Falar da Igreja Universal do Reino de Deus é o mesmo que descrever um                                      milagre. A pequena semente nascida no coração do jovem Edir Macedo, em                                      abrir uma porta que ensinasse o povo a ter fé num “Deus Vivo”, só brotou                                      quando ele resolveu dar o primeiro passo: sem condições para alugar um                                      imóvel, passou a realizar reuniões na rua, mais precisamente num coreto no                                      Jardim do Méier.Com determinação e ousadia, e auxiliado por um pequeno                                      grupo de pessoas imbuídas de fé e muito amor pelas almas, fez nascer                                      oficialmente esta Igreja em 9 de julho de 1977.

 

Os cultos eram freqüentados de tal maneira que motivaram o aluguel de                                      outros espaços. Dos cinemas, as reuniões passaram a ser realizadas em uma                                      loja, que fora uma antiga funerária, no bairro da Abolição, zona norte do Rio                                      de Janeiro. Ironicamente, o lugar começou a ser usado para resgatar e levar                                      vida aos espiritualmente mortos.

 

Naquela época, a divulgação era feita por dez obreiros. Eles colavam folhetos de evangelização nos postes e convidavam as pessoas a participarem dos cultos. Cruzada do Caminho Eterno, Igreja da Bênção e, finalmente, Igreja Universal do Reino de Deus foram alguns dos nomes utilizados na formação da atual Igreja. O bispo, junto com outros pastores, elaborou os regimentos e estatutos da IURD. Não demorou muito e foi preciso alugar imediatamente um espaço maior. Muitas orações e jejuns foram feitos com o propósito de Deus mostrar um lugar nas imediações do bairro para atender às necessidades da Igreja que crescia muito rapidamente. Uma antiga fábrica de móveis no número 7.702 da Avenida Suburbana parecia ser o local ideal. O galpão se tornou o grande templo da Abolição com capacidade inicial para 1.500 fiéis. Logo, foi preciso ampliar a capacidade para duas mil pessoas Quando o bispo Macedo alugou o galpão, isto foi considerado um gesto louco, pois o aluguel do imóvel era muito caro. Essa ousadia, entretanto, contribuiu para fazer da Universal o que ela é hoje: uma Igreja que não pára de se expandir. Os planos para a Igreja sempre foram grandes. Já nas pregações realizadas desde o coreto do Méier, o pastor Macedo costumava dizer que a Universal tinha por objetivo pregar o Evangelho aos quatro cantos do mundo e, para isso, seria necessário usar os meios de comunicação. Por intermédio da mídia, muitos têm conhecido o poder de Deus. São mensagens, testemunhos e depoimentos do que Ele tem realizado. Inicialmente “O Despertar da Fé” com 15 minutos de duração, foi transmitido pela Rádio Metropolitana. Em seguida, o programa foi veiculado na extinta TV Tupi, canal 6, no Rio de Janeiro, passando a ser transmitido em São Paulo e nos demais estados. Depois, a Igreja alugou alguns espaços e assumiu a direção de outras emissoras, criando uma rede de rádios e TVs que divulgam o seu trabalho. Trabalho e Dedicação Os obreiros, muitos deles, hoje bispos, pernoitavam na igreja. Pela manhã, bem cedo, já estavam de prontidão à espera dos que chegavam em busca de apoio e orientação espiritual.

 

A primeira campanha de Prosperidade aconteceu quando, certo dia, o então pastor Macedo, ficou preocupado porque o povo não estava sendo abençoado financeiramente. Depois de orar, pediu que alguém escrevesse um pedido e separasse 12 toalhas e 12 bacias com água. Doze obreiros foram escolhidos para ajudar. Essa corrente passou a ser realizada todos os sábados. Na primeira vez, apenas metade do templo ficou cheio. Na segunda, a igreja ficou quase lotada e, na terceira, os lugares já eram disputados. As ofertas foram dadas espontaneamente pelo povo e Deus honrou os sacrifícios com as bênçãos financeiras.

 

Não demorou muito tempo e a IURD chegou aos estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia. Os cultos eram e estão sempre acompanhados de milagres, testemunhos, curas e manifestações de fé.

 

Hoje a IURD se faz presente em muitos países da Europa, na América no Norte e América do Sul. O continente africano, considerado um dos mais carentes, conheceu o trabalho da Igreja Universal a partir de 1992. A primeira igreja foi aberta em Johannesburg, África do Sul. Hoje ela está presente em Angola, Moçambique, Cabo Verde, Quênia, Lesoto, Guiné Bissau, Costa do Marfim, Malawi, Uganda etc. Mesmo enfrentando conflitos locais, guerras civis, fome, miséria e tragédias naturais, a IURD além da evangelização, mantém obras assistenciais. O “Help Centre”, na África do Sul, distribui alimentos, roupas e fornece ajuda para a população carente. Na Ásia, a Igreja está presente no Japão, Índia e Filipinas, mantendo trabalhos sociais e cumprindo a tarefa de evangelizar. Atualmente, a IURD está atuando em mais de 70 países

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *