atos 17, Paulo pregou entre os filósofos gregos; a família de Jesus voltou para a Judeia a partir de um edito de um imperador romano (Lc 2.1-7). Ou seja, os escritos bíblicos foram forjados dentro das culturas dos povos do mundo e num período aproximado de 16 séculos. 
    Por volta da Idade Média, a Bíblia foi dividida em capítulos e versículos (antes não havia essa divisão) para facilitar a nossa leitura. Por exemplo, quando mencionamos João 3.16, queremos dizer o livro do Evangelho de João, capítulo 3 e versículo 16. A cultura humana facilitou a leitura da Bíblia. ► 
 
AUXÍLIO DIDÁTICO 1 
“A palavra ‘testamento’, nas designações ‘Antigo Testamento’ e ‘Novo Testamento’, para as duas divisões da Bíblia remonta através do latim testamentum ao termo grego diathéke, o qual na maioria de suas ocorrências na Bíblia grega significa ‘concerto’ em vez de ‘testamento’. Em Jeremias 31.31, foi profetizado um novo concerto que iria substituir aquele que Deus fez com Israel no deserto (Êx 24.7,8). ‘Dizendo novo concerto, envelheceu o primeiro’ (Hb 8.13). Os escritores do Novo Testamento veem o cumprimento da profecia do novo concerto na nova ordem inaugurada pela obra de Cristo. Suas próprias palavras ao instituir esse concerto (1 Co 11.25) dão autoridade a esta interpretação. Portanto, os livros do Antigo Testamento são assim chamados por causa de sua estreita associação com a história do ‘antigo concerto’. E os livros do Novo Testamento são desse modo designados porque se tratam dos documentos do estabelecimento do ‘novo concerto’” (COMFORT, Philip Wesley. A Origem da Bíblia. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1998, pp.15-16). 
Professor, é importante que você saiba que há especialistas bíblicos que adotam a expressão Primeiro Testamento ao invés de Antigo Testamento e Segundo Testamento ao invés de Novo Testamento, pois a palavra “antigo” pode sugerir a ideia de algo obsoleto e de menor consequência. Entretanto, quem escolheu os termos “Antigo e Novo” não tinha uma intenção depreciativa para com a Bíblia. Todavia, hoje, há quem considere falta de respeito usar esse termo referente ao texto bíblico. Entretanto, quando usamos “Antigo” e “Novo” queremos apenas denominar a principal divisões da Bíblia. 
 
2. O ANTIGO TESTAMENTO 
   2.1. O que é? Um conjunto de escritos inspirados que norteiam a história de um povo escolhido por Deus, a nação de Israel, para revelar o reino divino ao mundo. Entretanto, esse povo falhou em sua missão. O Antigo Testamento foi transmitido por meio de “palavras proféticas”, de toda história e das obras poderosas de Deus para com o seu povo. A narrativa dessas obras e das palavras proféticas faz com que não duvidemos do interesse de Deus em se relacionar com os seres humanos. A iniciativa de relacionar-se conosco foi sempre d Ele (cf. Êx 3.1-12
    2.2. Qual o assunto? O Antigo Testamento conta a história da origem, da ascensão, do desenvolvimento e da queda da nação de Israel. É uma espécie de introdução do que Deus falou antigamente aos nossos pais da fé pelos santos profetas e ao cumprimento do que foi falado pelo seu Filho Jesus Cristo (Hb 1.1,2). Por isso, o Antigo Testamento era a Bíblia dos primeiros crentes e do próprio Senhor Jesus (Lc 4.14-17). Foi nos escritos antigos que a Igreja encontrou o testemunho claro sobre a pessoa de Jesus de Nazaré: “ Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam” (Jo 5.39). Por isso, o Antigo Testamento precisa ser lido, estudado e interpretado à luz do que Jesus nos ensinou nos Evangelhos e os seus apóstolos em todo o Novo Testamento.
2.3. Como está organizado? O Antigo Testamento que as igrejas evangélicas usam atualmente está basicamente dividido em quatro partes, compostas por 39 livros. Vamos conhecê-los? 
   a) O Pentateuco. Cinco livros de Moisés, 0 legislador de Israel. Tais livros falam da formação do mundo, do ser humano, das nações, do povo de Israel e da Lei de Deus: Gênesis (Gn), Êxodo (Êx), Levítico (Lv), Números (Nm) e Deuteronômio (Dt). 
   b) Livros Históricos. De diversas autorias, os livros narram o desenvolvimento político, econômico e de nação na história de Israel, bem como a sua ruína imediata: Josué (Js), Juizes (Jz), Rute (Rt), 1 Samuel (1 Sm), 2 Samuel (2 Sm), 1 Reis (1 Rs), 2 Reis (2 Rs), 1 Crônicas (1 Cr), 2 Crônicas (2 Cr), Esdras (Ed), Neemias (Ne) e Ester (Et). 
    c) Livros Poéticos. De diversas autorias, são cânticos e poesias hebraicas que retratam o sentimento humano no relacionamento com Deus: Jó (Jó), Salmos (SI), Provérbios (Pv), Eclesiastes (Ec), Cantares de Salomão (Ct). 
    d) Livros Proféticos. São livros onde constam as mensagens dos grandes profetas de Israel. Eles são classificados em Profetas Maiores e Profetas Menores. Tai classificação nada tem com a importância do livro em si, mas com a quantidade de textos. 
Profetas Maiores: Isaías (Is), Jerem ia s (Jr), L a m e n ta ç õ e s (Lm ), Ezequiel (Ez) e Daniel (Dn). 
Profetas Menores: Oseias (Os), Joel (Jl), Amós (Am), Obadias (Ob), Miqueias (Mq), Naum (Na), Habacuque (Hc), Sofonias (S f), Ageu (Ag), Zacarias (Zc) e Malaquias (Ml). 
 
 AUXÍLIO DIDÁTICO 2
 Neste tópico, você pode mencionar para seu aluno a diferença entre a Bíblia Hebraica, que os judeus usam na sinagoga, a Bíblia Católica e a Bíblia que nós, os evangélico-protestantes, usamos. Com o auxilio do esquema reproduzido na seção Proposta Pedagógica, sugerimos que mostre esse esquema aos alunos:

3. 0 NOVO TESTAMENTO 
    3.1. O que é? Se o cumprimento é a consequência da promessa, poderíamos dizer que o Novo Testamento é a consequência do Antigo. Este registra o que Deus disse aos antepassados, o cumprimento, a confirmação e a consumação da promessa, os sacrifícios, os rituais de culto, as palavras proféticas, a unção de reis, a vocação de pessoas para falar ao povo: tudo culminaria na obra redentora de Jesus (Hb 9.11,12). O Novo Testamento registra a história, a experiência e os testemunhos de cristãos que viram, ouviram e aprenderam de Jesus naqueles dias. Pelo poder e inspiração do Espírito Santo, essas pessoas proclamaram ousadamente o Reino de Deus ao mundo. 
     3.2. Qual o assunto? Jesus Cristo! A pessoa de Jesus Cristo é a razão da existência do Novo Testamento. Também está presente nesse documento o advento da Igreja e o seu projeto de evangelização local e universal. Narram-nos os escritos neotestamentários a ação do Espírito Santo sobre um grupo de pessoas que revolucionaram o mundo, os conselhos para vida, a instituição de uma liderança cristã, palavras para vocacionados e tantos outros assuntos do interesse do Corpo de Cristo. 
     3.3. Como está organizado? Os 27 livros do Novo Testamento têm sido aceitos pela Igreja há mais de 20 séculos de história. O documento está organizado em pelo menos quatro divisões. Vamos conhecê-las: 
   a) Os Quatro Evangelhos. Os livros levam os nomes dos respectivos autores e buscam narrar a obra de Jesus de Nazaré como o Filho de Deus: Mateus (Mt), Marcos (Mc), Lucas (Lc) e João (Jo). 
   b) Livro Histórico. De autoria do evangelista Lucas, uma continuação do seu Evangelho, o livro narra a origem histórica da Igreja em Jerusalém quando do dia de Pentecoste, sua trajetória local e mundial: Atos dos Apóstolos (At).
c) 21 Cartas escritas pelos apóstolos. Conselhos práticos e doutrinários para a Igreja de todos os tem pos. 
Epístolas Paulinas. De autoria do apóstolo Paulo: Romanos (Rm), 1 Coríntios (1 Co), 2 Coríntios (2 Co), Gálatas (Gl), Efésios (Ef), Filipenses (Fp), Colossenses (Cl), 1 Tessalonicenses (1 Ts), 2 Tessalonicenses (2 Ts), 1 Timóteo (1 Tm), 2 Timóteo (2 Tm), Tito (Tt) e Filemon (Fm). 
Epístolas Gerais. De diversas autorias: Hebreus (autor desconhecido) (Hb), Tiago (Tg), 1 Pedro (1 Pe), 2 Pedro (2 Pe), 1 João (1 Jo), 2 João (2 Jo), 3 João (3 Jo) e Judas (Jd). d) Livro profético. De autoria do apóstolo João, é o único livro de profecia do Novo Testamento: Apocalipse (Ap). 
 
 AUXÍLIO DIDÁTICO 3
 “Os escritos neotestamentários não foram reunidos na forma como hoje conhecemos, imediatamente, após terem sido escritos. Em princípio, cada um dos evangelhos teve uma existência local e independente nas respectivas comunidades para as quais originalmente cada um foi composto. Entretanto, pelo início do século II, foram reunidos e começaram a circular como um registro quádruplo. Quando isso aconteceu, Atos foi separado de Lucas, com o qual fazia uma obra em dois volumes, e lançado em uma carreira solo, mas não desprovida de sua própria importância” (COMFORT, Philip Wesley. A Origem da Bíblia. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1998, p.21). 
 
CONCLUSÃO 

Nesta lição, estudamos a origem da Bíblia, a sua organização e divisões. Vimos que, desde os primeiros séculos da Igreja Cristã, os crentes aceitam o Antigo e o Novo Testamento como a Palavra inspirada de Deus. Aprendemos que o nosso Senhor é o assunto principal de toda a Bíblia e, principalmente, do Novo Testamento. Notamos também que ao todo a Bíblia possui 66 livros, sendo 39 no Antigo Testamento e 27 em o Novo. Portanto, conheça mais a sua Bíblia!

VERIFIQUE O SEU A P R E N D IZ A D O 

1 . Qual o significado do termo “Bíblia”? 
 Escritos ou Escrituras. Vários livros dentro de um só. 
 
2 . Quanto tempo levou para a Bíblia ser formada? 
Aproximadamente 1600 anos ou 16 séculos. 
 
3 . Quantos livros o Antigo Testamento têm? 
 39. 
 
4 . Qual o assunto predominante do Novo Testamento e de toda a Bíblia? 
Jesus Cristo. 
 
5. Quantos livros o Novo Testamento têm? 
Quantos livros a Bíblia tem ao todo? Cite a ordem dos quatro Evangelhos. R. 27.66. Mateus, Marcos, Lucas e João. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima