Provérbios 3:3 Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao pescoço; escreve-as na tábua do teu coração




Deus é fiel (2Co. 1:18) e prefere se relacionar com crentes fiéis. É uma questão de afinidades. Os demônios gostam de coisas nojentas, então exigem sacrifícios nojentos  de seus servos, para que tenham afinidades e possam estar juntos. Se houver dentro da igreja dois grupos de crentes, um fiel a Deus e outro infiel, Deus terá maior afinidade com os fiéis.

A fidelidade é demonstrada em todas as áreas da existência humana. Podemos ser fiéis a Deus em todas as coisas, todos os momentos, todos os dias, agradando assim o Espírito Santo do Senhor.

FIÉIS NA ORAÇÃO € quando levamos uma vida de diálogos com Deus, não apenas de monólogos. O crente que só fala para Deus e não deixa que Deus fale com ele logo esfriará. Devemos ser fiéis na oração, orando todo o tempo, sem cessar (1 Ts 5:17). Trocamos nosso tempo de conversa com Deus por horas de diversão e conversa com os amigos. Devemos ser fiéis na oração.

FIÉIS NAS OBRAS € os dias em que vivemos são apelativos, nos fazendo “querer” sempre mais. Hoje devemos “ter” algo para “sermos” alguém. O mundo ama àqueles que tem coisas interessantes para oferecer, e isso faz com que as pessoas passem o maior tempo possível correndo atrás de seus ideais pessoais, de seus sonhos, de suas próprias obras (Deuteronômio 31:29 Porque sei que, depois da minha morte, por certo, procedereis corruptamente e vos desviareis do caminho que vos tenho ordenado; então, este mal vos alcançará nos últimos dias, porque fareis mal perante o SENHOR, provocando-o à ira com as obras das vossas mãos). Devemos ser fiéis ao Senhor fazendo a Obra Dele. A fé sem obras é morta! Muitas pessoas se preocupam em ter uma casa própria, enquanto a igreja está com aluguel atrasado! Outros vivem para os seus filhos, mas muitos tem ido pro inferno sem receber uma palavra de evangelismo. Ser fiel nas obras significa entender as necessidades que a igreja de Cristo tem e fazer o melhor para suprí-las. A igreja não é do pastor, a igreja é do rebanho. O pastor não morava no “Aprisco” e sim as ovelhas.

FIÉIS NO TESTEMUNHO € ser testemunha de algum fato é ser a certeza de que aquilo é verdade ou não. Isso é testemunho! Alguém chegar perante um juiz e declarar o que sabe, viu ou ouviu. Muitos não são fiéis no testemunho de Cristo, porque não tem declarado o que sabem, o que viram ou o que ouviram e tem deixado com que pessoas que estão no banco dos réus de Satanás sejam condenados ao inferno, porque não fomos fiéis em nosso testemunho de cristão e não pudemos expor a Palavra de Deus. Conhecerei a Verdade e ela te libertará (Jo. 8:32).

FIÉIS NA FAMÍLIA € a Bíblia fala que aquele que não trata bem a família, é pior do que o ímpio! (1 Timóteo 5:8 Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente). Deus se agrada de uma família estruturada: Pai que governa a casa e que ama a esposa; esposa que é sujeita às ordens do marido; filhos que obedecem o pai. Um lar onde a Palavra de Deus impera soberana e que é o cerne de toda conduta. Ser fiel na família significa tratar bem a família e não tratar melhor os de fora, enquanto a família está desestruturada e destruída por mágoas que não foram curadas.

FIÉIS NA ÁREA FINANCEIRA € ser fiel em outras áreas não é tão difícil para uns. Mas a fidelidade financeira é um impecílio para muitos. Não adianta ser “bom crente”. Não adianta buscar campanha de oração para prosperidade. A única maneira de ser próspero é ser fiel nos dízimos e nas ofertas. Quando dizimamos, ou seja, devolvemos ao Senhor a décima parte (10%) de TODA a nossa renda, estamos fazendo um ato profético aqui na Terra, que resulta na repreensão e prisão de uma casta de demônios sobre nossas vidas: o Devorador. Quando ofertamos na Casa do Senhor, após ser dizimista fiel, estamos repreendendo e expulsando três castas de demônios em nossas vidas: o Cortador (que corta nossas bênçãos financeiras), o Migrador (que retira as coisas que temos) e o Destruidor (que finaliza o trabalho, destruindo tudo o que restou) – (Joel 1:4). A fidelidade na área financeira implica sacrifícios. É como abrir uma empresa que, com o passar do tempo, te dá um lucro de cem por um, mas no início tiveram investimentos a serem feitos, houveram momentos difíceis, onde a sua persistência, coragem e fé (crer no sobrenatural) fizeram a diferença para que fosse um vencedor. Os covardes e derrotados desistem no meio das dificuldades, porém os valorosos e vitoriosos persistem e vencem! A viúva não tinha mais o que comer, tinha apenas duas moedas, mas SACRIFICOU, porque conhecia o Deus a que ela servia, porque acreditava no milagre da multiplicação e porque era fiel na área financeira! Tudo o que ela tinha, mesmo sendo pouco, ofereceu ao Senhor.

A (FALSA) FIDELIDADE CONDICIONAL

Gênesis 28:20-22  Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e  me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista, de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus; e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo”.

A fidelidade condicional é algo pérfido, maligno, egoísta e injusto. Muitos crentes vivem deste tipo de fidelidade falsa, barganhando com Deus, querendo colocar Deus na parede, querendo negociar com o Criador, como se Deus precisasse do nosso dinheiro! Jacó agiu da mesma maneira que um pai age com um filho, prometendo algo se a criança se comportar. Mas ele esqueceu que Deus é o Pai e ele é o filho. Deus não precisa de barganhas, não precisa de dinheiro. Ele é o dono de todo ouro e de toda a prata que existe. Deus tem tanto dinheiro que precisa guardar até na boca de peixe!

Quando se faz um voto de fidelidade condicional, ou de falsa fidelidade, espera-se algo do Senhor, mas que não o atingiu com o seu voto. Por exemplo: “Senhor, se eu vender a terra que tenho, darei o dízimo dela na igreja”. O dízimo é OBRIGAÇÃO do crente devolver ao Senhor na igreja. Não existe trato! Não podemos votar algo que já é de Deus. Se vendemos algo, é óbvio que o dízimo é do Senhor.

Existem crentes vivendo de fidelidade condicional, prometendo para Deus coisas, caso o Senhor os abençoe. Uma falsa fidelidade, que não utiliza a fé, não utiliza o sacrifício, não utiliza a coragem… é a fidelidade dos covardes e dos derrotados! É muito fácil ser dizimista FIEL e ofertante FIEL quando se tem muito dinheiro. Quando se está com a carteira cheia, é fácil tirar uma nota e ofertar, mas quando não se tem nada? Quando só o que tem é aquela quantia? Aí precisa ter fé, precisa ser corajoso, precisa ser temente à Deus, precisa mover o sobrenatural, precisa confiar em Deus.




A FIDELIDADE “TODAVIA”

É uma classe velha, porém desconhecida da fidelidade:

Habacuque 3:17-18  Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam 

arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, TODAVIA, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação”. O profeta Habacuque não estava aqui barganhando com o Criador! Não estava pedindo nada, não estava dizendo “Deus, se eu não for próspero, não te servirei!”, não estava dizendo: “Naquela outra igreja eu era próspero, aqui eu não sou”, ele simplesmente disse: “Pai, mesmo que me falte tudo, eu me alegrarei no Senhor, o Deus da minha salvação!”.

Um dos maiores enganos do diabo é que se o crente não for próspero ele não está abençoado. Isso é mentira! Jesus precisava pagar um imposto que dava o valor de dois dias de trabalho, ou seja, R$ 20,00 nos dias de hoje. Ele, porém, não tinha este valor no bolso, e teve que mandar Pedro pescar, para que o Senhor enviasse a quantia correta para pagar o imposto de ambos. Jesus não tinha vintão no bolso, mas era bênção! Pedro não tinha vintão no bolso, mas era bênção! Ser abençoado não tem nada a ver com ser próspero. A prosperidade financeira vem da FIDELIDADE ESPIRITUAL da pessoa!

Jesus disse no Getsêmani: “Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! TODAVIA, não seja como eu quero, e sim como tu queres”. Essa é a fidelidade que Deus quer! Não importa a situação, não importa a dificuldade. Cristo estava prestes a ser humilhado, açoitado, espancado, rasgado e moído, mas preferiu ser FIEL ATÉ A MORTE, para herdar a coroa da vida! Ele poderia dizer: “Pai, sou fiel nos dízimos e ofertas, e não quero padecer nesta cruz”. Isso seria egoísmo seu, porém preferiu fazer a vontade SOBERANA do Pai, sendo fiel até a morte.

Seja fiel, e Deus estará contigo sempre!

FONTE : 80 ESBOÇO DE PREGAÇAO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *