Pense no peso dessa crítica. Ela forma em nossa
mente a imagem de um vadio, um patife, um gatuno ou um
preguiçoso. Marcar seu filho com essa palavra pode ser o
início do desmoronamento do caráter e da vida dele.
Há uma grande diferença entre estar indisposto e ter
preguiça crônica; entre ser displicente e desorganizado e ser
irresponsável; entre ser indisciplinado e ser vadio.
Trata-se de uma crítica muito contundente. E ninguém
verbaliza tal impropério ou tal afronta sem que esteja
destilando ira e ódio.

Consequências
A criança pode internalizar esse discurso, acreditando
que é assim mesmo. Com essa ideia em mente, começará a se
comportar como tal. Perderá o senso de responsabilidade e
tenderá a levar a vida sem a seriedade necessária. O trabalho
será relegado como tarefa imprópria, e os compromissos serão
considerados irrelevantes. Em geral, pessoas assim são
incapazes de concluir seus projetos.

O que dizer?
É preciso ter uma atitude firme e disciplinar com o seu
filho, que despreza as atividades indispensáveis. Diga-lhe:
“Você precisa cumprir suas tarefas com responsabilidade. Não
vou admitir essa omissão que estou percebendo em você”.
Seja contundente e estabeleça um cronograma mínimo de
atividades a serem realizadas.

FONTE: 50 Coisas que os pais nunca
devem dizer aos filhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *