06 de Junho de 2021
 
Jovens 2º Trimestre de 2021
 
TEXTO DO DIA
Todas as coisas me são Lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são Lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.” (l Co 6.12)
 
SÍNTESE
O nosso corpo pertence ao Senhor e não deve ser usado para a prostituição.
 
AGENDA DE LEITURA
SEGUNDA – Is 59.2 0 pecado nos afasta de Deus
TERÇA – Rm 6.23 A recompensa do pecado é a morte
QUARTA – Rm 6.22 Libertos do pecado e servos de Deus
QUINTA – Rm 8.1 Não há condenação para os que andam segundo o Espírito
SEXTA – Rm 8.5 Diga não à inclinação da carne
SÁBADO – Rm 5.6 A inclinação da carne é morte
 
OBJETIVOS
1 CONSCIENTIZAR de que a Liberdade em Cristo não pode ser confundida com a Libertinagem;
2 MOSTRAR que o pecado no corpo o afeta a alma  e o espírito ;
3 SABER que a imoralidade é uma tentação na vida do crente.
 
 
INTERAÇÃO
Professor(a), a ênfase da aula de hoje é mostrar que o nosso corpo pertence ao Senhor, por isso não deve ser usado para a prostituição. Temos um Deus que é santo e que exige que o nosso corpo, que é o seu templo, a sua morada, seja Limpo e separado para uso exclusivo dele. O pecado sempre tem consequências, porém a pior de todas é o afastamento de Deus. Sim, o pecado nos separa do Senhor. Durante o decorrer da lição, procure enfatizar que a recompensa do pecado é a morte: espiritual e física. Fomos libertos do pecado e agora não temos mais prazer na iniquidade. Com os filhos de Deus o nosso deleite é agradar ao Pai e glorificá-Lo em toda a nossa maneira de viver.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Prezado(a) professor(a), converse com os alunos mostrando que tudo indica que algumas pessoas na igreja de Corinto estavam aplicando l Coríntios 6.12 de maneira equivocada. Leia com os alunos esse versículo e utilize o quadro abaixo para mostrar a resposta de Paulo a essa questão.
O fato de Cristo ter levado nossos pecados sobre si não nos dá a liberdade de continuar fazendo o que sabemos que é errado. Algumas ações não são pecaminosas em si mesmas, mas são apropriadas porque podem dominar nossas vidas e nos levar para longe de Deus.
O NT proíbe especificamente muitos pecados (1 Co 6.9,10) que foram originalmente proibidos no AT (Rm 12.9-21; 13.8 -10 ) Algumas ações podem ferir outras pessoas, ao invés de ajudá -las, não é correta.
 
TEXTO BÍBLICO 
1 Coríntios 6.12-20
12 Todas as coisas me são Lícitas, mas nem todas as coisas convém; todas as coisas me são Lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. 
13 Os manjares são para o ventre, e o ventre, para os manjares; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo. 
14 Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder. 
15 Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo e fá-Los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. 
16 Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. 
17 Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito. 
18 Fugi da prostituição. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. 
19 Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 
20 Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.
 
INTRODUÇÃO
O sexo foi criado por Deus com dois propósitos específicos: Dar continuidade à humanidade (procriação ) e trazer prazer sexual no casamento (heterossexual). Contudo , algumas pessoas têm deturpado esses propósitos. Nesta lição , veremos que o apóstolo Paulo faz sérias recomendações aos coríntios com relação ao uso do corpo. A cultura de imoralidade da cidade de Corinto reforçava a seriedade com que o apóstolo adverte os cristãos para não ceder a qualquer motivo que pudesse levá-los à imoralidade sexual e a contaminar o corpo, que é templo do Espírito Santo.
 
I – A LIBERDADE EM CRISTO NÃO PODE SER CONFUNDIDA COM LIBERTINAGEM 
    1. Fazer tudo o que se deseja não é liberdade, mas escravidão (v.12). Alguns crentes de Corinto acreditavam, erroneamente, que podiam fazer tudo o que bem desejassem em nome da liberdade em Cristo, sem prejuízo algum para a vida espiritual. Eles se tornaram escravos das paixões carnais, que dominavam suas vontades e ações. Tal pensamento e atitude era um reflexo da velha natureza incorporada aos costumes da cidade. Alguns crentes de Corinto também usavam de modo errado o que acreditavam ser a “liberdade cristã”, criando pretextos para legitimar suas atitudes errôneas.
Desse modo, práticas pecaminosas como a prostituição, fornicação, entre outros atos imorais, passavam a ser consideradas comuns. Alguns membros da igreja tinham uma tendência gnóstica e apregoavam a seguinte falácia: “O que se faz com o corpo não o torna impuro, desde que se mantenha o espírito puro.” Como eles tinham uma visão do corpo como uma matéria má, o que se fazia com o corpo não tinha nenhum efeito na vida espiritual. Uma mentira do Diabo. 
    2. Livre é quem está “em Cristo”. A Palavra de Deus nos mostra que só tem a liberdade real, a verdadeira, quem está em Cristo. A expressão “em Cristo” era querida pelo apóstolo, e aparece 86 vezes nas suas cartas, isso sem considerar expressões análogas com o “nele” e “no qual”. Quando uma palavra é usada com frequência por um autor, se torna uma palavra-chave para interpretação do texto. Por isso, o apóstolo Paulo defende a sacralidade do corpo de quem está em Cristo. Ele reforça na carta que Jesus morreu na cruz para resgate tanto da parte espiritual quanto a material do ser humano, ou seja, o corpo.
A falta de respeito com o nosso corpo torna-o profano, em vez de objeto de glorificação a Deus (v.19). O mundo ainda está debaixo da maldição do pecado. No entanto, em Cristo é possível manter a integridade de uma vida cristã santa, à espera da redenção final. Assim, Paulo recomenda viver a liberdade de Cristo, andando no Espírito, vivendo em Cristo e dominando a vontade da carne. 
    3. O oposto de estar em Cristo. Na Carta aos Romanos, o apóstolo usa uma expressão para caracterizar o oposto de estar “em Cristo”, o estar “em Adão”. Alguns cristãos coríntios, em nome de uma liberdade equivocada do estar em Cristo, na realidade estavam “em Adão”. Aos coríntios, Paulo afirma que da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados (1 Co 15.22). Para ele o estar “em Cristo” remodela a vida humana em todas as suas esferas e aspectos (2 Co 5.17).
O novo convertido passa a ser a imagem do próprio Cristo. A nova criatura “em Cristo” vive de um modo inteiramente novo e em oposição às pessoas “sem Cristo”. Todos os seres humanos estão “em Adão ”, até que passam , mediante a fé, a estar “em Cristo”. A expressão “Em Cristo” descreve a posição da pessoa remida, livre da tirania do pecado. 
 
Pense! 
Você tem vivido como nova criatura em Jesus Cristo? 
 
Ponto Importante
Se somos uma nova criatura “em Cristo”precisamos viver de um modo inteiramente novo. 
 
II – O PECADO NO CORPO AFETA A ALMA E O ESPÍRITO (6.13-19) 
     1. O pecado no corpo. Paulo usa a expressão grega sarx, geralmente traduzida por “carne”, para designar a velha natureza do ser humano que pode impedi-lo de praticar o bem (Rm 7.5,18,25). O apóstolo estimula o crente a mortificar a carne e a ser servo da justiça para não pecar contra Deus (Rm 6.11,12). O pecado (hamartia) é errar o alvo, algo que se faz contra a vontade de Deus. Ele separa o ser humano de Deus, o escraviza e o destitui da glória divina (Rm 3.23). Deus manifesta a sua ira (orgê) contra o pecado e toda impiedade humana (Rm 1.18). Mas os salvos que estão em Cristo não estão destinados para serem consumidos pela ira de Deus (1 Ts 5.9,10). Jesus destruiu o poder do pecado na Cruz, na qual o crente está unido em Cristo para não mais servir o pecado como escravo (Rm 6.6,7). 
    2. Corpo, alma e espírito no Novo Testamento. As Escrituras consideram o ser humano em sua totalidade, ou seja, não se vê a alma sem corpo e nem o corpo sem a parte espiritual. Por isso, na narrativa da criação, o ser humano é visto de forma integral. Apesar de ser conhecedor da cultura greco-romana, depois da sua conversão a Cristo, Paulo via o ser humano como um todo. O apóstolo recomendava a preservação tanto do espírito como do corpo. Nosso corpo somente passa a ser habitação do Espírito quando, pela fé, entregamos nossas vidas a Jesus Cristo, crendo no seu sacrifício remidor (Gl 3.1.2). 
     3. O corpo como templo do Espírito Santo (vv.13-19). Paulo adverte a respeito do perigo das relações sexuais imorais adentrarem na igreja. Em uma relação extraconjugal, o cristão profana o próprio corpo (vv.13,15). Para preservar o corpo que é templo do Espírito Santo, o crente deve evitar a imoralidade sexual. O apóstolo afirma também que o nosso corpo é templo do Espírito Santo (v.19). O templo era um lugar de encontro com Deus, para uso exclusivo de adoração ao Senhor. A intenção de Paulo é fazer com que as pessoas se identificassem com a igreja, parte do Corpo de Cristo, santificando-se e oferecendo seus corpos como sacrifícios vivos para louvor e glória de Deus (Rm 12.1,2).
 
Pense! 
Seu corpo tem sido templo, morada do Espírito Santo? 
 
Ponto Importante 
Precisamos oferecer nossos corpos como sacrifícios vivos para louvor e glória de Deus. 
 
III – A IMORALIDADE É UMA TENTAÇÃO NA VIDA DO CRENTE 
    1. Fomos comprados por bom preço: diga não à tentação (v.20a). Com o intuito de incentivar o cristão diante de uma tentação, ele destaca o preço da justificação (v.20a). A doutrina da justificação expressa à mensagem do agir de Deus para a salvação da humanidade. Quem procura estabelecer sua própria justiça não é justificado, pois a justificação só pode ser alcançada por meio da fé na obra vicária de Jesus. Logo, a igreja que não preserva esse princípio tende ao liberalismo e a apostasia da fé.
A Justificação pela fé é uma doutrina bíblica que acertadamente exclui a necessidade de obras meritórias para a justificação do ser humano, porém, não abre possibilidade para o outro extremo, do antinomismo, a desobrigação com a lei moral. A Justificação precede o processo da santificação. Assim, uma vez justificado, o cristão inicia o processo da santificação, que é permanente. Por isso, diga não à tentação! 
     2. Resistir à tentação e glorificar a Deus com o corpo e o espírito (v.20b). Em Cristo, o ser humano pode renascer para uma vida plena com Ele. A graça tem muito mais a oferecer; sua porta está aberta e sua eficácia é infinitamente maior que a escravidão no pecado e a morte espiritual, pois a participação na morte (justificação) e na ressurreição de Cristo (glorificação) faz-nos passar da morte para a vida. Assim, uma vez justificados e participantes do processo de santificação, os crentes já vivem uma dimensão da vida eterna com Deus. A graça redentora de Cristo assegura a entrada em uma vida interminável na presença de Deus, que não se interrompe com a morte física. 
     3. Quem resiste à tentação da imoralidade pertence a Deus (v.20c). O crente vive em uma constante guerra, por isso precisa lutar contra os desejos da carne que se opõem aos desejos do Espírito (Gl 5.16-26). Para vencer os desejos da carne é preciso fortalecer a vida espiritual, lendo a Palavra de Deus, orando, jejuando, participando dos cultos e da comunhão com os santos. 
 
Pense! 
Você tem fortalecido sua vida espiritual? 
 
Ponto Importante
 O crente somente consegue vencer os desejos da carne lendo a Palavra de Deus, orando, jejuando, participando dos cultos e da comunhão com os santos.
 
SUBSÍDIO 1
“Todas as coisas me são lícitas “, diz Paulo, e repete a declaração em 10,23, possivelmente um conceito tipicamente coríntio que o apóstolo Paulo cita ironicamente. Os coríntios seguiam a filosofia do hedonismo, que afirmava ser o prazer supremo bem da vida, portanto a busca do prazer, o alvo principal da conduta humana. Os coríntios até afirmavam: ‘ Comamos e bebamos, que amanhã morreremos’ (15.22). Mas Paulo contrabalança a declaração de ser tudo lícito com duas considerações: determinadas atitudes ou ação traz benefício a mim e aos outros? Conviria ao meu Mestre ou não? É esse princípio que devemos aplicar hoje em benefício do nosso próprio corpo e espírito.
Paulo aplica o princípio inicialmente à comida. A religião daquele tempo (e até algumas modernas) exigia que seus adeptos obedecessem a longas listas de regulamentos, no tocante à alimentação. Concebia-se a abstinência de certas comidas como essencial à salvação. Mas o cristianismo é diferente. O pecador não é salvo por aquilo que faz, dispensa ou deixa de fazer, ele é salvo pela fé em Cristo. Ele, é portanto livre (Rm 1.16,17). Não somos salvos pelas obras, se não pela fé em Jesus Cristo. Somos livres ” (HOOVER, Thomas Reginald. Comentário Bíblico 1 e 2 Coríntios. Rio de Janeiro, CPAD, 1999, pp. 50,51). EBD | 2° Trimestre De 2021 | CPAD – Jovens | Tema: O Cuidado de Deus com o Corpo de Cristo – Lições da Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios para os nossos Dias | Lição 10: Seu Corpo é Membro de Cristo
 
SUBSÍDIO 2
“Infelizmente, alguns dos crentes coríntios haviam abusado de sua liberdade, insistindo em fazer o que bem entendiam com seus corpos. O versículo 13 parece sugerir que eles estimavam o sexo em pé de igualdade com a alimentação. Paulo corrige esse erro de forma direta. O corpo não é feito somente para comida, prazer e sexo: ‘O corpo é para o Senhor e o Senhor para o corpo’ (v. 13). O sexo praticado dentro dos limites bíblicos (entre marido e esposa), é santo e ordenado por Deus. O corpo do cristão pertence a Cristo; como, pois, poderia unir-se com uma prostituta?’ (vv. 19,20).
É templo do Espírito Santo; como, pois, poderia sujá-lo com sexo promíscuo, alianças pecaminosas ou auto abuso; e como se atreveria a destruí-lo por hábitos prejudiciais? Paulo mostra que o uso errado do sexo é imoral e ilógico, e a liberdade cristã não abrange o ilógico e nem a imoralidade. Algumas pessoas acham que Deus se interessa somente pelo nosso espírito, pois este se comunica com Ele. Acreditam, portanto, que o que fazemos com o corpo não é importante” (HOOVER, Thom as Reginald. Comentário Bíblico 1 e 2 Coríntios. Rio de Janeiro, CPAD, 1999, p. 51).
 
CONCLUSÃO 
Nesta lição aprendemos que o ambiente imoral de Corinto estava influenciando o comportamento dos membros da igreja. Alguns crentes coríntios, erroneamente, se achavam livres para fazer o que bem entendessem com o seu corpo, mas eles, na verdade, se tornaram escravos da carne. A verdade da liberdade está em Cristo . Ser livre é poder dizer não à imoralidade e à prostituição e preservar o templo do Espírito Santo. 
 
HORA DA REVISÃO 
1. De acordo com a lição, quais os propósitos do sexo? 
O sexo foi criado por Deus com dois propósitos específicos: Dar continuidade à humanidade (procriação) e usufruir do prazer sexual no casamento (heterossexual). 
 
2. Fazer tudo o que se deseja é liberdade cristã? 
Fazer tudo o que se deseja não é liberdade, mas escravidão (v.12). 
 
3. Segundo a lição, quem é realmente livre?
 Livre é quem está “em Cristo”. 
 
4. O que a falta de respeito pelo corpo o torna? 
A falta de respeito com o nosso corpo torna-o profano, em vez de objeto de glorificação a Deus (v.19). 
 
5. Segundo a lição, qual é o oposto de estar “em Cristo”? 
Na carta aos Romanos, o apóstolo usa expressão para caracterizar o oposto de estar “em Cristo”, o estar “em Adão”.
 

3 opiniões sobre “Lição 10 – SEU CORPO E MEMBRO DE CRISTO”

  1. Hoje me dia, o fato de você se abster de algumas situações comuns, faz com que se torne ridículo, até mesmo para os irmãos da Igreja. Triste demais essa realidade!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *