O número “ 666” ocorre graficamente por três vezes na
Bíblia.
A primeira passagem está em 2 Crônicas 9.13: “ E era
o peso do ouro, que vinha em um ano a Salomão, seiscentos
e sessenta e seis talentos…”
A segunda ocorrência está em Esdras 2.13: “ Os filhos
de Adonição seiscentos e sessenta e seis”.
E a terceira, a que está em foco, isto é, Apocalipse
13.18: “ …e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.”
a. Quando Moisés escolheu os doze espias para uma
missão de reconhecimento da Terra de Canaã, surgiu ali
um nome estranho que sublevou 0 povo à revolta e incredulidade.
“ Setur” era o nome dele (Nm 13.13).
Setur (o que oculta) tem valor numérico de 666. Os conhecidos
capítulos da maldição, de Deuteronômio 27 e 28,
contém 18 vezes a palavra “ maldição” , cujo termo deriva
da raiz hebraica “ arur” (maldição em grau supremo), de
valor numérico 407, ou seja: 18 vezes 407 = 7326 ou 11 vezes
666. (80) O número denota uma pessoa específica, e sua
identificação deve ser descoberta em alguma espécie de
cálculo numérico, mediante o qual número é transformado
em um “ nome” .
b. De acordo com a numerologia pitagoriana (480-411
a.C.), o número “ 666” é o chamado número triangular,
sendo a soma dos números de “ 1” a “ 36” , inclusive; além
disso, o “ 36” é, em si mesmo, a soma dos números de “ 1” a
“ 8” . Portanto, “ 666” se reduz ao “ 8” ; e esse é o número
significativo em Apocalipse 17.11: “ …È ela (a Besta) também
o oitavo”.(81)

 

fonte: Ecatologia Severino Pedro da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *