São também chamados adolescentes, o que de fato são.
(“Adolescente” deriva do latim adolesco = crescer, desenvolver-se para a idade varonil. Nossa palavra “adulto” é o particípio de adolesco = crescido.)
Palavra descritiva da idade: Transição.
A. Físico
Crescimento rápido outra vez. Mudanças profundas, físicas e mentais, isto devido a ação de certas glândulas até então
inativas, mas, agora, em obediência às leis do Criador, são
ativadas e respondem pelas transformações físicas e psíquicas da criança. Há agora muito vigor e muita atividade. O
coração do adolescente cresce e palpita com mais rapidez, o
que dá ao menino energia, tornando-o barulhento. Bate a porta com força, assobia e grita com força total, que a pobre mãe
cansada e nervosa pergunta porque é que o Joãozinho não pode ser mais cavalheiro e delicado. Esses jovens furacões também dão vazão facilmente a tais explosões de energia e logo ficam cansados. Meninos e meninas começam a demorar-se
diante do espelho e do perfume. As meninas crescem mais rápido, mas param mais cedo; os meninos demoram um pouco mais
e continuam crescendo. Devido as novas forças desenvolvidas e o
desassossego do físico, grandes perigos rondam esta idade.
Os adolescentes são desajeitados; esbarram em tudo e
como quebram as coisas em casa!!! Isso porque mãos, pernas
e pés estão em rápido crescimento, juntamente com forças até
então inativas, e o cálculo e a firmeza sofrem prejuízos. Também costumam aprender e inventar cacoetes os mais diversos, mas sendo observados com simpatia, os abandonam
pouco depois automaticamente. (Cacoetes na idade adulta
têm sempre origem no sistema nervoso, como pressa, preocupação, estado emocional, etc., etc.)
Deus deve ser apresentado aos adolescentes como o nosso
verdadeiro alvo.
B. Mental
Expansão. Abandono das coisas de criança. Surge a razão,
a mais alta das faculdades humanas, e o rapaz está sempre a
perguntar o porquê e o como das coisas. (Falamos de razão no
sentido de raciocínio, e não noutro). E a idade das dúvidas,
inclusive as de ordem teológica. O adolescente é pesquisador e
lógico. Lê muito, se tiver formado esse hábito. Concentra-se no
que faz. Surgem as emoções. Perguntas bíblicas. Impera o reino
da fantasia. Há constante sonhos quiméricos de coisas irrealizáveis, que costumamos chamar de “castelos de areia”. As emoções oscilam de um extremo ao outro. Hoje a mocinha está
alegre, irrequieta, sonhadora. Amanhã estará muda, triste e
não gosta mais de ninguém. O rapazinho adquire ares de teimosia, rebeldia, argumentação. Tudo isso faz parte dessa idade. Tudo deve ser canalizado e orientado para o bem.
A oração constante a Deus e a confiança em suas promessas segundo a sua Palavra, por parte dos pais, é fator de primeira ordem para o equilíbrio, controle e vitória, tanto no lar
como na vida dos adolescentes. É ainda nessa idade que a mente atinge o mais elevado
período intelectual, na fronteira dos 15 anos.
C. Social
Desejo de companhia. Aumenta o sentimento de grupo.
Os pais enfrentam o problema de companheiros apropriados
para os filhos. Impulsos de independência. Detestam a rotina;
querem variedade. Emoções intensas. A disposição e a força
devem ser corretamente orientados. O amor profundo que
surge nessa época deve ter seu verdadeiro alvo em Deus e no
próximo, com o qual convivemos aqui na terra até à morte. O
estudo de relações humanas por parte dos pais é muito útil
nessa fase.
O sentimento de justiça é muito forte, o que exige cuidado
dos pais quanto a aplicação de disciplina.
D. Espiritual
E época ideal para serem conduzidos a Cristo. Precisam
de apoio constante e orientação, isso num ambiente apropriado de espiritualidade profunda, atividades cristãs e programas próprios para a juventude.

fonte: Manual da Escola Bíblica dominical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *