Uma frase como esta tem peso de maldição sobre a
vida de seu filho. Equivale a profetizar para ele um futuro
sombrio, uma vida sem sentido. “Você não presta” é uma
afirmação de que a criança carece de boas qualidades, ou pior,
que só possui qualidades ruins. Uma sentença como essa
pode implodir a estrutura emocional da criança. E “você
nunca vai dar em nada” é uma desanimadora previsão de
sucessivos fracassos.

Conseqüências
A criança que ouve seus pais dizerem que ela não
possui nenhuma virtude no presente e nenhuma chance de
sucesso no futuro passa a nutrir um horrível sentimento de
culpa, ressentimento, raiva, auto piedade, remorso e revolta.
A partir da adolescência, ela começará a praticar atos
de autopunição. Toda tentativa de autodestruição esconde um
grave sentimento de culpa. É como se a pessoa procurasse
reparar a culpa punindo a si mesma.
O adolescente tentará se punir de várias maneiras:
atividades de alto risco, bebidas, violência, velocidade
exagerada ao dirigir, drogas que causam destruição e, não
raro, constantes pensamentos suicidas.
Uma menina de 16 anos de idade que atendi com
depressão era também soropositiva. Ela relatou que havia feito
sexo sem proteção porque desejava morrer. Seu histórico era
de uma criança que desde os cinco anos de idade ouvia frases
negativas de sua mãe.
Acrescente-se a isso o fato de a pessoa passar a
acreditar que não é realmente capaz de fazer nada que seja
relevante. Passará, então, a ser guiada pela baixa auto estima e
sofrerá com a solidão e a ansiedade. Uma pessoa assim tem
sempre uma percepção negativa da vida. Tomar uma iniciativa
representa sempre uma dificuldade para ela. Em geral, não
tem motivação para o trabalho, para a profissão e nem para atividades produtivas.

O que dizer?
Quando perceber um comportamento reprovável em
seu filho ou sua inabilidade em algum trabalho manual ou
intelectual, a melhor atitude é conversar com ele nos seguintes
termos: “Vejo que você não está conseguindo cumprir suas
tarefas. Esse seu comportamento precisa ser melhorado.
Vamos conversar sobre isso. Você não pode continuar com
essas dificuldades, e sei que pode superá-las se quiser. Talvez
eu não tenha ajudado muito até agora, mas estou disposto a
fazer o que for possível para tirar você dessa situação”.
Esta é uma forma sensata de conversar e aconselhar,
fazendo seu filho sentir que é bem aceito. Você demonstrará
interesse pelo bem-estar dele, revelando todo o amor que você
sente. Ele jamais esquecerá essas palavras, que poderão
marcar o início de um processo de mudança. E, quando
perceber que ele está melhorando, reconheça isso. Diga-lhe
que está contente com o que você está vendo. Faça elogios.
Dê afago e carinho.

FONTE: 50 Coisas que os pais nunca
devem dizer aos filhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *