Lição 7 – CRENDO NA VINDA DE JESUS CRISTO

 MEDITAÇÃO

 “Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir” (At 1.11).
 
 REFLEXÃO BÍBLICA DIÁRIA 
 SEGUNDA – Mateus 24.27,36-42 
 TERÇA – Mateus 25.1 -13 
 QUARTA – Mateus 25.31-46 

 SÁBADO- 2 Pedro 3.1-13

TEXTO BÍBUCO BASE 

6 – Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? 
7 – E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder. 
8 – Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra. 
9 – E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. 
10 – E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco, 
11 – os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir. 
19 – Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. 
20 – Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou,
21 – na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. 
22 – Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. 

23 – E não só ela, mas nós mesmos, que tenros as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.

INTERAGINDO COM O ALUNO 

Esperança é a palavra-chave para meditarmos sobre a vinda de Jesus. Ela nos move a perseverar na fé na esperança de um dia encontrarmo-nos com o nosso amado Mestre. É a certeza de que um dia nós estaremos para sempre com o Senhor numa nova realidade, numa outra dimensão de vida. De termos a esperança na manifestação plena do Reino de Deus, vivendo na contramão de um sistema mundano e oposto a vontade divina. 
  Ainda que vivamos em meio à desesperança, depositamos a nossa esperança em Jesus Cristo, aquEle que venceu a morte para sempre. E que não desistiu da nossa vida, pois nos amou de uma maneira incomensurável. Sim, Jesus Cristo é a nossa esperança de todos os dias. Que o nosso discipulando saia da presente aula com o “coração palpitando” de esperança pela manifestação do Reino de Deus! 
 
OBJETIVOS 
Sua aula deverá alcançar os seguintes objetivos: 
1 Descrever a realidade do mundo sem Deus. 
2 Elencar os equívocos concernentes à vinda de Jesus. 

3 Explicar a segunda vinda de Cristo.

PROPOSTA PEDAGÓGICA 

Prezado professor, para iniciar a aula, leve recortes de jornais ou revista que mostrem tragédias naturais.,nações em guerras..crises econômicas, aumento da violência, etc. Em seguida, explique aos alunos que as autoridades das referidas nações e a liderança mundial buscam soluções que, na maioria das vezes, são impossíveis de concretizarem-se. Mas deixe claro que, ao apresentar esse quadro não queremos dizer aos discipulandos que as tentativas diplomáticas de paz são em vão. É responsabilidade dos líderes mundiais buscarem soluções para determinados conflitos e tragédias das nações. Entretanto, as Escrituras alertam-nos para a realidade do coração do homem. Este é enganoso e flerta com o mal. Assim, em relação à natureza humana, a Bíblia traz uma visão bem pessimista da pessoa sem Deus. Por isso, após apresentar as matérias de reportagens, e da discussão que surgir, afirme seguramente que o mundo só terá uma solução definitiva para os problemas mais profundos quando o nosso Senhor voltar com poder e glória e intervier neste mundo para sempre. Deixe claro que não se trata de fuga, pelo contrário, como discípulos de Cristo somos instados a trabalhar pelo bem do mundo, todavia, o Evangelho nos mostra a realidade da vida. É no chão da existência que peregrinamos este mundo.

 INTRODUÇÃO 
Desde os primórdios dos tempos, além de procurar descobrir a origem da vida, o ser humano busca saber o fim do mundo. As Escrituras Sagradas dão testemunhos de uma nova ordem natural, social e política a ser estabelecida na terra e no interior do ser humano, isto é, a partir da Segunda Vinda de Jesus Cristo, uma completa transformação da Criação e de todo gênero humano. Portanto, cremos que, do mesmo modo que Jesus Cristo ascendeu aos céus, Ele voltará corporal, gloriosa e visivelmente. É o assunto que estudaremos na presente lição. 
 
1. O MUNDO CLAMA POR UMA SOLUÇÃO 
    1.1. A mudança da consciência humana quanto à Criação. Na carta de Paulo aos Romanos, no capítulo 8 e nos versículos 20 a 22, está escrito: “ Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”. Este texto nos mostra que a degradação ambiental, como obra dos seres humanos, vem trazendo destruição em nossa relação com a Criação. O mundo clama por soluções que reequilibrem o clima do nosso meio ambiente. O ser humano de hoje só pensa em extrair da natureza como se ela fosse infinita. Porém, quando o Reino de Deus se manifestar a Criação será plenamente restaurada. 
     1.2. A mudança da consciência e dos sentimentos quanto aos seres humanos. O versículo 23 de Romanos nos diz: “E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”. Ou seja, o apóstolo está descrevendo que neste tempo não é somente a Criação que geme como quem tem dores de parto, mas o ser humano também geme em si mesmo, esperançoso de que a sua natureza seja integralmente redimida por intermédio do advento do Reino de Deus nesse mundo.
As pessoas vivem desconfiadas, com rancores e sentimento de vingança em relação às outras pessoas. Mas haverá um dia que o ser humano será restaurado e nunca mais pensará o mal contra o próximo, cessará a perversidade contra outra pessoa humana. Nesse dia, a paz de Cristo reinará absolutamente sobre a Terra! 
    1.3. O reinado da justiça, da paz e do bem. Os povos clamam por paz, por justiça, por liberdade. Em todos os cantos do mundo há pessoas oprimidas pelas religiões ditatoriais, governos despóticos sem respeito algum pela dignidade humana. Por isso, quando o nosso Senhor voltar, sua vinda será para trazer a paz a esse mundo, uma paz que as nações ineficazmente buscam pela diplomacia ou pelas ações militares. O Senhor Jesus não trará apenas a sua paz, mas igualmente a sua justiça; e nos corações das pessoas estará impregnada a necessidade de se fazer o bem, pois o ser humano julgado e absolvido por Jesus saberá identificar no outro, de uma vez por todas, a Imagem de Deus (Ap 21.1-8). 
 
AUXÍLIO TEOLÓGICO 1 
“ Paulo declara enfaticamente que, sem Cristo, as pessoas não têm esperança (Ef 2.12); Isto é: não têm o tipo de esperança a que a Bíblia se refere. Muitas outras religiões têm um conceito cíclico da História, como se tudo se repetisse, não oferecendo nenhum alvo futuro. 
[…] A Bíblia rejeita, como falsas, todas essas expectativas, pois vazias, sem sentido, degradantes, vilificantes. Os crentes têm uma melhor esperança, em e através de Cristo, que é pessoalmente a nossa esperança (Cl 1.27; 1 Tm 1.1). A Bíblia apresenta um conceito a História basicamente linear, que espera no presente e num futuro glorioso. A Epístola ao Hebreus conclama os que ‘pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta’ a ficarmos grandemente encorajados: ‘retenhamos firmes a confissão da nossa esperança, porque fiel é o que prometeu’ (Hb 6.18; 10.23). Conforme diz Paul Minear, essa esperança não é nenhuma ‘possibilidade vaga do futuro’. Desde o princípio, Deus tinha em mente as últimas coisas. É verdade que a Bíblia centraliza a sua atenção na primeira vinda de Cristo, que levou a efeito a salvação, e fez com que o futuro irrompesse no presente de forma promissora. Mas a Segunda Vinda de Cristo, que introduzirá a consumação do plano de Deus e da glória da qual compartilharemos, também está sempre em mira” (HORTON, Stanley M. (Ed.) Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostai. 1 .ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999, pp.610-11). 
 
2. OS EQUÍVOCOS CONCERNENTES À VINDA DE JESUS 
     2.1. Contagem regressiva. Em nosso texto bíblico base, lemos sobre a pergunta dos discípulos a Jesus Ressurreto: “Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?” (At 1.6). Nosso Senhor havia ressuscitado e aparecido aos discípulos, de modo que os seus seguidores perguntaram-lhe sobre o fim de todas as coisas, principalmente, em relação ao reino de Israel. A resposta de Jesus — “Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder” (At 1.7) — mostra-nos que não somos capazes de saber todas as coisas. Embora as Escrituras nos estim ulem a esperar a vinda de Jesus, e vivermos esperando a sua volta a qualquer momento (cf. Mt 25.13), não podemos viver ansiosamente, tentando descobrir o dia exato de sua vinda como se tivéssemos em nossas mãos o segredo do desfecho dessa história. 
    2.2. Terrorismo e medo. Em Mateus 24.4,5 o nosso Senhor alerta para acautelarmo-nos de falsas previsões quanto a sua vinda, pois falsos profetas apresentar-se-iam em nome de Jesus anunciando a suposta vinda do .Mestre dizendo: “ Eu sou o Cristo ”. Jesus Cristo falou a respeito de falsos líderes que buscariam impressionar os seus discípulos, aterrorizando-os, dizendo que o tempo da vinda dEle chegou, quando na verdade ainda o nosso Senhor não veio: “ E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim” (Mt 24.6). Guerras e rumores de guerra não significam que Jesus veio, mas é necessário que aconteça essas coisas. Porém, o nosso Senhor deixou bem claro: “mas ainda não é o fim […] todas essas coisas são o princípio das dores” (Mt 24.6). Portanto, não tenha medo quando alguém tentar assustar você dizendo que Jesus veio com base em uma catástrofe natural. Quando o nosso Senhor voltar, saberemos convictamente, pois haveremos de vê-lo assim como Ele é.        
2.3. Jesus já veio? Alguns cristãos dizem que Jesus voltou no ano 70 quando a cidade Jerusalém foi destruída e que a vinda de Jesus é simbólica, não literal e visível. Não é isso que as Escrituras ensinam!    As pessoas podem até divergir quanto ao tempo e a forma de Jesus manifestar-se. Entretanto, não podem deixar de reconhecer que as Escrituras Sagradas ensinam que o nosso Senhor virá publicamente, isto é, todo olho verá a sua glória e majestade: “ Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem” (Mt 24.27). Esta é a fé que os cristãos de todos os tempos têm guardado há mais de 20 séculos. Jesus está voltando! 
 
 AUXÍLIO DIDÁTICO 2 
Professor, destaque nesse tópico se por um lado devemos aguardar com grande expectativa a vinda de nosso Senhor, por outro, devemos tomar o cuidado de não priorizar uma doutrina em detrimento das outras, e tentar descobrir coisas que não nos foram reveladas. Não por acaso, um crente batista, Willian Miller (ou Guilherme Miller), no ano de 1831, através de uma série de cálculos, popularizou a interpretação de Daniel 8.14 cujo resultado previa a volta de Jesus em 22 de Outubro de 1844. Miller errou na interpretação e até hoje o nosso Senhor não veio! Anteriores a Willian Miller, outros intérpretes chegaram às conclusões semelhantes: o Jesuíta Manuel Lacunza (1731-1801); o jurista mexicano, Gutierry de Rozas (1835); Adam Burwell, missionário canadense da sociedade para propagação do Evangelho (1835); R. Scott, padre anglicano e, em seguida, pastor Batista (1834); o missionário inglês, Joseph Wolff (1829). A doutrina das últimas coisas não é para trazer confusão, mas esperança e consolo para a nossa alma. 
 
3. O QUE REPRESENTA A SEGUNDA VINDA DE JESUS CRISTO 
     3.1. Uma mensagem de esperança. As Escrituras revelam um Deus de esperança. Esperança para uma humanidade caída em pecado (Jo 1.12,13). Esperança para uma mulher que não sabia o que fazer com a filha endemoninhada (Mt 15.21-28). Esperança para o coxo (At 3.1-10). Esperança para os pobres e famintos (Mt 14.13-21; cf. Lc 4.14-19). Em Jesus, Deus se revelou à humanidade como a esperança inteira (Jo 3.16). A manifestação do reino eterno de Deus é o desfecho da esperança dos seus filhos, a conclusão de toda a espera de um Reino de Paz, Amor e de Justiça sem fim (Mt 25.31-40). Para os que têm a certeza da salvação, uma mensagem de esperança e alegria. Para quem despertar sem esperança, uma tragédia eterna (Mt 25.41-46). 
    3.2. O Arrebatamento da Igreja. Pode-se dizer que a Segunda Vinda de Jesus acontecerá em duas etapas. 
 Em primeiro lugar, a igreja será arrebatada para sempre com o Senhor. O apóstolo Paulo nos diz em sua primeira Epístola aos Tessalonicenses que, em primeiro lugar, os crentes que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro, depois os crentes que estiverem vivos serão arrebatados juntamente com os crentes que morreram e foram ressuscitados em Cristo. Esse encontro com Jesus Cristo se dará nos termos da sua ascensão aos céus, relatada em Atos 1, isto é, nas nuvens (1 Ts 4.13-18). Uma esperança gloriosa! Estaremos para sempre como o nosso Senhor, Redentor e Salvador! 
      3.3. Uma vinda visível. Em segundo lugar, a Segunda Vinda de Jesus será visível, pois Ele se manifestará ao mundo todo. Todas as línguas, tribos e nações confessarão que Ele é o Senhor (Fp 2.9-11). O Senhor Jesus virá como o Juiz de toda terra: Ele julgará a grandes e pequenos; ricos e pobres; negros, brancos e mestiços; etc. Em seu julgamento, o nosso Senhor não fará acepção de pessoas. Todos nós teremos de prestar contas da nossa fé em Deus e dos nossos atos e ações para com o nosso próximo (Mt 25.31-46; Ap 20.11-15). Todo crente que conhece o Evangelho de Jesus espera se encontrar com o seu Senhor. Que haja no seu coração esse mesmo sentimento! O mesmo que havia nos apóstolos do tempo de Cristo e nos corações de milhares de crentes ao longo de mais de 20 séculos de história cristã. 
 
AUXÍLIO DIDÁTICO 3 
O artigo 11 da declaração de fé das Assembleias de Deus — esse documento pode ser lido na íntegra no Jornal o Mensageiro da Paz da editora CPAD — afirma: “Cremos na Segunda Vinda premilenial de Cristo, em duas fases distintas. Primeira — invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja fiel da terra, antes da Grande Tribulação; segunda — visível e corporal, com sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1 Ts 4.16,17; 1 Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 14)” . E os artigos 12 e 13 corroboram: “Que todos os cristãos comparecerão ante o Tribunal de Cristo, para receber a recompensa dos seus feitos em favor da causa de Cristo na terra (2 Co 5.10). No juízo vindouro que recompensará os fiéis e condenará os infiéis (Ap 20.11-15)” . A Segunda Vinda de Cristo é o estímulo para uma prática cristã autêntica, coerente com as Escrituras (Rm 13.8-14; 1 Jo 3.3; Tt 2.11-13; 1 Ts 4.14-18) e chama-nos a uma vida de santidade e de consagração a Deus. 
 
CONCLUSÃO 

O mundo clama por esperança. A Criação geme como a mulher que está preste a entrar em trabalho de parto. Infelizmente muitos usam o desespero da humanidade para somente fazer slogan sobre a vinda de Jesus. Cremos que, assim como Jesus subiu aos céus e hoje está a destra de Deus Pai, intercedendo por todos nós, Ele voltará majestoso, poderoso e glorioso para arrebatar a sua Igreja e exercer justiça sobre todos os moradores da terra. Assim o Reino de Deus será implantado no mundo e nunca mais terá fim. Eis a nossa esperança!

VERIFIQUE O SEU APRENDIZADO

1 . 0 que está escrito em Romanos 8.20-22? 
Que a criação ficou sujeita á vaidade não pela própria vontade, mas por causa do que a sujeitou, isto é, o homem, tendo a esperança de que essa mesma criatura seja livre para liberdade da glória de Deus. Enquanto isso, sabemos que a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. 
 
2 . E em Romanos 8.23? 
 Nós os seres humanos estamos na mesma situação da criação. 
 
3 . De acordo com a lição, cite os três equívocos concernentes à Vinda de Jesus. Selecione um e comente com as suas palavras. 
 Contagem regressiva; Terrorismo e medo; Jesus já veio?. Sobre o Terrorimos e o medo temos de ter a certeza de que aos estudarmos a doutrina das últimas coisas, esta é para trazer consolo e paz ao nosso coração. A certeza de que a nossa redenção está mais próxima. 
 
4 . O que é o Arrebatamento? 
 É a primeira etapa da segunda vinda de Jesus, onde só os crentes se encontrarão com o Senhor. 
 
5 . Explique a manifestação visível de Jesus Cristo? 
 É a segunda etapa da sua segunda vinda, onde nosso Senhor virá com a Igreja a fim de implantar a plenitude do seu Reino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima