Sistema 10 – uma proposta de Avaliação 

Introdução

Em tempos de globalização, a qualificação das instituições tem sido extremamente buscada.
Iniciada há mais de dois séculos em Gloucester, Inglaterra, pelo professor Robert Raikes, a Escola Dominical trouxe uma inovadora forma de abordagem e comunicação da matéria religiosa, popularizando o ensino da doutrina cristã evangélica, dirigido às crianças abandonadas, com lições de civismo, aritmética, linguagem e religião, esta última, sob a forma de leitura e recitação de textos bíblicos.
Existe um anseio generalizado por revitalização da Escola Dominical que venha torná-la um ambiente ideal para a formação e equipamento do cristão, nas suas relações com a Igreja e o mundo à sua volta.

Programa de qualidade para ED

O Programa de qualidade de uma ED englobará quatro dimensões fundamentais:.

A- Planejar para mudar
Trata-se de estabelecer o caminho pretendido e o futuro desejado

B- Organizar para atuar
É o momento da definição da estrutura que se pretende montar no sentido de tornar a ação mais flexível e comprometida com os resultados desejados.

C- Agir para transformar
Consiste no envolvimento da equipe de trabalho, coordenada pela liderança, na realização dos planos traçados.

D- Avaliar para melhorar
É a obtenção das informações decorrentes da atuação, com vistas ao aprimoramento permanente de todo o Programa de Qualidade.

Avaliar para Melhorar

1- Objetivos

Para fins deste trabalho, vamos tratar apenas do último passo administrativo para a Escola Dominical.
Avaliar significará verificar o progresso realmente alcançado pela Escola Dominical, em três grupos:
1.1- grupo discente – qualidade da participação dos alunos em sala de aula e atividades práticas.
A avaliação se dará através do Relatório de Pontuação do Aluno.
1.2- grupo docente – qualidade dos serviços prestados pelos professores.
A avaliação se dará através da Pesquisa de Desempenho do Professor.
1.3- grupo diretor – qualidade da superintendência em função dos resultados dos grupos anteriores.
A avaliação se dará através do Relatório de Pontuação da Escola 

2- Perigos

Admitimos, desde já, a pressão atual do modelo secular que estimula o “sucesso a qualquer preço” .
Esta pressão tem seduzido e afetado também o “modo evangélico de aprender, viver e cultuar.”
Não consideramos adequados, para o alcance dos resultados desejados, a utilização de métodos que destruam a cooperação e unidade do Corpo de Cristo, antes, pelo contrário, pretendemos oferecer soluções que reforcem estas características, evitando a exclusividade de parâmetros que privilegiam somente os maiores e não contemplem também os melhores, isto é, os mais dedicados.
Reconhecemos, ainda, que nem sempre “os fins justificam os meios “, e seria ideal que a avaliação adotada trouxesse o reconhecimento e/ou premiação dos destaques individuais (alunos, professores, superintendentes) e coletivos (classes).
Não devemos ignorar, também, os malefícios da introdução do “culto aos números “, pois há diversos fatores concorrentes e importantes, que não podem ser traduzidos em medidas de avaliação humana, porém, o serão, no juízo divino, que conhece os mais íntimos segredos do coração. 

3- Utilidade

Apesar dos perigos já relatados e iminentes na introdução de Sistema de Avaliação na Escola Dominical, reconhecemos a validade e utilidade do processo, pois, a recomendação bíblica é ” faça bem feita qualquer coisa que você tiver de fazer” – Ecles. 9:10 .
Adotaremos como premissa deste Sistema:
” A Escola Dominical que não pode ser medida, também não pode ser melhorada! ”
Esta premissa deverá nortear a função de Avaliação e iremos sugerir aqui , por esta razão, o levantamento de pontos passíveis de avaliação, alinhados com os devidos critérios e formas de realização do processo, objetivando um balanço periódico da Escola Dominical em cada congregação do povo de Deus. 

4- Conceitos

Para a adoção de um Sistema 10 de Avaliação será importante estabelecermos um conjunto padrão de conceitos, traduzindo nossas expectativas. Vamos a eles:

4.1 – Fatores de Quantidade
Tratam-se dos agrupamentos das informações coletadas na Escola Dominical através dos Envelopes de Freqüência, preenchidos pelos alunos pertencentes à Congregação (membros e filhos congregados) e pelos alunos visitantes (de outras origens).
O Sistema 10 terá os seguintes fatores de Quantidade, sendo a nota máxima em cada fator =1,0

4.1.1 – Alunos presentes
4.1.2 – Visitas presentes
4.1.3 – Bíblias e Revistas
4.1.4 – Ofertas

4.2 – Fatores de Qualidade
Tratam-se dos resultados dos Fatores de Quantidade divididos pelo número total de alunos presentes na data da avaliação, isto é, a média resultante das quantidades divididas pelo número de participantes.
O Sistema 10 terá os seguintes fatores de Qualidade, sendo a nota máxima em cada fator = 2,0

4.2.1 – Visitação média ( número de visitantes à aula dividido pelo total de alunos presentes em classe )
4.2.2 – Literatura média ( soma de Bíblias e revistas dividida pelo total de alunos presentes em classe )
4.2.3 – Oferta média ( soma dos valores arrecadados dividida pelo total de alunos presentes em classe )

4.3 – Sistema 10

O Sistema 10 de Avaliação da Escola Dominical consiste da apuração dos resultados de dois conjuntos de fatores básicos de avaliação, isto é, os Fatores de Quantidade e Fatores de Qualidade.
Este Sistema prevê como 10 a nota máxima para uma classe de Escola Dominical, distribuída em:
Fatores de Quantidade – nota máxima = 4,0
Fatores de Qualidade – nota máxima = 6,0
O Sistema objetiva dar significado e utilidade às informações tradicionalmente coletadas em aula, tais como: total de alunos e visitantes presentes, ofertas coletadas, número de Bíblias e revistas para o estudo.
O Sistema prevê a obtenção de notas para as 10 primeiras classes da Escola, reconhecendo a diferença de eficiência nos diversos fatores e valorizando cada nível de conquista.
Também este Sistema reconhece que nem sempre a maior será a melhor.
De fato, neste Sistema, a nota 10 somente será obtida pela classe que for a maior e melhor.

5- Coleta e Registro de dados

A coleta de dados que resultará em informações para o processo de avaliação da Escola Dominical, será realizada através de instrumentos próprios e padronizados, tais como:

5.1 – Envelope de Freqüência
Trata-se de envelopes de uso personalizado para cada participante (inclusive o visitante) da Escola Dominical com prazo de utilidade correspondente ao trimestre letivo.
Também será utilizado pelos Professores e Superintendentes, pois também são alunos.
Este Envelope conterá as seguintes informações:
– nome do aluno
– data nascimento
– estado civil
– endereço ( para futuro contato evangelístico ou de visitação )
– classe
– data da aula
– Bíblia
– revista
– oferta
– número de visitantes convidados pelo participante
O Envelope de Freqüência é documento pertencente à Secretaria da Escola Dominical e sua distribuição, recolhimento e arquivo é de competência exclusiva da Escola.
Cada aluno ou visitante, que comparecer à Escola pela primeira vez, terá direito a receber seu Envelope, através do serviço de Secretaria de cada classe, que orientará sobre o seu preenchimento.
Preenchido e entregue no horário estipulado, o aluno somente terá seu Envelope em mãos na próxima aula que comparecer, quando novamente o preencherá nos campos relativos à aula do dia.
O recolhimento do Envelope se dará no momento adequado escolhido pelo Superintendente, sem prejuízo da continuidade da aula, evitando a interrupção e distração tão freqüentes nestes horários, a título de chamada, coletas ou atividades semelhantes, uma vez que a utilização do Envelope traz as respostas para todas estas questões.

5.2 – Pesquisa de Desempenho do Professor
Trata-se de instrumento de opinião com perguntas dirigidas, preferencialmente não identificada, dos alunos a respeito do desempenho do professor em sala de aula, abordando, entre outras, as seguintes questões:
– O assunto estudado foi relacionado ao nosso dia-a-dia?
– Os assuntos estudados foram fixados?
– O professor demonstrou profundidade e conhecimento bíblico?
– A aula estava bem planejada?
– O professor manteve-se dentro da lição do dia?
– Recursos didáticos foram bem utilizados?

– Houve motivação e estímulo para participação dos alunos na aula?
– As dúvidas foram esclarecidas?
– A aula foi bem transmitida?
– O professor demonstra interesse pelos alunos?
O Superintendente da Escola Dominical decidirá sobre a oportunidade e periodicidade desta Pesquisa, utilizando uma graduação para as alternativas de respostas a serem assinaladas, evitando a falta de objetividade de um simples “sim ou não”.
Seguem alguns exemplos para escolha:
– pouco, 1, 2, 3, muito
– fraco, 1, 2, 3, bom
– nenhum, 1, 2, 3, grande
– insatisfatório, 1, 2, 3, satisfatório
– desagradável, 1, 2, 3, agradável

5.3 – Relatório de Pontuação do Aluno
Trata-se de instrumento de Secretaria da Escola Dominical, identificando a pontuação recebida pelo aluno em todas as aulas do trimestre.
Relatório composto de colunas identificando o nome dos alunos e as datas das aulas, onde serão anotadas as pontuações de cada aluno.
As informações são extraídas dos Envelopes de Freqüência, após separá-los em ordem alfabética, para facilitar o mapeamento (nos casos em que não há informatização na Escola) e pontuadas conforme segue:
– presença do aluno – 1 ponto
– trouxe a bíblia – 1 ponto
– trouxe a revista – 1 ponto
– trouxe oferta – 1 ponto ( independentemente do valor )
– trouxe visitante – 1 ponto (para cada visitante convidado)
– realização de tarefa especial – 5 pontos (memorização dos textos áureos do trimestre, memorização da leitura em classe do dia, memorização de capítulos bíblicos, e outras tarefas de semelhante dificuldade ).
Este Relatório propiciará a informação, semana a semana da classificação de todos os alunos neste Sistema de pontuação, colaborando para o acompanhamento e interação dos professores com seus alunos e classes.

5.4 – Relatório de Pontuação da Escola
Trata-se de instrumento de comparação entre as classes existentes na Escola Dominical, baseada na somatória dos pontos obtidos nos Fatores de Quantidade e Qualidade de cada classe.
As informações são extraídas dos Envelopes de Freqüência, após separá-los por Classes e são pontuadas conforme segue:
– identificar a ordem decrescente de resultados e médias em cada um dos sete fatores, antes de atribuir as notas.
– para os fatores de quantidade haverá um decréscimo de 0,1 para cada classificação inferior. Exemplo: a classe em primeiro lugar no fator Alunos Presentes obtém a nota 1,0. A classe em segundo lugar neste fator obtém a nota 0,9. A terceira obtém a nota 0,8. E assim por diante até a décima classe que obtém a nota 0,1.
– Para os fatores de qualidade haverá um decréscimo de 0,2 para cada classificação inferior. Exemplo: a classe em primeiro lugar no fator Visitação média convidada obtém a nota 2,0. A classe em segundo lugar neste fator obtém a nota 1,8. A terceira obtém a nota 1,6. E assim por diante até a décima classe que obtém a nota 0,2.
– Visualizada a ordem decrescente, atribuir em seguida as notas conforme descrição acima.
– Somar as notas atribuídas a cada classe e registrar os totais em coluna própria do Relatório.

6- Pertencer e Participar

A aplicação deste Sistema 10 valerá pelo esforço que exige, na medida em que nos faz ver que:
a- nem sempre a maior classe será a melhor
b- os fatores de qualidade favorecem ligeiramente às classes menores
c- somente a melhor e maior obterá a nota 10
d- cada um e todos os alunos e visitantes possíveis passam a ter importância.
e- não basta pertencer, pois cada professor perceberá que o aluno também pode participar.

7- Premiação

No Sistema 10 de Avaliação, outro aspecto que merece atenção especial é a premiação pelas mudanças positivas que forem sendo constatadas, importando mais o gesto do que a natureza do prêmio.
Por esta razão, diferentes formas de reconhecimento, como as que se seguem, têm sido empregadas em diversos contextos:

Carta/Diploma de reconhecimento
Elogio público em aula ou evento
Registro em periódicos ou jornais
Prêmios reais: canetas, medalhas, troféus, viagens

Estabelecido o Sistema 10 de Avaliação, seria útil a introdução de um Sistema de Premiação compatível que:
a- premiasse mensalmente, trimestralmente, semestralmente e anualmente, isto é, com 19 possibilidades de
reconhecimento ao ano. Uma verdadeira motivação permanente.
b- em decorrência do item anterior, valorizasse os resultados individuais passados, dentro de um período de
12 meses, pois o indivíduo ou classe não premiada este mês, terá sua pontuação acumulada, sem deixar
de participar de novas premiações a cada mês.
c- reconhecesse as conquistas coletivas das classes, como sinônimo do entrosamento dos professores e alunos, que se transformaram em verdadeiras equipes de trabalho na Obra do Senhor.
d- Incentivasse o fortalecimento financeiro da Escola Dominical, propiciando a aquisição e aparelhamento dos professores para este ministério, além dos recursos necessários ao custeio da premiação.

Finalmente, será útil manter publicado em Boletim Interno da Igreja ou da Congregação, ou mesmo, em Quadro de Avisos, a pontuação mensal e acumulada dos Alunos e das Classes, contribuindo para a transparência do Sistema 10 e dando oportunidade para novas estratégias em busca de melhor classificação.

Olhos:

“Planejar é o momento da definição da estrutura que se pretende montar no sentido de tornar a ação mais flexível e comprometida com os resultados desejados.”

“A ED que não pode ser avaliada também não pode ser melhorada”

Pastor Euclides Vaz Junior
Assembléia de Deus – Ministério Belém
Campinas/SP

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *