3º Trimestre de 2007

 

Data: 09 de Setembro de 2007

TEXTO ÁUREO

“De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seu marido” (Ef 5.24).

VERDADE PRÁTICA

Assim como a Igreja está sujeita a Cristo, da mesma forma estejam as mulheres submissas a seus maridos.

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Cl 3.18

A submissão da esposa ao seu marido é mandamento divino

Terça – 1 Pe 3.1

A mulher crente que é submissa a seu marido não convertido é uma fonte de bênçãos para o lar

Quarta – Pv 12.4

A mulher virtuosa é a honra de seu marido

Quinta – Ec 10.4

A submissão aplaca ofensas

Sexta – Tt 2.5

A submissão da esposa impede a blasfêmia contra a Palavra de Deus

Sábado – Fp 2.5-12

Cristo, o exemplo de submissão

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Gênesis 12.4,5; 1 Pedro 3.1-6.

Gênesis 12

4 – Assim, partiu Abrão, como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã.

5 – E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e toda a sua fazenda, que haviam adquirido, e as almas que lhe acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e vieram à terra de Canaã.

1 Pedro 3

1 – Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas ao vosso próprio marido, para que também, se algum não obedece à palavra, pelo procedimento de sua mulher seja ganho sem palavra,

2 – considerando a vossa vida casta, em temor.

3 – O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestes,

4 – mas o homem encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.

5 – Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus e estavam sujeitas ao seu próprio marido,

6 – como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós sois filhas, fazendo o bem e não temendo nenhum espanto.

INTERAÇÃO

Professor, a palavra-chave desta lição é “submissão”. Embora Sara seja um exemplo de obediência, o maior de todos os exemplos de submissão é o Senhor Jesus Cristo – Ele foi obediente até a morte (Fp 2.8). Ressalte essa incontestável verdade aos seus alunos. Lembre-os de que os grandes heróis da fé foram, acima de tudo, homens e mulheres submissos a Deus, aos pais e às autoridades. Inicie esta aula lendo o texto de 1 Samuel 15.22, e conclua a lição com a frase: “Deus se compraz no filho que lhe obedece”.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Descrever as características da cidade de Ur.
Explicar as particularidades do caráter de Sara.
Comentar a respeito da obediência irrestrita de Sara a Abraão.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, todos os personagens bíblicos, assim como todos os homens, possuem virtudes e fraquezas. Sara não era diferente. Nesta lição, apresente aos alunos as virtudes e fraquezas de Sara.

Comente que a submissão é uma excelente virtude que habita em pessoas imperfeitas. Porém, as imperfeições humanas não impedem que o homem obedeça ao Senhor Jesus Cristo. Logo abaixo, há um exemplo das virtudes e fraquezas de Sara.

COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave

Submissão: Virtude mediante a qual a pessoa submete-se docilmente a outrem.

Esta lição traz-nos ensinos preciosos acerca de Sara, esposa do patriarca Abraão. Seu nome original era Sarai, mas foi divinamente mudado para Sara, isto é, “princesa” (Gn 17.15). Esse novo nome representava o futuro glorioso de uma mulher submissa. Sara ficou conhecida na história bíblica como “mãe de nações”, “mãe de reis, príncipes e princesas”.

I. CONTEXTO DA VIDA DE SARA

1. A terra natal de Sara (Gn 11.28,31; 15.7). Sara era natural de Ur dos Caldeus, cidade localizada às margens do Eufrates, ao sul da imponente Babilônia. Era a mais importante da Suméria, e possuía um porto por meio do qual se realizava o intercâmbio comercial com outros povos. Seus habitantes estavam entre os mais cultos da Mesopotâmia. Deixar um lugar como este não era nada fácil para uma mulher.

2. Um chamado à peregrinação. Para corresponder ao chamado divino de Abraão, Sara privou-se de uma cidade cosmopolita, bastante desenvolvida, e com infra-estrutura ideal para o estabelecimento de uma excelente residência. Além de abrir mão de parentes e amigos, peregrinou em terras desconhecidas andando por desertos e dormindo em tendas. Seu exemplo é tão patente que o apóstolo Pedro, séculos depois, a enalteceu pela obediência ao marido (1 Pe 3.6).

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Sara era natural da cosmopolita Ur dos Caldeus. Porém, quando Abraão recebeu o chamado celeste, Sara desprendeu-se de toda comodidade de Ur para acompanhar o seu marido.

II. O CARÁTER DE SARA

1. Uma mulher submissa. Sara é um exemplo histórico de submissão e amor sacrificial ao marido. O apóstolo Pedro, inclusive, recomendou às mulheres cristãs que imitassem sua fé e obediência (1 Pe 3.6).

Vejamos dois episódios da vida de Sara que descrevem sua obediência a Abraão.

a) No Egito (Gn 12.11-13). Segundo a Bíblia, Abraão, em suas peregrinações, temia por sua vida, pois Sara era uma mulher muito formosa. Foi por isso que ele a orientou para confirmar que ambos eram irmãos e não cônjuges. É provável que tenha se sentido bastante perturbada com a posição do marido em relação a ela. Todavia, prontamente atendeu ao pedido de Abraão sem manifestar qualquer contrariedade quando fora apresentada como sua irmã. Abraão foi repreensível, mas Sara não o desonrou diante dos egípcios.

b) Em Gerar, terra de Canaã (Gn 20.1-7). Pela segunda vez, Abraão afirmou que Sara era sua irmã e não esposa. Isso fez com que Abimeleque, rei de Gerar, tomasse Sara por sua mulher. Mesmo assim, a “mãe de nações” não se manifestou, mas fora submissa à decisão tomada pelo marido. Ela mesma prontificou-se a confirmar a história contada pelo esposo (Gn 20.5). O grande patriarca mais uma vez expôs sua esposa ao perigo, para poupar a própria vida. Isto já seria motivo mais que suficiente para que Sara se opusesse à decisão do patriarca. Porém, não o fez. Foi assim que o próprio Deus entrou em cena para livrá-la (Gn 20.3). Sua obediência foi recompensada.

2. Uma mulher impaciente. Não obstante, Deus ter prometido um filho a Abraão (Gn 15.4), Sara era estéril (Gn 16.1; Hb 11.11). Tendo aguardado a promessa por tanto tempo, fora vencida pela impaciência. Ela mesma, através de Agar, sua serva, proveu um filho para Abraão. Isso nos mostra o quanto o ser humano é fraco e propenso ao erro. Felizmente, Sara não é lembrada por esse deslize. Certamente se arrependeu e Deus a perdoou. Lembramo-nos de Sara, pela mulher que amava e obedecia a seu marido. Esse é o tipo de submissão que toda mulher cristã precisa praticar.

3. Uma mulher de fé. Depois de rir da promessa do Senhor (Gn 18.12), Sara mudou completamente de atitude. Sua fé a possibilitou receber o filho que tanto esperara. Ela creu que o Senhor era fiel para cumprir a promessa feita a Abraão (Gn 18.10,14; 12.1-3,7; 17.15,16; 18.9-16; Gl 4.21-31) tornando-se um exemplo de fé para todo cristão (Hb 11.11).

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Sara era uma mulher de fé, submissa e impaciente.

III. RECOMENDAÇÕES BÍBLICAS AOS MARIDOS (Ef 5.25-28)

O esposo não deve tomar decisões sem antes conversar com a esposa e ouvi-la, pois a mulher sábia edifica o lar. Suas decisões devem considerar a dignidade, o respeito e o amor a ela devidos (Ef 5.25-29,33). Mulher alguma terá dificuldades de manter-se submissa ao marido que a ama e comporta-se conforme os padrões da Palavra de Deus.

Como o marido deve amar sua esposa?

1. Como Cristo amou a Igreja (Ef 5.25-28). A Bíblia afirma que a esposa deve ser submissa ao marido, como a Igreja se sujeita a Cristo (Ef 5.24). E o marido deve amar sacrificialmente sua esposa, assim como Cristo amou a Igreja (Ef 5.25). A exemplo de Cristo, que em seu amor proveu para a Igreja pureza, santidade, glória e perfeição (vv.26,27), o marido deve munir-se dos meios necessários à felicidade de sua esposa (v.28).

2. Como a si mesmo (Ef 5.28,29). Da mesma forma que o homem busca seu próprio bem-estar, deve também primar pelo bem-estar da sua esposa. Pois ninguém odeia o seu próprio corpo. Logo, o marido que ama a esposa, ama a si mesmo.

SINOPSE DO TÓPICO (III)

A Bíblia recomenda que o marido ame a sua esposa como a si mesmo, e como Cristo amou a Igreja.

CONCLUSÃO

As mulheres cristãs são conclamadas a seguir o exemplo de Sara que em tudo foi submissa a seu marido e procurou sempre honrá-lo. Da mesma forma, os maridos devem sentir-se responsabilizados por terem tamanho tesouro em suas mãos (Pv 31.10). Os esposos devem amar, respeitar e tratar suas esposas com dignidade e carinho, para que a submissão delas não seja um fardo, mas um privilégio.

VOCABULÁRIO

Enfático: Que tem ou em que há ênfase.
Estéril: Que não produz; improdutivo; infecundo.
Submisso: Que se submeteu ou se submete, se sujeitou ou se sujeita.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

HUGHES, B. Disciplinas da mulher cristã. RJ: CPAD, 2005.
KENDRICK, M. 365 lições de vida extraída de personagens da Bíblia. RJ:CPAD, 1999.

EXERCÍCIOS

1. Comente sobre a cidade de Ur dos Caldeus.

R. (Livre) Ur dos Caldeus era uma cidade cosmopolita e localizava-se às margens do Eufrates; sendo a cidade mais importante da Suméria.

2. O que Sara deixou quando atendeu à chamada de Abraão?

R. Ela deixou uma cidade cosmopolita, com infra-estrutura ideal para o estabelecimento de uma residência.

3. Descreva três características do caráter de Sara.

R. Submissa, impaciente e uma mulher de fé.

4. Por quais atitudes Sara é lembrada no Novo Testamento?

R. Por sua obediência ao marido e sua fé em Deus (1 Pe 3.6; Hb 11.11).

5. Como o marido deve amar a sua esposa?

R. Como ama a si mesmo e como Cristo amou a Igreja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *