TABERNÁCULO

O Tabernáculo. Era uma tenda sagrada com diversos utensílios, tudo feito de acordo com o plano divino dado a Moisés (v. Hb 8:5).

O altar aprovado pela revelação divina deveria satisfazer as necessidades da nação para o sacrifício e a adoração.

O Tabernáculo propriamente dito estava dividido em duas partes, o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo.

O Lugar Santo media vinte côvados (9,15 m) de comprimento por dez (4,57 m) de largura.

Continha a mesa para o pão da proposição, o candelabro de ouro e o altar do incenso.

O Lugar Santíssimo era quadrado. Media dez côvados (4,57 m) de cada lado, e nele estava a arca da aliança, cofre sagrado que simbolizava a presença divina.

Uma cortina, ou véu, de tecido fino, dividia as duas seções.

Somente o sumo sacerdote, e apenas uma vez no ano, no dia da Expiação, entrava no Santo dos Santos para fazer expiação pelos pecados do povo.

Muitas cerimônias e utensílios do Tabernáculo tinham significado típico e simbolizavam a vinda de Cristo (v. o ensino acerca dos tipos em Hb 8 e 9; acerca dos utensílios principais, v. Altares, 212 e 213; mesa, 2447; bacia, 3118; candelabro, 754; arca, 352).

O Templo. Os filhos de Israel haviam sido peregrinos desde a saída do Egito até a entrada na Terra Prometida. Ao se estabelecer em seu novo lar, era natural que desejassem algo mais permanente que uma tenda como lugar de adoração.

Davi concebeu a idéia de edificar um templo para o Senhor, mas foi impedido de fazê-lo por ser homem de guerra, 1Cr 22:8. Ele, contudo, acumulou grande quantidade de material para o edifício, cuja construção foi confiada a Salomão (quanto aos três
templos edificados em Jerusalém, v. 3786, 3787, 3788; acerca do plano do Templo e sua explicação, v. 4358).

fonte: BIBLIA THOMPSON

Rolar para cima