Além das muitas unções, para todos os gostos, há também diversos
ministérios… De fato, a Palavra de Deus diz que há diversidade de
ministérios (1 Co 12.5), mas não nos esqueçamos de que isso alude à
maneira multiforme de o Espírito Santo atuar. Essa menção de modo algum
apóia todo e qualquer ministério inventado por pessoas que querem fazer
prevalecer as suas preferências pessoais.
Pessoas se entristecem e outras se indignam contra mim pelo fato de
eu me posicionar contra a dança. Contudo, eu nada tenho contra pessoas e
instituições, bem como respeito cada sistema de culto. Por graça de Deus,
tenho ministrado a Palavra de Deus em algumas igrejas que me convidam.
Por que eu seria indelicado a ponto de ir a tais igrejas para criticá-las quanto
a isso e àquilo? Eu só faço isso quando recebo uma orientação do Espírito.
Nesses casos, eu falo mesmo, pois, que pregador ou profeta seria eu se só
falasse o que o povo gosta de ouvir?!
Os defensores da dança citam Miriã e Davi, mas as atitudes e ações
destes, conquanto não tenham sido reprovadas por Deus, deram-se fora do
culto coletivo a Deus. Foram atos patrióticos, isolados, pelos quais
extravasaram a sua alegria. Daí o próprio Davi, ao organizar o culto,
juntamente com Asafe, não ter feito nenhuma menção à dança,
estabelecendo apenas cantores e músicos (1 Cr 25.1).
Reafirmo, pois, que não há base bíblica para se introduzir danças e
coreografias no culto, tampouco chamá-las de ministério, como muitas
igrejas estão fazendo. Reconheço que existem exceções, como as
coreografias infantis, feitas de maneira esporádica ou em ocasiões especiais.
Mas o problema é que, em muitos casos, as exceções têm se transformado
em regra, gerando modismos injustificáveis.

 

fonte: Mais Erros que os Pregadores Devem Evitar – Ciro Sanches Zibordi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *