esboço de pregação

O C r i a d o r e a c r i a ç ã o Gn 1
Toda J Inndade está incluída na grandiosa
obra da criação; o Pai. que, por assim dizer, plane/ou
toda a criação como um grande arquiteto; o
Filho, chamado de ‘A Palavra’ que fitava no principio
com Deus (Io 1.1,14). e por melo de quem
os mundos foram criados (Cl 1.16; Hb 1.2); e o
fspirito Santo, que pairava sobre as águas. Deus
criou os céus e a terra O mfvrnu não lui criado
para os homens, mas para Satanás e seus anjos. O
homem, no entanto, escolhe o inferno para si mesmo
(Io 3 J6), se rejeitar lesus, u caminho para o
céu (Io 14 6,1. O que aprendemos neste texto sobre
o Criadoi e a criação? 1.0 caminho para compreender a criação è a fé
[Hb 11.3; SI 33.6).
2. Sua existência é eterna (Cl 1.17; Io 1.1,13-14).
3. Seu Filho é eterno (Pv 8.22-31; |o 8.58j
4. Seu poder é infinito: tudo foi criado por meio
dele (Hb 1.12; Is 44.14),
5. Sua sabedoria é infinita (Ir 51.15).
6. Sua vontade é infinita: ele pode realizar tudo
0 que quer (Is 45.12).
7. Sua perfeição é infinita: tudo era muito bom
(Gn 1.10,12,21).
8. Sua bondade 6 infinita: tudo foi criado para
o bem-estar do homem (Gn 2.8ss.).

O mundo Gn I
1.Qual é ,i realidade do mundoí
a. Fol criado por Deus (Gn 1.1; Cl 1.16-t 7).
b. Fol corrompido por Satanás, o príncipe
dote mundo (ljo 5.19: Rm 5.12).
c. Satanás é o deus deste mundo í2Co 4 4).
d. Satanáv quis dar o mundo ao próprio Senhor
lesus (Mt 4 91
2. Qual é a única esperança do mundo?
a. A luz do evangelho ,k) 3.16).
b. O sangue do Cordeiro (Jo 1.29; Hb 9.22).
c. O Senhor lesus: o mundo apenas pode ser
salvo por meio dele (Jo 3.17).
d.É lesus a reconciliação do mundo inteiro
(ljo 2.2).
3 Qual é a grande necessidade do mundo?
a. í <> Senhor lesus | At 4 12; |o 15.5)
b. É o Espirito Santo que convence o mundo
do pecado (|o 16.8).
c. t .i lei que condena o mundo e o convence
|Rm 3.19).
d. Tudo para que o mundo possa ronfessar
a sua culpa c reccbcr o perdão
|l|0 1.9; Ef 1.7).

Uma comparação instrutiva Gn 1
Comparação entre a criação (Cn IJ e a recriação
c/o vr humano na sãlvaqão (2Co 5.17)
1. A* trevas cobrem o abismo (Gn 1.21. Quem
não nasceu de novo está nas trevas (Rm 1.21;
Cf 4.18).
2. Deus disse: ‘Haja luz; e houve lu/’ (Gn 1.3).
Da mesma forma a luz de Deus Ilumina o
coração humano l2Co 4.6; At 26.18).
J. Deus disse: “Produza a terra…” (Gn 1.1112).
O novo homem produz nova vida l2Co 5 15;
Ml 5.14).
4. Deus falou. “Sede fecundos, multiplicai-vos’
(Gn 1.28). O novo homem produz o fruto
do Espirito (Cl 5.2’ 23; Fp 1.11).
5. Deus disse: ‘façamos o homem á nossa
imagem’ (Gn 1J6 ). O novo homem irradia
a imagem de Cristo |2Co 3.18).
6. Deus descansou no sétimo dia (Gn 2.3)
Descansar em Cristo faz parte da vida do
novo homem (Hb 4.31.

Haja luz Gn 1 j
I.Oeus é lu/ (l|o 1.5; lo 8121.
2. A luz foi a primeira coisa que Deus cnou
(Cn 1.3).
3. A luz ê a primeira coisa que Deus dá
a uma pessoa (At 26.13; Jo 1.7).
4. A Iu/ manifesta as trevas (Ef 5.13)
5.A luz revela as trevas (Jo 3.19-21)
6. A luz faz separação entre a lu/ e as Irev.is
(Gn 1.4; 2Co 6.14).
7. A luz é o caminho do justo (Pv 4.18).
8. A lu/ 6 pura: quem caminha na luz c puro
(Mt 17.2: 1)o 1.7).
9. A lu/ deve ser irradiada pelos lilhos de Deus
(Mt 5.14; Fp 2.15).
10. A Palavra é a luz que Ilumina o nosso
caminho (Sl 1t9.105.n0j
II. A luz produz frutos: sem luz não há vida (|o 1.4)
12. A luz serâ nossa herança eterna (O 1.12-13;
Ap 21).
13. Satanás é o príncipe das trevas (At 26 18,
Cl 1.13; Ef 2.2).

O que é o homem Gn 1.27
1.Como criatura: unia obra maravilhosa rie Deus
(Gn 1.27; SI I W. 14)
2.Como pecador: uma presa de Satanás
(Gn 3.13; Ef 2.2).
3. Como salvo: um objeto da graça de Deus
(ITm 1.16).
4. Como sanlo alyuérit que representa u Cristo
(Eí 5.27)
5. Como templo: alguém no qual Deus habita
(ICo 3.16; )o 14.23).
6.Como canal: alguém pelo qual iluem rios
de bênçãos lio 7.38; Is 41.18).
7. Como glorilicado: alguém que será
semelhante ao Senhor (1)o 3.2; Fp 3.21)

A responsabilidade* dus maridos Gn 2
O homem deve ter uma esposa, não uma
amante íCn 2.24, iRs II I). Responsabilidade* do
marido para com sua esposa;
1. Agir com discernimento e consideração em
relação a ela IIPe3.7: Ml 19.5),
2.Amá-la (F( 5.25; Cl 3.19) c ser-lhe fiel
(Ml 2.14-15; Pv 5.19).
3. Cuidar dela e consolá-la nas necessidades
(Ef 5.28; iSm 1.8).
4. Veja o exemplo de Isaque e Rebeca
(Gn 24.67).
5. Não mandar, mas (udo planejar cont ela
(Gn 31.4-7).
0. Nâo se separar da sua esposa (ICo 7.11-12).

Nossos privilégios Cn 3.9-10
1 Podemos vir ao Senhor assim comn estamos
(Cn 3.10; Jo 6.37).
2 Podemos encontrá-lo no sacrifício como
Abel |Gn 4.4; Hb 12.24).
3. Podemos andar com Deus como Enoque
(Gn 5.22; Fp 1.27).
4 Podemos trabalhar para o Senhor comn Nop
(Gn 6.14; Sl 1001.
5 Podemos ter intimidade com Deus como
Abraão (Gn 18.23).
6. Podemos lular com Deus e prevalecer como
Jacó (Gn 32.24ss.J,
7. Podemos obedecer-lhe como Isaque e ser
abençoados (Gn 26.2,12).
8. Podemos permanecer em Deus como losé
e ser frutíferos (Gn 49.22-26; |o 15.5).

Que è isso que rizestes Gn 3.13
1.0 que i izeramí
a. A paixão dos olhos foi a causa do pecado
de Eva (Cn 3.6; 11o 2.16).
b. Desobedeceram a Deus e a sua Palavra,
cobiça (Gn 3.17).
2. Qual foi a consequênciaf
a. Senlimento de culpa (Cn 3.8).
b. Nudez (Gn 3.7: Ap 3.17).
c. Medo e dores (Gn 3.16).
d. Tributação, fadiga, maldição (Gn 3.17; 5.29:
SI 90.7-9),
1.0 que Deus fez pelos doisf
a. Ele fez um sacrifício pelos dois, o primeiro
de Iodos os sacrifícios (Gn .1.21; Rm 3.22-26)
b.Ele os vestiu (Gn 3.21; Is 61.10).

O nascimento virginal de Cristo Gn 3.1 5
1 Foi prometido (Gn 3.15; Ml 1.23).
2. Foi profetizado (Is 7.14; 9.6).
3. Fol anunciado por Gabriel (Lc 1.30-35).
4. Foi confirmado pela boca de um anjo
(Mt 1.20-21).
5. Foi crido pelos pastores (lc 2.15]
6.Foi admirado por Maria (Lc 2.19).
7. Foi testemunhado pelo apóstolo Paulo (Cil 4.41. ,

Sete conseqüências da queda Gn 3.16
no pecado para o homem
e para seu Salvador
1 Dores [Cn 3.16; Is 53.3-5).
2.Sujeição â lei (Gn 3.16: Gl 4.4-5).
3 Maldição (Cn 3.17; Cl 3.13).
4. Fadiga (Cn 3.17; Is 53.11)
5. Espinhos {Cn 3.18; Mt 27.29).
6.Suor(Gn 3,19; tg 22.44),
^ 7. Morte (Gn 3.19; Lc 23.46I.

Abel Cn 4
Logo no começo da biblia e por toda Escritura
sagrada vemos duas linhas marcantes- a dos crentes
e a deu incrédulos; filhos de Deus e filhos do
maligno Salanás; justos e injustos Abel foi um
homem de fé. nele vemos uma imagem agradável
do homem para Deus.
a. Confiança em Deus e no seu sacrifício
pelo pecado.
b. Consagração a Deus
c. Comunhão com Deus.
1.A fé verdadeira age segundo os pensamentos
de Deus (Hb 11.4). É dirigida pela palavra
de Deus e não por vontade própria como
Caim Certamente Caim também conhecia ,a
vontade de Deus tão bem quanto seu irmão
mas não a seguiu.
2. A fé verdadeira é aceita por Deus (Gn 4.4).
Deus olhou, com agrado, para o sacrifício de
Abel. como, mais tarde, para o de seu Filho
IMI 3.17). Somente em Cristo somos agradáveis
a Deus (Ef 1.5).
3. A fé verdadeira 6 odiada e per seguida pela
Incredulidade (Cn 4.4-5), Veja exemplos
como Caim e Abel. Saul e Davi, os fariseus
p o Senhor lesus e mais larrie. a Igreja per
seguida (Jo 17.140b). Cada novo convertido
experimenta logo o ódio dos Incrédulos que
o rodeiam l ljo 3.13; Mt 10.22: |o 15.20).
As trevas odeiam a luz
4. A fé verdadeira recebe a aprovação divina
(Mt 23.35; Lc 11.50-51; Hb 11.4; 12.23; 1|o 3,12),
Deus sente as necessidades daqueles que so
frem por causa do seu nome, como se tossem suas
próprias necessidades (At 9.5, Zc 2.8).

Caim Gn 4 ]
Da mesma forma como a fé e a obediência se
relacionam, assim também a Incredulidade e a desobedicncia.
O incrédulo:
1. Anda em seus próprios caminhos (Id 10-11;
Pv 14.12; Is 55.8)
2. É condenado por Deus iCn 4.5; lo 3.3f>),
Abel trouxe um holocausto agradável a Deus
(Lv 9.24; Jz 6.21; IKs 18.38; ICr 21.26; 20 7.1),
O fogo do alto manifestava o agrado de Deus
ao sacrifício e ao caráter do ofertante. Caim foi
presunçoso; por isso seu sacrifício surgiu de
uma falsa mentalidade e foi rejeitado por Deus.
3. Não se humilha irrita-sc com os caminhos
de Deus. A soberba de Caim era abominação
para Deus (IPe 5.5b).
4. Age conforme sua própria vontadp (Cn 4.7).
O problema pslava cm Caim o na sua constante
rejeição de Deus. Por isso seu sacrifício
não foi aRradavel a Deus, corno o de Abel
Assim, tornou-se arquétipo do anticristo.
5. Causa sua própria Infelicidade como Caim.
Seu ódio foi contra o seu irmâo crente e o
Incitou ao fratricidio (Gn 4.8; ljo 3.12,15).
O primeiro homicídio concretizou-se )a na
segunda geração O último e grande
assassino será o anticristo.
6. Não escapa do seu castigo. Rejeitou a Cristo,
o sacrifício único para Iodos (Gn 4.11-13).
Quem não aceitar a Cristo como seu único
Salvador, já eslá julgado (Al 4.12: |o 3.18).

Enoque Gn 5.22
Seu nome significa ‘consagrado a Deus’ Certamente
leve p jií pipdosof que o comagrãrjm
a Deus
1. Enoque foi o sétimo a partir de Adào (|d 14).
2. Foi o primeiro ,i profetizar a vinda de lesus.
J.Certamente teve muitos filhos (Gn 5-21-22).
Em famílias assim existem muilas dificuldades
mesmo assim Enoque andava com Deus
(Cn 5.22; SI 16.8).
4. A irasladação de Enoque é;
a. Uma prova de fé viva.
b.Uma honra para Deus (S1116.15).
c. Uma prova da redenção do corpo (Fp 3.21).
d. Uma advertência séria para os que ficaram

Enoque, um mestre Gn 5.21-24
1. Pelo seu ensinamento ele se diferenciou
de seus contemporâneos. Ele ensinou
o mundo pela sua conduta
a. Dele também se pode dl/et: “Vós, porém,
sois..-* (1 Pe 2.9).
b. Ele deixou o mundo e se tomou um com
Deus (Am 3.3),
2. Ele ensinou o mundo pela sua pregação
séria (Jd 14-16).
a. Deus revela a seus servos o que em breve
irá aconiecer |Am 3.7; Ap 1.1).
b. Enoque pregou o julgamento (|d 14-15).
c. Em espirito viu o juízo sobre as nações
(Ml 25.31 ss.).
d. Ele viu o que, mais tarde. |oão descreveu
(Ap 19.1 Iss.).
e. Ele viu o chocante jui/o íinal (Ap 20.11-12).
3. Ele ensinou o mundo pelo seu arrebatamento
(Hb 11.5).
a. Repentinamente ele n3u estava mais lã
(Cn 5.24).
b. Certamente foi procurado coino Elias
(2Rs 2,16’18).
c. Também muitos, um dia, procurarão
por nós e não nos acharão (Lc 17.14-35)

Andar com Deus significa gn 5.24
1.Ter comunhão com Deus como Enoque
(Cn 5.24).
2. Persistir na obra de Deus como Noé (Gn 6.22;
ICo 1S.58).
3. Reconhecer os caminhos e pensamentos de
Deus como Moisés (51 103.7).
4. Ser corajoso e zeloso como Fineias
(Nm 25.6-15; Mq 2.6).
5. Ser destemido como Davi (1Sm 17; Sl 23.4).
6. Manier a tranqüilidade no Senhor como
Paulo na tempestade (At 27.9-1), Mt 11.29)
7. Ter um coração ardente como 05 discípulos
de Emaús (Lc 24.32-34. 2Co 5.14).

A arca era._ gn 6—7
1.Um lugar de graça (Gn 7.1; Mt 7.13).
2.Um lugar dc segurança (Cn 7.1. ISm 22.231.
3. Unia habitação preparada por Deus
(Gn 7.16;|o 14.1).
4. Um lugar de provisão divina (Gn 6.21; Fp 4.19).
5. Um lugar de separação do mundo
(Gn 7.16; Ap 18.4).
6. Um santuário para glorificar a Deus
(Gn 8.20; Sl 84.4).
7. Um lugar dc Irahalho para Deus
(Gn 6.14; Cf 2.10).
8. Uma escola para se aprender a paciência
(Cn 8.6.9-10).
9. Um objeio de admiração de muitos (Mc 13.11.
10. Um objeio de zombaria d« outros (Ne 4.1-3).
11.Um abrigo para Noé, quando entrou nela
(|o 10.27-28).

Os homens não querem Cn 6.3
A rejeição da oferta da gr,na, como nos dias
de Noe. segue o juízo ÍCn 6.1.3; lo 3.36).
1.A grande misericórdia de Deus pelas suas
criaturas (|n 4.11).
a. Ele convence, ilumma as pessoas
(lo 16.8; Gn 0.3).
b. Ele iala de variadas maneiras (Hb 1.1)
2. Nos dias de Noé, Deus esperou pacientemente
por 120 anos IGn 6.3; 2Pe 3.15).
a. No caso dos moradores de Nínive. Deus
esperou 40 dias (|n 3.4).
b No caso do rico agricultor, ele esperou
uma noile (Lc 12 JO).
c. Com Belsazar esperou apenas
poucas horas |Dn 5 30).
O dia dn íalvação se aproxima do fim e o tim
de toda a esperança éa conseqüência para todos
. os que não derem meia-volta (lr 8.20; Ei 2.12)

Noe Cn 6.9
1. Seu nome significa “consolo, repouso”
(Cn 5.29).
2. Achou graça diante de Deus (Cn 6.8)
3. Foi um homem |usto (Cn 6.9).
4. Andou com Deus ICn 6.9: Fp 2.5).
5. Seu testemunho foi intocável (Gn 6.9;
ISm 12.3-4; At 24.16).

A pregação da arca Gn 6.13-14
1. A arca é uma profecia divina, tem sua origem
em Deus (Gn 6.13-14).
2. A arca era o único abrigo seguro (Al 4.12)
3. A arca era uma espécie de rneio de transporte
(Jo 14-,
4. A arca era urna séria advertência aos pecadores
(Mt 3.7-8).
5. Apenas a arca oferecia segurança HSm 22.231.
6. A arca tinha apenas uma porta (Jo 10.9).
7. A arca tinha apenas uma abertura
(Gn 6.16: Hb 12.2).
8. A arca tinha muitos compartimentos
(Gn 6.14; Mt 6.6).

O que Deus fez de Noe Gn 6.13
Deui (ei dele alguém com quem tinha intima
comunhão, como mais tarde Abraão (Cn 18.17).
a quem também revelou o que haveria de a contecer.
Deus instruiu Noé acerca de seus propósitos
(Cn 6.13; Am 3.7). Também a nós Deus, na
sua Palavra, mostra seus propósitos (Dl 29.29,
Ap I).
I Noé, como Abraão, se tornou um amigo
de Deus (Gn 6.18; Is 41.8).
2. Noé se tornou o pregador da justiça
(2Pe 2.5).
3. Noé se tornou o salvador das criaturas
(Gn 6.20).
4. Noé se tornou o portador da promessa
(Gn 6.18).
5. Noé se tornou um monumento da graça
e da fé (Hb 11.7).

O que Deus fez de Noé Gn 6.18
1 Seu confidente (Gn 6.13.17).
1. Seu amigo (Gn 6.18; 9.9; Io 15.151.
3. Um pregador |2Pe 2.5).
4. Salvador do mundo (Gn 9.1,8-9,11).
5. Portador da promessa (Gn 6.18).
6. Um monumento da graça IHb 11.7).

O homem natural em Gênesis Cn 7.7
1. Seu eslado corrompido (6.3,5-6).
2.0 justo juízo de Deus sobre ele (6.13).
3. A única saida da sua ruína (6.14).
4.0 convite divino para a salvação (7.1).
5, Uma última advertência (7.4).
6.0 convite aceito (7.7).
7.em plena segurança (7.16; 8.15-22).

O Senhor fechou a porta Gn 7.16
1. Um quadro sombrio:
a. Todos os seres vivos morreram: Deus teve
de julgá-los (Cn 6.5; |o 3.6).
b. Antes do julgamento houve uma oferta
de graça; a arca (Cn 6.14).
c. Mas o mundo não deu atenção ò oferta
(LC 17.27; Mt 24.37-39).
d. Mas Noé treu e foi salvo (Gn 7 I ).
2.0 que a arca ofereceu?
a. Segurança (|o 10.27; 1Sm 22.23),
b.Garantia infalível (Hb 6.I8-20I
3.0 Senhor fechou a porta:
a. Todos na arca eslavam abrigados
(Rm 8.1).
b. Todos os demais estavam diante dc uma
porta fechada (Mt 25.11; Lc 15.25).
4. A bênção da obediência:
a. Paz no meio das ondas e tormentas
(1 to 5.4; Jo 16.33).
b. Pisar na nova terra (Gn a. 18,20)

Porta* fechadas Gn 7.16
1, Noé experimentou a salvação atrás de unia
porta fechada iGn 7.16).
2. Eliseu despertou o morto atrás de uma porta
fechada (2Rs 4.33}.
3. Uma viúva ficou rica atrás de uma porta
fechada (2Rs 4.5-7).
4.0 povo de Deus está seguro atrás de urn.i
porta fechada (ls 26.20).
5. As recompensas de Deus são recebidas atrás
de uma poria fechada (Ml 6.6).
6.0 Senhor se revela atrás de uma porta fechada
()o 20.19-23),
7.0 Incrédulo, poiém, está na írente de uma
porta fechada (Mt 25.10-13; Lc 13.25).

A pomba Cn 8.8-12
1, Ela é um símbolo da paz (Gn 8.8-12).
2, Ela é um símbolo do Espirito Sanio
(Ml 3.16; lo 1.52).
3. Ela mostra o caminho para a rocha:
Cristo (Ct 2.14).
4. Ela é comparada com 0 amor puro
t a inocência (Ct 5.2,12).
V Eta é uma indicaçãu do relorno de Israel
Is 60.8; SI S5.6).
6. Ela é instrução para os crentes (Ml 10.16].

O altar de Noé Cn 8.20
A prime ira ação de Noé logo após sair da arca
foi ediiicar um altar ao i enhor, no que se assemelha
a Abraão, r/uv tamhcm, cm primeiro lugar, edi
ficou um altar (Cn 12.70),
1. Nosso privilégio:
a. O filho de Deus pode e deve construir
•íllares. oferecei sacrifícios a Deus (SI 50.14;
Ir 17.15-16).
b. Ele deve oferecer .t Deus, em sacrifício,
0 seu corpo (Rm 6.13; 12.1).
c. Ele deve oferecer a Deus sacrifícios de
louvor em qualquer situação [Hb 13.15;
At 16.25).
d. Ele pergunta como Davi: “Que darei ao
Senhor?* (SI H6.l2;Mq 6.6).
2. Por que o crente devo oferecer sacrifícios?
a. Porque 0 Pai procura adoradores (Jo 4.23).
b. Porque Deus anseia pelo aroma suave
dos sacrifícios (Cn 8.21; |o 12.3).
3. A bênção dos sacrifícios:
a. Não há mais maldição nem |ulgamento
(Cn 0.21; lo 3.36).
b. Bênção constante (Gn 8.22; Ml 3.101.

 

A pregação da colheita Gn 8.22
1. Ela anuncia a fidelidade de Deus (Gn 8.22).
2. Ela apregoa a grande bondade de Deus
(Sl 65.10*12).
3. Fia enche o coração de alegria (ls 9.3).
4. Ela também traz decepções (Mt 13.30).
5.8a nos exorta .i pedir por ceifeiros (Mt 9.37-38).
6. Ela nos compromete a sermos semeadores
fiéis (Gl fi.7-8).
7. Ela é uma séria pregação para os não salvos
1 (Jr 8.20).

O arco-iris Gn 9.12*17
1. Ele é um sinal da graça de Deus (Tt 2.11).
2. Ele è uma lembrança da aliança de Deus
(Cn 9.15; Hb 8.6).
3. Ele é um sinal da fidelidade de Deus
(Hb 10.23).
4. Ele é um sinal da glória de Deus (Ez 1.28).
5. Ele é uma garantia das bênçãos de Deus
(Gn 911617).

Tera, o pai de Abrào Gn 11.31-32
1. Descendia de Sem. a semente da promessa
(Cn 9.26-27; M.lOss.).
2. Apesar disso, foi um idólatra (|s 24.2).
3. Recebeu conhecimento da salvação através
de Abrão, com quem ele também se pôs
a caminho para Canaã.
4. Tera fez um bom começo, mas chegou
apenas até I larã.
5.Sua influência negativa: impedia Abrão
de seguir sua viagem.
6. Seu fim: não entrou na terra da promessa

O chamado de Deus a Abrào Cn 12
1. Era um chamado para separação.
a. Partia de Deus (v. 1).
b. Devia deixar sua pátria. seus amigos, e até
a casa de seu pai (Ml 19.27; Lc 14.33).
2. A promessa que resultou do chamado.
a. Lima terra maravilhosa como herança (v, 1).
li. Uma maravilhosa missão; ser uma bênção
(v. 2).
c. Ser uma bênçao para todas as famílias
da terra (v. 3).
3. Como Abrão avaliou este chamado.
a. Respondeu-o com obediência, como
de uma criança.
b. Sua sairia foi imediata (v. 5).
c. Deixou tudo (Ml 19.27; Fp 3.7),
4.0 que Abrão experimentou depois da saida.
a. Uma maravilhosa revelação de Deus (v. 7).
b. Recebeu uma grande promessa (v. 7).
c. Seu coração estava cheio de adoração
a Deus (v. 7).
d Anunciou Deus em sua nova circunvizinhança

A obediência na fé Gn 12.1-4 ‘
1. A obediência de Abraão.
a. Pela obediência Abraão deixou 3 sua terra
(Gn 11.31; 12.4).
b. Pela obediência Abraão alcançou a Terra
Prometida (At 7.4)
2.Temos seguido o seu exemplo? |2Co 6.17,
Ef 2.19).
a. Por causa da sua obediência Abraão
recebeu ricas promessas (Cn 22.17-18).
b. Por c ausa da sua obediência Isaque
recebeu ricas bênçãos (Cn 26.2,12;
c. Por causa da obediência na fé Salomão
se tornou poderoso (ICr 29.23-25).
d. Por causa da obediência na fé Roboão
foi guardado (2Cr 11.1-4).
e. A obediência na fé iransforma a vida
dos crenles (Rm 6.17).
f. A obediência na fé leva ao desenvolvimento
da salvação (Fp 2.12).

Ricas promessas para tudo» Gn 12.2-3
1. Para ganhadores de almas: “De ti farei uma
grande nação”
2. Para pobres: “Eu te abençoarei’
3. Para desconhecidos: “Eu te engrandecerei
o nome”
4. Pata indignos: “Abençoarei os que
le abençoarem”
5. Para desprezados: “Amaldiçoarei os t|ue
le amaldiçoarem”
6. Para preocupados: ‘Por ti todos serão
abençoados*

A promessa aos patriarcas de Israel Gn 12.3
1 Abraão.
a. Deus escolheu soberanamente Abraão,
como portador das promessas. Gn 12.1
b. A primeira promessa estava interligada
a condições especificas. Gn 12.1.
c. A finalidade da promessa: Abraão devia
deixar sua patria e abrir mão de tudo
que o ligava a ela, para receber uma pátria
nova e muilo mais bela
d. Esta promessa não valeu só para ele, mas
também para seus descendentes, através
dos séculos. Nela existe uma promessa
para todas as famílias da terra. Gn 12.3.
2. Isaque, Foi o primeiro cumprimento visível da
promessa dada a seu pai. Recebeu a renovação
das promessas dadas a Abraão (Cn 26.2-5).
3. |acó. O niesmo se repetiu com ele. O nome
discritninatlvi) |acõ (suplanlador), que
descreveu seu caráter antigo, foi trocado
por Israel (aquele que luta por Deus), tste
nome leva a nação que descende dos
patriarcas ainda hoje (Cn 32.28).

Crentes nos lugares errados Gn 12.9-20
1. Abraão desceu ao fcglto e não foi uma bênção
(Gn 12.105).
2. Lò foi a Sodoma (mundo) e perdeu tudo
(Gn 13.11).
V Elias se deitou debaixo do arbusto em vez
deestar no Carmelo (IRs 19.41.
4. Jonas estava no ventre do peixe e darnou (|n 2).
5.0 profela enganado pisou num raminho
errado e morreu (IRs 13.19-24).
6. Davi estava no terraço em vez de estar
no campo dc batalha (2Sm 11,2).
7. Pedro se aquentou junto ao fogo em vez
de vigiar (Lc 22.55).

Lo, um meio fillio de Deus Gn 13
1. Ló aceitou, sem hesitar, o que Deus havia
prometido a Ahrão ((in 11.10-11).
2. Abandonou 3 comunhão com os crente*
(Cn 13.11J.
3. Estabeleceu-se em Sodoma [comunhão
com o mundo) (Gn 13.12).
4. Foi aprisionado e perdeu seus bens (Cn 14.12).
5. Fol salvo por Abrão (Gn 14.14-16).
6. Casou suas filhas com Incrédulos (Gn 19.14)
7. Contudo, ao final, foi salvo |2Pe 2.6-81

Escolhas diferentes Gn 13.10-11
I . A escolha de Ló:
a. Foi um.i escolha motivada apenas
pela ambição (ITm 6.9).
b. Foi uma escolha egoísta: não teve
consideração por Abraão (Gn 13.11).
c. Foi uma escolha sem oração: dc não
consultou a Deus (Sl 32.8,10).
d. Foi urna escolha que acaliou na desgraça
(Gn 19).
2. A escolha de Abraão:
a. Abraão escolheu a comunhão com Deus
(Cn 13.9-12).
b. Abraão entregou sua vida a Deus e foi
ricamente abençoado (Gn 13.14-17).
< Abraão recebeu o titulo dt ” amigo de Deus*
(Is 41.8).
d. Abraão foi transformado por Deus em um
dos patriarcas do povo de Israel (Gn 13.16)

O pecado de Sodoma Gn 13.13
l.Era muito grande aos olhos de Deus
(Gn 13.13).
2.0 clamor do pecado de Sodoma rhegou
até Deus (Gn 18.20).
3.0 (3ecado de Sodoma era como uva
venenosa (Dt 3232).
4.Era um pecado vergonhoso e aberto (Gn 19,5:
ls 3.9).
5. Este pecado é uma abominação a Deus
(lr 23.14; Rm 1.26-27).
6. Os vicios do Sodoma causam aflição
aos filhos de Deus l2Pe 2.7-8).
7. A influência dos pecados de Sodoma
é perniciosa (Gn 19.31-38).
8. Deus julga o pecado após ser muito paciente
(Gn 19.23-25).

Pecado Gn 16.2
As conseqüências do pecado na vida dos tilhos
do Deus:
1. Se Abraão não tivesse lomado Agar não
existiria a inimizade entre os árabes
e os judeus.
2. Se Ló não tivesse ido a Sodoma, mas tivesse
Ficado com Abraão, suas filhas não teriam
rasado com sodomllas e não rxktirlam os
moabitas nem os amonilas (Cn R:tO 18)
Í.Se |acó não tivesse ficado em Slquém, mas
livesse ido paia Betei, para onde Deus o
estava mandando, sua (ilha Diná não teria
sido estuprada e seus (ilhos não teriam se
lornadu homicidas (Cn 34).
4. Se Davi não tivesse cometido adultério com
líatc-Scba, o nome do Senhor nâo teria sido
envergonhado |25m 12.14).
5. Se Pedro não tivesse se assentado com
os Ímpios não teria negado ao Senhor
(Lc 22.55; Sl 1.1}.

De onde vens. para onde vais Gn 16.8
Muitas vezes fizemos esta pergunta a passantes,
mas Deus foi o primeira a ijzc la.
1.De onde vens?
a. Assim Deus perguntou a uma serva que estava
tugindo. Ele pensa em todos (Jr 2-2.17-18).
b Deus .1 deteve num caminho errado
(Cn 16.8; Ez 16.8).
c. Como ele a deievef Não com repreensões
(Lc 15.20),
d O lato de Deus a ler encontrado no deserto
e junto a um poço nos lembra o povo de
Israel e a samaritana (Ez 16J5-6; lo 4.6-7)
2. Cara Onde vaisf
a. Agar sabia dc onde vinha, mas não
para onde ia (Sl 139.7; Mb 2.3).
b, Para onde no deserto? (Dt 8.1 Sl.
c Existem apenas dois caminhos (Mt 7.13-14)
d. A exortação carinhosa: “volta” (Cn 16.9).
e. Agar reconhece seu caminho errado
(Cn 16.13).
t. A grande hênçáo de quem retornou de um
caminho errado: um filho (Gn 16.10-1 I )
g. A bênção fol ampliada (Gn 21.17-19)
h. O louvor daquela que fol restauiada:
“Tu es Deus que vê’ íGn 16.13).

Agar, ou: duas, pergunta» Gn 16..8-10
Importantes
De onde. para onde – são duas perguntas ímportantn
e muito discutidas. Dv onde venho, e
para onde voui Somente a [scritura pode respon
dé-fas. Foram dirigidas por um anjo a uma simples
serva. Nós ouvimos estas perguntas desde Adào .iIp
o Trono branco.
1. De onde você vem? Agai havia fugido do
melhor lar do país e foi barrada por Deus
cm uma fome no deserto. Como foi barrada?
Nào com repreensões, porém com as
perguntas: de onde vens e para onde vais?
Agar devia confessar voluntariamente seu
caminho errante e certamente o tez
Isto nos mostra o final da história.
2. Para onde você quer ir? Todos nòs sabemos
de onde viemos, conhecemos nosso passado.
Mas para onde vamos, onde passaremos a
eternidade. Isto muilos não podem e não
querem responder.
3.0 anjo ordenou: Volte! (v. 9), A principio, foi
muito duro, |M>rque ela deveria se humilhai.
Não ê a soberba que impede muilos de
tomarem o caminho de volta?
4. Uma grande ptomessa (v. 10). O que os
convertidos recebem?
a. Perdão (Is 55.7; iz 33.11; SI 130.4:
Lc 15-22-24).
b.Paz com Deus (Ef 2.14-15: Cl I 20)
c. Um novo coração (Ez 11.19; 36.26|.
d. O Espirito Santo (At 2.38: Ml 28.19;
Rm H. 15-16).
e. Um novo ministério (ITs 1.9)

Sete anseios divinos em Cn 17 
1. Farei uma aliança entre mim e tl (v. 2)
2. Multiplicar-te-ei extraordinariamente (v. 2).
t. Faite-ei fecundo extraordinariamente (v. 6).
4. Farei de ti nações (v. 6).
5. Farei contigo aliança perpétua (v. 7)
6. Dar-le-ei a terra de Canaà (v. S).
7. Serei o teu Deus (v. B).

Exortaçóes do Senhor Cn 17.1
1. Venha a mim (Ml 11.28).
2. Aprenda de mim (Ml 11,29).
3. Permaneça em mim (|<> 15.7).
4. Siga a mim (jo 21.22).
5. Ande na minha presença (Cn 17.1).
6. Lembre de mim (Lc 22.19).
7. Olhe para mim (Flb 12.2).

A Intercessáo de Abraão Gn 18.22-33
foi a favor de uma cidade que estava madura
para o juizo
1. Foi frulo de sua comunhão com Deus
(Cn 16.22).
2. Foi séria, firme e determinada, quase
unu negociação (Cn 18.23li).
3. Foi multo humilde (Cn 18.271.
4. Foi muito franca (Lc 18.1; Hb 10.19).
5. Foi perseverante (Cn 18.32; Rm 12.12).
6. Foi ouvida: Deus lhe concedeu algumas
almas ICn 19.15.291.

A mulher de Ió Cn 19
1 A esposa de Ló partiu junto com Abrão
e andou mullo tempo com o povo de Deu».
2 Desejou os bens de Sodoma e escolheu
uma cidade ateia como sua residência.
3. Abrão orou por ela ICn 18).
4. Deus ouviu as orações (Cn 19.15,22).
5. Foi advertida insistentemente pelos anjos
(Cn 19.171.
b. Hesitou muito para sair (Cn 19.16).
7. Olhou para trás desobedecendo à ordem
de Deus (Gn 19.26).
8. Pereceu, apesar de a salvação estar tão peno I
(Cn 19.26).

Fé viva Cn 22
Em 2Pe 1.1 o apostolo dis que a fé é preciosa.
Em Hb 11 temos das grandes obras da fé que são
mais preciosas que o ouro ( IPe 1.7).
1.0 sacrifício da fé |v. 2): “toma o leu filho… oíerece-o
em holocausto’. Abraão eslava pronto
para colocar tudo que possuia sobre o altar
E nós. também estamosf |Rm 12.1-2; 15.3|.
2. A obediência da lé Iv. 1): Abraão levantou-se
de madrugada (Hh 11.8; |o 2.5).
3. A esperança da fc (v, 5): Abraão disse:
“voltaremos’ (Hb 11.191. Abraão sabia que
a promessa eslava em Isaque ((In 21.12),
4. A fé. como de criança, na provisão de Deus
(v. 8).
5. A perseverança da lé (v. 9): a fé que falha na
hora da provação é incredulidade (Mc 4.40).
6. A vitória da iê (v. 12): “Agora eu soi” O menino
fc» destinado, sacrificado e devotvido. por Deus,
ao seu (Mi IHb 11.17.19: M» 9.23; 1|o 5.4).

Os verdeiros ofertantes Gn 22
1.Dã oa Deus o melhor que têm (Gn 22.2;
Ml 1.8).
2. Dão ale aquilo que trazem no corpo
(ISm 18.1-5).
3. Não recuam diante de dificuldades
ÍCn 24.58-66),
4. Dão a si mesmos (Al 20.24).
5. Abrem mão de comodidades (Jz 7.5).
6. Estão dispostos a dar sua vida (Et 4.16).
‘ Tem o Senhor lesus como exemplo (2Co 8.9).

Fidelidade a Deus Gn 22.3-18
I.Como Abraào, que deu a Deus o que linha
de mais querido (Gn 22.3-18)
2 Como |osé. que preferiu sofrer a entristecer a
Deus iGn 39.4-22).
I Comn Moisés, que fol fiel em toda a sua casa
iNm 12.7; Hb 3.5).
4 Como Davi, diame dos adversários I ISm 22.14).
5. Como Daniel, diante da morte pelo martíno
(Dn 6.1014).
6. Como Paulo, no ministério que lhe loi confiado
(At 20.20).
7. Como Timóteo, o filho amado e fiel (ICo 4,17;
Fp 2.19-20).
8. Como os crentes sofredores de Esmirna
Ap 2.10),

O Cordeiro de Deus Gn 22.
I. Fol prometido ao patriarca (Gn 22.8)
2 Foi prefigurado no cordeiro pascal (£x 12-1-6),
3 Os profetas o viram ja sacrificado (ls 53;
Sl 22; 69).
4 )o3o Batista apontou para ele (|o 1.29).
5. Foi provado e testado na hora da tentação
(Ml 4).
6. Foi anunciado cm Atos dos Apóstolos (Al 8.32;
lPe 1.18-19).
7. É seguido pelos fiéis em lodo lugar
e circunstância (Ap 14.4).
8. Está agora coioado de honra t- glória (Hb 2.9),
9. E adorado pelos glorificados no céu lAp 5.6-9).
10.0 Cordeiro julgara os ímpios (Ap 6.1b).

Promessas divinas Gn 26.2-4
em tempos difíceis
Deus disse:
1.Eu serei contigo.
2. Eu abençoaMe-el
3. Para a tua descendência darei todas
estas terras.
4. Confirmarei o meu luramento.
5. Multiplicarei .1 tua descendência como
as estrelas dos céus.
6. Abençoarei muitos através de ti

Um sinal de advertência Cn 27
Esta ó a história do Fsaú
1. Seus muitos privilégios,
a. Era filho de pais crentes.
b. Criou-se no lar mais piedoso do sen tempo.
c. Como primogênito, era o herdeiro natural
da promessa.
2. Sua leviandade.
a. Esaú não viveu para Deus, mas para seus
próprios prazeres.
b.A bênção de Deus era para ele coisa
secundária (Gn 25.32; Hb 12.16-17; Ap 21.8).
c. Causou grande desgosto a seus pais
(Gn 26.35).
3. Seu despertar tardio,
a. Despertou quando a bênção jã havia
sido dada [Cn 27.33ss.|.
b. Procurou, como as virgens néscias,
quando já era tarde demais.
c Seu arrependimento era falso, porque depois
<|uis matar seu irmão.

fonte:biblia do pregador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *