Quanto a estrutura geral da Bíblia, há nela harmonia e
unidade. Falaremos agora sobre sua unidade física. Sua unidade e harmonia doutrinária serão focalizadas no Capítulo IV.
I. A Unidade física da Bíblia
A unidade e existência físicas da Bíblia até os nossos dias
só podem ser explicadas como um milagre. Há nela 66 livros,
escritos por cerca de 40 escritores, cobrindo um período de 16
séculos. Esses homens tinham diferentes atividades e escreveram sob diferentes situações. Na maior parte dos casos não
se conheceram. Viveram em lugares distantes, de três continentes, escrevendo em duas línguas principais. Devido a essas circunstâncias, em muitos casos, os autores nada sabiam
sobre o que já havia sido escrito. Muitas vezes um escritor
iniciava um assunto e, séculos depois, um outro completavao. Tudo isto somado num livro puramente humano daria uma
babel indecifrável! Imaginai o que seria fisicamente a Bíblia,
se não fosse a mão de Deus!
Quanto a unidade física da Bíblia, ninguém sabe ao certo
como os 66 livros foram reunidos e agrupados num só volume;
isso é obra de Deus. Sabemos que os escritores não escreveram os 66 livros de uma só vez, nem em um só lugar, nem com
o objetivo de reuni-los nüm só volume, mas em intervalos
durante 16 séculos, em lugares que vão de Babilônia a Roma.
Se alguma falha for encontrada na Bíblia, será sempre do
lado humano, como tradução mal feita, grafia inexata, interpretação forçada, má compreensão de quem estuda, falsa aplicação quanto aos sentidos do texto, etc. Portanto quando
encontrarmos na Bíblia um trecho discrepante, não pensemos
logo que é erro! Saibamos refletir como Agostinho, que disse:
“Num caso desse, deve haver erro do copista, tradução mal feita do original, ou então sou eu mesmo que não consigo entender…” Quanto à sua unidade como revelação divina, veremos
no Capítulo IV.

II. A Estrutura da Bíblia
Estudaremos neste ponto um resumo da estrutura da Bíblia
quanto à sua composição em partes principais, livros, classificação dos livros por assuntos, divisão dos livros em capítulos e
versículos, e certas particularidades indispensáveis.
A. Divisão em partes principais. São duas: Antigo e Novo
Testamento. O Antigo Testamento é três vezes mais volumoso
do que o Novo Testamento.
B. Composição quanto a livros. São 66, sendo 39 no Antigo
Testamento e 27 no Novo Testamento. O maior livro é o dos
Salmos; o menor é 3 João.
C. Divisão em capítulos. São 1.189, sendo 929 no Antigo
Testamento e 260 no Novo Testamento. O maior capítulo é o
Salmo 119; e o menor é o Salmo 117. Para ler a Bíblia toda em
um ano basta léi(£y capítulos aos domingos e(3Yios demais dias
da semana. Foi dividida em capítulos em 12§0 d.C. por Hugo
de Saint Cher, abade dominicano, estudioso das Escrituras.
D. Divisão em versículos. São 31.173, sendo 23.214 no
Antigo Testamento e 7.959 no Novo Testamento. O maior
versículo está em Ester 8.9, e o menor, em Êxodo 20.13 (em
Lc 20.30, na TR BR; em Jó 3.2, na ARA). Como se vê, depende
da versão. Noutras línguas isso varia também. Isso não tem
muita importância. Foi dividida em versículos em duas etapas: o Antigo Testamento em 1445 pelo Rabi Nathan; o Novo
Testamento em 1551 por Robert Stevens, um impressor de
Paris. Stevens publicou a primeira Bíblia dividida em capítulos e versículos em 1555, sendo esta a Vulgata Latina. Em
inúmeros casos são divisões inexatas, bipartindo o texto e alterando a linha do pensamento. São utilíssimas na localização rápida de qualquer fração do texto bíblico.
E. Classificação dos livros. Os 66 livros estão classificados ou agrupados por assuntos, sem ordem cronológica. É
bom ter isso em mente ao estudar a Bíblia, pois evitará muito
mal entendido, especialmente na esfera da história, da profecia bíblica e do desenvolvimento da doutrina.

A classificação dos livros do Antigo Testamento, por assuntos, acima, vem da Versão Septuaginta através da Vulgata, e
não leva em conta a ordem cronológica dos mesmos, o que para
o leitor menos avisado, dá lugar a não poucas confusões quando
o mesmo procura considerar os assuntos cronologicamente.
O Antigo Testamento. Seus 39 livros estão divididos em 4
classes: l e i , h is t ó r ia , p o e s ia , p r o f e c ia . O s livros de cada classe são os seguintes:
LEI: 5 livros – de Gênesis a Deuteronômio. Esses 5 livros
são chamados o Pentateuco. Tratam da Criação e da Lei.
HISTÓRIA: 12 livros – de Josué a Ester. Contêm a história do povo escolhido: Israel.
POESIA: 5 livros – de Jó a Cantares. São chamados poéticos devido ao gênero do seu conteúdo e não por outra razão.
PROFECIA: 17 livros – de Isaías a Malaquias. Esses 17
livros estão subdivididos em dois grupos:
• Profetas Maiores: 5 livros, de Isaías a Daniel.
• Profetas Menores: 12 livros, de Oséias a Malaquias.
Os nomes “maiores” e “menores” referem-se ao volume de
matéria dos livros e extensão do ministério profético. Na Bíblia Hebraica (o nosso Antigo Testamento), a divisão dos livros é bem diferente, como já falamos.
O Novo Testamento. Seus 27 livros também estão divididos em quatro classes: b io g r a f ia , h is t ó r ia , d o u t r in a , p r o f e ­
c i a . Os livros de cada classe são os seguintes:
BIOGRAFIA: São os quatro Evangelhos. Descrevem a
vida terrena do Senhor Jesus e o seu glorioso ministério entre
os homens. Os três primeiros são chamados Sinóticos devido
ao paralelismo que apresentam. O número quatro nos Evangelhos fala também de sua universalidade, por serem quatro
os pontos cardeais.
HISTÓRIA: É o livro de Atos dos Apóstolos. Registra a
história da igreja primitiva, seu viver e agir. O livro mostra
que o segredo do progresso da Igreja é a plenitude do Espírito
Santo nas vidas.

DOUTRINA: São 21 livros chamados epístolas ou cartas.
Vão de Romanos a Judas. Umas são dirigidas a igrejas, outras a indivíduos. As 7 que vão de Tiago a Judas, são chamadas universais ou gerais.
PROFECIA: É o livro de Apocalipse. Esta palavra significa revelação. Trata da volta pessoal do Senhor Jesus à terra,
isto é, sua revelação, sua manifestação visível. O Apocalipse é
o inverso do livro de Gênesis. Lá narra como tudo começou;
aqui, como tudo findará.
Há outras modalidades de classificação dos livros do
Novo Testamento, mas a que vai acima, parece-nos bastante
simples e prática.
F. A disposição dos 66 livros. Os que organizaram a presente disposição dos livros foram sem dúvida guiados por
Deus, porque nota-se uma gradativa correlação doutrinária
entre os mesmos.
Exemplo disso no Antigo Testamento: há uma linda relação entre o livro dos Salmos e o de Provérbios. Nunca poderiam vir separados. Os Salmos tratam do nosso andar com
Deus-, Provérbios: o nosso andar com os homens. Esses livros
não podiam estar distantes.
Exemplo no Novo Testamento. Vejamos as Epístolas.
• Romanos fala da salvação.
• 1 e 2 Coríntios falam da vida cristã disciplinada.
• Efésios, Filipenses e Colossenses falam da vida consagrada.
• 1 e 2 Tessalonicenses falam da vinda de Jesus.
• 1 e 2 Timóteo, Tito falam de obreiros e ministério.
• 1 e 2 Pedro falam de provas e tribulações.

III. O tema central de todos os livros da Bíblia
É o Senhor Jesus Cristo. Ele mesmo no-lo declara em
Lucas 24.27,44 e João 5.39. Considerando Cristo como tema
central da Bíblia, os 66 livros podem ser resumidos em 5 palavras, todas referentes a Cristo, assim:
PREPARAÇÃO: Todo o Antigo Testamento trata da preparação do mundo para o advento de Cristo.

MANIFESTAÇÃO: Os Evangelhos tratam da manifestação de Cristo ao mundo, como Redentor.
PROPAGAÇÃO: Os Atos dos Apóstolos tratam da propagação de Cristo por meio da Igreja.
EXPLANAÇÃO: As Epístolas tratam da explanação de
Cristo. São os detalhes da doutrina cristã.
CONSUMAÇÃO: O Apocalipse trata de Cristo consumando todas as coisas — C. I. Scofield.
Tendo Cristo como o tema central da Bíblia, podemos resumir
todo o Antigo Testamento numa frase: JESUS VIRÁ, e o Novo
Testamento noutra frase: JESUS JÁ VEIO (é claro, como Redentor). Assim sendo, as Escrituras sem a pessoa de Jesus, seriam
como a Física sem a matéria ou a Matemática sem os números…
IV. Fatos e particularidades da Bíblia
Os livros de Ester e Cantares não falam em Deus, porém sua
presença é iniludível nos mesmos, especialmente nos episódios
milagrosos de Ester. Há na Bíblia 8.000 menções de Deus entre
seus vários nomes, e 177 menções do Diabo sob seus vários nomes.
A vinda do Senhor é referida 1.845 vezes, sendo 1.527 no
Antigo Testamento e 318 no Novo Testamento. Não é um assunto para séria meditação?
O Salmoll9 tem em hebraico 22 seções de 8 versículos
cada. O número 22 corresponde ao de letras do alfabeto
hebraico. Cada uma das 22 seções inicia com uma letra do
referido alfabeto, e em cada seção todos os versículos começam com a letra da respectiva seção. Caso semelhante há no
livro de Lamentações de Jeremias. Ali, em hebraico, os capítulos. 1, 2 e 4 têm 22 versículos cada, correspondendo às 22
letras do alfabeto, deAlefe a Tau. Porém, o capítulo 3 tem 66
versículos, levando cada três deles, a mesma letra do alfabeto. Há outros casos assim na estrutura da Bíblia. Isso jamais
poderia ser obra do acaso. Por exemplo: O Salmo 22 é alfabético — um versículo para cada letra hebraica.
O livro de Isaías é uma miniatura da Bíblia. Tem 66 capítulos correspondendo aos 66 livros da Bíblia. A primeira seção tem 39 capítulos correspondendo à mensagem do Antigo Testamento. A segunda seção tem 27 capítulos, tratando de conforto, promessa e salvação, correspondendo à mensagem do
Novo Testamento. O Novo Testamento termina mencionando
o novo céu e a nova terra. O mesmo ocorre no término de
Isaías (66.22). O próprio nome Isaías tem semelhança com o
de Jesus, no significado. Isaías quer dizer Salvação de Jeová,
e Jesus: Jeová é Salvação.
A frase “não temas”, ocorre 365 vezes em toda a Bíblia, o
que dá uma para cada dia do ano!
O capítulo 19 de 2 Reis é idêntico ao 37 de Isaías.
O Antigo Testamento encerra citando a palavra “maldição”; o Novo Testamento encerra citando “a graça de Nosso
Senhor Jesus Cristo”.
A Bíblia foi o primeiro livro impresso no mundo após a invenção do prelo; isso deu-se em 1452 em Mogúncia, Alemanha.
Os números 3 e 7 predominam admiravelmente em toda a
Bíblia.
O nome de Jesus consta do primeiro e último versículos
do Novo Testamento.
A Bíblia completa pode ser lida em 70 horas e 40 minutos,
na cadência de leitura de púlpito. O Antigo Testamento leva 52
horas e 20 minutos. O Novo Testamento, 18 horas e 20 minutos.
Que estás fazendo, irmão, para difundir a Bíblia — o livro
que te salvou?
Questionário
1. Como explicar a unidade física da Bíblia em meio a tantas
circunstâncias adversas durante sua composição?
2. Como proceder ao encontrarmos aparentes contradições
na Bíblia?
3. Dê as duas partes principais da Bíblia.
4. Dê o total de livros do Antigo Testamento, Novo Testamento, e de toda a Bíblia.
5. Dê o total de capítulos da Bíblia.

6. Dê um plano de leitura anual da Bíblia.
7. Quando foi a Bíblia dividida em capítulos?
8. Dê o total de versículos da Bíblia.
9. Quando foi dividido em versículos o Antigo Testamento, e
o Novo Testamento?
10. Qual o critério adotado na classificação dos livros da Bíblia: ordem cronológica ou assuntos?
11. De onde vem a classificação dos livros do Antigo Testamento por assuntos?
12. Quantos e quais são os livros: (Citar de memória) da Leí;
da História; da Poesia; da Profecia?
13. Quantas e quais as classes de livros do Novo Testamento?
14. Quantos e quais são os livros do Novo Testamento: (Citar
de memória) da Biografia’, da História’, da Doutrina; da
Profecia?
15. Como são chamados os 3 primeiros Evangelhos?
16. Qual a verdade bíblica revelada no conteúdo dos Atos dos
Apóstolos?
17. Que quer dizer epístola?
18. Que quer dizer o termo Apocalipse, e, de que trata esse livro?
19. Qual a particularidade evidente na disposição ou seqüência dos livros da Bíblia?
20. Quais as referências onde o próprio Jesus revela-se como
o tema central da Bíblia?
21. Quanto à redenção efetuada por Jesus, dê as duas frases
em que podemos resumir o Antigo e o Novo Testamento.

fonte: Manual da Escola Bíblica dominical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *