C om eçou com Charles Taze Russel (1852-1916), um dissidente dos adventistas que reuniu
em to rn o de si um grupo de estudantes da Bíblia, p o r isso foram cham ados, inicialm ente, de russelitas.
Depois, veio Joseph F. R utherford, juiz que se to rn o u o segundo presidente da organização,
dando-lhe grande im pulso.
A seita originou-se na Pensilvânia, EUA, em 1879. Hoje, sua sede se localiza no Brooklyn,
Nova York, EUA.
D izem crer u n icam en te na Bíblia com o Palavra de D eus, m as a in terp retação da Bíblia
é restrita ao ch am ad o C o rp o G overnante que, da sede da organização, p ro d u z as revistas A
Sentinela e D espertai, além de o u tro s livros, aceitos pelos ad ep to s sem n e n h u m q u e stio n a ­
m ento.
Por m eio de m alabarism os exegéticos, a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, com o
é cham ada, distorce ou nega as principais d o utrinas bíblicas. Por exemplo, negam a divindade de
Cristo, colocando-o apenas com o u m hom em perfeito; a personalidade e a divindade do Espí­
rito Santo; a consciência depois da m orte; a condenação do inferno e a ressurreição corporal de
Cristo.
O nom e exclusivo de D eus é Jeová, po r isso se consideram suas verdadeiras e únicas testem
unhas.
Ensinam que Jesus é o arcanjo M iguel e que Ele (Jesus) não m orreu em um a cruz, m as em
um a “estaca” de tortura. Possuem sua própria Bíblia, designada com o Tradução do Novo M u n ­
do, na qual distorcem as passagens que se chocam com suas doutrinas. Proíbem a transfusão de
sangue, nem que seja para salvar um a vida. Pregam que não existe salvação fora da organização.
Não votam nem prestam serviço m ilitar. H oje estão m ais am enizadas, m as já foram fortes op o ­
nentes dos governos civis.
Pregam que som ente 144 m il escolhidos vão para o céu com C risto; os dem ais viverão eternam
ente em um a terra paradisíaca. Q ue Jesus já voltou à terra em 1914. Por isso, agora, estão aguardando
o A rm agedom , e já m arcaram diversas vezes datas para esse evento.
Seu crescim ento ocorre p o r m eio de d o u trin am en to pessoal, realizado de porta em porta, e
venda de literatura, que, segundo crêem , é um a form a de escapar do A rm agedom .

FONTE: APOLOGETICA ICP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *