Em Isaías 65.20 está escrito: “Não haverá mais nela criança
de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus dias; porque
o jovem morrerá de cem anos, mas o pecador de cem anos será
amaldiçoado”. Essa profecia revela que haverá morte no Milénio,
a despeito de a implícita menção do prolongamento da duração da
vida humana — uma pessoa de cem anos será considerada jovem.
Além disso, ela revela que existirão pecadores no Milénio.
De acordo com Zacarias 14.17 o pecado não será removido da
Terra, no Milénio: “E acontecerá que, se alguma das famílias da
terra não subir a Jerusalém, para adorar o Rei, o SENHOR dos
Exércitos, não virá sobre ela a chuva”. Nesta profecia vemos que
haverá total ausência de chuva para as nações que não subirem a
Jerusalém para adorar o Senhor. E isso é uma prova de que existirão
desobedientes no Milénio. E eles serão punidos.
Satanás, o Tentador, estará preso durante o período milenar,
mas a natureza caída continuará a mesma nos povos naturais. Em
razão das bênçãos do reinado e da presença pessoal de Cristo, a
atividade pecaminosa será bem pequena: uns casos aqui e outros
ali. Além disso, haverá grande temor, pois a iniquidade — pecado
consciente — será punida com rigor (Ap 19.15).
O Senhor não obrigará ninguém a adorá-lo. Ele continuará
respeitando a livre-vontade (Zc 14.16-18), assim como nos tempos
passados (Dt 30.19; Is 1.19,20; Lc 9.23). No entanto, considerando
que Ele será, definitivamente, o único Rei e Senhor (essa
verdade será conhecida de todos, no Reino Milenar), quem não
quiser adorá-lo sofrerá as consequências de sua má escolha (Zc
14.19). Jesus Cristo respeita as decisões humanas. E, mesmo no
Milénio, ninguém será obrigado a crer que Ele sempre foi o Salvador
do Mundo (Jo 4.42).
Todos os rebeldes que morrerem durante o Reino Milenar (Is
11.4) ou logo após esse período, na última rebelião de Satanás
(Ap 20.7-9), serão julgados no Trono Branco. O Juízo Final é assim
chamado porque, nesse evento escatológico, todos os mortos
ímpios que ainda não foram julgados — os quais não terão feito
parte da primeira ressurreição —, receberão a sentença
condena-tória (vv. 11-15). A expressão “os outros mortos” (v. 5),
inclui, por conseguinte, todas as pessoas que morreram em seus
pecados, em rebeldia contra o Senhor Jesus Cristo.

 

fonte: Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *