Pregação expositiva é aquela que interpreta de maneira precisa o que
as Escrituras dizem. Ela tem como fonte e voz de autoridade a própria
Bíblia, e não as filosofias ou argumentações humanas. A figura central,
nesse caso, não é o pregador e suas habilidades. Mas os objetivos são
alcançados por causa da Escritura proclamada (Is 55.10,11).
Bryan Chapell disse que, na pregação expositiva, “Não estamos
interessados em propagar nossas opiniões, filosofias alheias ou reflexões
especulativas. O interesse do pregador expositivo deve ser a verdade de
Deus proclamada de tal maneira que as pessoas possam ver que os conceitos
emanam da Escritura e aplicam-se à vida pessoal de cada um. Tal pregação
põe as pessoas em contato imediato com o poder da Palavra” (Pregação
Cristocêntrica, Editora Cultura Cristã, pp.22,23).
Na pregação expositiva, faz-se a explanação de versículos de um
capítulo, ou de um livro, ou ainda de várias partes de toda a Bíblia. Ela
possui um tema geral, mas o pregador não precisa se reportar a ele a todo
tempo. Um conhecido exemplo é a famosa pregação “As 7 palavras da cruz”.
Cada tópico desta é uma mensagem à parte, atrelada ao tema geral e à Pessoa
central, isto é, Cristo.
I – Palavra de perdão (Lc 23.34);
II – Palavra de salvação (Lc 23.43,44);
III – Palavra de afeição (Jo 19.26,27);
IV – Palavra que expressa solidão (Mt 27.46);
V – Palavra que expressa sofrimento (Jo 19.28);
VI – Palavra de vitória (Jo 19.30);
VII – Palavra de Contentamento (Lc 23.46).
Pregação expositivo-temático. É a pregação expositiva que está ligada
diretamente a um tema, extraído do assunto oferecido pelo texto. Tomemos
como base Isaías 9.6, passagem em que o Senhor recebe quatro títulos
compostos: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e
Príncipe da Paz. A título de exemplo, extraiamos o tema da primeira palavra
do primeiro título mencionado. O tema seria “Jesus, o Maravilhoso”, e as
divisões poderiam ser as seguintes:
I – Maravilhoso em seu nascimento (Lc 2.8-18);
II – Maravilhoso em sua infância (Lc 2.46,47);
III- Maravilhoso em seu batismo (Mt 3.16,17);
IV – Maravilhoso em seus ensinamentos (Mt 22.15-33);
V – Maravilhoso ao operar milagres (Lc 5.17-26; 8.40-56);
VI – Maravilhoso ao expulsar demônios (Lc 9.37-44).
Pregação expositivo-temático-textual. É a pregação expositiva cujas
divisões — tópicos e subtópicos — se derivam do próprio texto. Digamos
que o tema, baseado em Romanos 1.16, seja: “O poder do evangelho”. As
divisões contidas na própria passagem seriam:
I – Não me envergonho do evangelho de Cristo;
II – O evangelho é o poder de Deus;
III – O evangelho é o poder de Deus para salvação;
IV – A salvação é para todo aquele que crê.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *