O m ovim ento C rescendo em Graça (M CG) foi fundado p o r volta de 1986 (De acordo com
El Apostolado, revista periódica da seita, edição de o u tu b ro de 1998) pelo p o rto -riq u en h o José
Luiz de Jesus M iranda (conhecido com o “o apóstolo”). C hegou ao Brasil há dez anos. A tualm ente,
a sede nacional encontra-se em G uadalupe, bairro do Rio de Janeiro. A m undial fica em M iam
i, Flórida, EUA.
E m bora utilize a Bíblia, a verdadeira direção e ensino d o grupo vêm das supostas revelações
recebidas som ente pelo “apóstolo” José Luiz. Aceita apenas os escritos de Paulo, que considera o
único evangelho da graça. Interpreta de form a distorcida m uitas passagens bíblicas para que possa
apoiar seus falsos ensinos. É com um atrib u ir novo significado a term os bíblicos conhecidos
Pratica intenso proselitism o. O u seja, incentiva as pessoas a deixarem suas igrejas, que cham
a de“m ovim entos religiosos”, para que possam se u n ir ao “verdadeiro evangelho”, com o se autointitula.
Exige devoção e obediência quase idólatra ao “apóstolo”.
Distorce as d outrinas bíblicas e nega a d o u trin a da Trindade para assum ir o m odalism o, que
diz que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são apenas “m odos” diferentes de Deus.
É aniquilacionista: acredita que o inferno não é sofrim ento eterno, apenas destruição defi
nitiva. N ão pratica o batism o nem a ceia do Senhor. N ão prega arrependim ento dos pecados, pois
diz que isto é apenas rudim entos da d o u trin a de Cristo, que D eus não atenta para o pecado do
hom em . Faz distinção entre Jesus C risto e Jesus de Nazaré. Ensina que o evangelho verdadeiro é o
que está exposto nas cartas de Paulo, que o evangelho pregado p o r Pedro deve ser rejeitado, e classifica
o m inistério de Pedro de “m inistério da iniqüidade”.
D efende a preexistência da alm a ao dizer que os hom ens eram anjos antes de vir a este m u n ­
do. Diz, ainda, que Deus faz uso da reencarnação, conform e a sua vontade, que Adão era Satanás
caído e que nós som os deuses, entre outras inúm eras distorções do evangelho.

FONTE: APOLOGETICA ICP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *