4º Trimestre de 2007

 

Data: 09 de Dezembro de 2007

TEXTO ÁUREO

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará” (Sl 91.1).

VERDADE PRÁTICA

A verdadeira segurança, segundo a Bíblia, consiste em o crente entregar-se inteiramente aos cuidados do Senhor e nEle confiar e descansar.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Sl 91.1,2

Deus como o nosso seguro esconderijo

Terça – Sl 31.2,3; 46.1

Deus como a nossa invencível fortaleza

Quarta – Sl 59.16

Deus como o nosso eterno refúgio

Quinta – Sl 61.3

Deus como a nossa torre forte

Sexta – Sl 27.1

Deus como a nossa força em tudo

Sábado – Sl 73.25

Deus como o nosso Supremo Bem

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Salmos 27.1-6.

1 – O SENHOR é a minha luz e a minha salvação, a quem temerei? O SENHOR é a força da minha vida, de quem me recearei?

2 – Quando os malvados, meus adversários e meus inimigos, investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, tropeçaram e caíram.

3 – Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria, ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria.

4 – Uma coisa pedi ao SENHOR e a buscarei, que possa morar na Casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR e aprender no seu templo.

5 – Porque no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão, no oculto do seu tabernáculo me esconderá, por-me-á sobre uma rocha.

6 – Também a minha cabeça será exaltada sobre os meus inimigos que estão ao redor de mim, pelo que oferecerei sacrifício de júbilo no seu tabernáculo; cantarei, sim, cantarei louvores ao SENHOR.

INTERAÇÃO

Professor, no Antigo Testamento o conceito de segurança era expresso pela palavra hebraica “bātach”. Esse vocábulo quer dizer “confiar”, “sentir-se seguro”, “estar despreocupado” ou “descansar em Deus”. No Salmo 78.53 designa a segurança com que o Senhor conduziu o povo de Israel no deserto. O termo, portanto, descreve a segurança e proteção que o Senhor concede ao seu povo contra “todas as ciladas do inimigo” (1 Sm 12.11; 1 Rs 8.56; Ef 6.11). Boa aula!

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Definir a palavra segurança de acordo com a Escritura.
Descrever as perspectivas da verdadeira segurança em Deus.
Viver na dimensão da fé e da Palavra.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, cada aluno possui seu ritmo e estilo próprio de aprendizado. Alguns, que são mais analíticos, se comprazem na exposição minuciosa do texto bíblico ou da lição (aprendem quando observam e ouvem). Outros são mais dinâmicos, aprendem por meio de atividades que os desafiem a descobrir novos conceitos e possibilidades. Há os interativos, isto é, os que aprendem quando são estimulados diante de uma situação concreta (gostam de interagir com o grupo). Por fim, os pragmáticos são aqueles que aprendem quando executam uma atividade relacionada a uma teoria (relacionam a teoria à prática). Por conseguinte, o professor deve ser um facilitador do aprendizado do aluno.

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Segurança: Estado, condição e sentimento de bem-estar, solidez e paz resultantes da fé e confiança no Senhor Jesus Cristo.

Deus nos promete segurança em meio aos perigos e ao caos à nossa volta, pois Ele é a nossa torre forte (Pv 18.10), o socorro bem presente na hora da angústia (Sl 46.1).

I. A PERSPECTIVA DA VERDADEIRA SEGURANÇA EM DEUS

1. A perspectiva bíblica da segurança. O termo segurança, no sentido aqui apresentado, tem a ver com proteção, abrigo, ou estar guardado do perigo e dos riscos que cercam a nossa existência, bem como aquilo que nos pertence. É justo e legítimo, segundo a Bíblia, que os crentes clamem sempre pela proteção de Deus diante das circunstâncias hostis que enfrentam. Ler Sl 7.1,2; 25.17-20; 31.4; 18.1-3. O salmista teve a compreensão exata dessa perspectiva pela convicção de que o significado e a razão de sua existência estavam no próprio Deus, muito além da vida física, como o seu verdadeiro abrigo por toda a eternidade (Sl 16.1,2; 27.1).

2. A perspectiva da soberania de Deus. Precisamos também compreender a promessa da nossa proteção, defesa e segurança sob a perspectiva da soberania de Deus. Nem sempre o livramento acontece da forma como pedimos e esperamos. Às vezes nos sentimos frustrados e até mesmo decepcionados, segundo a nossa ótica, em razão de perdas dolorosas e significativas. Nosso estado de espírito torna-se algo semelhante ao de Davi, que empregou fortes metáforas para demonstrar como a sua alma estava às vezes dilacerada (Sl 6.2,3; 18.4,5; 22.12-14; 42.11; 43.5).

3. A perspectiva do propósito de Deus. Assim, a promessa de segurança, do lado humano, precisa ser vista segundo o propósito de Deus para conosco.

Muitas vezes não teremos explicações para fatos que fogem ao nosso controle, nem respostas que nos esclareçam toda a dimensão das coisas que nos acontecem, mas aquele que clama e busca ao Senhor por socorro sabe e também está seguro de que Deus é soberano, segundo o seu propósito, naquilo que faz e permite. Ele é o nosso pavilhão (Sl 27.5).

SINOPSE DO TÓPICO (I)

A perspectiva da verdadeira segurança em Deus é tríplice: segurança bíblica, soberana em Deus e conforme o propósito divino.

II. OS EFEITOS DA VERDADEIRA SEGURANÇA EM DEUS

1. Produz paz em nossos corações. Entre outros resultados, a promessa bíblica da verdadeira segurança em Deus produz paz em nossa alma. É confortante visitar enfermos, no leito da dor, que transmitem serenidade e paz por estarem abrigados debaixo das asas do Altíssimo (Sl 91.1).

A segurança, em seu aspecto meramente humano, tem essa prerrogativa: ela pressupõe a ausência de conflitos, tensões e incertezas para que as pessoas tenham tranqüilidade no seu dia-a-dia. A segurança em Deus vai muito além disso: ela garante a salvação mediante a fé em Cristo e a certeza de que, ao final de nossa existência terrena, temos, nos céus, uma pátria de onde esperamos o nosso bem amado Salvador e onde estaremos para sempre livres das incertezas desta vida (2 Co 5.1-8).

2. Fortalece as nossas convicções. A promessa divina de segurança também fortalece as nossas convicções espirituais para suportarmos o peso das tempestades que se abatem sobre a nossa caminhada.

Essas convicções arraigadas dão ao crente a certeza de uma direção segura em seu viver diário, de tal maneira que nada pode afastá-lo do alvo (Sl 73.24; 1 Pe 1.4; 2 Tm 1.12).

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Os efeitos da verdadeira segurança em Deus são: paz em nossos corações e fortalecimento de nossas convicções.

III. COMO VIVER A VERDADEIRA SEGURANÇA EM DEUS

1. Viver na verdadeira dimensão da fé. Como viver, então a verdadeira segurança em Deus? A resposta, encontramo-la no episódio em que os três jovens de Israel na Babilônia enfrentaram a fúria de Nabucodonosor (Dn cap. 3). Na atitude daqueles três jovens fiéis e tementes a Deus está o retrato da verdadeira dimensão da fé que sustenta em bases sólidas a verdadeira segurança em Deus. Eles acreditavam firmemente, sem qualquer sombra de dúvida, que Deus os podia livrar da fornalha de fogo ardente, como hoje cremos, com a mesma firme expectativa, no poder de Deus para curar, libertar e proteger contra os perigos deste mundo.

Todavia ao mesmo tempo demonstraram que a sua fé não era imediatista ou limitada ao fogo da fornalha, mas olhava um pouco mais adiante para a glória que lhes aguardava na eternidade. Qualquer que fosse o desfecho, estavam seguros de que Deus faria o melhor. Tinham não apenas fé para superar as terríveis provações desta vida, mas também para crer que a soberania de Deus estava acima de todas as coisas. É a fé que vê o invisível, o que está além da fornalha (Hb 11.1,6-10,24-27).

2. Viver na verdadeira dimensão da Palavra. Por fim, a verdadeira segurança em Deus consiste em vivê-la à luz do que ensina a Palavra de Deus.

Assim, a verdadeira segurança consiste em crer e descansar nos propósitos soberanos de Deus. Muitas vezes esses propósitos se manifestam na forma de um livramento físico, da cura de uma enfermidade, mediante intervenção sobrenatural e poderosa de Deus, trazendo glória ao seu nome. Em outros casos, todavia, teremos de enfrentar a fornalha aquecida sete vezes mais, como soberana vontade de Deus. Contudo, seja qual for a situação, nossa cabeça será exaltada diante dos nossos inimigos e sempre exultaremos na presença de Deus, o nosso verdadeiro abrigo (Sl 27.6).

SINOPSE DO TÓPICO (III)

A verdadeira segurança em Deus deve ser vivida na dimensão da fé e da Palavra.

CONCLUSÃO

Portanto, nossa boca deve encher-se de alegria e seguir o exemplo da compositora sacra, Fanny Jane Crosby, que, mesmo sem jamais ter podido enxergar, escreveu: “Que segurança, sou de Jesus/ Eu já desfruto, bênçãos da luz”. Quem experimenta essa segurança, também aguarda com alegria a volta de Cristo.

VOCABULÁRIO

Arraigado: Que se arraigou; enraizado, radicado.
Imediatismo: Filosofia e prática daqueles que cuidam do que dá vantagem imediata.
Preleção: Discurso ou conferência didática.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BRUNELLI, W. O que você pode fazer na plenitude do Espírito. RJ: CPAD, 1994.
WILKERSON, D. Como receber mais de Jesus. RJ: CPAD, 2001.

EXERCÍCIOS

1. Quais as três perspectivas da verdadeira segurança?

R. A bíblica, da soberania e do propósito de Deus.

2. O que significa a verdadeira segurança segundo a Bíblia?

R. Abraçar inteiramente o agir de Deus.

3. Quais os efeitos da verdadeira segurança em Deus?

R. Paz no coração e fortalecimento de nossas convicções.

4. Como o crente deve viver a verdadeira segurança em Deus?

R. Na dimensão da fé e da Palavra.

5. Segundo a Bíblia, em que consiste a verdadeira segurança?

R. Em crer e descansar nos propósitos soberanos de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *