18 de Abril de 2021
 
TEXTO DO DIA
“Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?” (1 Co 1.13)
 
SÍNTESE
As divisões e partidarismos demonstravam a imaturidade espiritual dos membros da igreja de Corinto.
 
Agenda de leitura
SEGUNDA – Sl 133.1 A unidade fraternal agrada a Deus
TERÇA – Sl 133.2,3 A unidade fraternal traz a unção de Deus
QUARTA – Rm 15.5,6 Devemos viver em concordância
QUINTA – 1 Co 12.12,13 Vivamos como um só corpo
SEXTA – Ef 4.3-5 “Procurando guardar a unidade do Espírito”
SÁBADO – Fp 2.3 Evitando as contendas
 
Objetivos
1 RESSALTAR os prejuízos que as dissensões causam na igreja;
2 MOSTRAR que na igreja de Corinto havia partidarismo;
3 ADVERTIR a respeito dos perigos das divisões na igreja.
 
Interação
Professor(a), vamos iniciar esta lição com as seguintes indagações: “Quais eram os problemas da igreja em Corinto?” “Esses problemas continuam afetando as igrejas na atualidade?” Ouça os alunos com atenção e incentive a participação de todos. Depois, e explique que a igreja de Corinto enfrentava sérios problemas de questões práticas, do dia a dia, mas também questões doutrinárias, o que muito preocupava o apóstolo Paulo. O servo do Senhor inicia a Carta tratando das divisões e partidarismo. Esses problemas evidenciavam a imaturidade espiritual dos membros da igreja de Corinto.
 
Orientação Pedagógica
Professor(a), para a aula de hoje reproduza o quadro abaixo mostrando os muitos problemas da igreja em Corinto.
PROBLEMAS DA IGREJA DE CORINTO
Sectarismo 1.1-4.21
Imoralidade sexual 1.5,6
Litígios entre os crentes 6.1-8
Casamento; vida conjugal 7.1-40
Comida oferecidas a ídolos 8.18-33
Sustento econômico de ministros 9
O véu feminino no culto cristão 11.1-16
Desordem durante a Santa Ceia 11.7-34
Abuso de dons espirituais 12-14
Confusão sobre ressurreição 15
Perguntas sobre ofertas 16.1-14
 
Texto bíblico
Coríntios 1.10-17
10 Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa e que não haja entre vós dissensões; antes, sejais unidos, em um mesmo sentido e em um mesmo parecer.
11 Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de Cloe que há contendas entre vós.
12 Quero dizer, com isso, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo.
13 Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?
14 Dou graças a Deus, porque a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio;
15 Para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome.
16 E batizei também a família de Estéfanas; além destes, não sei se batizei algum outro.
17 Porque Cristo enviou-me não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã.
 
INTRODUÇÃO
Nesta lição, veremos que a partir do versículo 10 do primeiro capítulo, o apóstolo trata do assunto que mais o preocupava no momento de escrever a carta: As divisões internas da igreja. Por isso, ele pontua os prejuízos que as divisões podem trazer para a Igreja do Senhor.
Estudaremos a formação de grupos rivais na igreja de Corinto. Sim, nela havia partidarismos em relação à liderança. Paulo também faz sérias advertências a respeito do perigo de tentar substituir os méritos da cruz de Cristo pela ostentação e orgulho pessoal.
 
I – AS DISSENSÕES E SEUS PREJUÍZOS PARA A IGREJA (1.10,11)
   1. Uma exortação para não causar dissensões. A exortação aos irmãos em Cristo pode ser encontrada em todas as Cartas Paulinas. Quando o apóstolo fazia uma exortação, geralmente era para iniciar um aconselhamento pastoral. Ele faz algumas exortações e orientações em forma de conselhos a respeito do comportamento dos cristãos. Como fundador da igreja de Corinto, devia ser muito duro para o apóstolo exortar aquelas ovelhas, mas era necessário e ele o fez com amor e firmeza. As dissensões estavam trazendo prejuízos sérios a toda igreja, algo precisava ser feito. Para exortar os membros, primeiramente Paulo toma uma atitude humilde. Ele em momento algum age de forma autoritária, iniciando algumas frases com a expressão: “Rogo-vos”. Paulo chama os membros de irmãos, que sugere uma ideia de amor fraternal. Por fim, evoca a autoridade do nome de Jesus fazendo uso da expressão: “Pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo”.
   2. As dissenções prejudicavam a unidade da igreja. O apóstolo havia ensinado aos coríntios o modelo de vida das primeiras igrejas cristãs, um modelo marcado pela unidade e amor fraternal. Uma das principais características da igreja primitiva era a unidade em perseverar nos ensinamentos dos apóstolos, na comunhão, no partir do pão e nas orações (At 2.42-47; At 4.32-35). No entanto, a igreja de Corinto era nova e seus membros ainda estavam acostumados com o modelo das sociedades romanas e gregas, que valorizavam o poder aquisitivo das pessoas e as classes sociais mais ricas. Ao contrário desse sistema social, nas igrejas cristãs todos eram iguais (escravos, pobres e marginalizados) em Jesus Cristo e mereciam o mesmo tratamento amoroso e respeitoso.
Paulo estimula seus leitores a retomarem a harmonia, buscando a concordância entre eles de tal forma fossem um o coração deles em Cristo. Os crentes coríntios deveriam pensar a respeito da importância da unidade de forma a viverem ligados, unidos em amor. Eles deveriam também viver de forma harmoniosa quanto à doutrina que lhes era ensinada. Paulo ensina que para que haja comunhão, unidade e fraternidade é preciso que os crentes desejem viver dessa forma.
    3. Paulo identifica a fonte de suas informações (1.11). O apóstolo expõe diretamente o problema das contendas entre os irmãos e não esconde a sua fonte: “Me foi comunicado pelos da família de Cloe”. Novamente trata seus leitores como irmãos (v.11). O apóstolo aborda os problemas internos como os problemas de uma família fraterna. Geralmente as pessoas não gostam de expor os problemas enfrentados na igreja e erroneamente preferem escondê-los, fingir que não veem as contendas e divisões. Mas as dissensões precisam ser tratadas com amor e firmeza para que sejam estancadas.
Segundo alguns estudiosos, a família de Cloe provavelmente era uma família respeitada, comprometida com o reino. Talvez estivesse sofrendo com a situação da igreja e por isso decide comunicar ao apóstolo o que estava acontecendo. Certamente a família de Cloe fez isso porque amava Paulo e confiava nele, reconhecendo sua autoridade apostólica.
Há uma grande diferença quando alguém comunica algum erro à liderança da igreja por inveja ou para prejudicar alguém, desejando o seu mal e não o seu arrependimento, o que não foi o caso da família de Cloe. As informações dessa família deram origem aos quatro primeiros capítulos da carta, que trata das dissenções que estavam prejudicando a pregação da Palavra e o crescimento da igreja.
 
PENSE
Você tem fugido das contendas e confusões entre os irmãos? Ou você tem tentado alimentar tal atitude?
 
PONTO IMPORTANTE
Precisamos desejar e fazer a nossa parte para que haja unidade na igreja
 
II – O PARTIDARISMO NA IGREJA (1.12)
  1. O tratamento inadequado acerca das diferenças de opinião. A maioria dos membros da igreja de Corinto havia perdido a percepção de que Cristo deve ser o centro de todas as coisas. Tudo indica também que eles não tinham habilidades para lidar com opiniões diferentes. O cristianismo era uma novidade em Corinto, cidade acostumada a receber pessoas de várias culturas. A igreja era heterogênea (classes sociais, pluralismo religioso, conflitos éticos e morais, entre outras diferenças) e, ao que parece, alguns viam na nova comunidade a possibilidade de ter mais influência sobre os outros por pura ambição. Todavia, as igrejas cristãs tinham uma forma nova de organização e estilo de vida alicerçado nos ensinamentos de Cristo. Paulo busca resgatar o modelo de gestão de Cristo.
   2. A formação de grupos rivais. Como resultado das dissenções, a igreja de Corinto acaba por se dividir em quatro facções, cada uma delas seguia o seu pregador e líder preferido: Paulo, Apolo, Pedro e até mesmo Cristo. Mas esses servos de Deus não queriam poder, mas lideravam a igreja visando a confirmação do Reino de Deus.
Os crentes de Corinto, erroneamente, usavam o nome de Paulo, Apolo, Pedro e até de Cristo para formarem grupos rivais devido à ambição pelo poder. Talvez influenciados pela cultura de veneração a heróis da mitologia grega e do culto a personalidades. Paulo não se aliou nem àqueles que se diziam seus seguidores exclusivos.
   3. Os tipos de grupos rivais. O apóstolo não comentou a respeito das peculiaridades dos grupos, mas de alguma forma eles se identificaram com os ensinos apresentados por ele na carta. Parece que os grupos eram formados por aqueles por quem foram evangelizados e batizados, ou seja, por Paulo, Apolo e Pedro. Eles se guiavam pelo estilo de ministério e liderança de cada um, com espírito partidário. Com base nisso, é possível observar as especificidades de cada grupo:
a) Grupo de Paulo – os primeiros cristãos, principalmente os gentios;
b) Grupo de Apolo – membros que se converteram e se entusiasmaram com seu estilo eloquente;
c) Grupo de Pedro – judeus de origem legalista e
d) Grupo de Cristo – aqueles que se achavam mais santos do que os outros, com base na justiça própria. A preferência ou identificação por alguém é natural, o perigo é quando essa relação se torna motivo para se achar superior aos outros.
 
PENSE
Você tem fugido das contendas e confusões entre os irmãos? Ou você tem tentado alimentar tal atitude?
 
PONTO IMPORTANTE
Precisamos desejar e fazer a nossa parte para que haja unidade na igreja
 
III – AS DIVISÕES E SEUS PERIGOS (1.13-17)
   1. O perigo de abafar os méritos da Cruz de Cristo (v. 13). Após escrever sobre a formação dos grupos rivais, o apóstolo aponta para a possível causa das discórdias entre eles. Parece que estavam “idolatrando” o fato de serem batizados por algumas pessoas. Eles valorizavam mais o homem que os havia batizado do que o próprio sacrifício de Cristo. Paulo é categórico: “Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?” (v. 13).
   2. O perigo de ser um narcisista (vv. 14-16). Paulo faz um agradecimento que causa espanto e pode ser mal interpretado. Ele dá graças a Deus, por ter batizado apenas algumas pessoas da igreja: Crispo, ex-chefe de sinagoga (At 18.8), Gaio e a casa de Estéfanas. Ele descreve o motivo no versículo 15, para que ninguém se vangloriasse por ter sido batizado por ele.
O apóstolo não tinha a preocupação de manter o “controle” sobre as pessoas que se convertiam por intermédio da sua pregação. Atualmente vivemos em uma sociedade narcisista, onde muitos buscam erroneamente a satisfação dos próprios desejos e consideram os outros como “meros objetos”.  De modo pecaminoso, essas pessoas buscam alcançar objetivos egoístas e pessoais. Mas, Paulo seguia o modelo de Cristo. Ele amava as pessoas e não estava em busca de recompensas pessoais ou do reconhecimento de homem.
    3. O perigo de pregar o Evangelho por ostentação (v. 17). A sociedade de Corinto, influenciada pela cultura helenista (grega), valorizava em excesso o conhecimento como forma de ostentação. A Carta de Paulo evidencia que esse sentimento ainda estava presente entre os membros da igreja. O controle obtido por meio do conhecimento era algo desejado por alguns. Paulo não confiava na “sabedoria de palavras”, mas na pregação do Evangelho que havia transformado sua vida e era a força transformadora que movia a comunidade cristã.
Nos dias atuais é comum ver pregadores confiando apenas em sua capacidade intelectual e desejando somente a promoção do seu nome, do seu ministério. A pregação do Evangelho não deve ter como objetivo projetar o pregador e nem trazer benefícios próprios, mas exaltar a Jesus e a eficácia do seu sacrifício na cruz do Calvário. O beneficiado deve ser aquele que nEle crê, pois o Evangelho “é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê” (Rm 1.16)
 
PENSE
Você ama a sua igreja como Paulo amava a igreja em Corinto?
 
PONTO IMPORTANTE
Precisamos seguir o modelo de Cristo, amar as pessoas e não viver em busca de recompensas pessoais ou do reconhecimento de homem.
 
SUBSÍDIO
O apelo à ação sábia
 “A igreja coríntia constituiria um desafio para qualquer pastor. Os membros eram indisciplinados, contenciosos e tolerantes ao pecado. Paulo, contudo, não inicia a sua Carta com uma severa repreensão. Em vez disso, dá graças a Deus pelos coríntios haverem recebido a graça de Deus e outras bênçãos espirituais. Logo a seguir, apela amorosamente a eles, no sentido de deixarem suas disputas e colaborarem uns com os outros.
Paulo não pode deixar passar em branco o sectarismo existente na igreja, um problema relacionado com o espírito contencioso dos membros. Apesar das divisões, parece que continuaram se congregando, mas havia o iminente perigo de se dividirem a qualquer hora em congregações rivais. Paulo tem que agir para  impedir o fracionamento.
A existência de partidarismos era um dos piores problemas da congregação coríntia, e Paulo ataca logo esse problema no início de sua Carta. Leia 1 Coríntios 1.10 mais uma vez, para ter certeza daquilo que ele diz. Paulo torna bem claro o fato de que é Cristo que todos devem honrar de forma unânime” (HOOVER, Thomas Reginald. Comentário Bíblico 1 e 2 Coríntios. Rio de Janeiro, CPAD, 1999, p. 20).
 
CONCLUSÃO
Como vimos na lição, as divisões internas na igreja de Corinto estavam prejudicando a unidade da comunidade e tirando o foco principal na missão da igreja. Alguns membros estavam se vangloriando pela proximidade com alguns líderes ou por ter sido batizado por um específico, assim valorizavam mais a pessoa que os havia batizado do que o próprio sacrifício de Cristo. Esse comportamento revelava a imaturidade espiritual dos crentes de Corinto e impedia o crescimento da igreja.
 
HORA DA REVISÃO
 
1. Segundo a lição, o que podemos encontrar em todas as Cartas Paulinas?
A exortação aos irmãos em Cristo pode ser encontrada em todas as Cartas Paulinas.
 
2. Qual o propósito de Paulo ao fazer uma exortação?
Quando o apóstolo fazia uma exortação, geralmente era para iniciar um aconselhamento pastoral.
 
3. Quem era a fonte das informações de Paulo a respeito da igreja?
O apóstolo expõe diretamente o problema das contendas entre os irmãos e não esconde a sua fonte: “Me foi comunicado pelos da família de Cloe”.
 
4. Quais eram os quatro grupos principais da igreja de Corinto citados por Paulo?
Como resultado das dissensões, a igreja de Corinto acaba por se dividir em quatro facções, cada uma delas seguia o seu pregador e líder preferido: Paulo, Apolo, Pedro e até mesmo Cristo.
 
5. Cite, de acordo com a lição, as especificidades dos grupos rivais citados por Paulo.
As especificidades de cada grupo eram:
a) Grupo de Paulo – os primeiros cristãos, principalmente os gentios;
b) Grupo de Apolo – membros que se converteram e se entusiasmaram com seu estilo eloquente;
c) Grupo de Pedro – judeus de origem legalista e
d) Grupo de Cristo – aqueles que se achavam mais santos do que os outros, com base na justiça própria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *